A cartografia:Cartografia sistemática:-é uma busca por representar o terreno, particularmente suas formas, distâncias eal...
-Latitude: é a distância do Equador medida ao longo do Meridiano de Greenwich (ouseja, está relacionado aos paralelos). Se...
-O resultado dessa inclinação do eixo de rotação é que ao longo do movimento detranslação a inclinação dos raios solares v...
-Projeções equivalentes: mantêm as áreas, mas distorcem as formas (Projeção dePeters);-Projeções equidistantes: as distânc...
Símbolos:-Utilizados para expressar a presença e localização de algum fenômeno natural ousocial;Linhas:-As linhas compõe...
GeomorfologiaEstrutura da Terra:-As camadas que compõe a Terra são concêntricas (possuem o mesmo centro). Nointerior está...
algumas teorias, é um dos fatores responsáveis pela movimentação das placastectônicas;--Por meio da pressão que a energia ...
Deriva dos continentes e tectônica de placas:-De acordo com a formulação da Teoria da Deriva Continental, os continentes,...
Abalos sísmicos e vulcanismo:-A movimentação das placas tectônicas (acomodação) pode provocar abalos sísmicos eerupções v...
-Planaltos: não são, necessariamente, terrenos latos e levemente planos. São áreas ondeos processos de desgaste são maiore...
--Nas costas de acumulação, ocorre a sedimentação marinha ou fluviomarinha,caracterizando a planície costeira do Brasil. H...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Geografia cartografia e geomorfologia

1.204 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia cartografia e geomorfologia

  1. 1. A cartografia:Cartografia sistemática:-é uma busca por representar o terreno, particularmente suas formas, distâncias ealtitudes, assim como a localização nele de objetos naturais, como rios, montanhas, ouaqueles produzidos pelo homem, como cidades, estradas ou ferrovias;-Os mapas produzidos pela cartografia sistemática são chamados de mapastopográficos, o que explicita de forma bem direta o objetivo desses mapas(representando as principais características de um lugar);As fontes para se fazer mapas:-Aerofotografia: fazem-se fotos aéreas do lugar de interesse e, posteriormente,utilizam-se certas técnicas para transpor as imagens obtidas por meio fotográfico para osmapas, geralmente, em formato digital;-Imagens de satélite: Estas não são fotografias, mas sim a captação de várias faixas daradiação emitida ou refletida pelo planeta. A diferença é que a fotografia comum captaas ondas eletromagnéticas do espectro visível (entre o infravermelho e o ultravioleta), jáo satélite capta até sete faixas de ondas, que podem ser escolhidas conforme o que sequer visualizar na imagem, como queimadas, florestas, entre outros;-Imagem de radar: os radares são instalados em aviões. Eles emitem ondaseletromagnéticas que, após serem refletidas pelo terreno, são por ele captadas einterpretadas. A vantagem dessa técnica é que a mesma não exige boas condiçõesclimáticas, podendo produzir imagens através das nuvens. Esse foi o equipamentoutilizado no projeto RadamBrasil, que iniciou o mapeamento detalhado da Amazônia;O movimento de rotação, os paralelos e os meridianos:-O movimento de rotação terrestre é aquele que o planeta executa em torno de seupróprio eixo, em um período de 24 horas. Por isso a Terra é achatada nos pólos eexpandida no Equador, não formando uma esfera perfeita. Mas, também, é por causadesse movimento que temos a variação dos períodos de claro e escuro do planeta;-Os paralelos são circunferências paralelas ao Equador, que, por sua vez, é um paraleloespecial, o qual divide a Terra em dois hemisférios (Norte e Sul);-Os meridianos são meias circunferências que ligam o polo Norte ao polo Sul, sendoseu complemento do outro lado do planeta chamado de antimeridiano. É caracterizadopela frase: “uma linha que une pontos que têm o meio-dia no mesmo momento”. Oplano formado por essas duas meias circunferências inclui o eixo de rotação da Terraem toda sua extensão. Dividem a Terra em Oeste e Leste;
  2. 2. -Latitude: é a distância do Equador medida ao longo do Meridiano de Greenwich (ouseja, está relacionado aos paralelos). Seu ângulo, o qual varia do 0º até os 90º, éformado pelo paralelo inicial, que é o Equador, e o paralelo do lugar que se querlocalizar;-Longitude: é a distância do Meridiano de Greenwich medida ao longo do Equador (ouseja, está relacionado aos meridianos). Seu ângulo, o qual varia do 0º do Meridiano deGreenwich até os 180º, é formado pelo meridiano inicial ou internacional (deGreenwich), e o meridiano do lugar que se quer localizar;-Os fusos horários, reduzidos a 24 fusos, cada um com 15º (já que, ao dividir acircunferência da Terra, ou seja, 360º, por 24, obtém-se como resultado 15º). Essemeridiano, portanto, possui 7,5º para Leste e 7,5 para Oeste. A diferença de um fusohorário para outro é de uma hora e, como a Terra gira de Oeste para Leste, adiciona-seuma hora a cada fuso que se caminha em direção a Leste. O Brasil apresenta três fusoshorários:*Fernando de Noronha: que compreende o meridiano central 30º Oeste, estando duashoras atrasado em relação a Greenwich;*Sul, Sudeste, Nordeste, além dos estados de Goiás, Tocantins, Amapá, DistritoFederal e Pará: compreende o meridiano central 45º Oeste, estando três horas atrasadoem relação a Greenwich;*Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Amazonas e o Acre:compreende o meridiano 60º Oeste, estando quatro horas atrasado em relação aGreenwich.O movimento de translação:-É aquele que a Terra executa em torno do Sol, em um período de 365 dias e seis horas.O percurso que o planeta segue nesse movimento é chamado de órbita terrestre, a qual éelíptica, sendo o Sol levemente deslocado em relação ao seu centro, o que dá origem edois pontos específicos da órbita: o periélio (ponto em que a Terra está mais próximado Sol) e o afélio (ponto em que está mais distante);-O ano bissexto é o ano em que se inclui um dia a mais (29 de fevereiro), já que a cadaano do calendário acabam sobrando seis horas não contabilizadas e, para evitar odesencontro entre o ano real (do movimento de translação) e o do calendário, énecessário fazer essa mudança;-As estações do ano têm como sua causa o movimento da translação (e não o periélioou o afélio), mas somente ao se relacionar esse movimento com a inclinação do eixo derotação do planeta é que têm-se como resultado as variações da luminosidade que geramas estações.
  3. 3. -O resultado dessa inclinação do eixo de rotação é que ao longo do movimento detranslação a inclinação dos raios solares vai mudando para cada região do planeta, o quefaz com que o movimento aparente do Sol mude. Ao longo do ano, quatro pontos dopercurso de translação são importantes: dois solstícios e dois equinócios e, de acordocom eles, pode-se definir quatro paralelos especiais: os dois trópicos (Câncer eCapricórnio) e os dois polos (Ártico e Antártico).-Os dois equinócios são os momentos nos quais os raios solares estão incidindoperpendicularmente ao Equador. São eles: o dia 21 de março e 23 de setembro, datasque marcam, respectivamente o início do outono e da primavera do hemisfério Sul e oinverso no hemisfério Norte;-Os solstícios são os momentos nos quais os raios solares incidem perpendicularmenteem um dos trópicos. No trópico de Câncer (hemisfério Norte), em 22 de junho, e noTrópico de Capricórnio (hemisfério Sul), em 21 de dezembro. Essas datas marcam,respectivamente, o início do inverno e do verão no Hemisfério Sul, assim como seuinverso no Norte. Os dias ficam mais longos no verão e mais curtos no inverno;-O horário de verão tem como objetivo o aproveitamento dos dias mais longos doverão e, com isso, passa a utilizar por mais tempo a iluminação solar, obtendo umaeconomia de energia elétrica maior;-Quanto aos círculos polares, o que ocorre é que no dia do solstício, os raios solarestangenciam-nos, fazendo com que na área coberta por cada um deles tenha 24 horas deluz ou de escuridão.A escala:-A escala é a proporção matemática que informa o quanto a realidade foi reduzida paraser representada. Divide-se em escala numérica ou escala gráfica.-Na escala numérica, o número que vem após os dois pontos nos informa o quanto a“realidade” foi dividida para ser desenhada no mapa. Exemplo: 1:100.000- cadacentímetro corresponde a 100.000 metros;-Na escala gráfica, tem-se uma relação mais direta, já que expressa graficamente oquanto uma determinada distância na realidade representa no mapa;-Uma escala 1:2000 é maior que uma 1:5.000.000, portanto, quanto maior for a escala,menor será sua área representada e melhor será seu detalhamento, e vice-versa.Projeções:-Provocam distorções de formas ou de áreas das regiões mapeadas;-Projeções semelhantes ou conformes: mantêm as formas, mas distorcem as áreas(Projeção de Mercator);
  4. 4. -Projeções equivalentes: mantêm as áreas, mas distorcem as formas (Projeção dePeters);-Projeções equidistantes: as distâncias são representadas corretamente, mas hádistorção das formas e das áreas (Projeção de Robinson);-Projeção afiláticas ou indeterminadas: distorcem pouco cada uma das dimensões(formas, áreas e distâncias), sendo úteis para fins didáticos;-Projeção plana azimutal polar: é ideal para a representação dos pólos, que ficammuito distorcidos nas outras projeções, porém a mesma distorce muito as áreas maisdistantes de seu centro;-Projeção azimutal equidistante: as distâncias do mundo todo em relação ao Brasilestão corretamente representadas, porém as formas e as áreas estão muito distorcidasnas áreas periféricas do mapa;-Projeção de Robinson: é uma projeção afilática, ou seja, não preserva as áreas, asformas ou as distâncias. Mesmo assim, as distorções das formas e das áreas não sãomuito extremas, produzindo um planisfério bem equilibrado em termos visuais;-Projeção cilíndrica de Mercator: mantêm as formas (conforme), porém provocagrande distorção na área das superfícies representadas, principalmente as regiões de altalatitude;-Projeção de Peters: mantém as áreas das superfícies representadas (equivalente),apesar de distorcer suas formas.Cartografia temática: é a representação de temas variados da geografia físicaou humana (como hidrografia, relevo, entre outros). Ocorrerá a utilização de símbolos,cores, gráficos e as próprias formas e tamanhos das áreas representadas para expressartais dados;-Os dados representáveis (legenda) espacialmente podem divididos de acordo com trêsaspectos:*Aspecto qualitativo: quando os dados apontam diferentes e não ordenáveis entre si.“O quê existe naquele lugar?”*Aspecto ordenado: quando o que importa expressar no mapa é uma ordem entre osdados considerados. “Em que ordem?”*Aspecto quantitativo: quando o que importa representar não é apenas a ordem, mas aintensidade dos dados referentes a cada lugar. “Quanto há em cada lugar?”
  5. 5. Símbolos:-Utilizados para expressar a presença e localização de algum fenômeno natural ousocial;Linhas:-As linhas compõem o próprio mapa, são as mesmas que demonstram os limites entre osmunicípio, estados ou países. Nesse caso, as linhas também são símbolos (como asrodovias e as ferrovias) e seu significado pode mudar de acordo com elementos comocor, espessura, etc.;-Podem ser utilizadas como isolinhas, ou seja, são linhas traçadas sobre pontos do mapaque têm o mesmo valor em relação ao dado considerado. Podem ganhar nomesdiferentes:*Isóbaras: indicam pontos de igual pressão atmosférica;*Isotermas: passam por pontos com a mesma temperatura média;*Isoietas: indicam os mesmos níveis de chuvas;*Curvas de nível:representam pontos de mesma altitude, podendo representar aaltimetria, que é a variação das altitudes continentais, ou a batimetria, que é a variaçãodas altitudes oceânicas;Cores:-As cores ou tonalidades de cinza podem ser utilizadas no mapa para expressar aspectosqualitativos, quantitativos ou ordenados;-Para representar aspectos qualitativos, como, por exemplo, diferentes formas devegetação, as cores podem até seguir um mesmo tom, como próximas de verde, no caso,mas não devem ter uma gradação evidente do claro para o escuro, para não dar a ideiade intensidade;-Para representar aspectos ordenados ou quantitativos, as cores devem ter um aumentoou diminuição gradual da sua intensidade. Um exemplo são os mapas hipsométricos, osquais representam a variação de altitude no terreno por meio das cores;Formas e tamanhos:-Como a preocupação central da cartografia temática não é a precisão do tamanho ou doformato das áreas representadas, mas, sim, a expressão dos dados, é possível até mesmodesprezar as formas e os tamanhos originais, mudando-os conforme os valores de taisdados. A essa técnica dá-se o nome de anamorfismo, o qual significa que as formas nãoestão sendo respeitadas;
  6. 6. GeomorfologiaEstrutura da Terra:-As camadas que compõe a Terra são concêntricas (possuem o mesmo centro). Nointerior está o núcleo, chamado de nife, já que é composto pelos elementos químicosmetálicos Ni e Fe, possuindo alta densidade;-O manto (formado por um material pastoso, o magma) envolve o núcleo e constituiquase 80% do planeta;-Na parte superior do manto, encontra-se uma subcamada denominada astenosfera, aqual é mais maleável e apresenta grandes movimentos, sendo, portanto, sobre ela que seassentam as placas tectônicas, as quais formam a litosfera;-Há muita dificuldade de estudar o núcleo e o manto, por serem muito profundos. Paraisso, é preciso a interpretação das ondas sísmicas (provenientes dos terremotos). Taisondas, ao atravessar o interior da Terra, comportam-se de formas diferentes para cadatipo de material, o que proporciona uma espécie de raios X do planeta;-A crosta terrestre, também chamada de litosfera, é dividida em duas camadas: o sial(silício e alumínio), que é a camada mais externa, e o sima (cilício e magnésio), que ficaembaixo do sial e possui maios densidade;-É na camada da litosfera que se manifestam os fenômenos formadores dos minerais,das rochas, dos solos e das formas de relevo, elementos muito importantes para anatureza (formação de solos- agricultura) e para a sociedade (fábricas). Os mesmo estãoem constante transformação, provocada por um conjunto de forças atuantes na litosfera;-Tais forças são divididas em:*Forças internas/endógenas (originadas no interior da atmosfera)- nãose vê:--A crosta terrestre está em constante movimento de transformação e o interior da Terraé composto por camadas de diferentes materiais em diferentes temperaturas, estadosfísicos e densidades;--Quanto mais próximo do núcleo, maior é a temperatura, contendo muita energia;--Dentro da astenosfera, pode-se encontrar diferenças de temperatura entre a sua porçãomais próxima à litosfera e outra mais profunda. Nos materiais fluidos, como a água ou omagma, a massa mais quente se torna menos densa e, assim, tende a subir, enquanto amassa mais fria é mais densa, o que faz descer. Quando a massa quente chega perto dalitosfera, ela perde calor, ocorrendo o inverso com a massa fria que desceu. Esseprocesso continua infinitamente, formando as correntes de convecção, que, segundo
  7. 7. algumas teorias, é um dos fatores responsáveis pela movimentação das placastectônicas;--Por meio da pressão que a energia interna da Terra exerce sobre sua superfície, alitosfera se transforma constantemente, formando as estruturas rochosas que sustentamas formas do relevo. Essas pressões são denominadas forças endógenas;--Tais forças provocam vários fenômenos importantes, como as erupções vulcânicas, osterremotos, os dobramentos e os falhamentos. Esses acontecimentos sãointerdependentes e a melhor expressão desse conjunto é a Teoria da Tectônica dePlacas;ESQUEMA PÁGS 56 E 77*Forças externas/exógenas (originadas na atmosfera)- se vê:--Atuam no desgaste e esculturação do relevo;--Intemperismo físico: três maneiras de atuação: termoclastia, crioclastia e abrasão:--- A termoclastia ocorre quando existe uma grande amplitude térmica diária em algumaregião, ou seja, ao serem aquecidas, as rochas sofrem um processo de dilatação, mas, aoserem resfriadas a noite, pela falta de energia solar, passam a se contrair, tricando (maisfrequente em climas semi-árido e árido);---A crioclastia ocorre quando pequenas fendas das rochas armazenam águas das chuvasque posteriormente são congeladas, sendo mais comum em áreas de clima muito frio.Quando a água se transforma em gelo, seu volume é ampliado, forçando a rocha a sequebrar;---A abrasão é um processo onde as águas das chuvas e o vento estão constantemente sechocando com as rochas, o que acaba desgastando-as. Dá-se a esse processo o nome deerosão, a qual pode ser pluvial (águas das chuvas), nival (pela neve), glacial (por blocosde gelo em derretimento) e eólica (pelos ventos). Esses retiram grãos das rochas e estesacabam servindo como espécie de lixa para arrancar mais sedimentos de outras áreas;--Intemperismo químico: a superfície terrestre é composta por rochas, as quais sãoconstituídas de minerais formados por elementos químicos, portanto há constantesreações químicas ocorrendo na superfície, as quais transformam o arranjo dos átomos edas moléculas o que leva à decomposição das rochas. O tipo de reação química maiscomum nesse desgaste é aquele que se dá entre os elementos químicos das rochas e aágua das chuvas ou presentes em forma de vapor, a qual possui carbono, cloro ouenxofre, os quais provocam o desarranjo entre as moléculas das rochas.
  8. 8. Deriva dos continentes e tectônica de placas:-De acordo com a formulação da Teoria da Deriva Continental, os continentes, poucodensos, deslizariam sobre um manto semilíquido e com maior densidade;-Já a Teoria da Tectônica de Placas se desenvolveu muito e superou a Deriva por tercomo formulação a separação dos continentes e a fragmentação das placas, as quais selocalizam na astenosfera, na qual, por sua vez, há correntes de convecção, que fazemcom que as placas se movam em diversas direções;-São nos limites entre uma placa e outra que são registrados os maiores índices deatividades sísmicas, juntamente com erupções vulcânicas, ocorrendo formação derochas e de estruturas de relevo. Esse limites podem ser de dois tipos:*Zonas de expansão: conforme as placas vão se afastando, o material pastoso domanto vai preenchendo os espaços deixados pelas placas, com isso há a formação dascordilheiras mesocêanicas, como por exemplo, a Dorsal Atlântica, que se encontra nolimite entre a placa Sul-americana e a Africana. Uma evidência da existência dessaszonas é o conjunto formado pela Dorsal e o assoalho deste oceano, no qual a idade dasrochas é mais antiga conforme se caminha do centro do oceano, onde está a cordilheira,para as bordas, onde estão os litorais da África e das Américas, sendo que essa idadedemonstra é que o assoalho oceânico foi sendo formado pela expansão de seu eixocentral;*Zonas de subducção: são os limites de destruição de placas. O melhor exemplo é ochoque entre a placa de Nazca e a placa Sul-americana, onde a placa de Nazca, por sermais delgada e mais densa, entra por baixo da placa Sul-americana, provocando muitaatividade sísmica e muito vulcanismo, além dos movimento de orogênese, epirogênese edos falhamentos:--Epirogênese: é o movimento vertical de algumas áreas continentais, ou seja, olevantamento/soerguimento (+), ou o rebaixamento(-). Foi de extrema importância paraa formação do relevo brasileiro, principalmente das grandes bacias sedimentares(formadas pelo depósito de rochas sedimentares), como a Amazônica e a do Paraná, asquais foram formadas no período Pré-cambriano e possuem fósseis (petróleo, gásnatural e carvão);--Orogênese: caracteriza-se pelos processos de dobramento da crosta terrestre.Exemplos: Andes(América do Sul), Montanhas Rochosas (América do Norte), Alpes(Europa), Himalaia (Ásia) e Cadeia do Atlas (África);--Falhamentos: com as pressões exercidas sobre uma placa durante sua movimentaçãoe seus choques com outras placas, podem ocorrer pequenas trincas ao longo do corporochoso, provocando falhamentos, como, por exemplo, o Vale do Paraíba;
  9. 9. Abalos sísmicos e vulcanismo:-A movimentação das placas tectônicas (acomodação) pode provocar abalos sísmicos eerupções vulcânicas na superfície terrestre;-O local onde se originam as vibrações é denominado hipocentro e a região dasuperfície terrestre, ou do fundo oceânico (formando um maremoto, provocandotsunami), na qual as vibrações se refletem mais intensamente, é chamada de epicentro;-Outro efeito da movimentação da crosta terrestre que pode ser devastador é ovulcanismo, já que, com essa movimentação, pode gerar brechas entre as rochas, pelasquais o magma penetra e, quando é expelido para fora da superfície (em forma de lava),juntamente com cinzas e gases tóxicos, dá origem aos vulcões;-Tanto a ocorrência de terremotos, quanto a de vulcões, é maior nas regiões de encontrode placas tectônicas, por causa da intensidade dos choques. Tais regiões formam oCírculo do Fogo (bordas do Pacífico);Os tipos de rochas:-Rochas ígneas ou magmáticas: são aquelas formadas pela solidificação do magma,portanto, formadas diretamente por forças endógenas. Podem ser intrusivas (plutônicas),quando se solidificam no interior da litosfera, como o granito, ou podem ser extrusivas(vulcânicas), quando sua solidificação ocorre na superfície terrestre.Um exemplo é obasalto, o qual possui muita resistência ao intemperismo;-Rochas sedimentares: originadas nos processos de sedimentação, ou seja, dasolidificação dos sedimentos retirados de outras rochas pelas forças exógenas. São elasque formam as bacias sedimentares, um exemplo é o arenito, o qual possui baixaresistência ao intemperismo;-Rochas metamórficas: apresentam forte dependência das forças endógenas, já que sãoformadas pela transformação de outras rochas de altas temperaturas e pressões. Umexemplo é o quartzo, altamente resistente ao intemperismo.O relevo:-Crátons: estruturas rochosas muito antigas (Pré-cambriano), que hoje se mostrambastante desgastadas pela ação das forças exógenas. Apresentam predominância derochas metamórficas e magmáticas. Quando os crátons estão expostos na superfície,geralmente sustentando formas de relevo de alto desgaste, diz-se que são escudoscristalinos, planaltos que contêm muitos minérios (ouro e prata), Exemplo: escudo sul-amazônico e o escudo das guianas;-Cinturões orogênicos: são formados pelos dobramentos modernos. Não há no Brasil,já que os dobramentos são antigos, muito desgastados atualmente;
  10. 10. -Planaltos: não são, necessariamente, terrenos latos e levemente planos. São áreas ondeos processos de desgaste são maiores do que os de deposição, ou seja, regiões que estãoperdendo material ao ser eroditas;-Planícies: áreas onde os processos de deposição têm predominância sobre os dedesgaste, ou seja, formadas pelo recebimento de sedimentos de áreas vizinhas;-Depressões: em geral são áreas mais baixas que outras em seu entorno, porém nãoestão no processo de formação como as planícies, pelo contrário, são originadas delongos períodos de desgaste;-Tabuleiros: terrenos baixos e muito planos. E antigas planícies, que hoje não maispassam pelo processo de sedimentação;-Cuestas: são as bordas das bacias sedimentares brasileiras, um lado é virado para forada bacia, com muito declive, e o outro, é virado para o interior daquela, com declivemuito leve;-O relevo litorâneo:*A plataforma continental:a litosfera é formada por várias placas tectônicas, e, sobreasmesmas, estão os continentes, nos quais as margens com o oceano podem ser ativasou passivas. Por exemplo: margem ativa-> do lado oeste da América do Sul, têm-se umencontro entre a placa Sul-americana e a placa de Nazca (sob o Pacífico), por issoocorrem atividades geológicas constantes, como vulcanismos e terremotos. Margempassiva-> encontrada no lado leste, onde se localiza a costa brasileira, onde não há oencontro de placas e, portanto, inexistem fenômenos sísmicos;*Águas oceânicas:desgatam constantemente as costas dos continentes e, ao mesmotempo, promovem a acumulação dos sedimentos. Além disso, sua influência é bemnotada no clima, através das correntes marítimas, as quais direcionam sedimentos,formando restingas e lagunas;*Clima:em algumas regiões, a ação das chuvas é constante e esculpem as áreaslitorâneas e derramam os sedimentos nas praias;*As terras continentais: representada pelas redes de drenagem que deságuam nooceano. Esses rios levam sedimentos orgânicos e inorgânicos, que contribuem para aefetivação dos processos de sedimentação e melhoram o nível de nutrientes das águas;*As costas de acumulação e de brasão:--As costas de brasão são aquelas nas quais há constante destruição do relevo pelasondas marinhas. Ocorre também costas de abrasão nas barreiras, que são os tabuleiroslitorâneos em constante desgaste pelas águas do mar;
  11. 11. --Nas costas de acumulação, ocorre a sedimentação marinha ou fluviomarinha,caracterizando a planície costeira do Brasil. Há dois tipos de costas de acumulação: aspraias e os manguezais;*As ilhas marítimas do Brasil: divididas em:--As ilhas da plataforma continental são partes do próprio continente que estãoseparadas deste por braços de água. Portanto, são formadas pelas mesmas rochas docontinente. Exemplo: São Sebastião;--Já as ilhas oceânicas são bem mais distantes da costa e não são constituídas pelasmesmas rochas continentais, pelo contrário, a maioria delas é formada por vulcanismos.Exemplo: Fernando de Noronha;

×