Tecnologic

266 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
266
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecnologic

  1. 1. tecnologiaNavego, logo existoPublicidade dirigida como uma seta em direcção ao alvo. Sem desperdíciode munições. Sem perda de tempo. As empresas e os publicitáriosencontraram o Santo Graal na Internet. Os internautas poderão terperdido aí boa parte da sua privacidade.Texto Susana Almeida Ribeiro Ilustração Bárbara Fonseca J á deve ter reparado: Internet, tudo mudou. As dos seus meios publicitários. Uma lição de um dia entrou no site companhias publicitárias, os Mas uma coisa é a publicidade de uma conhecida anunciantes e os browsers foram generalizada (como a da informática marca de sapatos e, dias depois, deu por acumulando uma gigantesca pilha de informações acerca televisão) e outra é a publicidade personalizada, que se baseia embrulhada si a ser perseguido por publicidade a dos internautas, a ponto de lhes poderem servir doses nas informações que eu, voluntariamente, não forneci a em filosofia: o essa marca enquanto unipessoais de publicidade a ninguém, pois limitei-me a surfar Inferno já nãonavegava. Outro exemplo: gosto, com base não só na sua a Internet.”decidiu que queria ir de férias a idade, género e localização são os outros.Cabo Verde — vamos supor — epor isso começou a pesquisar geográfica como também com base nos seus gostos, nos seus Os cookies Pergunta pertinente: mas afinal São os cookies,voos, hotéis, agências de interesses, nos seus hobbies... como é que o meu historial Sartre. São osviagens... Até esteve à beira de Hoje em dia, a D. Henriqueta de pesquisas e de navegaçãocomprar a viagem online mas e o dr. Agostinho já não fazem online é conhecido e como é cookiesdepois percebeu que não podia parte de uma massa anónima de que ele vai parar às mãos dosir naquelas datas e desistiu, potenciais compradores. Eles anunciantes? Aqui vai uma liçãono último minuto. Horas são a D. Henriqueta, mulher de de informática embrulhada emdepois começa a ver que o seu 65 anos com dois filhos, exímia filosofia: o Inferno já não são osFacebook está cheio de anúncios cozinheira e coleccionadora outros. São os cookies, Sartre.de promoções de idas para Cabo de colheres de prata, e o dr. São os cookies.Verde. Já lhe aconteceram coisas Agostinho, pescador de fim-de- Os cookies informáticos sãosemelhantes enquanto navega? semana, reformado e amante de pequenos ficheiros que umNesse caso, bem-vindo ao passeios de jipe com o cão, um determinado site deixa nosmaravilhoso e polémico mundo grand danois. nossos computadores a fim deda publicidade comportamental. Terão os internautas se poder lembrar, no futuro, Antigamente, quando consciência deste fenómeno? A quem nós somos. Exemploainda não havia Internet, os Pública decidiu inquirir alguns prático: de cada vez que entraanunciantes e as agências de internautas a este respeito. no seu Gmail, por exemplo,publicidade corriam o risco de Rita Martins, licenciada em a partir do seu PC, o seudesperdiçar os anúncios com as Economia que trabalha na username já lá está e só precisapessoas erradas. Um anúncio ao Alemanha, indicou já se ter de escrever a password e fazersabão X a passar na telefonia às apercebido do fenómeno e sign in, verdade? Isso é obra dos16h podia ser que chegasse aos discordar em absoluto dele: cookies. É com a ajuda deles queouvidos da D. Henriqueta, dona “Abomino qualquer tipo de o nosso histórico de navegaçãode casa e potencial compradora publicidade baseada nos meus fica a nu: as pesquisas, asdesse sabão. Mas esse anúncio dados pessoais. Obviamente que informações colocadas em sitestambém podia chegar ao dr. todos sabemos que informação que necessitam de registo, osAgostinho, ortopedista, que vale muito nos dias que correm, livros e os DVD que já tenhamostinha tanto interesse por um e que uma plataforma como acrescentado ao nosso carrinhosabão como uma dona de casa o Facebook ou o Google só de compras online...por um fémur. podem funcionar de forma Muito popular é o “retargeting Com o advento dos gratuita se atraírem empresas comportamental”, ou seja,computadores pessoais e da que os utilizem como veículos aquela publicidade que c
  2. 2. tecnologia Internet Explorer segue o consumidor dando aos anunciantes uma segunda marcas de vestuário como, por exemplo, os gigantes Gap Mark Ghuneim — que tem um passado como hacker — diz que http://blogs.msdn.com (terceira, quarta...) hipótese e Victoria’s Secret pedem a as situações em que é o próprio (Tracking Protection) de capitalizar com aquele empresas de armazenamento utilizador a dar a sua autorização consumidor, mostrando-lhe os de dados online — como a à publicidade dirigida são mesmo produtos que visitou Datran e a Acxiom — para lhes as mais adequadas, porque Chrome nos sites originais mas estando noutras páginas. colocarem publicidade dirigida a perfis específicos em sites desta forma o consumidor sente que está a controlar a https://chrome.google. Também aqui, como em como o Facebook, o portal situação e a ganhar algumacom (Keep my Opts Out) tantas outras coisas, o timing é Yahoo e o jornal The New York coisa em troca. “A Amazon, por de suprema importância. Uma Times. É simples, eficaz, vai exemplo, premeia a partilha de publicidade tem tanto mais direito ao alvo e rende milhões. preferências e o histórico de Firefox hipóteses de ser eficaz quando é mostrada numa altura em Alguns internautas até aplaudem este tipo de compras ao ajudar o consumidor a descobrir coisas de que ele https://wiki.mozilla.org que os utilizadores procuram publicidade. Catarina Moleiro, poderá gostar.” (Do Not Track) conteúdos relacionados. Aqui outra utilizadora ouvida pela Dado este cenário, que Mark vai uma analogia exibicionista: Pública, é a favor: “Não me Ghuneim descreve como um é como se alguém andasse atrás incomoda nada essa publicidade “Oeste selvagem”, em que as Network de nós com uma gabardina, nos seguisse para todo o lado, comportamental. Até acho piada e às vezes até clico, por estratégias agressivas estão a extrair lucros de todas as Advertising e volta e meia, nos lugares ser um tema que pesquisei ou formas possíveis, os reguladores mais apropriados, abrisse a que me interesse. Sou a favor.” começaram a preocupar-se. Iniciative gabardina e se expusesse. Há evidentes vantagens nesta A ex-comissária europeia da http://www.network É, portanto, com a ajuda publicidade comportamental: Saúde e dos Consumidores, destes cookies (que cada há maiores probabilidades Meglena Kuneva, já em 2009 advertising.org internauta poderá desactivar, de um utilizador considerar a tinha falado no fenómeno da mas já lá vamos) que uma rede publicidade interessante e/ou “colecção maciça de dados de agentes pertencentes à útil, esta publicidade ajuda a pessoais e comportamentais” crescente indústria publicitária pagar a actividade de sites e de online que cria “oportunidades, online consegue montar blogues de que gostamos e que, sem precedentes, de atingir a sua vigilância online. As de outra forma, não existiriam utilizadores comercialmente actividades dos consumidores e, em última análise, já que os mais vulneráveis, como crianças são monitorizadas e os anúncios online são um “mal e pessoas com problemas de dados acerca dos seus necessário”, mais vale que eles saúde ou financeiros”. Nos EUA, comportamentos são usados sejam adaptados aos nossos a Federal Trade Commission para se compilarem “perfis”. interesses. também entrou em cena e Estes perfis são “ouro” para recomendou a adopção de um os anunciantes. O método é Opt out mecanismo contra o rastreio o Santo Graal da publicidade. Mark Ghuneim, fundador e publicitário. Falando concretamente: director executivo da empresa Nova pergunta pertinente: Wiredset, uma agência digital como é que eu me posso norte-americana especialista salvaguardar de tudo isto? nesta matéria e defensora do Os três browsers mais usados princípio da transparência em todo o mundo — Internet nesta indústria, defende, Explorer (Microsoft), Firefox porém, que as desvantagens (Mozilla) e Chrome (Google) — ainda suplantam as vantagens. decidiram recentemente, face “Quando um consumidor ao aperto regulatório, oferecer fornece às empresas a sua aos utilizadores um sistema de PII (Personally Identifiable opt out. Ou seja, a possibilidade Information) — o seu histórico, de impedir a entrada de cookies a sua localização, com quem publicitários nos computadores. comunica, o que compra online Para saber como desactivar, — isso acontece tudo sem o seu confira os links ao lado. consentimento implícito”, disse A Pública tentou falar com Ghuneim à Pública via email. representantes da indústria “Estamos a ajudar as empresas publicitária, nomeadamente a gerar um perfil pessoal com o director da empresa sem qualquer recompensa, britânica Struq (Sam Barnett) incentivo ou permissão e com Armando Alves, web expressa. E isso acontece tudo strategist na agência de debaixo do pano. As empresas marketing interactivo Fullsix — que agregam dados pessoais Portugal, mas não obteve — podem beneficiar das nossas resposta em tempo útil. a acções vendendo o nosso perfil a qualquer um.” susaribeiro@publica.pt

×