miúdos         Em inglês                                                           E                                      ...
juvenil em língua inglesa.”   A partir da exploração decada livro e de cada história,desenvolvem-se então asrestantes área...
miúdos                                         faz com que os miúdos criem         inquérito feito aos encarregados       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bilingue

580 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bilingue

  1. 1. miúdos Em inglês E scolhe-se um livro em inglês de entre um cânone já definido e (também) nos exploram-se a partir dele todas as outras áreas previstas (e obrigatórias) nas actividades entendemos de enriquecimento curricular (AEC): expressão musical e outras expressões artísticas. Os professores falam em inglês e os miúdos também. A vivência da língua acontece em contexto real, sem encenações formais. E resulta. Crianças do 1.º ciclo comunicam em inglês nas Do projecto nos dá conta actividades de enriquecimento curricular. Um Paulo Alves Machado, presidente da Fundação João projecto inovador criado para as escolas de Gonçalves Júnior, a entidade dinamizadora das AEC no Alcochete. Por lá, tudo se organiza a partir de obras concelho de Alcochete. “Se há o desiderato político de literárias infantis de língua inglesa. Great! que na parte de tecnologia é fundamental apostar no Texto Rita Pimenta Ilustração Bárbara Fonseca inglês, entendemos que as AEC na sua componente lúdica podem ter a língua inglesa a tratar as três áreas.” Depois de se munirem dos resultados “das avaliações das actividades feitas pelo ISCTE, pelo Ministério da Educação e pelas associações de pais, o pensamento central foi o da procura de áreas de melhoria”, prossegue o professor de Português. “E era preciso definir qual o factor que iria unir as várias áreas, inglês incluído. Tendo o projecto educativo como meta a promoção da literacia, pensámos que podia ser interessante associar ao modelo projectos de animação da leitura. Então, fomos ao Plano Nacional de Leitura ver quais os livros de autores estrangeiros aconselhados para o 1.º ciclo. E assim criámos um cânone de obras de literatura infanto-
  2. 2. juvenil em língua inglesa.” A partir da exploração decada livro e de cada história,desenvolvem-se então asrestantes áreas, “as criançaspodem construir cenários,cantar, dançar, contar anarrativa de outra maneira”,diz o também vereadorda Educação na Câmara deAlcochete. “As actividades devem todas asconvergir num plano que tenha áreas. Alguém queum princípio, um meio e um dominasse “a línguafim. E que termine com um inglesa, a expressão plásticaprojecto que se possa mostrar e a expressão musical, istoà comunidade. O facto de as para permitir uma maioraprendizagens se integrarem programação dos tempos, numacria dinâmicas de envolvimento mancha de tempo mais larga doem que os miúdos entendem que a mancha horária de cadaa razão para que trabalham. É uma das áreas”. No entanto,qualquer coisa palpável, o que o despacho que regulamentafavorece desde logo a empatia as AEC é “muito claro quandoentre a criança e a própria diz que têm de ser temposaprendizagem.” estanques para cada uma”. O que significa que inicialmenteNada de declinações o tempo era contínuo e agoraOs miúdos aderem com facilidade tem paragens, para respeitar oao inglês? “Não só aderem, como mais possível as regras definidaspela primeira vez produzem pela tutela. “Imagine-se que eraenunciado em língua inglesa de mais interessante trabalharmosforma autónoma. Quando vamos a leitura na hora seguinte, masvisitá-los às salas, eles falam temos de passar para a música”,connosco espontaneamente em explica Paulo Alves Machado.inglês.” Isto porque, acredita Com ajustamentos naPaulo Alves Machado, “a programação e adaptações A partir daabordagem da língua inglesa sefaz em contexto natural. A língua na duração das actividades, os tempos finais de cada área exploraçãoserve para comunicar, exprimir corresponderão ao estipulado. de livros emo gosto, o desejo, o afecto. Em E o presidente da fundaçãomomento algum, o professor irá congratula-se com “a abertura língua inglesa,pedir para declinar os adjectivosou os verbos. Ou perguntar: da DREL [Direcção Regional de Educação de Lisboa] para desenvolvem-se‘Qual é o plural de...?’ Essa partede formalização da língua irá integrar o pensamento de inovação nesta matéria”. as áreas daacontecer no currículo do 5.º E conclui: “Estas formas música eano. Não é isso que queremos nas como cada território vaiAEC.” No way. encontrando solução para de outras No modelo idealizado paraas escolas de Alcochete, seria os seus problemas é o que interessa também à tutela.” expressõesapenas um docente a dinamizar In short: “A componente c artísticas
  3. 3. miúdos faz com que os miúdos criem inquérito feito aos encarregados lúdica é laços. Há uma relação muito de educação, “80 por cento assumida próxima com a professora e é consideraram que este projecto como positivo saberem que há uma integrado de leitura é muito fundamental, pessoa disponível para eles o interessante. Fornece contextos a qualidade da tempo todo. A minha filha anda reais e dá oportunidade aos pais aprendizagem é um feliz.” Outro ponto positivo: “A de participarem”. vector estratégico e leitura em inglês. Sinto-lhe um Também para Augusta Alves, a criação de contextos novo entusiasmo com a língua directora do Agrupamento significativos a partir de inglesa, outra apetência, outro Vertical de Escolas de leitura é onde reside a mais- envolvimento.” Alcochete, o facto de o valia do projecto.” O que corre mal: “A modelo “trabalhar a literacia, articulação com a professora envolvendo o Plano Nacional Perfil do professor titular (que eu adoro) não está de Leitura, é uma dimensão A grande dificuldade é a resultar. Lamentavelmente, que pode ser uma mais-valia”. encontrar professores com as pessoas não estão abertas Refere como inovadora “a tantas aptidões. Por isso, a estes desafios, a inovações. aposta na competência oral, pensaram em contratar As escolas não convidam os não formal, sem conteúdos docentes do 1.º ciclo, “que pais a entrar. Não estou a gramaticais, mas com têm na sua formação de base a falar de enviar papelinhos desenvolvimento vocabular da expressão plástica, a expressão para casa, isso não chega.” E língua inglesa”. musical, física e motora”. Mas, conta à Pública um episódio Enquanto directora da segundo o despacho que define “lamentável”, em que não se entidade promotora e o perfil das competências do facultou certo tipo de material supervisora, já assistiu às professor das actividades de às crianças das AEC por isso actividades, e diz que “as enriquecimento, “o professor mesmo, “por serem das AEC”. crianças são receptivas, isso é de 1.º ciclo não tem, à partida, Confrontada com esta incontestável”. Mas ressalva competências”. What? “Um “queixa”, a coordenadora que “as mudanças nem sempre professor que tem competências pedagógica das AEC, Paula são fáceis e há que aproximar para ser professor do currículo Ramos, disse à Pública que modelos para se construir um não as tem para dar o o problema já tinha sido projecto educativo sólido”. enriquecimento curricular. É entretanto identificado e Pergunta: “Se tivesse um verdadeiramente absurdo.” ultrapassado. “As atitudes filho em idade escolar para o O que a fundação e a Federação mudaram.” 1.º ciclo, inscrevê-lo-ia neste das Associações de Pais e Este encarregado de educação projecto?” Resposta de Augusta Encarregados de Educação do tem mais três filhos e recorda Alves: “Talvez arriscasse, mas Concelho de Alcochete (entidade indignado como o primeiro dia ainda é cedo para experimentar. promotora) não queriam era de escola do seu filho mais velho Se calhar tentava, só assim a contratação de “professores (que agora está na universidade) seria capaz de ter uma opinião free lancers, que entravam e foi igual ao primeiro dia de construída.” saíam”, queriam “professores aulas na “escola primária” da Declaração final: “O projecto que conseguissem criar relações filha mais nova. “Parece que as ‘tem pernas para andar’, duradouras, com continuidade escolas não aprenderam nada mas é preciso chegar a um pedagógica com as crianças na nestes anos todos.” entendimento pedagógico e de escola”. Isso foi conseguido. formação, para caminharmos Carlos Prates, pai de uma Aproximar os modelos para um modelo adequado ao criança do 4.º ano, evidencia O projecto do concelho começou que a tutela pretende e em que esse aspecto como um dos neste ano lectivo, pelo que as crianças se sintam felizes.” factores positivos do modelo. ainda é prematuro avaliar com Of course. a “O facto de ser uma única rigor a sua eficácia. Mas Paulo técnica a dar as várias valências Alves Machado diz que, num rpimenta@publico.pt

×