Apresentação 1T08

423 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
423
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação 1T08

  1. 1. Agenda Apresentação de Resultados Ricardo Luis de Lima Vianna (Diretor Executivo e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro)
  2. 2. Mercado de biodiesel no Brasil Com a entrada em vigor do B2 em 1º de janeiro de 2008, todo o diesel comercializado nopaís passou a conter pelo menos 2% de biodiesel. Nos primeiros três meses de 2008 foram vendidos 10,38 milhões de m³ de diesel (B2 ouBx), o que representa um crescimento de 7,6% em relação às vendas no mesmo período de2007. A maior demanda de diesel no período implicou um volume de importação de dieselmineral de 402,6 mil m³. 45.000.000 40.000.000 35.000.000 30.000.000 25.000.000 20.000.000 15.000.000 10.000.000 5.000.000 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Diesel Puro B2 + Bx
  3. 3. Mercado de biodiesel no Brasil As vendas da Brasil Ecodiesel no trimestre foram de 86.968 m³, representando umcrescimento de 14,8% quando comparadas com as vendas do 4T07. A elevação no consumo de B2 neste início de ano levou a Petrobras a realizar mais umleilão de aquisição de biodiesel para seus estoques estratégicos – o 2º leilão, no qual o preçode venda da Companhia apresentou um acréscimo de 14% em relação ao leilão anteriorrealizado pela Petrobras em dezembro passado. Vendas FOB Vendas CIF* Vendas CIF* Leilão ANP Leilão Petrobras – I Leilão Petrobras - II Entregas 01/01 a 30/06 01/01 a 29/02 07/04 a 20/06 Qtde Preço Qtde Preço Qtde Preço Unidade (m3) Médio** (m3) Médio** (m3) Médio** Iraquara (BA) 41.000 1.837,56 10.000 2.255,00 4.000 2.560,00 Itaqui (MA) 43.000 1.875,80 7.900 2.297,41 9.000 2.623,33 Porto Nacional (TO) 35.000 1.837,97 Rosário do Sul (RS) 42.000 1.840,17 Crateús (CE) 18.000 2.306,94 Floriano (PI) 2.000 2.665,00 Total 161.000 1.848,54 35.900 2.290,38 15.000 2.612,00 • Entregas nas Bases DECAL(PE) e Candeias (BA). • ** Preços sem ICMS.
  4. 4. Mercado de biodiesel no Brasil Em 14 de março de 2008 o CNPE elevou o percentual mínimo de adição de biodiesel aodiesel mineral para 3% (B3) a partir de 01/07/2008. Em 10 e 11 de abril, a ANP realizou novos leilões para o fornecimento de biodiesel no3T08. O preço médio de venda da Brasil Ecodiesel foi 48,2% superior ao dos leilões denovembro de 2007. Vendas FOB Leilão ANP Preço Unidade Qtde (m 3) Médio* Iraquara (BA) 21.600 2.739, 99 Itaqui (MA) 19.800 2.739,99 Rosário do Sul (RS) 21.600 2.738,99 Total 63.000 2.739,65 *Entregas entre 1º de jullho e 30 de setembro de 2008. De acordo com o MME, o B3 implicará uma demanda de cerca de 1,3 milhões debiodiesel, o que implicará inclusive na redução da necessidade de importação de diesel –efeito positivo na balança comercial brasileira.
  5. 5. Mercado de biodiesel no BrasilProdução brasileira de biodiesel continua em franca expansão A produção nacional de biodiesel nos dois primeiros meses de 2008 foi de 144,5 mil m³, dos quais 37% oriundos das usinas da Brasil Ecodiesel. De acordo com estimativas preliminares do MME, a produção de biodiesel alcançou 238 mil m³ de janeiro a março de 2008. 80.000 72.721 90% 71.825 70.000 80% 60.000 66% 70% 61% 55.052 62% 57% 56% 60% 50.000 45.370 47% 55% 50% 40.000 43% 46% 40% 42% 39% 30.000 26.005 26.718 39% 31% 36% 30% 17.109 18.773 20.000 16.933 20% 10.000 10% 0 0% 07 08 07 7 7 7 07 7 07 07 7 08 7 07 r/0 t/0 /0 l/ 0 t/0 /0 v/ v/ v/ o/ n/ n/ n/ z/ ar ai ju ab se ou fe fe no ja ju ja ag de m m Produção Nacional de Biodiesel % ECOD
  6. 6. Mercado de óleos vegetais O mercado dos principais óleos vegetais produzidos mundialmente continuou aquecidoneste início de 2008. O óleo de soja, principal matéria prima utilizada na produção de biodiesel no Brasil,apresentou um aumento de 5,38% no 1T08, na CBOT. Em 12 meses encerrados em 31 demarço, teve uma valorização de 56,3%. O impacto sobre a cotação no Brasil foi amenizadodevido à valorização do Real, resultando em uma elevação de 33,4% na moeda local. 1.800 1.600 1.400 1.200 Soja US$/ ton 1.000 Colza 800 Palma 600 Girassol 400 Mamona 200 0 / /2 7 / /2 7 / 2 7 / /2 7 / /2 7 / /2 7 / 2 7 / /2 7 / /2 7 / /2 7 / 2 7 / /2 7 / /2 7 / /2 7 / 2 7 / /2 7 / /2 7 / /2 7 / 2 7 / /2 7 / /2 7 / /2 7 / 2 7 / /2 7 / /2 7 / /2 7 / 2 8 / /2 8 / /2 8 / 0 /20 8 20 8 08 31 01 00 14 01 00 01 02/ 00 15 03 00 29 03 00 13 03 00 27 04/ 00 11 04 00 25 05 00 11 05 00 25 06/ 00 10 06 00 24 07 00 07 07 00 21 08/ 00 05 08 00 19 09 00 03 09 00 17 10/ 00 31 10 00 14 10 00 29 11 00 13 11/ 00 28 12 00 14 12 00 29 01 00 12 01/ 00 27 02 00 12 02 00 31 03 00 3/ 0 / /2 17 01 / 02
  7. 7. Mercado de óleos vegetais Segundo a Abiove, a produção brasileira de soja deverá atingir 61,3 milhões de toneladasna safra de 2008/2009 (crescimento de 4% em relação à safra anterior). Com essa produção seria possível produzir cerca de 11,5 milhões de m³ de óleo de soja,entretanto a demanda brasileira é de apenas 4,0 milhões, cerca de 3,0 milhões sãodestinados ao mercado alimentício e apenas 1,0 para a produção de biodiesel, segundo oMME. Grãos 2008/ Farelo 2008/ Óleo 2008/ 2006/ 2007/ 2008/ 2009 2006/ 2007/ 2008/ 2009 2006/ 2007/ 2008/ 2009 2007 2008 2009 P % 2007 2008 2009 P % 2007 2008 2009 P % Estoque Inicial 1220 2289 2027 -11% 818 864 862 0% 272 311 291 -6% Produção 56.942 58.726 61.300 4% 22.021 24.111 24.800 3% 5.512 6.047 6.200 3% Importação 40 108 100 -7% 193 111 100 -10% 26 101 50 -50% Consumo Interno 9.944 11.325 11.800 4% 3.238 3.647 4.100 12% Sementes 1.220 2.700 2.700 0% Perdas/Front. Exportação 56.942 23.805 27.300 15% 12.224 12.899 13.100 2% 2.261 2.521 2.150 -15% Processamento 40 31.511 32.400 3% Estoque Final 2289 2027 1500 -26% 864 862 862 0% 311 291 291 0%
  8. 8. Energia X Alimentos Nos últimos meses a discussão sobre o conflito entre a destinação da produção agrícola - energia x alimentos ganhou destaque na mídia. O biodiesel não é o responsável pela alta nos preços dos alimentos. Tal fato deve-se a diversos fatores estruturais, tais como: 1. Aumento da renda e aumento populacional em diversas regiões como China; 2. Aumento dos custos de produção agrícola (fertilizantes e transportes), decorrentes do aumento do preço do petróleo; 3. Alguns dos principais produtores mundiais de alimentos, como a Austrália, passaram por fortes secas que afetaram negativamente a produção de alimentos; 4. O crescimento da produção de etanol de milho nos EUA, reduzindo a destinação de milho para alimentação assim como reduzindo áreas de terras destinadas à outras culturas alimentícias; 5. O histórico de subsídios ao setor agrícola e as tarifas de importação impostas por países desenvolvidos, notadamente EUA e União Européia; 6. Componente especulativo – fundos que migraram para commodities agrícolas como forma de manter rentabilidade. De acordo com o IBGE, apenas 62 milhões de hectares da área total agricultável no Brasil estão sendo utilizadas. Existem no país cerca de 90 milhões de hectares que poderiam ser utilizados para expansão da produção agrícola.
  9. 9. Originação agrícola Concluímos o plantio de verão de 5.300 hectares adicionais de pinhão manso em nossas terras próprias, sendo parte deles em consórcio com mamona, em grande parte nas fazendas adquiridas em 2007 no Estado da Bahia. Ao final do 1T08 contávamos com 7.945 hectares de plantios próprios. Área Disponível Localidade Área total Reserva Legal Área plantada para plantio Crateús / CE 3.980 ha. 796 ha. 899 ha. 2.285 ha. Parambu / CE 12.394 ha. 2.479 ha. 205 ha. 9.710 ha. Alvorada / PI 7.754 ha. 1.550 ha. 1.426 ha. 4.778 ha. Setubinha / MG 2.622 ha. 524 ha. 515 ha. 1.583 ha. Irecê / BA 19.802 ha. 3.960 ha. 4.900 ha. 10.942 ha. 46.552 ha. 9.309 ha. 7.945 ha. 29.298 ha. Enfatizamos nossa estratégia de produção própria de óleos vegetais de culturasalternativas visando a redução de nossa exposição ao óleo de soja.
  10. 10. Originação agrícola Plantios de Pinhão Manso em nossas fazendas Bahia Minas Gerais
  11. 11. Originação agrícola Minas Gerais
  12. 12. Desempenho operacional No 1T08 a Companhia produziu 70,7 mil m3 de biodiesel e vendeu 86,9 mil m3, supridos com o estoque detido ao final de 2007. Apesar da elevação no volume de vendas e nos preços em comparação com aqueles do trimestre anterior, o aumento no custo do óleo vegetal afetou o custo de produção do biodiesel, prejudicando os resultados financeiros. 1T07 4T07(*) 1T08(*) % 1T08 / 4T07 Receita Bruta 61.130 160.517 202.794 26,33% Receita Líquida 48.290 134.277 167.264 24,57% CPV -44.762 -139.457 -180.313 29,30% Lucro Bruto 3.528 -5.181 -13.049 151,86% Margem Bruta 7,30% -3,90% -7,80% 100,00% Lucro (Prejuízo) Líquido -526 -24.352 -14.925 -38,71% Margem Líquida -1,10% -18,10% -8,90% -50,83% Vendas (m3) 27.697 75.763 86.968 14,79% Preço Médio (c/ ICMS) 2.165,31 1.967,00 2.290,20 16,43%
  13. 13. Desempenho Operacional A Receita Bruta ajustada foi de R$ 202,8 milhões no primeiro trimestre de 2008, sendo que 98,2% deste total, ou R$ 199,2 milhões, foram resultantes da venda de 86,9 mil m3 de biodiesel e o restante proveniente da venda de subprodutos, principalmente glicerina. Porto Rosário Biodiesel Floriano Crateús Iraquara Itaquí Total Nacional do Sul 1T07 9.243,1 8.124,4 10.329,6 - - - 27.697,1 Vendas 3 4T07 6.947,41 12.357,19 18.520,36 10.690,42 13.717,82 13.529,81 75.763,00 (m ) 1T08 2,00 16.274,49 23.700,74 11.516,23 14.521,49 20.953,45 86.968,41 1T07 19.954,10 7.177,00 22.841,70 - - - 59.972,9 Faturamento (R$ mil) 4T07 13.670,52 24.293,13 36.409,36 21.020,00 27.004,83 26.628,22 149.026,05 1T08 9,42 42.337,97 54.033,34 24.052,79 30.613,11 48.128,64 199.175,27
  14. 14. Desempenho Operacional A Receita Líquida no 1T08 foi de R$ 167,3 milhões. O Custo dos Produtos Vendidos foi de R$ 180,3 milhões, dos quais R$ 179,8 milhões se referem a custos do biodiesel. As Despesas Gerais e Administrativas ficaram 14,2% inferiores às do trimestre anterior, principalmente devido à racionalização de despesas da Companhia. Despesas Tributárias: R$ 1,6 milhões no 1T08. Outras Receitas Operacionais totalizaram R$ 20,0 no 1T08, sendo que 90% se refere às penalidades pela retirada do biodiesel em volume abaixo do disponibilizado pela Companhia. O Resultado Financeiro Líquido foi uma despesa de R$ 9,9 milhões, em decorrência principalmente de encargos sobre empréstimos de curto prazo (capital de giro). No 1T08, apresentamos um prejuízo líquido de R$ 14,9 milhões devido à elevação dos custos de produção, notadamente do óleo vegetal, frente a preços médios de vendas baixos, principalmente em função dos resultados dos leilões promovidos pela ANP em novembro de 2007.
  15. 15. Disponibilidades e Investimentos Detalhamento dos recursos aplicados no 1T08 (R$ milhões) Maior parte em capital de giro, devido ao Outrosmaior volume de operações e ao aumento do 4%prazo de recebimento de nossas vendas; Esmagadoras A Companhia possui endividamento líquido 17%em 30 de março de 2008 de R$ 229,9 milhões. R$ 40,7 P&D milhões 4% K Giro Unidades de 68% Endividamento Biodiesel 2% Agrícola 5% Endividamento (em R$ Mil) 4T07 1T08 Curto Prazo R$ 141.245 R$ 205.022 (+) Longo Prazo R$ 36.715 R$ 30.778 (=) Total do Endividamento R$ 177.960 R$ 235.800 (-) Disponibilidades R$ 298 R$ 5.898 (=) Dívida Líquida R$ 177.662 R$ 229.902
  16. 16. Mercado de capitaisDesempenho trimestral das ações ECOD3 (R$ / ação) 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 Abertura 11,81 9,24 12,27 11,91 6,99 Mínima 8,77 8,80 9,51 6,01 3,84 Máxima 12,65 14,50 15,39 12,17 7,01 Média 10,95 11,57 12,86 8,67 Fechamento 9,15 12,27 11,89 6,89 4,55 Variação % -22,5% 34,0% -3,1% -42,1% -34,0% Volume Negociado 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 Total (R$ MM) 117,69 182,70 144,83 116,55 170,08 Médio (R$ MM) 1,93 2,95 2,30 1,98 2,83 Qtde de Transações 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 Quantidade Ações (un.) 10.750.400 15.793.000 11.265.800 13.446.300 34.075.000 No de Transações (un.) 10.878 19.816 13.700 13.793 25.994
  17. 17. 2/ 1/ 2 0,00 1,00 2,00 3,00 4,00 5,00 6,00 7,00 8,00 8/ 00 1 8 14 /20 /1 0 8 18 /20 /1 08 24 /20 /1 08 / 31 20 /1 08 /2 8/ 0 0 2 8 Desempenho das ações no 1T08 Mercado de capitais 14 /20 /2 0 8 / 20 20 /2 08 26 /20ECOD3 /2 08 /2 3/ 0 0 3/ 8 2 7/ 00 3 8 13 /20IBOV /3 0 8 19 /20 /3 08 / 26 20 /3 08 /2 00 8 0 10.000 20.000 30.000 40.000 50.000 60.000 70.000
  18. 18. Relações com Investidores Ricardo Luis de Lima Vianna Diretor Executivo e de Relações com Investidores Marcos Leite Relações com Investidores Telefone: +0 55 (21) 2546-5031 Website: www.brasilecodiesel.com.br/ri
  19. 19. Aviso• As estimativas e declarações futuras constantes da presente apresentação têm por embasamento, em grande parte, as expectativas atuais e estimativas sobre eventos futuros e tendências que afetam ou podem potencialmente vir a afetar os negócios, a situação financeira, os resultados operacionais e prospectivos da BRASIL ECODIESEL. Estas estimativas e declarações estão sujeitas a diversos riscos, incertezas e suposições e são feitas com base nas informações de que a BRASIL ECODIESEL atualmente dispõe. Esta apresentação também está disponível no site www.brasilecodiesel.com.br/ri e no sistema IPE da CVM.• Essas estimativas envolvem riscos e incertezas e não consistem em garantia de um desempenho futuro, sendo que os reais resultados ou desenvolvimentos podem ser substancialmente diferentes das expectativas descritas nas estimativas e declarações futuras. Tendo em vista os riscos e incertezas envolvidos, as estimativas e declarações acerca do futuro constantes desta apresentação podem não vir a ocorrer e, ainda, os resultados futuros e o desempenho da BRASIL ECODIESEL podem diferir substancialmente daqueles previstos nas estimativas da BRASIL ECODIESEL. Por conta dessas incertezas, o investidor não deve se basear nestas estimativas e declarações futuras para tomar uma decisão de investimento.• As palavras “acredita”, “pode”, “poderá”, “estima”, “continua”, “antecipa”, “pretende”, “espera” e expressões similares têm por objetivo identificar estimativas. Tais estimativas referem-se apenas à data em que foram expressas, sendo que a BRASIL ECODIESEL não pode assegurar a atualização ou revisão de quaisquer dessas estimativas em razão da ocorrência de nova informação, de eventos futuros ou de quaisquer outros fatores.• Esta apresentação não constitui oferta, convite ou solicitação de oferta de subscrição ou compra de quaisquer valores mobiliários. E, esta apresentação ou qualquer informação aqui contida não constituem a base de um contrato ou compromisso de qualquer espécie.

×