   Este trabalho surge no ambito da    disciplina de T.I.C , sobre o tema de    internet. Nós escolhemos o tema de    pre...
   As jovens acreditam e o pior pode acontecer; há uma troca de números e, mais tarde, o encontro real. Quando as jovens ...
   Os predadores on-line fazem o seguinte:   Encontram crianças através das redes    sociais, blogues, salas de chat, me...
   Converse com seus filhos sobre predadores sexuais e dos potenciais perigos on-line.   Utilize software de restrição d...
   Há uma série de precauções que as crianças podem tomar, incluindo:   Nunca transferir imagens de uma origem desconhec...
   Se o seu filho receber fotografias sexualmente explícitas    de um correspondente on-line, ou se ela ou ele forem    s...
Predadores online
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Predadores online

275 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
275
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Predadores online

  1. 1.  Este trabalho surge no ambito da disciplina de T.I.C , sobre o tema de internet. Nós escolhemos o tema de predadores online para explicar as pessoas as consequências que podem ter com os predadores , vamos explicar tudo o que podem fazer para os evitar .
  2. 2.  As jovens acreditam e o pior pode acontecer; há uma troca de números e, mais tarde, o encontro real. Quando as jovens se apercebem ou se cansam da situação, tentam terminar tudo. Aí, a perseguição e as ameaças apertam; segundo esta reportagem, muitas destas situações só são "resolvidas" porque os pais descobrem e fazem queixa à Polícia. As aspas na palavra não são por acaso. É que mesmo que a situação seja "resolvida", ou seja, que o agressor/predador seja acusado e preso, a marca não passa naquelas jovens: foram perseguidas e algumas, abusadas. Como ultrapassar este trauma? Sabemos que são "sinais dos tempos", que isto acontece agora assim, há uns anos acontecia de outras maneiras. Mas como diz Rogério Copeto, agente da GNR, nessa mesma reportagem, "(...) as redes sociais, como o Facebook, permitem entrar no quarto das vítimas de uma forma que dantes era impensável." O ser humano é capaz do melhor e do pior. Sempre foi, sempre será. Valha a essas jovens a suaresiliência - a capacidade de ultrapassar questões adversas da vida. Valha-lhes os pais, que (esperemos) as levam a profissionais de saúde para que estes as ajudem a recuperar deste trauma. Mas acima de tudo, que lhes valha a experiência para passarem a não colocar informações pessoais sobre si em redes sociais ou qualquer outro lugar na Internet. Segundo a reportagem, duas das vítimas estão proibidas pelos pais de ter perfil no Facebook. É mais do que compreensível, mas será que resulta? Provavelmente, a curto prazo, resultará - as jovens estão assustadas. Mas proibir será a solução? Proibir não educa nem previne. O Projecto Tu e a Internet apela exactamente à consciencialização online: a Internet existe, é para ser usada, mas com consciência do que se está a fazer. Apelamos aos pais para estarem atentos, muito atentos. Não há tempo? Tem que haver; à refeição, no caminho para a escola, ao fim de semana enquanto vão para casa dos avós... Qualquer coisa. Qualquer momento é bom para os pais darem a entender aos filhos que estão presentes e se preocupam. Uma dica de segurança pode evitar marcas permanentes no interior dos seus filhos. Segundo esta reportagem, 15% das crianças portuguesas já foram vítimas de assédio sexual na Internet. Não nos enganemos: foram muitas mais. Esta é a estatística conhecida, mas muitas jovens haverá por este país que sofrem em silêncio e não denunciam. Por isso, apelamos a TODOS os jovens que sofram algum tipo de pressão online (mesmo que seja só uma suspeita) que DENUNCIEM. Aos pais, à polícia, a um professor... A alguém que vos possa ajudar a perceber o que se passa. E lembrem-se: usem a Internet de um modo saudável e seguro. Tentem não fornecer dados pessoais sobre vocês. Cuidado com as fotos que colocam e não aceitem pedidos de amizade de quem não conhecem, por mais chamativa que seja a foto de perfil. Um click pode ser demasiado arriscado, pelo que devem ponderar muito bem antes de o fazer. Acima de tudo, divirtam-se! Mas com muita consciência.
  3. 3.  Os predadores on-line fazem o seguinte: Encontram crianças através das redes sociais, blogues, salas de chat, mensagens instantâneas, correio electrónico, fóruns e outros websites. Seduzem os seus alvos através da solicitude, carinho, bondade e até mesmo de presentes. Conhecem bem as últimas tendências musicais e os passatempos preferidos das crianças. Ouvem e solidarizam-se com os problemas das crianças. Tentam diminuir as inibições dos jovens introduzindo gradualmente conteúdo sexual nas suas conversas ou mostrando-lhes material sexualmente explícito. Também podem tentar avaliar a possibilidade de conhecerem cara-a-cara as crianças que conhecem on- line.
  4. 4.  Converse com seus filhos sobre predadores sexuais e dos potenciais perigos on-line. Utilize software de restrição de acesso que está incorporado nos novos sistemas operativos como Windows 7 ou Windows Vista ou que pode transferir gratuitamente, como Definições de Segurança Familiar do Windows Live. Cumpra os limites de idade em websites de redes sociais. A maioria dos sites de redes sociais exige que os utilizadores tenham 13 anos de idade ou mais. Se os seus filhos têm menos idade do que a recomendada para estes sites, não lhes permita a utilização. As crianças pequenas não devem utilizar salas de chat, os perigos são demasiado grandes. À medida que as crianças crescem, é conveniente orientá-las para salas de chat de crianças bem monitorizadas. Encoraje também os seus filhos adolescentes a que utilizem salas de chat monitorizadas. Se os seus filhos participarem em salas de chat, certifique-se de que sabe quais são as que eles visitam e com quem falam. Monitorize efectivamente as salas de chat para ver que tipos de conversas existem. Ensine os seus filhos a nunca deixarem a área pública da sala de chat. Muitas salas de chat oferecem áreas privadas onde os utilizadores podem ter uma conversa privada com outros utilizadores – os monitores não conseguem ler estas conversas. Estas são frequentemente referidas como áreas de "sussurro". Mantenha o computador ligado à Internet numa área comum da casa, nunca no quarto da criança. É muito mais difícil para um predador estabelecer um relacionamento com o seu filho se o ecrã do computador for facilmente visível. Mesmo quando o computador estiver numa área pública da sua casa, sente-se ao lado dos seus filhos quando eles estiverem on-line. Quando os seus filhos são jovens, devem partilhar o endereço de correio electrónico da família em vez de terem um próprio. À medida que crescem, pode pedir ao seu Fornecedor de Serviços Internet (ISP) para configurar um endereço de correio electrónico separado, mas o correio dos seus filhos ainda poderá permanecer na sua conta. Diga a seus filhos para nunca responderem a mensagens instantâneas ou a mensagens de correio electrónico de estranhos. Se os seus filhos utilizarem computadores em locais fora da sua supervisão, tais como na biblioteca pública, escola ou casas de amigos, tente saber quais são as medidas de segurança utilizadas no computador em questão. Se todas as precauções falharem e os seus filhos acabarem por travar conhecimento com um predador on- line, não os culpe por esse facto. O criminoso é que é o responsável na totalidade . Empreenda uma acção decisiva de forma a impedir que o seu filho tenha quaisquer contactos com essa pessoa.
  5. 5.  Há uma série de precauções que as crianças podem tomar, incluindo: Nunca transferir imagens de uma origem desconhecida-podem ser sexualmente explícitas. Utilizar filtros de correio electrónico. Contar a um adulto imediatamente se algo que aconteça on-line os faça sentir desconfortáveis ou assustados. Escolher uma alcunha de género neutro que não contenha palavras sexualmente sugestivas ou revele informações pessoais. Nunca revelar a ninguém on-line informações pessoais sobre si mesmos (incluindo idade e sexo), ou informações sobre a sua família e não preencher perfis pessoais on- line. Para regras mais específicas sobre as informações pessoais em sites como o Windows Live Spaces ou o MySpace, consulte Como ajudar o seu filho a utilizar os websites sociais de forma mais segura. Interromper quaisquer comunicações por correio electrónico, conversas por mensagens instantâneas ou chats se alguém começar a fazer perguntas demasiado pessoais ou com sugestões sexuais. Afixar o acordo familiar sobre a actividade on-line perto do computador para lembrá- los de como devem proteger a sua privacidade na Internet.
  6. 6.  Se o seu filho receber fotografias sexualmente explícitas de um correspondente on-line, ou se ela ou ele forem solicitados sexualmente por correio electrónico, mensagens instantâneas ou por qualquer outro meio on-line, contacte a polícia local. Guarde quaisquer documentos, incluindo endereços de correio electrónico, endereços de websites e registos de chat para partilhar com a polícia. Verifique o seu computador relativamente a ficheiros pornográficos ou a qualquer tipo de comunicação sexual, estes são muitas vezes os sinais de alerta. Monitorizar o acesso do seu filho a todas as comunicações electrónicas em tempo real, tais como salas de chat, mensagens instantâneas e correio electrónico

×