Análise Evolutiva no
Reino Plantae (Metaphyta)
Por Fábio Br.
Ciências Biológicas/ ICB – UFMG
• 3 a 2 bilhões de anos: atmo...
 Transição de fase dominante de gametófito para esporófito
III - TRAQUEÓFITAS (PLANTAS VASCULARES)
 As primeiras plantas...
você estará fazendo o impossível”
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Evolução dos Vegetais

511 visualizações

Publicada em

Resumo sobre a evolução dos grupos vegetais.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
511
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Evolução dos Vegetais

  1. 1. Análise Evolutiva no Reino Plantae (Metaphyta) Por Fábio Br. Ciências Biológicas/ ICB – UFMG • 3 a 2 bilhões de anos: atmosfera vulcânica, rica em gás carbônico e ácido sulfídrico à FOTOSSÍNTESE ANOXÍGÊNICA • A 2,3 bilhões de anos: observa-se a formação da hematita à FOTOSSÍNTESE OXIGÊNICA O processo de fotossíntese alterou a atmosfera, pois na quebra da água ocorre liberação de oxigênio que: à Levou ao aparecimento da camada de ozônio, cerca de 450 milhões de anos: surgem condições favoráveis à sobrevivência de organismos próximos à superfície da água dos mares e na Terra. à Provocou um episódio de extinção em massa ocasionando morte de vários organismos anaeróbios. à Ao reagir com outros gases, alterou mais a composição da atmosfera. à Metais foram oxidados e se depositaram no fundo de mares e rios, originando depósitos de minério. à Reagiu com compostos orgânicos, provocando sua degradação. à Surgiu a respiração aeróbica. § Os cloroplastos encontrados nos eucariotos são organelas endossimbióticas derivadas de cianobactérias. Essa hipótese sobre a origem dos plastídeos é hoje fortemente sustentada com base tanto em evidência estrutural (forma e número de suas membranas) quanto em estudos moleculares demonstrando que o DNA dos plastídeos é mais intimamente relacionado ao encontrado em cianobactérias de vida livre do que o DNA nuclear da mesma célula vegetal. I - CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS ALGAS - Eucariontes - Fotossintetizantes com cloroplastos - Uni ou pluricelulares - As pluricelulares não formam tecidos - Hábitat: Locais úmidos - A coloração das algas depende do tipo de pigmento predominante - Principais pigmentos: clorofila, xantofila, ficoeritrina e fucoxantina - Substância de reserva: amido, óleos e manitol - Maioria possui parede celular II - EMBRIÓFITAS (plantas terrestres) à As plantas terrestres tem um ancestral em comum com algas verdes. à Possuem um embrião de duração variada, que constitui o esporófito jovem. à Também possuem um esporófito multicelular, estruturas reprodutivas também multicelulares (gametângios e esporângios). à Presença de cutícula à Esporos com paredes espessas.  Tradicionalmente, as embriófitas tem sido caracterizadas em dois grandes grupos: briófitas e plantas vasculares. TRANSIÇÃO PARA O AMBIENTE TERRESTRE à Cutícula e esporopolenina (presente na espessa parede dos esporos) aparentam ser respostas evolutivas para evitar-se a dessecação. à A troca gasosa é facilitada pela existência de pequenos poros na epiderme ou por estômatos genuínos, com células-guarda que podem abrir ou fechar de acordo com as condições do ambiente e, dessa forma, regular a perda de água. à Os flavonóides auxiliam na absorção de boa parte dos raios UV à As primeiras plantas terrestres dependiam das relações simbiontes com os fungos para obter nutrientes do solo. à Oosfera protegida pelo arquegônio e os anterozóides produzidos e protegidos pelo anterídio.
  2. 2.  Transição de fase dominante de gametófito para esporófito III - TRAQUEÓFITAS (PLANTAS VASCULARES)  As primeiras plantas vasculares eram pequenas e estruturalmente simples  Não possuíam folhas ou raízes  Células condutoras de água: traqueídes (células mortas, ocas, com paredes reforçadas com lignina, organizadas em feixes contínuos, que vão das raízes até as folhas, cheia de poros nas laterais). Elas possuíam também paredes celulares mais resistentes à deteriorização, que além de ser mais eficiente o transporte de água, promovia a sustentação da planta e seu maior tamanho em altura.  Redução do gametófito tornando-o nutricionalmente dependente do esporófito IV - ESPERMATÓFITAS (PLANTAS COM SEMENTES)  Presença de sementes  Lenho (xilema secundário) produzido por meio da atividade de um meristema secundário chamado câmbio vascular  rigidez e resistência à decomposição.  PRESENÇA DA SEMENTE: Evolução da heterosporia: a produção de dois tipos de esporos (micrósporos e megásporos), que produzem dois tipos de gametófitos (masculino, ou microgametófito, que produz os gametas masculinos; e feminino, ou megagemetófito, que produz os gametas femininos).  Tubo polínico  GIMNOSPERMAS E ANGIOSPERMAS V - ANGIOSPERMAS “Às vezes os problemas são um sinal de que chegou a hora de um guerreiro iniciar uma nova batalha. Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível e, de repente,
  3. 3. você estará fazendo o impossível”

×