Tendências atuais para o ensino de ciências

16.785 visualizações

Publicada em

Encontro dos Professores de Ciências realizado no dia 03 de junho de 2011.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.785
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
442
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
652
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tendências atuais para o ensino de ciências

  1. 1. TENDÊNCIAS ATUAIS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS – O Ensino por Investigação<br />Encontro de Formação Continuada dos Professores de Ciências da Rede Municipal de Ipatinga<br />03 de junho de 2011<br />Sejam Bem-vindos!<br />
  2. 2. Ensino por Investigação<br />Ciência Tecnologia e Sociedade (CTS)<br />Tecnologias da Comunicação e Informação (TICs)<br />PROPOSTA PARA O ANO DE 2011<br />
  3. 3. PAUTA<br /><ul><li>Informes:
  4. 4. Mostra do Parque da Ciência – Previsão 22 de outubro
  5. 5. Plantão Pedagógico
  6. 6. Blog: cenfopciências.wordpress.com e
  7. 7. E-mail: cenfop.ciencias@gmail.com
  8. 8. Sondando as concepções sobre o currículo
  9. 9. Breve contexto histórico do Ensino de Ciências
  10. 10. Intervalo
  11. 11. O Ensino por investigação
  12. 12. Analisando atividades investigativas</li></li></ul><li>Algumas escolhas fundamentais para a definição de um currículo de Ciências0 – discordância total1 – discordância/ concordância parcial ou 2 – concordância totalSugestões de temas para o Plantão Pedagógico<br />
  13. 13. Porque refletir <br />sobre as <br />tendências atuais<br />Para o <br />ensino de ciências?<br />
  14. 14. “As demandas da sociedade contemporânea requerem que a escola revise as práticas pedagógicas e tal revisão passa, necessariamente, pela reorganização dos conteúdos trabalhados, abandonando aqueles sem significação e elegendo um conjunto de temas que sejam relevantes para o aluno, no sentido de contribuir para o aumento da sua qualidade de vida e para ampliar as possibilidades dele interferir positivamente na comunidade da qual faz parte.” <br />(Borges & Lima, 2007)<br />
  15. 15. BREVE HISTÓRICO DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL<br />Nosso modo de pensar sobre a escola e o currículo de ciências são ecos da história impregnada em nós.<br />Eliane Ferreira Sá<br />
  16. 16. 1932<br />Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, 1932 – Anísio Teixeira, Fernando de Azevedo, Júlio de Mesquita Filho, Cecília Meireles e outros <br />“ ...levar à formação da personalidade integral do aluno e ao desenvolvimento de sua faculdade produtora e de seu poder criador, pela aplicação, na escola, para a aquisição ativa de conhecimentos, dos mesmos métodos (observação, pesquisa e experiência), que segue o espírito maduro, nas investigações científicas.” <br />Já defendiam o ensino por investigação<br />
  17. 17. <ul><li>Guerra fria: Investimento dos EUA em Projetos de 1ª geração influencia reformas nos currículos de ciências.
  18. 18. Início a democratização do ensino.
  19. 19. 1961 – LDB
  20. 20. Ditadura Militar – ensino para o crescimento do país.</li></ul>1950 - 1960<br />Tendência Tradicional<br />Tendência Tecnicista<br />
  21. 21. 1970 - 1990<br /><ul><li>1971 - LDB
  22. 22. Década 70- Ensino com caráter profissionalizante.
  23. 23. Abordagem: Ciência, Tecnologia e Sociedade
  24. 24. Década 80 -Ensino para construção da cidadania
  25. 25. Enfoque na História e Filosofia da Ciência </li></ul>Tendência Construtivista<br />
  26. 26. 1990 - Atualmente<br /><ul><li>1996 – LDB: Educação para o trabalho e formação do cidadão.
  27. 27. 1998 – PCNs: Temas Transversais, interdisciplinaridade entre os saberes científicos, diversificação das práticas pedagógicas.
  28. 28. Importância das TICs
  29. 29. Alfabetização Científica</li></ul>Ensino por investigação<br />Pluralismo Metodológico<br />
  30. 30. As tendências pedagógicas mais atuais de ensino de Ciências apontam para a valorização da vivência dos estudantes como critério para escolha de temas de trabalho e desenvolvimento de atividades. Também o potencial para se desenvolver a interdisciplinaridade ou a multidisciplinaridade é um critério e pressuposto da área. Buscar situações significativas na vivência dos estudantes, tematizá-las, integrando vários eixos e temas transversais. (...)<br />(Brasil, 1999- PCNs Ensino Fundamental).<br />
  31. 31. Valorizar os Conhecimentos Prévios do aluno.<br />Relacionar os conteúdos com a prática.<br />Comunicar os saberes: Interdisciplinaridade<br />Estimular a participação ativa dos alunos<br />Aproximar o ensino e a concepção de Ciência<br />Promover discussão de temas atuais.<br />Diversificar as estratégias metodológicas de ensino<br />Contextualizar os conteúdos historicamente.<br />Promover o desenvolvimento das habilidades de argumentação e busca de informações.<br />
  32. 32. O que espera que <br />os alunos aprendam <br />em ciências naturais?<br />
  33. 33. “Num mundo como o atual, de tão rápidas transformações e de tão difíceis contradições, estar formado para a vida significa mais do que reproduzir dados, determinar classificações ou identificar símbolos. ..<br />
  34. 34. ...significa: saber se informar, comunicar-se, argumentar, compreender e agir; enfrentar problemas de diferentes naturezas; participar socialmente, de forma prática e solidária; ser capaz de elaborar críticas ou propostas; e, especialmente, adquirir uma atitude de permanente aprendizado. ”<br />(PCN, MEC, 2001, p.9)<br />
  35. 35. Desde o início do ensino fundamental os alunos devem aprender a:<br /> observar, tirar conclusões, formular hipóteses, experimentar e verificar suas conclusões. A curiosidade natural e a criatividade dos alunos devem ser estimuladas. Esse é um processo lento – incompatível com programas de conteúdo extenso – mas que deixa uma base sólida sobre a qual o futuro poderá ser construído.<br />(Academia Brasileira de Ciências, 2007)<br />
  36. 36. Ensino de Ciências por Investigação<br />“...Em primeiro lugar, é preciso saber formular problemas. [...] Para o espírito científico, todo conhecimento é resposta a uma pergunta. Se não há pergunta, não pode haver conhecimento científico. Nada é evidente. Nada é gratuito. Tudo é construído.” <br />(BACHELARD, 1996, p. 18).<br />
  37. 37.
  38. 38. Problemas a serem investigados:<br />O que vocês acharam da atividade proposta no vídeo? <br />Em que ela difere da que estamos acostumados a fazer em sala de aula?<br />Como é a postura dos professores no vídeo com os alunos: quando acertam? quando erram?<br />
  39. 39. O que é o ensino por investigação? <br />Estratégia que busca o desenvolvimento da autonomia do aluno em construir sua aprendizagem a partir da proposição de situações problema. O professor atua como mediador do processo, conduzindo o aluno através da sua investigação.<br />
  40. 40. Por que investigar?<br />Para que os estudantes aprendam estratégias para pensar cientificamente, descrever objetos e eventos, a levantar questões, a planejar e propor maneiras de resolver problemas e responder questões, a coletar e analisar dados, a estabelecer relações entre explicações e evidências, a aplicar e testar ideias científicas, a construir e defender argumentos e a comunicar suas ideias.<br />
  41. 41. Como são as atividades de caráter científico? <br />Essas características não precisam estar todas presentes em uma mesma atividade.<br />Elas devem:<br />conter um problema. <br />desencadear debates, discussões, outras atividades experimentais ou não;<br />propiciar o desenvolvimento de argumentos;<br />motivar e mobilizar os estudantes;<br />socializar os resultados<br />
  42. 42. Apresentação da apostila<br /><ul><li>Fundamentação teórica sobre o Ensino de Ciências por Investigação.
  43. 43. Sugestões de atividades:
  44. 44. de pesquisa escolar como atividade investigativa;
  45. 45. atividades de demonstração investigativa
  46. 46. Atividades de elaboração verbal e escrita;
  47. 47. O uso de filmes como atividade investigativa.
  48. 48. Anexo:
  49. 49. Diagnóstico Ambiental</li></li></ul><li>Experimentando e avaliando algumas atividades investigativas em grupo<br /><ul><li> Escolher entre as atividades propostas na apostila, a atividade que o grupo achar mais interessante e avaliar de acordo com a ficha.
  50. 50. Selecionar uma atividade prática da apostila para vivenciar e avaliar.</li></li></ul><li>Blog: cenfopciências.wordpress.com<br />E-mail: cenfop.ciencias@gmail.com<br />Autoria<br />Assessora Pedagógica da Área de Ciências: Priscila Franco Binatto<br />

×