Luís de camões

1.653 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.653
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Luís de camões

  1. 1. {
  2. 2. Vida
  3. 3. Não se sabe ao certo, mas pensa-se que Luís Vaz de Camões terá nascido em Lisboa em 1524 ou 1525. Entre 1542 e 1545, viveu em Lisboa, conquistando a fama de poeta e feitio altivo. Viveu algum tempo em Coimbra onde terá frequentado o curso de Humanidades, no Mosteiro de Santa Cruz. Em todo o caso, a cultura refinada dos seus escritos torna a única universidade de Portugal do tempo como o lugar mais provável de seus estudos. Mais tarde em 1548 alista-se no ultramar, um ano depois parte para Ceuta, onde perde o seu olho direito. Após regressar a Lisboa, em 1552 envolve-se numa briga em que fere um funcionário da Cavalariça Real e acaba por ser preso. Faleceu numa casa de Santana, em Lisboa. Os seus restos mortais encontram-se atualmente no Mosteiro dos Jerónimos.
  4. 4. Obras
  5. 5. Lírica 1595           Amor é fogo que arde sem se ver; Eu cantarei o amor tão docemente; Verdes são os campos; Que me quereis, perpétuas saudades?; Sobolos rios que vão; Transforma-se o amador na cousa amada; Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades; Quem diz que Amor é falso ou enganoso; Sete anos de pastor Jacob servia; Alma minha gentil, que te partiste. Épico 1572  Os Lusíadas Teatr o 1587    El-Rei Seleuco; Auto de Filodemo; Anfitriões.
  6. 6. Contexto Histórico
  7. 7. Renascimento  Teve origem em Florença na Itália, tendo, mais tarde sido espalhado por toda a Europa;  Verifica-se uma renovação das artes e das ciências;  Renascem os ideais greco-romanos da cultura clássica;  A visão antropocêntrica opõe-se ao teocentrismo da Idade Média;   Privilegia-se a racionalidade, a dignidade do ser humano e o ideal humanista; As qualidades mais valorizadas no ser humano passaram a ser a inteligência, o conhecimento e o dom artístico.
  8. 8.   Camões vê o Mundo pelos olhos de Portugal. Portugal é o “rosto” da Europa, lugar privilegiado do qual se avista a construção do futuro; O escritor Luís de Camões representa o Renascimento português.
  9. 9. Artista: Sandro Botticelli Criação: 1484–1486 Nascimento
  10. 10. Galileu Galilei
  11. 11. Artista: Leonardo Da Vinci Criação: 1503-1517 Mona Lisa
  12. 12. Humanismo  O Homem é visto como o centro de tudo;  O conhecimento depende do que o Homem é capaz de fazer;  Confiança nas capacidades do Homem;   O homem desta época liberta-se dos dogmas da Igreja e passa a preocupar-se consigo próprio, valorizando a sua vida na Terra e cultivando a sua capacidade de produzir e conquistar. Porém, a religiosidade não desapareceu por completo; A obra humana passa a ser valorizada não como uma obra de Deus mas como sua própria criação;
  13. 13.   Foi nessa época que surgiu uma nova classe social: a burguesia. Os burgueses não eram nem servos e nem comerciantes. Com o aparecimento desta nova classe social foram aparecendo as cidades e muitos homens que moravam no campo se mudaram para morar nestas cidades, como consequência o feudalismo estava em declínio; Existem caraterísticas do humanismo presentes na obra de Camões, Os Lusíadas: Uma profunda admiração pelas grandes figuras da Antiguidade, que aparecem referidas um pouco por todo o poema.
  14. 14. A escola de Atenas Artista: Rafael Sanzio Criação: 1509 e 1510
  15. 15. Artista: Rafael Sanzio Criação: 1499–1502 Ressurreição de Cristo
  16. 16. Classicismo Artistas imitam modelos clássicos e seguem as suas normas: Harmonia;  Simplicidade;  Equilíbrio;  Precisão;  Sentido de proporções. 
  17. 17. Caraterísticas do Classicismo Valorização dos aspetos culturais e filosóficos da cultura das antigas Grécia e Roma;    Influência do pensamento humanista; Antropocentrismo: o homem como o centro do Universo; Críticas as explicações e a visão de mundo pautada pela religião; 
  18. 18. Racionalismo: valorização das explicações baseadas na ciência;   Busca do equilíbrio, rigor e pureza formal; Universalismo: abordagem de temas universais como, por exemplo, os sentimentos humanos. 
  19. 19. Villa Capra Artista: Andrea Palladio Criação: Início 1566
  20. 20. O Parnas Artista: Andrea Mantegna Criação: 1497
  21. 21. Os Lusíadas
  22. 22. Provavelmente concluída em 1556, foi publicada pela primeira vez em 1572 no período literário do classicismo, três anos após o regresso do autor do Oriente.
  23. 23. Estrutura Externa Os Lusíadas é constituído por dez partes, chamadas de cantos na lírica; cada canto possui um número variável de estrofes (em média, 110); as estâncias são oitavas, tendo portanto oito versos; a rima é cruzada nos seis primeiros versos e emparelhada nos dois últimos (ab/ab/ab/cc), cada verso é constituído por dez sílabas métricas (decassilábico), na sua maioria heróicas (acentuadas nas sextas e décimas sílabas).
  24. 24. Estrutura Interna Esta obra mostra ser uma epopeia clássica ao dividir-se em quatro partes: Proposição - introdução, apresentação do assunto e dos heróis (estrofes 1 a 3 do Canto I); Invocação - o poeta invoca as ninfas do Tejo e pede-lhes a inspiração para escrever (estrofes 4 e 5 do Canto I); Dedicatória - o poeta dedica a obra ao rei D. Sebastião (estrofes 6 a 18 do Canto I); Narração - a narrativa da viagem, in medias rés, partindo do meio da ação para voltar atrás no tempo e explicar o que aconteceu até ao momento na viagem de Vasco de Gama e na história de Portugal, e depois prosseguir na linha temporal (começa na estrofe 20 e vai até ao fim da obra).
  25. 25. Planos Temáticos Plano da Viagem - onde se trata da viagem da descoberta do caminho marítimo para a Índia de Vasco da Gama e dos seus marinheiros; Plano da História de Portugal - são relatados episódios da história dos portugueses; Plano do Poeta - Camões refere-se a si mesmo enquanto poeta admirador do povo e dos heróis portugueses; Plano da Mitologia - são descritas as influências e as intervenções dos deuses da mitologia greco-romana na ação dos heróis.
  26. 26. Ao longo da narração deparam-se-nos vários tipos de episódios: bélicos, mitológicos, históricos, simbólicos, líricos e naturalistas.
  27. 27. Conclusão   A partir deste trabalho podemos concluir que estes três movimentos foram marcantes na época de Camões. No final deste trabalho podemos concluir que Camões foi e é um grande escritor e que trouxe aos portugueses muito orgulho pela sua literatura (literatura portuguesa) a todo Portugal. O nosso grupo tentou esclarecer o assunto que nos foi dado de forma sucinta e clara.

×