Plantas Halófitas: Salicórnias - Madalena Figueiredo e Maria Inês Cristo

2.322 visualizações

Publicada em

Trabalho elaborado no âmbito do projeto Ler+ Mar (PNL/RBE).
Escola Secundária José Falcão - Dra. Cristina Valadares

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
87
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plantas Halófitas: Salicórnias - Madalena Figueiredo e Maria Inês Cristo

  1. 1. Plantas Halófitas: Salicórnias Escola Secundária José Falcão Ano letivo 2013/2014 Trabalho realizado por: Madalena Figueiredo, nº 16 Maria Inês Cristo, nº20 11º 3
  2. 2. Sumário: 1. O que são plantas halófitas; 2. Características de plantas halófitas; 3. Propagação e cultivo de halofitas: aproveitamentos deste tipo de plantas 4. Salicórnias 4.1. Alimentação e Medicina 4.2. Estratégias de adaptação á salinidade 4.3. Tipos de cultivo 5. Conclusão
  3. 3. O que são Plantas Halófitas?  Planta que, sendo essencialmente terrestre, está adaptada para viver no mar ou próximo dele, sendo tolerante à salinidade, conseguindo assim sobreviver, crescer e desenvolverem-se, completando o seu ciclo de vida em habitats com elevadas concentrações iónicas. Figura 1: Salicórnia
  4. 4.  As halófitas são únicas na sua capacidade de acumular sais nas suas folhas, em concentrações iguais ou superiores às da água do mar, sem prejuízo para a planta. Algumas espécies destas plantas têm raízes aéreas, através das quais absorvem o oxigénio do ar, para a sua respiração.  A sua tolerância pode atingir até cerca de 15 g de cloreto de sódio por litro, equivalente a metade da concentração da água do mar. Essas plantas absorvem os sais, acumulando-o nas suas folhas para estabelecer um equilíbrio osmótico com o baixo potencial da água presente no solo. Características das plantas Halófitas
  5. 5. Propagação e cultivo de halofitas: aproveitamentos deste tipo de plantas A cultura de plantas halófitas tem grande interesse para o aproveitamento de áreas consideradas marginais na agricultura tradicional devido, entre outras causas, ao aumento da salinização de terras cultivadas. Os usos destas plantas são diversificados, desde a: recuperação de terrenos degradados, produção de biomassa, alimentação do gado ou produtos de alimentação humana, bem como a dessalinização de águas costeiras. O cultivo de holófitas depende, nomeadamente clima, qualidade e quantidade da água dos esteiros para rega.
  6. 6. Salicórnias Um exemplo são as espécies do género Salicórnia, que são conhecidas pelo seu uso para diversos aproveitamentos, como a alimentação. As salicórnias, popularmente chamadas de erva-sal, são plantas herbáceas, da família Chenopodiaceae, distribuídas entre os gêneros Salicornia e Sarcocornia. São consideradas plantas halófitas, por serem adaptadas à sobrevivência em ambientes marítimos ou perto deles. Classificação Ciêntifica Reino Plantae Filo Magnoliophyta Classe Magnoliopsida Ordem Caryophyllales Família Amaranthaceae Género Salicórnia
  7. 7. Trata-se de uma planta comestível de cerca de 3-40 cm de estatura, caules carnudos e que, por nascer neste ambiente salgado, possui características únicas, como um agradável sabor salgado. Esta planta apresenta flor de Maio a Novembro e encontra-se, normalmente, em locais húmidos e salgados do litoral como salinas e margens costeiras. Podemos encontrar esta planta distribuída por todo o litoral português. Figura 2 e 3: Salicórnia em flor
  8. 8. Recentemente, esta espécie foi introduzida como um produto “gourmet” principalmente em mercados europeus, pois uma vez que são muito ricas em sal conseguem substituir este elemento. Têm vindo a ser utilizadas na alimentação, não só em saladas, ou mesmo como “sal verde” em substituição do sal de cozinha. Vários estudos científicos internacionais sugerem diversas propriedades medicinais para algumas das suas espécies, tais como atividade antioxidante, anti-tumoral, diurética e repositora de eletrólitos. Esta planta contêm ainda elevados níveis de ómega 3, que chegam a ser superiores ao de certos vegetais como a alface (Lactuca sativa). Alimentação e Medicina
  9. 9. Esta descoberta ajudou também o ramo da nutrição uma vez que são plantas que apresentam elevado valor nutricional, uma vez que possuem interessantes propriedades devido ao elevado teor de vitaminas, proteínas e ácidos gordos altamente assimiláveis e vitais para o equilíbrio alimentar. Figura 2: Salicórnia
  10. 10. Figura 5 e 6: Exemplos de comida gourmet em que é utilizada salicórnia
  11. 11. Devido a habitarem em locais cuja concentração de sais é muito elevada, estas plantas criaram estratégias de adaptação a estas condições extremas, como:  Desenvolvimento da suculência nas folhas que resulta o aumento da relação volume/área externa;  Na presença de grande concentração de sódio no meio externo, há absorção de alguns iões, como o potássio e sódio;  A inibição do crescimento e produtividade, como resposta ao stresse salino. Estratégias de adaptação á salinidade
  12. 12. Há dois tipos de ciclo de cultivo deste tipo de plantas holófitas: 1. Cultivo comercial: efetuado a grande escala, com o objetivo de grande comercialização; 2. Cultivo convencional: divide-se em dois modelos tradicionais de cultivo de salicórnias, sendo um mais artesanal*1, apenas com irrigação de água do mar, e outro em maior escala*2 que, além da água do mar, utiliza fertilizantes químicos e mecanização. Tipos de cultivo
  13. 13. *2 O modelo produtivo em maior escala, tendo como exemplo em Sonora, no México, o cultivo é feito em grandes quadras rasas, similares á quadras de arroz (Figura 8). Exemplo: Bahía Kino, Sonora (México). *1 São feitos em áreas de salinas, onde as plantas já eram encontradas naturalmente (Figura 7). As plantas são cultivadas à beira da salina, onde são irrigadas com a entrada da água do mar, sem haver nenhum tipo de adubação adicional. Exemplo: Salinas de Aveiro (Portugal) Figura 8: Bahía Kino, Sonora (México). Figura 7: Salinas de Aveiro (Portugal)
  14. 14. Escolhemos falar sobre este tipo de halófitas pois, apesar de ainda não serem muito conhecidas em Portugal, começam já a mostrar o grande potencial que têm uma vez que, para além dos benefícios nutricionais e energéticos que fornecem, é ainda possível serem adaptadas ao cultivo em áreas salinizadas, o que constitui mais um aspeto positivo já que, apesar da biodiversidade existente no planeta, a salicórnia é um dos poucos vegetais que atualmente se mostra viável para cultivo em zonas salinizadas, bem como uma planta que ajuda na dessalinização de águas costeiras. Para além de todos estes aspectos positivos, a Salicórnia constitui um papel de produtor de diversas cadeias alimentares aumentando assim a biodiversidade marítima nessas áreas. Conclusão
  15. 15. Fontes http://pt.wikipedia.org/wiki/Salicornia http://www.saldosol.net/home/index.php?option=com_content&view=arti cle&id=15&Itemid=2 http://www.algebrica.pt/Arquivo/Clientes/salicornia/1/1/indexexp.html http://www.innovar.gob.ar/blog/in-blog/innovar-2007/salicornia- agricultura-con-agua-de-mar http://www.dicionarioinformal.com.br/hal%C3%B3fita/ https://www.google.pt/search?q=plantas+halofitas&es_sm=93&source=ln ms&tbm=isch&sa=X&ei=FTVZU4fnK-nX0QX- k4HoCQ&ved=0CAYQ_AUoATgK&biw=1280&bih=923#q=salicornias&tbm=is ch&imgdii=_ 15

×