 Bianca Klamt
 Bianca Carvalho
 Fernanda Roz
 Mirella Siqueira
 Thaiany Stella
A Galeria do Rock foi construída em 1963,
projetada pelo arquiteto Alfredo Mathias. Na época foi
considerada o maior centr...
O Theatro Municipal de São Paulo nasceu juntamente com a
indústria e o café e que nada queria dever aos grandes centros cu...
Duas grandes obras marcaram as mudanças e
renovações no Theatro: a primeira, em 1954, criou novos
pavimentos para ampliar ...
Inaugurado em 2001 pelo arquiteto Luiz Telles, o Centro
Cultural Banco do Brasil é um dos polos culturais de São Paulo,
co...
A Rua Nova Barão tornou-se, nas décadas de 60 a 90, sinônimo de
modernidade, apresentando-se como o interior de um imenso ...
Aberta nas duas extremidades por painel do murapiranga Bramante Buffoni.
O Edifício Copan, localizado na Avenida Ipiranga, foi projetado pelo
mestre Oscar Niemeyer na década de 50 e é, até hoje, ...
Surgiu neste mês o primeiro indício de que a reforma do Edifício Copan será
iniciada. O prédio foi coberto por uma tela de...
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Edifícios do centro de São Paulo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Edifícios do centro de São Paulo

115 visualizações

Publicada em

Fotos da nossa visita ao centro de São Paulo. Todas as fotos são de autoria dos alunos.

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
115
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Edifícios do centro de São Paulo

  1. 1.  Bianca Klamt  Bianca Carvalho  Fernanda Roz  Mirella Siqueira  Thaiany Stella
  2. 2. A Galeria do Rock foi construída em 1963, projetada pelo arquiteto Alfredo Mathias. Na época foi considerada o maior centro comercial, por isso o nome de shopping center grandes galeria. Foi inspirado no Copan , por isso possui um formato ondulado. Essas curvas estão na fachada e em ambos os lados. Possui também uma iluminação zenital - uma técnica utilizada para fazer com que a luz natural penetre no ambiente. E na cobertura do prédio há um jardim onde é possível admirar a cidade. Em 1990 foi tomada pela musica, e recebeu o apelido de galeria do rock.
  3. 3. O Theatro Municipal de São Paulo nasceu juntamente com a indústria e o café e que nada queria dever aos grandes centros culturais do mundo no início do Século XX. Como em 1898 a cidade perdera para um incêndio o Teatro São José, palco das suas principais manifestações artísticas, tornava-se imperativo construir um espaço à altura das grandes companhias estrangeiras. O arquiteto Ramos de Azevedo e os italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi iniciaram a construção em 1903 e, em 12 de Setembro de 1911, o Theatro Municipal foi aberto ante de uma multidão de 20 mil pessoas. São Paulo se integrava, então, ao roteiro internacional dos grandes espetáculos. A construção do Theatro Municipal foi considerada arrojada para a época: recebeu influência da Ópera de Paris e sua arquitetura exterior tem traços renascentistas barrocos do século XVII. Em seu interior, muitas obras de arte: bustos, bronzes, medalhões, paredes decoradas, cristais, colunas neoclássicas, vitrais, mosaicos e mármores.
  4. 4. Duas grandes obras marcaram as mudanças e renovações no Theatro: a primeira, em 1954, criou novos pavimentos para ampliar os camarins, reduziu os camarotes e instalou o órgão G. Tamburini; a segunda, de 1986 a 1991, restaurou o prédio e implementou estruturas e equipamentos mais modernos. Para celebrar o Centenário, em 12 de Setembro de 2011, o Theatro Municipal de São Paulo sofreu a terceira obra, esta bem mais complexa que as demais, por restaurar todo o edifício e modernizar o palco. Para tal, as fachadas e a ala nobre foram restauradas, 14.262 vidros que compõem os conjuntos de vitrais recuperados, as pinturas decorativas resgatadas com base em fotos antigas e o palco foi equipado com os mais modernos mecanismos cênicos.
  5. 5. Inaugurado em 2001 pelo arquiteto Luiz Telles, o Centro Cultural Banco do Brasil é um dos polos culturais de São Paulo, concentrando diversas atividades artísticas como exposições, cinema, teatro, literatura, dança e música. Localizado na região central da cidade, na esquina da Rua da Quitanda com a Rua Álvares Penteado, o edifício do CCBB foi construído cem anos antes e adquirido pelo Banco do Brasil em 1923. Graças ao restauro do arquiteto Hippolyto Pujol, o espaço ainda preserva características arquitetônicas do início do século – da Belle Époque Paulista, período de influência francesa – como platibandas (faixas horizontais no superior do prédio) e mansardas (janelas sobre o telhado). Também é notável a estrutura de concreto armado (uma inovação na época), a grande área das janelas emolduradas por pilastras monumentais, o vão interno que atravessa todos os andares, iluminado por uma claraboia, além do busto do deus grego Mercúrio, o deus do comércio, embaixo das iniciais "BB" do banco.
  6. 6. A Rua Nova Barão tornou-se, nas décadas de 60 a 90, sinônimo de modernidade, apresentando-se como o interior de um imenso navio que cruza o grande Centro de São Paulo. Foi na época de seu lançamento, considerada o primeiro Shopping a céu aberto - com suas lojas enfileiradas em dois andares de uma galeria que, na verdade, denotava-se como status de rua, e os inúmeros escritórios, consultórios e apartamentos, em andares superiores - impondo-se todos diante de um centro que crescia para o futuro. Grande parte da história dessa rua será contada e mostrada em suas diferentes fases por meio de relatos, fotos e vídeos, com destaque dentre esses, para as fotos, filmagens e recortes de jornais, em diferentes momentos, apresentando-se assim a história da própria cidade e da Rua Nova Barão, desde o seu lançamento em 14 de agosto de 1962 até 31 de dezembro de 1.999. Além das suas decorações natalinas, vanguardistas para a época e portadoras de diversos prêmios por criatividade, concedidos pela Paulistur – que avaliava e premiava as decorações de Natal de ruas, galerias e bairros de São Paulo. Esta premiação, considerada como patrimônio da cidade, infelizmente, foi extinta pelos órgãos competentes. Em muitos projetos de decoração - todos elaborados por mim e montados por funcionários da rua, os quais eu orientava pessoalmente – empregavam-se materiais recicláveis e de baixo custo, o que levou a Rua Nova Barão a ter a imagem de a rua mais criativa de São Paulo. Desenhista em arquitetura pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, Turma de 1946.
  7. 7. Aberta nas duas extremidades por painel do murapiranga Bramante Buffoni.
  8. 8. O Edifício Copan, localizado na Avenida Ipiranga, foi projetado pelo mestre Oscar Niemeyer na década de 50 e é, até hoje, uma referência da arquitetura modernista de São Paulo. Foi encomendado pela Companhia Pan-Americana de Hotéis e Turismo para se tornar um grande complexo hoteleiro para a comemoração dos 400 anos de São Paulo. Mas devido a problemas no financiamento, a obra não foi concluída no tempo planejado e foi entregue ao arquiteto Carlos Lemos quando estava ainda inacabada. Começou a ser projetado no ano de 1951 e só ficou pronto em 1967. Detalhes do Edifício: • Fachada de 45 mil metros quadrados • 120.000 m2 de área construída • 1.160 apartamentos e cerca de cinco mil habitantes • 115 metros de altura e 32 andares • No térreo distribuem-se cerca de 70 lojas • Apartamentos de 26m2 a 350m2 • É um dos maiores conjuntos residenciais e maior prédio em concreto armado da América Latina. Uma característica marcante no Edifício é o “entra-e-sai” de pessoas, em torno de 6.500 ao longo do dia, devido a área comum repleta de comércio e lazer, como pizzarias, lojas, restaurantes e cafés.
  9. 9. Surgiu neste mês o primeiro indício de que a reforma do Edifício Copan será iniciada. O prédio foi coberto por uma tela de proteção azul usada para obras em edificações. O projeto de restauração do edifício prevê, inicialmente, a remoção de pastilhas soltas e blocos de concreto deteriorados da fachada. Ainda segundo o síndico, a ação já foi autorizada pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). Foto da construção do Ed. Copan na década de 50.

×