Técnicas de deteção e correção de
erros em transmissões digitais
REDES DE
COMUNICAÇÃO
Docente: Raquel Saraiva
Realizado po...
Índice
Introdução……………………………………………………………………….….diapositivo 3
Verificação da paridade……………………………………………………….diapositivo 4
Ch...
Quando estamos em ambientes ruidosos, é natural termos dificuldade
em ouvir alguém que está a falar connosco.
Nas transmis...
4
Este é um dos métodos mais utilizados para a deteção de erros. O bit de
paridade indica o número de bits 1 presentes num c...
Exercícios:
Verificação da Paridade (2/2)
Das sequências de bits que se seguem, assinale em qual/quais ocorreram
erro, sab...
7
Trata-se de técnicas utilizadas para detetar erros sobretudo na internet e
designam-se somas de verificação. Se da soma de...
3º Como a soma tem de ser em complemento para um terá de inverter a
sequência decorrente da soma normal (zeros passam a 1'...
10
Está é a técnica mais eficiente que as anteriores. Muitas vezes, é
também denominada por método de detecção polimonimal. O...
FCS(x) é igual ao resto da divisão inteira entre duas funções polimoniais
M(x) e G(x) onde M(x) é a nossa mensagem origina...
M(x)*Xn
11010110000 |11001 G(x)bin
11001 1001010
000111
00000
001111
00000
011110
11001
001110
00000
011100
11001
001010
0...
Webgrafia
http://en.wikipedia.org/wiki/Checksum (consultado a 14-10-2014)
http://redes-108005.webnode.pt/modulo-1/tecnicas...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Redes de Comunicação - Técnicas de deteção e correção de erros em transmissões digitais - 10º ano

524 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
524
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redes de Comunicação - Técnicas de deteção e correção de erros em transmissões digitais - 10º ano

  1. 1. Técnicas de deteção e correção de erros em transmissões digitais REDES DE COMUNICAÇÃO Docente: Raquel Saraiva Realizado por: Alberto Filipe Sá Martins, nº1 e Pavel Chekurkov Alekseevitch, nº10 – 1G > Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Ano letivo 2014/2015
  2. 2. Índice Introdução……………………………………………………………………….….diapositivo 3 Verificação da paridade……………………………………………………….diapositivo 4 CheckSum…………………………………………………………………………...diapositivo 7 Cycle Redudancy Check……………………………………………………..diapositivo 10 Webgrafia………………………………………………………………….........diapositivo 15
  3. 3. Quando estamos em ambientes ruidosos, é natural termos dificuldade em ouvir alguém que está a falar connosco. Nas transmissões de dados, fenómenos como o ruido e as interferências também ocorrem, podendo deturpar a mensagem original. Devido a este problema, são aplicados códigos de deteção e correção de erros às transmissões. Nesta apresentação, vamos descrever três desses códigos, nomeadamente a Verificação da Paridade, CheckSum e CRC. Introdução 3
  4. 4. 4
  5. 5. Este é um dos métodos mais utilizados para a deteção de erros. O bit de paridade indica o número de bits 1 presentes num carácter (Byte). Assim, diz-se que a paridade é par se tiver um número par de 1's e ímpar caso tenha número ímpar de 1's. Este assume o bit 0 quando se trata de paridade par e 1 quando se trata de paridade ímpar. Verificação da Paridade (1/2) Vejamos os exemplos: 1100110 - a mensagem está correta. O último bit é zero indicando que o número de 1's que o precede é par (4 uns). 10101011 - a mensagem está errada. O byte teria assim de ser retransmitido visto o bit de paridade dizer que o número de 1's é ímpar e no entanto é par (4 uns). 5
  6. 6. Exercícios: Verificação da Paridade (2/2) Das sequências de bits que se seguem, assinale em qual/quais ocorreram erro, sabendo que o último bit é um bit de paridade. a) 11100111110101011 R: A mensagem não foi enviada por ocorrência de um erro. b) 10101011110001001 R: A mensagem não foi enviada por ocorrência de um erro. c) 10101000000001000 R: A mensagem foi enviada correctamente sem erro. d) 1110000 R: A mensagem não foi enviada por ocorrência de um erro. 6
  7. 7. 7
  8. 8. Trata-se de técnicas utilizadas para detetar erros sobretudo na internet e designam-se somas de verificação. Se da soma de checksums resultarem apenas 1's, podemos inferir que "não" houve erros na transmissão, caso contrário, existiu erro na transmissão. CheckSum (1/2) Exemplo de procedimento: 1º Temos dois números binários aleatórios (ex: 00111101 e 00001101); 2º Fazer a respetiva soma de binários: 00111101 +00001101 01001010 8
  9. 9. 3º Como a soma tem de ser em complemento para um terá de inverter a sequência decorrente da soma normal (zeros passam a 1's e vice-versa): Checksum invertido: 10110101 Os dados enviados serão então: 00111101 00001101 10110101, ou seja, os dois bytes iniciais mais a sequência de checksum invertido. CheckSum (2/2) 4º Para verificar se ocorreram erros durante a transmissão, no recetor, teremos de voltar a somar os 2 bytes de dados enviados e, por sua vez, somar também ao checksum invertido. 10110101 (checksum invertido) 01001010 (checksum do receptor) + 11111111 Como a soma resultou em 1's, concluímos que não houve erro na transmissão. 9
  10. 10. 10
  11. 11. Está é a técnica mais eficiente que as anteriores. Muitas vezes, é também denominada por método de detecção polimonimal. O método consiste em adicionar um conjunto de bits (FCS- Frame Check Sequence) à mensagem original a transmitir. Os bits FCS são calculados através da seguinte expressão: FCS(x)=resto M(x)*xm / G(x) CRC - Cycle Redudancy Check (1/3) 11
  12. 12. FCS(x) é igual ao resto da divisão inteira entre duas funções polimoniais M(x) e G(x) onde M(x) é a nossa mensagem original sem código.de erros e G(x) o polinómio gerado pré-definido(chave da nossa codificação). Para facilitar a compreensão deste tema resolve se de seguida um exercício. CRC - Cycle Redudancy Check (2/3) M(x)=x6+x5+x3+x+1 M(x)=1101011 G(x)=x1+x3+1 G(x)=11001 M(x)binXnbin=11010110000 1101011 = M(x) 0000=Xn A B A XOR 0 0 0 0 1 1 1 0 1 1 1 0 12
  13. 13. M(x)*Xn 11010110000 |11001 G(x)bin 11001 1001010 000111 00000 001111 00000 011110 11001 001110 00000 011100 11001 001010 00000 01010 M(x)bin+FCS(x)bin=11010111010 1101011 M(x)bin 1010 FCS(x)bin CRC - Cycle Redudancy Check (3/3) Mas como é que o receptor verifica se houve erro na transmissão ou não? Faz a divisão do M(x) e o FCS Se o resto for zero, diz-se que não houve erro e o contrário se o resto for diferente de zero. 13
  14. 14. Webgrafia http://en.wikipedia.org/wiki/Checksum (consultado a 14-10-2014) http://redes-108005.webnode.pt/modulo-1/tecnicas-de-dete%C3%A7%C3%A3o-e- corre%C3%A7%C3%A3o-de-erros-em-transmiss%C3%B5es-digitais/ (consultado a 14-10-2014) http://pt.wikipedia.org/wiki/Paridade_(telecomunica%C3%A7%C3%B5es) (consultado a 14-10-2014) 15

×