A Crónica - Ficha de trabalho

10.674 visualizações

Publicada em

Nesta ficha podem encontrar exercícios sobre a Crónica.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.674
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
488
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Crónica - Ficha de trabalho

  1. 1. Língua Portuguesa e Francesa – Dúvidas e recursos A CrónicaDefinição de CrónicaA crónica é o comentário noticioso de factos, que vive do quotidiano mas não visa ainformação. Pode ser uma espécie de narração de acontecimentos, uma apreciação desituações ou, na definição tradicional, assumir-se como relato histórico.Antigamente, a crónica era um relato histórico ou uma narração de factos históricosredigida segundo a ordem do tempo (a palavra grega cronos significa tempo; e em latimchronica, diz-se da narrativa de factos de acordo com o decorrer dos tempos).A crónica moderna é, muitas vezes, uma apreciação crítica, um comentário ou umanarração de acontecimentos reais ou imaginários, a que se exige oportunidade e caráterpessoal, alterna a subjetividade literária com o relato de factos. 1. Lê a seguinte crónica de Miguel Esteves Cardoso: O Pensamento Vivo - Há qualquer coisa de errado na família. A família não funciona. Sei que, como conservador, deveria defender a família. Mas não consigo. A família é indefensável. É um equívoco. É um efeito de economia. A família está a dar cabo das pessoas. E das famílias. - A morte é um nojo. Morrer é uma autêntica vergonha. Que sentido é que faz? A vida pode não ser bonita, mas a morte é um horror. Qual paz, qual sopa de alho porro. Qual "não tenhas medo, estás nas mãos de Deus"! Diante da morte, o medo é a única reacção sensata que se pode ter. A morte é um atraso de vida. - A vida pode ser difícil mas a morte é demasiado fácil. A vida é diferente mas a morte é igual. A vida é comprida. A morte é um instante. Da nossa vida tudo nos é pedido e esperado. Da morte ninguém exige nada. Mais vale viver mal e errado que morrer bem a arrumado. - Em bom português, a expressão "Estás com boa cara" significa exactamente: "Ultimamente tens andado com má cara". A partir de uma certa idade, a cara é muito importante. De nada interessa uma pessoa sentir-
  2. 2. Língua Portuguesa e Francesa – Dúvidas e recursosse bem, ou estar bem, ou mesmo ser bem. Em Portugal, todos os check-upsdo mundo não valem o olhinho arguto de um transeunte que diz " Está commá cara".- Não há nada, mas nada, mais entediante do que ouvir alguém contar umsonho. Dá sono. Para adormecer, não há melhor. Quanto mais esquisito osonho, mais chato.- Os melhores sonhos de todos são aqueles que nos põem a pensar e amexer. Os únicos sonhos de que vale a pena falar são os que não nosdeixam dormir.- Voltar a Portugal é como voltar a fumar: é maravilhoso e, ao mesmotempo, horrível.- Os homens são brutos e insensíveis. Matam mais criancinhas, portam-sepior à mesa, cospem e coçam-se mais. Os homens - e sobretudo os homensque gostam de mulheres - são menos inteligentes, menos delicados e menoscivilizados que as mulheres. A única coisa que têm a favor deles, à partecertas características discutíveis, como serem menos histéricos, é asmulheres gostarem deles. Por que é que as mulheres gostam dos homens?Como lésbica que sou nunca entendi.- Confesso. Não acredito em Deus. Recuso-me a ser ateu. Quero acreditarem Deus. Faz-me falta. Faz-me mal não acreditar Nele.- Ser filho é difícil. Mais difícil que ser pai. É raro ouvir-se falar de um"bom filho". Por alguma razão. Os filhos são sempre maus. Mamam efogem. Sugam os pais até o tutano, dando-lhes cabo da paciência, da saúdee do orçamento e quando estão anafados e nutridos, licenciados efresquinhos, chamam-lhes senis e dão o solex à primeira oportunidade.- O que mais notabiliza o assassino português é já estar morto. Ou pelomenos preso. Os nossos homicidas matam-se e entregam-se mal estejamdespachados. Os assassinos estrangeiros fazem questão de continuaremvivos. Combinam, premeditadamente, os seus crimes, planejam fugas,arranjam álibis, dão luta aos investigadores. Os nossos, está quieto. Osassassinos estrangeiros voltam ao local do crime: os portugueses nemsequer se dão ao trabalho de abandoná-lo.
  3. 3. Língua Portuguesa e Francesa – Dúvidas e recursos- Nós, portugueses, somos demasiado teatrais no dia-a-dia para sermosbons actores no teatro.- Um menino é um fascista com lapsos de anjinho. É um tirano-juniormaníaco depressivo de lágrima-puxa-risota e risota-puxa-birra, com ocoração mais branquinho, a transbordar de fuligem e de maldade. É umpsicopata com as asas presas nos suspensórios.- Se há uma coisa que os portugueses não têm à mesa é finesse. A fineza éuma coisa que fazem. Não é coisa que tenham.- Quando eu era garoto pensava que "decadência" significava "caírem osdentes". Depois aprendi que não era. Hoje descobri afinal que era verdade.2. Responde agora às seguintes perguntas, sobre a crónica:a) Ao longo de toda a crónica nota-se um tom largamente crítico. Indicaque críticas são feitas.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________b) Explica por palavras tuas esta frase "quando estão anafados e nutridos,licenciados e fresquinhos".____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
  4. 4. Língua Portuguesa e Francesa – Dúvidas e recursos3. Atenta na seguinte frase: "O homem que mordeu o cão"3.1. A partir deste título de uma notícia escreve a tua crónica.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

×