Arte no período colonial - História da Arte Brasileira

2.104 visualizações

Publicada em

História da arte brasileira, Brasil colônia, igrejas coloniais, arquitetura colonial.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.104
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte no período colonial - História da Arte Brasileira

  1. 1. Arte no Período Colonial • A arte do período colonial brasileiro vai do início do século 16 ao início do século 19. • Está representada pelas construções arquitetônicas e pela decoração de seus interiores. • Durante o descobrimento, os portugueses começaram a ocupar a nova terra, construindo as primeiras vilas e as primeiras igrejas.
  2. 2. • Igreja de Cosme e Damião – Igarassu - PE
  3. 3. • As preocupações das autoridades portuguesas eram: • Manter a fé cristã entre os colonizadores • Promover a catequese dos índios • Ocupar seu território para defendê-lo
  4. 4. • Em Olinda e Igarassu (PE), em Paraty (RJ), nas cidades históricas de Minas Gerais e em Goiás, as igrejas, casas e os grandes solares mostram até hoje os traços característicos da arquitetura colonial. As vilas – geralmente construídas sobre morros – tiveram as casas coladas umas às outras, formando ladeiras e caracterizando um traçado urbano informal, ou seja, não planejado.
  5. 5. • Igreja de Nossa Senhora da Graça de Olinda, uma das mais antigas do Brasil (finais do século XVI).
  6. 6. • Aspecto de uma rua em Paraty com casas de perfil colonial. Algumas tem um só pavimento e outras são sobrados de dois pavimentos.
  7. 7. Igarassu - Capela de São Sebastião
  8. 8. Igarassu - Capela de Nossa Senhora do Livramento
  9. 9. • No litoral ou em margens de rios, lugares planos, tantas outras vilas foram planejadas com ruas retas e boa disposição dos edifícios, a exemplo da capital da colônia, Salvador (BA).
  10. 10. • O edifício da Casa de Câmera e Cadeia destacava-se das construções civis pela grande dimensão e pela posição de destaque no traçado urbano. Sempre assobradado, pois no piso térreo abrigava a prisão, tinha janelas com grades. Na parte superior Ficava a Casa da Câmara, destinada às autoridades. Uma escada na frente ou na lateral, dava acesso às grandes salas, arejadas por muitas janelas. Se a escada fosse interna, servia também para separar a prisão masculina da feminina.
  11. 11. • Casa da Câmara e Cadeia, 1782. Mariana – MG
  12. 12. • Muitas construções ainda estão bem conservadas, como as de Ouro Preto e Mariana (MG), Laguna (SC), Goiás (GO), Cachoeira e Rio de Contas (BA), Lapa (PR), Santos e São Sebastião (SP).
  13. 13. Sobrados em Recife
  14. 14. Ouro Preto - MG
  15. 15. Paraty - RJ
  16. 16. Pelourinho – Salvador - BA
  17. 17. Casa dos contos – Ouro Preto - MG
  18. 18. • As construções de casas no litoral usavam pedra e cal, em São Paulo eram de barro batido, e em Minas as construções combinavam barro e estrutura de madeira sobre um alicerce de pedra.
  19. 19. Cidades Fortificadas • Fortalezas foram construídas para defender a terra contra invasores. • Forte de Santa Maria da Barra (1638 ao séc. 18) – Salvador - BA
  20. 20. • Forte da Barra Grande – (1584 a 1776) Guarujá - SP
  21. 21. Real Forte do Príncipe da Beira, Séc. 18. Costa Marques, RO.
  22. 22. Arquitetura Religiosa • Nas igrejas, a arte colonial atinge seu ponto alto, com muitos elementos importantes para compreender a arte daquele período. • Várias ordens religiosas vieram para o Brasil no período colonial e construíram igrejas e conventos em pedra semelhantes aos que existiam em Portugal. • Os padres que eram pintores e escultores faziam pinturas nos altares ou nos santos em madeira, recobertas com folhas bem finas de ouro.
  23. 23. • As obras do século 16 e 17, por exemplo, seguem o estilo maneirista e foram feitas principalmente pelos jesuítas. • Vários desses altares se encontram na cidade do Rio de Janeiro. • A partir de meados do século 17, o estilo desenvolvido passou a ser o Barroco.
  24. 24. • Arcadas do Claustro do convento jesuítico, Séc. 18. Atual museu de arqueologia e etnologia – Paranaguá, PR.
  25. 25. • Retábulo maneirista da antiga igreja dos jesuítas no Rio de Janeiro, séc. 17, Santa Casa de Misericórdia. Rio de Janeiro - RJ
  26. 26. Referências bibliográficas: Explicando a Arte Brasileira. Garcez, Lucília e Oliveira, Jô. Arte Brasileira: Arte Imperial do Neoclássico ao Ecletismo. Tirapeli, Percival

×