Escola EB/S Vieira de Araújo       Área de Projecto          2010/2011  Docente: Miguel Costa  Grupo AREA23:  João Machado...
   A entrevista como técnica de    investigação;   Escolha das entrevistas;   Aspectos a reter das entrevistas.
   Método que permite a recolha de    informação sobre variados temas;   A entrevista pode ser feita:    › Por escrito; ...
   Entrevista feita à Professora Maria Emília    Costa (Universidade do Porto), por    Ricardo Jorge Costa. Tema: Educa...
“Maria    Emília Costa é professora e investigadora daFaculdade de Psicologia e Ciências da Educação daUniversidade do Por...
Corpo daentrevista
Nome do entrevistador
Não será necessário alargar o debate? [sobre educação sexualnas escolas] Esta questão está mais do que debatida (…). (…) a...
Qual é, na sua opinião, a forma mais adequada para a abordar?(…) continua a confinar-se a educação para a sexualidade aque...
Concorda com a criação de uma disciplina com avaliação própria ou coma manutenção de uma formação transversal?A criação de...
O facto de a formação nas escolas estar entregue a mais do que umaentidade não trará incongruências a um processo que se e...
Acusa-se muitas vezes os professores de não estarem preparados para lidarcom a educação para a sexualidade pelo facto de s...
   Estrutura da entrevista:    › Apresentação do entrevistado;    › Corpo da entrevista;    › Nome do entrevistador.   E...
   Entrevista realizada     no    programa    Geração High Tech.   O entrevistador é Bruno Pereira.   A entrevistada é ...
   A entrevista é semi-estruturada:    › O      entrevistador  sugere determinados      tópicos;    › A entrevistada tem ...
   O entrevistador não se limita a fazer    perguntas ou sugerir tópicos: há um    diálogo;   Ambos se apresentam à-vont...
   As animações nas televisões de fundo    tornam a entrevista mais apelativa;   A inexistência de uma mesa a separar   ...
   Existem determinadas técnicas que    condicionam o sucesso de uma    entrevista;   Cativar    o   leitor/espectador  ...
   MONTEIRO, Manuela Matos. (2007). Área de Projecto 12.º -    Guia do Aluno. 1.ª edição, Porto: Porto Editora.   COSTA,...
Apresentação final
Apresentação final
Apresentação final
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação final

411 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
411
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação final

  1. 1. Escola EB/S Vieira de Araújo Área de Projecto 2010/2011 Docente: Miguel Costa Grupo AREA23: João Machado; Manuela Cruz; Natália Vieira; Sara Pereira; Tomé Rocha. 2011-01-07
  2. 2.  A entrevista como técnica de investigação; Escolha das entrevistas; Aspectos a reter das entrevistas.
  3. 3.  Método que permite a recolha de informação sobre variados temas; A entrevista pode ser feita: › Por escrito; › Face a face.
  4. 4.  Entrevista feita à Professora Maria Emília Costa (Universidade do Porto), por Ricardo Jorge Costa. Tema: Educação sexual nas escolas portuguesas.
  5. 5. “Maria Emília Costa é professora e investigadora daFaculdade de Psicologia e Ciências da Educação daUniversidade do Porto e o tema da educação para asexualidade tem ocupado uma parte significativa doseu trabalho. Nesta curta entrevista, defende que a políticapara o sector não se resolve através de medidasavulsas e que a criação de uma disciplina não mudará oessencial. Na sua opinião, "mais do que darrespostas é necessário questioná-las". “ Pequena biografia do entrevistado
  6. 6. Corpo daentrevista
  7. 7. Nome do entrevistador
  8. 8. Não será necessário alargar o debate? [sobre educação sexualnas escolas] Esta questão está mais do que debatida (…). (…) anunciar a criação de uma disciplina tem mais impacto na opinião pública (…). (…) o problema está aparentemente resolvido e não se pensa nas questões de fundo.
  9. 9. Qual é, na sua opinião, a forma mais adequada para a abordar?(…) continua a confinar-se a educação para a sexualidade aquestões meramente informativas, nomeadamente sobre o corpo, asdoenças sexualmente transmissíveis e a contracepção, que, apesar deserem importantes, não são suficientes.É preciso pensar que quando chegam à adolescência os jovensdevem ser eticamente responsáveis por si próprios e pelos outros.
  10. 10. Concorda com a criação de uma disciplina com avaliação própria ou coma manutenção de uma formação transversal?A criação de uma disciplina direccionada para as questões da saúde eda sexualidade (…) resultaria no mesmo que se passa em relação aostestes escritos: iam decorar uma série de conhecimentos, mas duvido queos integrassem na aprendizagem.
  11. 11. O facto de a formação nas escolas estar entregue a mais do que umaentidade não trará incongruências a um processo que se esperacoerente?(…) eu gostaria de pensar que a formação dada aos jovens e aosprofessores deveria ser baseada em valores que não fossem impostos epermitissem aos adolescentes reflectir sobre eles.É importante falar do aborto e da contracepção, mas semnecessariamente tomar-se posição sobre eles.
  12. 12. Acusa-se muitas vezes os professores de não estarem preparados para lidarcom a educação para a sexualidade pelo facto de se sentiremconstrangidos ou de esta poder interferir com os seus valores pessoais. Qualé a sua opinião?Os professores estão preparados para dar educação para a sexualidadese perceberem do que ela trata. A maioria das pessoas continuaconvencida que (…) se resume a questões da genitalidade, mas ela nãopode limitar-se a esse aspecto.Quando um aluno diz um disparate na sala de aula - como chamarmaricas a um colega - ou se levanta uma qualquer questão relacionadacom este tema, o professor podia e devia aproveitar essa oportunidade(…).Isso também é uma forma de educar para a sexualidade.
  13. 13.  Estrutura da entrevista: › Apresentação do entrevistado; › Corpo da entrevista; › Nome do entrevistador. Entrevista estruturada: › Há um guião; › O entrevistado mantém-se fiel às perguntas colocadas.
  14. 14.  Entrevista realizada no programa Geração High Tech. O entrevistador é Bruno Pereira. A entrevistada é Marta Crawford, psicóloga e sexóloga.
  15. 15.  A entrevista é semi-estruturada: › O entrevistador sugere determinados tópicos; › A entrevistada tem alguma liberdade de divagação; › No entanto, é sempre o entrevistador que guia a entrevista; › A ausência do guião pode dever-se à utilização de auriculares.
  16. 16.  O entrevistador não se limita a fazer perguntas ou sugerir tópicos: há um diálogo; Ambos se apresentam à-vontade: não se notam tiques nervosos e a gesticulação é natural; Existem três planos, o que sugere a existência de três câmaras.
  17. 17.  As animações nas televisões de fundo tornam a entrevista mais apelativa; A inexistência de uma mesa a separar entrevistador de entrevistado torna o ambiente mais familiar.
  18. 18.  Existem determinadas técnicas que condicionam o sucesso de uma entrevista; Cativar o leitor/espectador é importante, daí a necessidade do cuidado com a estética; Uma entrevista é uma valiosa fonte de informação, se for bem feita.
  19. 19.  MONTEIRO, Manuela Matos. (2007). Área de Projecto 12.º - Guia do Aluno. 1.ª edição, Porto: Porto Editora. COSTA, Maria Emília, COSTA, Ricardo Jorge. “Educação Sexual nas escolas – um remendo numa manta rota”. www.apagina.pt, 2004-05-13 [Consult. 2011-01-06]. Episódio 57 do programa televisivo Geração High Tech. (2009-01-16)

×