Brave newworld

376 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
376
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brave newworld

  1. 1. Trabalho final de disciplina Reflexões sobre o filme Admirável Mundo Novo, dirigido por L. Libman e L. Williams com base na obra O conceito de tecnologia, de Álvaro Vieira Pinto
  2. 2. “O, wonder! How many goodly creatures are there here! How beauteous mankind is! O brave new world, That has such people in it!” William Shakespeare, The Tempest William Shakespeare, The Tempest
  3. 3. O filme Admirável Mundo Novo (em inglês: Brave New World) Direção: Leslie Libman e Larry Williams, 1998 Roteiro adaptado de livro de Aldous Huxley, de1932 Trailer em: <www.youtube.com/watch?v=5v3dgtRZhGo> PINTO, Álvaro Vieira. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005. 531 p. O livro
  4. 4. Objetivo do trabalho Refletir sobre a tecnologia como ideologia e instrumento de dominação
  5. 5. Resenha do filme  Filme de ficção científica com roteiro baseado em baseado em obra de Aldous Huxley (1894-1963), "Admirável Mundo Novo", 'fábula' futurista escrita em 1931.  O enredo desenvolve-se em sociedade organizada em sistema de castas, construída cientificamente.  O Governo, decorrente de um regime social totalitário, patrocina o bem- estar e o convívio harmônico das classes sociais por meio do uso da tecnologia.  A engenharia genética gera pessoas com determinadas características físicas e psíquicas adequadas às cinco classes sociais existentes, com funções sociais e modo de vida bem definidos: Alfa, Beta, Gama, Delta e Ípsilon.
  6. 6.  Desse modo, todos os seres humanos são desenvolvidos em série e têm seus destinos traçados... Assim como o nascimento, a morte é feita em máquinas. As pessoas não envelhecem, vivem um ciclo apenas.  As crianças são criadas e condicionadas pela burocracia estatal; não existem famílias naturais.  Sessões de hipnose e consumo da substância psicoativa chamada soma, de uso obrigatório, induzem a felicidade de todas as pessoas.  Todos os significados sociais são pré-determinados. Não há livre-arbítrio.  Paralelamente à esse mundo, existe uma reserva “natural” com alguns seres humanos, acidentalmente esquecidos pelo sistema, que mantiveram o modo parecido ao nosso, com seus conflitos, suas frustações, sua falta de disciplina, seus sentimentos e valores próprios.  Os selvagens convivem com misérias humanas, segundo a ideologia do maravilhoso mundo novo. São feios, sujos, têm pelos, rugas... gritam, cantam, tocam tambores... parem seus filhos, envelhecem... Enfim, nojentos...
  7. 7. A obra “O conceito de tecnologia” trata do evento da hominização, afirmando que o ser humano, diferente dos outros animais, surgiu por duas capacidades inerentes a esse organismo biológico: de projetar, possível por causa de seu sistema nervoso superior; de ter-se tornado um ser social, condição necessária para produzir o que projetou, usando as técnicas. Imagem do Filme “2001, uma odisséia no espaço”, de S. Kubrick, representando um salto evolutivo, em que pela primeira vez o animal usa o osso como instrumento para matar uma anta e obter alimento.
  8. 8. A evolução das técnicas é constante, e cada vem ficamos ainda mais maravilhados com esses sofisticados artefatos tecnológicos que criamos e descartamos, para criar em seguida criar outros mais avançados. Essa valorização da tecnologia é igualmente contemplada no livro de Huxley, em 1932, o qual tem um de seus pontos fortes na discussão do avanço da tecnologia (entendida como conjunto de técnicas), especialmente o peso da engenharia genética no futuro na conformação da sociedade. O filósofo assume a técnica como libertadora, pois permite nos libertarmos de limitações da natureza dada e construirmos nosso ambiente e nossas condições de vida. Jobs apresentando o Iphone 4, 2011.
  9. 9. Vieira Pinto rejeita o discurso da tecnologia como perigo para a humanidade, considerando-a uma construção humana, que ao mesmo tempo constituiu nossa espécie. O que deve ser visto como perigoso é o domínio do centro da tecnologia e sua apropriação por uma elite, deixando a condição de “paciente receptor” das inovações técnicas reservada ao mundo da periferia. Nessa perspectiva, enfatiza o engano de valorizarmos somente os artefatos produzidos por meio da técnica, já que a verdadeira finalidade da produção humana consiste na produção das relações sociais. O autor ressalta que a tecnologia não é a responsável pela sociedade cruel, em que seres humanos vão adquirindo essência de máquina para serem integrados ao mecanismo social.
  10. 10. O filme mostra o avanço das técnicas produzidas por uma sociedade científica pragmática, conduzida por uma elite que usa a tecnologia como ideologia e instrumento de dominação, anestesiando as pessoas das castas inferiores, ocultando-lhes a realidade social e política, sendo essa manipulação da técnica o perigo enfatizado por Vieira Pinto. É portanto míope e reacionária, diz, qualquer atitude que lança suspeitas éticas ou vaticínios aziagos sobre a tecnologia e profere imprecações ingênuas contra a “era tecnológica” por estar ela a destruir os chamados valores humanos. A consciência crítica ensinaria aos “pensadores” perdidos nessas sombrias banalidades que as mesmas coisas ditas hoje poderiam ter sido enunciadas por seus colegas das idades pré-históricas, e até talvez com maior ração aparente, quando viam as artes mecânicas recém-surgidas servirem de condição para a escravização e a morte de tantos seres humanos.
  11. 11. O homem“desumanizado”, “coisificado”, perde sua capacidade de produção, de ser “produtor”, sendo reduzido a mero consumidor. Nessas condições de apropriação, baseado no monopólio do trabalho, há uma apropriação do trabalho alheio. São seres humanos sem vontade própria, sem livre-arbítrio, cada vez mais distanciados da natureza humana primeira, concebidos para serem os fios do tecido social, predestinados a alimentar uma estrutura social que vemos no filme. Segundo podemos depreender da obra de Pinto (2005), a casta superior, dos Alfa+, estaria ela somente conservando a natureza humana, pois dela partem os projetos da sociedade, o comando, o poder.
  12. 12. REFERÊNCIAS Admirável Mundo Novo (em inglês: Brave New World). Direção: Leslie Libman e Larry Williams. EUA, 1998. HUXLEY, A. Admirável Mundo Novo. Rio de Janeiro: Globo. PINTO, A. V. O Conceito de Tecnologia. V. 1. Contraponto, 2005. RADIOHEAD. Creep. Thom Yorke [Compositor]. In: Pablo Honey. [S.I.]: Álbum de estúdio, Inglaterra, 1993. 1 CD (ca. 42min). Faixa 2 (3min56s). Crédito das fotos •GettyImages (slides 1, 2, 4 e 8) •Derek Riggs e Stevew Stone – designers da capa do álbum Brave New World, da banda Iron Maiden, lançado em 2000. (slide 13). Disponível em: <www.downloadswallpapers.com/download- iron-maiden--brave-new-world-02-21488.htm> . Acesso em 1 ago. 2013. •Cena do filme 2001, Uma Odisseia no Espaço, do diretor Stanley Kubrick, 1968. •Cenas do filme Brave New World. Direção: L. Libman e L. Williams . USA, 1998, USA Networks Studios. 100 min.
  13. 13. E espero que este trabalho colabore para a luta pela democratização da tecnologia, de seus artefatos e da decisão sobre seu desenvolvimento. Obrigada pela atenção!

×