ABORDAGEM PRÁTICA
DOS SINAIS VITAIS
UNIDADE DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE
HOSPITAL BARÃO DE LUCENA
03/05/2015
22:28
O que são sinais vitais ?
Os sinais vitais são um meio rápido e
eficiente para se monitorar as condições de
um paciente ou...
Finalidades:
• Monitorizar o estado geral do ser humano;
• Identificar anormalidades do funcionamento
corporal;
• Propor f...
PRINCÍPIOS BÁSICOS:
• Estabelecer diálogo com o cliente explicando o
procedimento que irá realizar, lembrando que o
estado...
Quando verificar?
• Na admissão do paciente
• Dentro da rotina de atendimento
• Pré consulta ou consulta hospitalar ou
amb...
Quando verificar?
• Antes e depois de qualquer procedimento
invasivo de diagnóstico
• Antes e depois da administração de
m...
Temperatura
Axilar - 35,5 a 37,0 0C
Bucal - 36,0 a 37,4 0C
Retal - 36,0 a 37,5 0C
• Oscila de acordo com a atividade e rep...
PULSO – TERMOS ASSOCIADOS
• Normocárdico
• Pulso rítmico
• Arritmia
• Pulso dicrótico
• Taquisfigmia ou Taquicardia
• Brad...
PULSO
• FREQÜÊNCIA
A contagem deve ser sempre
feita por um período de 1
minuto, sendo que a
freqüência varia com a idade e...
PULSO
• Está aumentado em situações fisiológicas como
exercício, emoção, gravidez, ou em situações
patológicas como estado...
RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS
• Dispnéia: é a respiração difícil, trabalhosa ou curta. É
sintoma comum de várias doenças ...
RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS
• Bradipnéia : respiração lenta, abaixo da normalidade.
• Apnéia: ausência da respiração
• ...
RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS
• Respiração de Cheyne-Stokes: respiração em ciclos,
que aumenta e diminui a profundidade, ...
RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS
• Bradipnéia : respiração lenta, abaixo da normalidade.
• Apnéia: ausência da respiração
• ...
Valores esperados:
• Prematuros: 50 IRPM
• Lactente: 30-40 IRPM
• Rn: 40 A 45 IRPM
• Um ano: 25-30 IRPM
• Pre escolar: 20-...
PRESSÃO ARTERIAL
• É a medida da força aplicada contra as paredes das
artérias, quando o coração bombeia sangue através
do...
TERMOS ASSOCIADOS
• Hipertensão: PA acima da média.
• Hipotensão: PA inferior à média.
• PA Convergente: quando a sistólic...
VARIAÇÕES FISIOLÓGICAS
• Idade - em crianças é nitidamente mais baixos
do que em adultos
• Sexo - na mulher é pouco mais b...
VARIAÇÕES FISIOLÓGICAS
• Sono - durante o sono ocorre uma diminuição
de cerca de 10% tanto na sistólica como na
diastólica...
Dor
Definição
• Segundo a Associação Internacional para o
Estudo da Dor (IASP) como:
“uma experiência sensorial e emocional
de...
Definição
• a dor é um mecanismo essencial de
sobrevivência: sinaliza que “algo
tem que ser feito” para o trauma ou
a doen...
Escalas
03/05/2015
22:36
Escala Comportamental de Dor- para pacientes em
VMA
ITENS DESCRIÇÕES ESCORE
Expressão Facial Relaxado 1
Algo desconfortáve...
Caso Clínico1
• RMT, 35 anos, chega a emergência com história
de dor abdominal difusa há +- 12 horas, que não
responde a a...
OBRIGADA!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Abordagem prática dos 5 sinais vitais

2.266 visualizações

Publicada em

AULA QUE CONCEITUA E ABORDA OS 5 SINAIS VITAIS

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.266
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
186
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abordagem prática dos 5 sinais vitais

  1. 1. ABORDAGEM PRÁTICA DOS SINAIS VITAIS UNIDADE DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE HOSPITAL BARÃO DE LUCENA 03/05/2015 22:28
  2. 2. O que são sinais vitais ? Os sinais vitais são um meio rápido e eficiente para se monitorar as condições de um paciente ou identificar a presença de Problemas tais como: Temperatura (T)- infecção Pulso ou batimentos cardíacos (P)- arritmias Respiração (R ou rpm)- DPOC Pressão ou Tensão Arterial (PA)- AVC/IAM 03/05/2015 22:33
  3. 3. Finalidades: • Monitorizar o estado geral do ser humano; • Identificar anormalidades do funcionamento corporal; • Propor formas de tratamento; • Acompanhar a avaliação do cliente submetido a exames ou tratamentos; • Auxiliar na confirmação da morte corporal. 03/05/2015 22:34
  4. 4. PRINCÍPIOS BÁSICOS: • Estabelecer diálogo com o cliente explicando o procedimento que irá realizar, lembrando que o estado emocional interfere fortemente nos valores dos Sinais Vitais; • Primar pela privacidade e dignidade do cliente; • Respeitar os horários prescritos em que os sinais vitais devem ser verificados; • Utilizar equipamentos devidamente certificados e calibrados; • Assegurar que os materiais e suas mãos estejam limpos; 03/05/2015 22:34
  5. 5. Quando verificar? • Na admissão do paciente • Dentro da rotina de atendimento • Pré consulta ou consulta hospitalar ou ambulatorial. • Antes e depois de qualquer procedimento cirúrgico. 03/05/2015 22:40
  6. 6. Quando verificar? • Antes e depois de qualquer procedimento invasivo de diagnóstico • Antes e depois da administração de medicamentos que afetam as funções cardiovasculares, respiratória e de controle da temperatura. • Sempre que o paciente manifestar quaisquer sintomas inespecífico de desconforto físico 03/05/2015 22:34
  7. 7. Temperatura Axilar - 35,5 a 37,0 0C Bucal - 36,0 a 37,4 0C Retal - 36,0 a 37,5 0C • Oscila de acordo com a atividade e repouso • Leituras mais baixas ocorrem entre 4 e 5h da manhã. • Leituras mais altas se situam entre 4 e 6 horas da noite. • Mulheres tem temp. + alta que homens • Mais alta em RN e mais baixa em idosos. 03/05/2015 22:34
  8. 8. PULSO – TERMOS ASSOCIADOS • Normocárdico • Pulso rítmico • Arritmia • Pulso dicrótico • Taquisfigmia ou Taquicardia • Bradisfigmia ou Bradicardia • Pulso filiforme, fraco, débil 03/05/2015 22:34
  9. 9. PULSO • FREQÜÊNCIA A contagem deve ser sempre feita por um período de 1 minuto, sendo que a freqüência varia com a idade e diversas condições físicas. 03/05/2015 22:34
  10. 10. PULSO • Está aumentado em situações fisiológicas como exercício, emoção, gravidez, ou em situações patológicas como estados febris, hipertiroidismo, hipovolemia entre muitos outros. • A bradisfigmia pode ser normal em atletas. 03/05/2015 22:34
  11. 11. RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS • Dispnéia: é a respiração difícil, trabalhosa ou curta. É sintoma comum de várias doenças pulmonares e cardíacas; pode ser súbita ou lenta e gradativa. • Ortopnéia: é a incapacidade de respirar facilmente, exceto na posição ereta. • Taquipnéia : respiração rápida, acima dos valores da normalidade, freqüentemente pouco profunda. 03/05/2015 22:34
  12. 12. RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS • Bradipnéia : respiração lenta, abaixo da normalidade. • Apnéia: ausência da respiração • Respiração ruidosa, estertorosa: respiração com ruídos, geralmente devido ao acúmulo de secreção brônquica. • Respiração sibilante: com sons que se assemelham a assovios. 03/05/2015 22:34
  13. 13. RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS • Respiração de Cheyne-Stokes: respiração em ciclos, que aumenta e diminui a profundidade, com período de apnéia. Quase sempre ocorre com a aproximação da morte. • Respiração de Kussmaul: inspirações profundas, seguidas de apnéia e expiração suspirante. Característica de acidose metabólica (diabética) e coma. 03/05/2015 22:35
  14. 14. RESPIRAÇÃO – TERMOS ASSOCIADOS • Bradipnéia : respiração lenta, abaixo da normalidade. • Apnéia: ausência da respiração • Respiração ruidosa, estertorosa: respiração com ruídos, geralmente devido ao acúmulo de secreção brônquica. • Respiração sibilante: com sons que se assemelham a assovios. 03/05/2015 22:35
  15. 15. Valores esperados: • Prematuros: 50 IRPM • Lactente: 30-40 IRPM • Rn: 40 A 45 IRPM • Um ano: 25-30 IRPM • Pre escolar: 20-25 IRPM • 10 anos: + 20 IRPM • Adulto: 16 a 20 IRPM 03/05/2015 22:35
  16. 16. PRESSÃO ARTERIAL • É a medida da força aplicada contra as paredes das artérias, quando o coração bombeia sangue através do corpo. A pressão é determinada pela força e quantidade de sangue bombeado e pelo tamanho e flexibilidade das artérias. 03/05/2015 22:35
  17. 17. TERMOS ASSOCIADOS • Hipertensão: PA acima da média. • Hipotensão: PA inferior à média. • PA Convergente: quando a sistólica e a diastólica se aproximam. (Ex: 110/100 mmHg). • PA Divergente: quando a sistólica e a diastólica se afastam. (Ex: 160/60 mmHg). 03/05/2015 22:35
  18. 18. VARIAÇÕES FISIOLÓGICAS • Idade - em crianças é nitidamente mais baixos do que em adultos • Sexo - na mulher é pouco mais baixa do que no homem, porém na prática adotam-se os mesmos valores • Raça - as diferenças em grupos étnicos muito distintos talvez se deva à condições culturais e de alimentação. 03/05/2015 22:35
  19. 19. VARIAÇÕES FISIOLÓGICAS • Sono - durante o sono ocorre uma diminuição de cerca de 10% tanto na sistólica como na diastólica • Emoções - há uma elevação principalmente da sistólica • Exercício físico - provoca intensa elevação da PA, devido ao aumento do débito cardíaco • Alimentação - após as refeições, há discreta elevação, porém sem significado prático. 03/05/2015 22:35
  20. 20. Dor
  21. 21. Definição • Segundo a Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) como: “uma experiência sensorial e emocional desagradável que é associada a lesões reais ou potenciais ou descrita em termos de tais lesões. A dor é sempre subjetiva e cada indivíduo aprende a utilizar este termo por meio de suas experiências”.
  22. 22. Definição • a dor é um mecanismo essencial de sobrevivência: sinaliza que “algo tem que ser feito” para o trauma ou a doença presente no organismo
  23. 23. Escalas
  24. 24. 03/05/2015 22:36
  25. 25. Escala Comportamental de Dor- para pacientes em VMA ITENS DESCRIÇÕES ESCORE Expressão Facial Relaxado 1 Algo desconfortável 2 Muito desconfortável 3 Fazendo careta 4 Membros superiores Sem movimentos 1 Parcialmente fletidos 2 Totalmente fletidos e com dedos flexionados 3 Permanentemente retraídos 4 Interação com o ventilador mecânico Tolerando os movimentos 1 Apresentando tosse 2 Brigando com o ventilador 3 Incapaz de controlar a VMA
  26. 26. Caso Clínico1 • RMT, 35 anos, chega a emergência com história de dor abdominal difusa há +- 12 horas, que não responde a analgesia. Ao ser questionada sobre o nível de dor que sentia, ela referiu entre 7 e 9. ▫ Que escala de dor foi utilizada para esta avaliação? ▫ Existe outra ferramenta de escolha para o caso?
  27. 27. OBRIGADA!

×