INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

708 visualizações

Publicada em

Independência do Brasil, Dom Pedro I, Grito do Ipiranga, 7 de setembro espero que gostem.

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
708
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
69
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

  1. 1. INDEPENDÊNCIA DO BRASIL A Independência do Brasil, comemorada em 7 de setembro, foi um dos acontecimentos que mudou os rumos de nossa nação. Vários eventos desencadearam a necessidade de ficar independente de Portugal, portanto é importante entender a história desde o começo:
  2. 2. Com a chegada da Família Real ao Brasil, começa a se delinear uma nova condição econômica, pois, em 1808 com a abertura dos portos, o Brasil deixava de ser colônia, atendendo assim aos interesses da elite agrária brasileira. Apesar de ainda ser um momento inicial da história, esse episódio, que marca a política de D. João VI no Brasil, é considerada a primeira medida formal em direção à independência. A Família Real chega ao Brasil
  3. 3. Revolução Constitucionalista e Revolução Liberal do Porto É claro que os aristocratas portugueses não gostaram nada dessa situação, pois perdiam cada vez mais espaço no cenário político, assim, passam a alimentar um movimento de mudanças que culminou em uma revolução constitucionalista em Portugal. A Revolução Liberal do Porto foi outro movimento marcante da época que tinha como objetivo reestruturar a soberania política portuguesa por meio de uma reforma liberal que limitaria os poderes do rei e reconduziria o Brasil novamente à condição de colônia.
  4. 4. Decorrente desse movimento os revolucionários lusitanos formaram uma espécie de Assembléia Nacional que ganhou o nome de “Cortes” que tem como protagonistas as principais figuras políticas lusitanas exigindo que o rei Dom João VI retornasse à terra natal para e legitimasse as transformações políticas em andamento. Temendo perder sua autoridade real, D. João saiu do Brasil em 1821 e nomeou seu filho, Dom Pedro I, como príncipe regente do Brasil.
  5. 5. A Família Real volta para Portugal, em 25 de abril de 1821.
  6. 6. Durante um tempo, D. Pedro seguiu ordens da corte portuguesa, mas acabou percebendo que as leis vindas de Portugal pretendiam transformar o Brasil novamente em uma simples colônia. Então pouco depois que assumiu, Dom Pedro I passou a tomar medidas em favor da população e começou a ganhar prestígio. Suas primeiras medidas foram baixar os impostos e equipar as autoridades militares nacionais às lusitanas. Príncipe Regente e novas diretrizes
  7. 7. Inicia-se um dos momentos mais conturbados desse período, pois essas ações desagradaram muito as Cortes de Portugal que exigiram que o príncipe retornasse para Portugal e entregasse o Brasil ao controle de uma junta administrativa formada pelas Cortes. No Brasil, os defensores da independência iniciaram uma campanha pedindo que o príncipe regente permanecesse em nossa terra. A pressão portuguesa despertou a elite econômica brasileira para o risco que de um novo domínio e o retorno ao estado de colônia. Assim, os grandes fazendeiros e comerciantes passaram a defender a ascensão política de Dom Pedro I e incentivá-lo a ser líder da independência brasileira. No final de 1821, quando as pressões das Cortes atingiram seu auge, os defensores da independência organizaram um grande abaixo-assinado solicitando a permanência e Dom Pedro no Brasil.
  8. 8. Neste contexto e atendendo a demonstração de apoio, no dia 9 de janeiro de 1822, D. Pedro recebeu um abaixo-assinado pedindo-lhe que ficasse. Ele atendeu ao desejo do povo declarando: "Como é para o bem de todos e felicidade geral da nação diga ao povo que fico". Dom Pedro I reafirmou sua permanência no cenário político brasileiro e atendeu aos interesses dos ricos fazendeiros brasileiros e esse dia passou a ser conhecido em nossa história como o Dia do Fico.
  9. 9. Dom Pedro I logo teve a iniciativa de incorporar figuras políticas brasileiras que eram a favor da independência aos quadros administrativos de seu governo. Ele também decretou que nenhuma ordem vinda de Portugal poderia ser adotada sem sua autorização prévia. Foi justamente essa medida que tornou sua relação política com as Cortes praticamente insustentável e, em uma última tentativa, a assembléia lusitana enviou um novo documento para o Brasil exigindo o retorno do príncipe para Portugal sob a ameaça de invasão militar, caso a exigência não fosse imediatamente cumprida. Finalmente a Independência!
  10. 10. Ao tomar conhecimento do documento, Dom Pedro I fez uma declaração oficial afirmando assim seu acordo com os brasileiros. Declarou a independência do país no dia 7 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga, em São Paulo.
  11. 11. Nos meses seguintes, os brasileiros venceram facilmente o ataque das tropas portuguesas, com apoio inglês. Em pouco tempo, vários países da América, que já haviam se libertado do domínio europeu, apoiaram oficialmente nossa independência. D. Pedro tornou-se o primeiro imperador do Brasil, com o título de D.Pedro I. O Brasil passou a ser uma monarquia, uma forma de governo em que os poderes são exercidos pelo imperador ou rei.
  12. 12. Curiosidade sobre D. Pedro I Você sabia que D. Pedro I faria aniversário no dia das crianças? Ele nasceu no dia 12 de outubro de 1798, em Portugal. Tinha um nome bem grande: Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon. De acordo com os estudiosos, ele era muito inteligente, mas não gostava de estudar. Por isso, decidiu se dedicar à música. Ele aprendeu a tocar piano, flauta, fagote, trombone, violino, clarinete, violão, lundu e cravo. Ele também desenhava e pintava muito bem e gostava de fazer esculturas. Em vez de ficar preso dentro do palácio da Quinta da Boa Vista, onde morava, D. Pedro brincava na rua com as outras crianças do povo e com escravos. Dom Pedro I não acreditava em diferenças raciais e muito menos em uma presumível inferioridade do negro como era comum à época. O imperador deixara clara em uma carta a sua opinião sobre o tema: “Eu sei que o meu sangue é da mesma cor que o dos negros”; Apesar de ser considerado grosseiro em seus modos (para os padrões europeus da época), Pedro I era um homem enciclopédico. Até o fim da sua vida era costume reservar duas ou três horas do seu dia à leitura. Sabia falar seis idiomas (português, latim, espanhol, inglês, francês e alemão), adorava matemática, zoologia, escrevia poesias como distração, compunha músicas quando estava sozinho, além de manter uma vasta biblioteca pessoal;
  13. 13. Curiosidade da Época Um dos primeiros a reconhecer o Brasil como uma nação foram os Estados Unidos. O reconhecimento de Portugal só veio em 1825, em troca de uma indenização de 2 milhões de libras. Dom Pedro I compondo o Hino Nacional (hoje Hino da Independência),
  14. 14. Casamento de D. Pedro I e D. Amélia D. Leopoldina assina a declaração de independência.
  15. 15. Cerimônia de coroação como imperador do Brasil Pedro I com o exemplar da Constituição brasileira de 1824
  16. 16. Família sendo seguida por seus escravos
  17. 17. Pedro I e a Coroa Imperial do Brasil
  18. 18. Abdicação do imperador Pedro I
  19. 19. http://www.smartkids.com.br/especiais/independencia-do-brasil.html

×