A FORMAÇÃO DO PROFESSOR
DO FUTURO
ANÁLISE TÉORICA SOBRE
O PERFIL DO PROFESSOR DO FUTURO E SUA
FORMAÇÃO
Ms. Andréa Kochhann...
Esses slides embasam os debates que o GEFOPI
realiza para discutir a questão da formação do
professor do futuro e qual seu...
PROFESSOR DO FUTURO E A
RECONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO
PEDRO DEMO (2009)
Para introduzir a discussão..........
* O que é ser professor?
* Como é ser um professor do futuro?
* O que é futuro para ...
* A intenção deste texto é discutir a importância do
professor nesta sociedade intensa de conhecimento,
considerando-o fig...
* A definição de professor inclina-se para o desafio
de cuidar da aprendizagem, não de dar aula.
Professor é quem, estando...
E COMO CUIDAR DA APRENDIZAGEM?
* Professor não é quem dá aula. “Dar aula” tornou-se
expressão vulgar para mera reprodução ...
* Trata-se do cuidado que não abafa, afoga, tutela,
mas liberta, colocando o professor não como dono ou
capataz do process...
* É preciso ter em mente o que é “aprender”, algo
muito diferente do que ocorre nas escolas em geral.
Segundo as melhores ...
* Perante este pano de fundo, a aprendizagem exige
condições específicas, todas de dentro para fora:
a) Pesquisa […] b) El...
* Nada é mais útil para o aluno do que o professor
maiêutico, que, em vez de lhe roubar o tempo com
transmissões apelativa...
CONHECIMENTO DISRUPTIVO
* “Entende-se por conhecimento 'disruptivo' aquele
rompedor, rebelde, capaz de se confrontar,
ques...
* “Conhecimento científico […] precisa voltar-se
para a posição socrática e autopoiética de fomentar
no aluno a habilidade...
COMBATER O INSTRUCIONISMO
* “Uma das expressões mais próximas do
instrucionismo é a aula. […] Aula pode não ter
nada a ver...
* “Existe aula apropriada [...]. i) aula que aprende,
ii) que faz aprender, iii) elaborada, estudada,
reconstruída, iv) de...
* É preciso afastar alguns estigmas da sala de aula como:
aula divertida, abusar de meios eletrônicos, entupir aluno
sem d...
* “Cada aluno precisa montar projeto de pesquisa e
realizar pesquisa sistematicamente, semestre a
semestre, tomando pesqui...
REFAZER A PEDAGOGIA
* “Para iniciar, pedagogia é hoje alma mater da
universidade, no sentido de ser ocurso mais importante...
* A pedagogia não pode ser vista como curso
subalterno, feito de pedaços. Pode ter teorias
próprias e ser um curso interdi...
* “Trata-se de rever o profissional por completo,
não como alguém predestinado a dar aula, mas
como alguém definido como e...
PERFIL DO PROFESSOR DO FUTURO
* O perfil do professor do futuro: pesquisador, formulador
de proposta própria, sabe fazer a...
PARA FAZER CONHECIMENTO
* “A participação ativa do aluno é a razão de ser,
desde o início até o fim. Cabe ao professor ori...
* “Quem cuida de verdade exige e suporta. O aluno
precisa perceber que pode contar com o professor
não para extrair alguma...
* “O professor precisa saber convencer o aluno de
que deve estudar, pesquisar, elaborar. O aluno que
aprende a estudar não...
Obrigada
Contatos:
(62) 81233624
andreakochhann@yahoo.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A formação do professor do futuro

809 visualizações

Publicada em

Trabalho coordenado pela Prof. Ms. Andréa Kochhann com o GEFOPI - Grupo de Estudos em Formação de Professores e Interdisciplinaridade, que se alicerça pelos projetos de pesquisa e de extensão. Esses slides embasam os debates que o GEFOPI realiza para discutir a questão da formação do professor do futuro e qual seu perfil de atuação, tendo sua base na pesquisa. Geralmente realizamos a palestra após o público assistir ao filme “O óleo de Lorenzo”. O GEFOPI se vincula à Universidade Estadual de Goiás, Câmpus São Luís de Montes Belos.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
809
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A formação do professor do futuro

  1. 1. A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DO FUTURO ANÁLISE TÉORICA SOBRE O PERFIL DO PROFESSOR DO FUTURO E SUA FORMAÇÃO Ms. Andréa Kochhann e GEFOPI Grupo de Estudos em Formação de Professores e Interdisciplinaridade
  2. 2. Esses slides embasam os debates que o GEFOPI realiza para discutir a questão da formação do professor do futuro e qual seu perfil de atuação, tendo sua base na pesquisa. Geralmente realizamos a palestra após o público assistir ao filme “O óleo de Lorenzo”. O GEFOPI atua com base em projetos de pesquisa e de extensão, da Universidade Estadual de Goiás, Câmpus São Luís de Montes Belos.
  3. 3. PROFESSOR DO FUTURO E A RECONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO PEDRO DEMO (2009)
  4. 4. Para introduzir a discussão.......... * O que é ser professor? * Como é ser um professor do futuro? * O que é futuro para ser um professor? * O que é reconstrução do conhecimento? * O que fazer para ser um professor do futuro pela reconstrução do conhecimento?
  5. 5. * A intenção deste texto é discutir a importância do professor nesta sociedade intensa de conhecimento, considerando-o figura estratégica. […] Mais que outras profissões, esta precisa de reconstrução completa, dentro da máxima: ser profissional hoje é, em primeiro lugar, saber renovar, reconstruir, refazer a profissão. […] É essencial saber reconstruir conhecimento com mão própria. (p. 11)
  6. 6. * A definição de professor inclina-se para o desafio de cuidar da aprendizagem, não de dar aula. Professor é quem, estando mais adiantado no processo de aprendizagem e dispondo de conhecimentos e práticas sempre renovados sobre aprendizagem, é capaz de cuidar da aprendizagem na sociedade, garantindo o direito de aprender. Professor é o eterno aprendiz [...] (p. 11)
  7. 7. E COMO CUIDAR DA APRENDIZAGEM? * Professor não é quem dá aula. “Dar aula” tornou-se expressão vulgar para mera reprodução de conhecimento, reduzindo-se a procedimento transmissivo de caráter instrucionista. (p.13). * Por isso, é fundamental redefinir o professor como quem cuida da aprendizagem dos alunos, tomando o termo “cuidar” em seu sentido forte, como propõe Boff (1999). Saber cuidar significa dedicação envolvente e contagiante, compromisso ético e técnico, habilidade sensível e sempre renovada de suporte do aluno, incluindo-se aí a toda de construção da autonomia.(p. 13)
  8. 8. * Trata-se do cuidado que não abafa, afoga, tutela, mas liberta, colocando o professor não como dono ou capataz do processo, mas como mentor socrático ou maiêutico. (p.13) * “Dar aula” não implica necessariamente cuidar da aprendizagem. Os professores, como regra, apenas “dão aula”, repassam conteúdos curriculares e aplicam provas, importando-se pouco ou nada com a aprendizagem dos alunos. (p.14)
  9. 9. * É preciso ter em mente o que é “aprender”, algo muito diferente do que ocorre nas escolas em geral. Segundo as melhores teorias hoje disponíveis, aprendizagem é processo reconstrutivo, tipicamente de dentro para fora, como se sugere me argumentações de fundo biológico. Maturana (2001) emprega o conceito de “autopoiese”, para designar a propriedade de todo ser vivo de autoformação e auto-organização, no sentido de captar a realidade externa de maneira interpretativa própria. (p.15).
  10. 10. * Perante este pano de fundo, a aprendizagem exige condições específicas, todas de dentro para fora: a) Pesquisa […] b) Elaboração própria […] c) Envolvimento […] d) Avaliação […] e) Orientação […] f) Relação pedagógica. (p.21) * Em nossas escolas e universidades, a lide comum está muito distante desses desafios, já que os alunos não pesquisam, não elaboram, não se envolvem profundamente, não encontram professores que sabem avaliar e orientar. (p. 21)
  11. 11. * Nada é mais útil para o aluno do que o professor maiêutico, que, em vez de lhe roubar o tempo com transmissões apelativas e decadentes, o motiva a estudar e a reconstruir conhecimento com mão própria, investindo nisso todo cuidado possível e imaginável. (p. 21)
  12. 12. CONHECIMENTO DISRUPTIVO * “Entende-se por conhecimento 'disruptivo' aquele rompedor, rebelde, capaz de se confrontar, questionar, desconstruir.” (p. 23) * “É próprio do conhecimento mais profundo questionar – seu primeiro ímpeto é desconstrutivo, porque parte para duvidar do que vê ou ouve [...]” (p. 23)
  13. 13. * “Conhecimento científico […] precisa voltar-se para a posição socrática e autopoiética de fomentar no aluno a habilidade de saber pensar, cujo carro- chefe poderia ser a autoridade do argumento.” (p.30) * O argumento se apresenta no plano formal pela capacidade teórica e metodológica e no plano político na construção da autonomia crítica e autocrítica.
  14. 14. COMBATER O INSTRUCIONISMO * “Uma das expressões mais próximas do instrucionismo é a aula. […] Aula pode não ter nada a ver com a aprendizagem. […] a aula é expediente expositivo, que facilmente decai para reprodutivo […] (p. 34)
  15. 15. * “Existe aula apropriada [...]. i) aula que aprende, ii) que faz aprender, iii) elaborada, estudada, reconstruída, iv) de orientação e avaliação, v) curta, leve e envolvente, vi)que respeite os limites da atenção do aluno, vii) que lança dúvidas e leva à pesquisa. Dizemos com isso que a finalidade da aula é conduzir à pesquisa e elaboração própria, nunca as evitar.” (p. 35)
  16. 16. * É preciso afastar alguns estigmas da sala de aula como: aula divertida, abusar de meios eletrônicos, entupir aluno sem digestão teórica, abusar da estética e da didática da aula, aula rotineira e muito disciplinar. * Muitas vezes o professor não percebe que suas aulas não são proveitosas na questão da digestão teórica e elaboração própria. * É melhor ler com o aluno, pesquisar com o aluno, elaborar com o aluno, fazer conhecimento próprio, aprender a aprender para não aprovar o analfabeto diplomado.
  17. 17. * “Cada aluno precisa montar projeto de pesquisa e realizar pesquisa sistematicamente, semestre a semestre, tomando pesquisa como ambiente de aprendizagem. Com isso chega-se à habilidade de 'fazer conhecimento', que é o que importa para a vida, inclusive mercado.” (p.50)
  18. 18. REFAZER A PEDAGOGIA * “Para iniciar, pedagogia é hoje alma mater da universidade, no sentido de ser ocurso mais importante e estratégico, por tratar do direito de aprender da sociedade, em particular das novas gerações.[...]. Todo professor deveria ser 'pedagogo', não como é o pedagogo profissional, mas no compromisso de cuidar da aprendizagem do aluno.” (p. 51)
  19. 19. * A pedagogia não pode ser vista como curso subalterno, feito de pedaços. Pode ter teorias próprias e ser um curso interdisciplinar. Questiona o conhecimento de forma crítica e autocrítica. Tem método de trabalho. * Para reinventar a pedagogia é preciso desenhar o espaço desse profissional no estudo da aprendizagem, do conhecimento, da educação, da inovação tecnológica, das didáticas e metodologias e, da demanda na sociedade.
  20. 20. * “Trata-se de rever o profissional por completo, não como alguém predestinado a dar aula, mas como alguém definido como eterno aprendiz e que, como tal, cuida que outros aprendem.” (p. 58) * Para isso é preciso rever alguns equívocos quanto a avaliação educacional, repasse de conteúdos, definição de professor, qualidade política e outras.
  21. 21. PERFIL DO PROFESSOR DO FUTURO * O perfil do professor do futuro: pesquisador, formulador de proposta própria, sabe fazer a prática, atualiza-se permanentemente, visa a instrumentalização eletrônica, torna-se interdisciplinar, o professor universitário investe em mestrado acadêmico, o professor básico precisa saber pensar. * “Persiste, porém, a didática instrucionista na universi- dade, em particular, nos cursos noturnos e nos professores ditos 'horistas'. Entretanto, há que se levar em conta que, também se não houver estudo e produção sistemática de conhecimento, não há aula para dar.” (p. 87)
  22. 22. PARA FAZER CONHECIMENTO * “A participação ativa do aluno é a razão de ser, desde o início até o fim. Cabe ao professor orientar e avaliar. Cabe ao aluno pesquisar e elaborar.” (p. 91). * “Pesquisa não pode ser feita aos solavancos, ou aos pedaços, mas sistematicamente. […] É preciso evitar facilitações, atalhos e encurtamentos, que obstaculizam ou evitam o esforço reconstrutivo, em particular o esforço de argumentar.” (p. 93).
  23. 23. * “Quem cuida de verdade exige e suporta. O aluno precisa perceber que pode contar com o professor não para extrair alguma tutela, mas orientação e avaliação. Orientar não é tomar o aluno no colo, e fazer por ele o que ele deveria fazer. Nem é repelir o aluno, para que se vire sozinho.” (p.94) * “O professor precisa arquitetar o ambiente de tal maneira que o aluno aprenda, aos pouco, que reconstruir conhecimento implica, de modo geral, duplo esforço conjugado: metodológico […] e, teórico [...].” (p. 94)
  24. 24. * “O professor precisa saber convencer o aluno de que deve estudar, pesquisar, elaborar. O aluno que aprende a estudar não depende de aula. Tem nisto enorme apoio para sua autonomia. Pobre do aluno que só funciona com aula, porque não vai além de copiar e reproduzir!” (p. 99). * “Quem estuda com quem não estuda jamais aprenderá a estudar. Muitos alunos noturnos querem apenas o diploma. É verdade.[...]” (p.100).
  25. 25. Obrigada Contatos: (62) 81233624 andreakochhann@yahoo.com.br

×