Novas Tecnologias na Educação - Parte 1

539 visualizações

Publicada em

Primeira Aula da Pós em Interdisciplinaridade e Práticas Pedagógicas.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
539
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Novas Tecnologias na Educação - Parte 1

  1. 1. EDUCAÇÃO FRENTE A NOVAS TECNOLOGIAS Pós-Graduação e, Interdisciplinaridade e Práticas Pedagógicas Centro de Excelência em Gestão Pública
  2. 2. Gerações
  3. 3. Gerações • Antigamente uma geração era definida a cada 25 anos, porém, nos dias de hoje, já não se espera mais um quarto de século para se instaurar uma nova classe genealógica. Atualmente os especialistas apontam que uma nova geração surge a cada 10 anos apenas. Nas empresas, isso implica em pessoas de diferentes idades e costumes vivendo em um mesmo ambiente de trabalho, trocando experiências e gerenciando conflitos em períodos cada vez menores.
  4. 4. A Geração Baby Boomer • A Geração Baby Boomer surgiu logo após o fim da Segunda Guerra Mundial. Hoje, estas pessoas estão com mais de 45 anos e se caracterizam por gostarem de um emprego fixo e estável. No trabalho seus valores estão fortemente embasados no tempo de serviço, e preferem ser reconhecidas pela sua experiência à sua capacidade de inovação.
  5. 5. A Geração Baby Boomer • O termo em inglês “Baby Boomer” pode ser traduzido livremente para o português como “explosão de bebês”, fenômeno social ocorrido nos Estados unidos no final da Segunda Guerra, ocasião em que os soldados voltaram para suas casas e conceberam filhos em uma mesma época. Os Boomers também são identificados como inventores da era “paz e amor”, pois tinham aversão aos conflitos armados. Preferiam a música, as artes e todas as outras formas de cultura como instrumentos para evolução humana do que as guerras.
  6. 6. A Geração X • Enquanto a Geração Baby Boomer se apresenta como contemporânea ao nascimento da tecnologia a Geração X surge já fazendo uso dos recursos tecnológicos promovidos por sua geração precursora. Surgida em meados da década de 60 e estendendo-se até o final dos anos 1970, essa geração vivenciou no Brasil acontecimentos como as “Diretas Já” e o fim da ditadura. No meio profissional a Geração X é caracterizada atualmente por certas resistências em relação a tudo que é novo, além de apresentar insegurança em perder o emprego por pessoas mais novas e com mais energia. Estas formam a sucessora da Geração X: a Geração Y.
  7. 7. A Geração Y • Nasce então na década de 80 a Geração Y, que em pouco tempo de vida já presenciou os maiores avanços na tecnologia e diversas quebras de paradigma do mercado de trabalho. Por conseguinte, num ambiente tão inovador, a Geração Y se individualiza ao apresentar características como capacidade em fazer várias coisas ao mesmo tempo, como ouvir música, navegar na internet, ler os e-mails, entre várias outras que, em tese, não atrapalham os seus afazeres profissionais. Essa geração também apresenta um desejo constante por novas experiências, o que no trabalho resulta em querer uma ascensão rápida, que a promova de cargos em períodos relativamente curtos e de maneira contínua.
  8. 8. • Os perfis da Geração X e Y são bastante diferentes quando colocados em comparação os seus comportamentos. Enquanto o X prefere tranquilidade o Y quer movimento; o Y deseja inovar a qualquer custo, já o X prefere a estabilidade e o equilíbrio. Tais contrastes apresentam uma dificuldade para as empresas que possuem colaboradores da Geração X subordinados a Geração Y. A maioria dos mais velhos não aceita com naturalidade um comando imposto por um mais novo, que por sua vez acha morosa demais as decisões dos mais velhos. A Geração Y
  9. 9. A Geração Z • Os jovens nascidos em meados dos anos noventa forma o conjunto da Geração Z. Estes ainda não estão inseridos no mercado de trabalho, mas já são motivo de reflexão por conta do seu comportamento individualista e de certa forma antissocial. A Geração Z é contemporânea a uma realidade conectada à Internet, em que os valores familiares, como sentar-se à mesa e conversar com os pais, não são tão expressivos quanto aos contatos virtuais estabelecidos pelos jovens na Web. Formada pelos que ainda não saíram da escola e ainda não decidiram a profissão a ser exercida no futuro a Geração Z também se destaca por sua excentricidade.
  10. 10. • Os jovens da Geração Z apresentam um perfil mais imediatista. Querem tudo para agora e não têm paciência com os mais velhos quando estes precisam de ajuda com algum equipamento eletrônico ou algum novo recurso da informática. Esse tipo de atitude sugere que tais jovens terão sérios problemas no mercado de trabalho, quando serão exigidas habilidades para se trabalhar em equipe. O trabalho coletivo demanda respeito e tolerância, virtudes em escassez nos jovens da Geração Z. A Geração Z
  11. 11. Qual o Mal do Século???
  12. 12. ANSIEDADE • O excesso de informação é a principal causa da SPA. • No passado , o número de informações dobrava a cada dois ou três séculos; hoje, dobra-se a cada ano.
  13. 13. ANSIEDADE • A SPA dificulta o processo de elaboração das informações como conhecimento, do conhecimento como experiência e da experiência como função complexa da inteligência, ou seja, pensar nas consequências, expor, e não impor, as ideias, colocar-se no lugar dos outros, proteger a emoção e, principalmente, gerenciar pensamentos.
  14. 14. ANSIEDADE • Nunca foi tão difícil educar uma geração. • Não há um culpado, o sistema é culpado. • Todos temos nossa responsabilidade no assassinato da infância. • Esses jovens serão adultos num ambiente de aquecimento global, insegurança alimentar, competição predatória. • Precisarão de notável capacidade de liderança e criatividade para dar respostas inteligentes a essas questões.
  15. 15. ANSIEDADE • Estamos despreparando-os para esse mundo tumultuado que nós mesmos criamos. • Elas são instáveis, irritadiças, intolerantes a contrariedade, inseguras em situações novas, não se deleitam em aprender • Tem enorme dificuldade de debater ideias em ocasiões minimamente estressantes
  16. 16. ANSIEDADE • Na segunda infância, pré-adolescência e adolescência, os pais percebem que há algo de errado. • Os filhos querem cada vez mais para sentir cada vez menos • São insatisfeitos, indisciplinados, têm dificuldade de expressar gratidão, autoestima combalida, autoimagem fragilizada, não aceitam não, são impacientes e querem tudo na hora.
  17. 17. ANSIEDADE • É fundamental que os pais conquistem o território da emoção deles e saibam transferir o capital das suas experiências, ou seja, que lhes deem o que o dinheiro não pode comprar.
  18. 18. Acesso à internet no Brasil cresce, mas 53% da população ainda não usa a rede • O acesso à internet cresceu 143,8% entre a população com 10 anos ou mais de 2005 para 2011, enquanto o crescimento populacional foi de 9,7%. Apesar da disparada, 53,5% dos brasileiros dessa faixa etária ainda não utilizam a rede.
  19. 19. • A pesquisa também mostrou que os jovens são os que mais acessam a internet. Os maiores percentuais foram dos grupos com idade de 15 a 17 anos (74,1%) e de 18 ou 19 anos (71,8%). Acesso à internet no Brasil cresce, mas 53% da população ainda não usa a rede
  20. 20. • O levantamento aponta ainda que quanto maior o número de anos de estudo, a inserção digital também é mais elevada. "A escolaridade é fundamental para a inclusão digital", diz o especialista do IBGE Acesso à internet no Brasil cresce, mas 53% da população ainda não usa a rede
  21. 21. • Por região, o Sudeste tinha em 2011 o maior percentual de internautas entre as pessoas de 10 anos ou mais de idade, de 54,2%. Apenas as regiões Norte e Nordeste tinham percentuais de internautas menores que 50% (35,4% e 34,0%, respectivamente). Acesso à internet no Brasil cresce, mas 53% da população ainda não usa a rede
  22. 22. Alguns problemas na integração das tecnologias na educação • A escola é uma instituição mais tradicional que inovadora. A cultura escolar tem resistido bravamente às mudanças. Os modelos de ensino focados no professor continuam predominando, apesar dos avanços teóricos em busca de mudanças do foco do ensino para o de aprendizagem. Tudo isto nos mostra que não será fácil mudar esta cultura escolar tradicional, que as inovações serão mais lentas, que muitas instituições reproduzirão no virtual o modelo centralizador no conteúdo e no professor do ensino presencial.
  23. 23. • A maior parte dos cursos presenciais e on-line continua focada no conteúdo, focada na informação, no professor, no aluno individualmente e na interação com o professor/tutor. Convém que os cursos hoje – principalmente os de formação – sejam focados na construção do conhecimento e na interação; no equilíbrio entre o individual e o grupal, entre conteúdo e interação (aprendizagem cooperativa), um conteúdo em parte preparado e em parte construído ao longo do curso. Alguns problemas na integração das tecnologias na educação
  24. 24. • Os alunos estão prontos para a multimídia, os professores, em geral, não. Os professores sentem cada vez mais claro o descompasso no domínio das tecnologias e, em geral, tentam segurar o máximo que podem, fazendo pequenas concessões, sem mudar o essencial. Creio que muitos professores têm medo de revelar sua dificuldade diante do aluno. Alguns problemas na integração das tecnologias na educação
  25. 25. • Os educadores marcantes atraem não só pelas suas ideias, mas pelo contato pessoal. Transmitem bondade e competência, tanto no plano pessoal, familiar como no social, dentro e fora da aula, no presencial ou no virtual. Alguns problemas na integração das tecnologias na educação
  26. 26. Educação e tecnologia: o sarrafo subiu • Se a escola de seu filho ou cidade se vende por conta dos aparatos tecnológicos de que dispõe, tome muito cuidado. Assim como um “babaca” não se torna inteligente ao transferir suas divagações para um blog ou página de rede social, um mau professor não passará a dar uma boa aula simplesmente por contar com um tablet ou uma lousa mágica
  27. 27. • Há uns meses visitei escolas públicas na região de Itaperuna, no interior fluminense. Uma delas era um brinco, com uma direção que conseguiu engajar pais e professores para gerar uma melhoria significativa: seu Ideb passou de 3,3 para 7,7 em quatro anos. Na outra escola o que se via era um quadro de abandono (os banheiros dos alunos não tinham tampa nas privadas, nem papel higiênico ou toalha de papel). Seu Ideb foi de 3,5 em 2011, e estava estacionado nesse patamar havia anos. Educação e tecnologia: o sarrafo subiu
  28. 28. • Fui conversar com o diretor dessa escola com problemas. Ao inquiri-lo sobre a razão das deficiências de sua escola, o homem engatou um discurso ensaiado que vem se tornando cada vez mais comum nas discussões educacionais do Brasil: “O problema é que os alunos são de uma geração digital e os professores ainda são analógicos”. Educação e tecnologia: o sarrafo subiu
  29. 29. TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO – Jornal bom dia brasil
  30. 30. REDES SOCIAIS
  31. 31. Professor universitário é morto a tiros em Chapecó • O professor, escritor e colunista social Alcides Bittencourt, de 45 anos, foi assassinado a tiros na tarde de sábado em Chapecó. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de emboscada que terminou em latrocínio. • Um adolescente de 17 anos é o principal suspeito do crime. Ele teria conhecido o professor em uma sala de bato-papo na internet há cerca de duas semanas. Segundo a Polícia Civil, no dia do crime, Alcides e o adolescente trocaram mensagens de celular e combinaram um encontro.
  32. 32. Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação? • Os computadores e ferramentas como a internet estão cada vez mais presentes nos processos de ensino e de aprendizagem. O teste a seguir ajuda você a avaliar se já está integrado a esta onda de novidades
  33. 33. • Você é um 'expert' no uso de tecnologia para a Educação? Este teste contém dez questões e, ao final, não há tabulação de erros e acertos. A intenção é convidar você a refletir sobre o tema e a repensar suas práticas ligadas a ele. Sugerimos que antes de responder você leia o Guia de Tecnologia na Educação – edição especial de NOVA ESCOLA, à venda nas bancas a partir de 30 de julho e em versão digital no www.iba.com.br. Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação?
  34. 34. • 1. O projeto político-pedagógico (PPP) de sua escola prevê o uso da tecnologia unida aos conteúdos das disciplinas? Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação? SIM NÃO
  35. 35. • 2. Você utiliza o computador para preparar suas aulas e as atividades que serão realizadas pelos alunos? Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação? SIM NÃO
  36. 36. • 3. Ao planejar o trabalho voltado ao ensino de um conteúdo específico, você pesquisa quais recursos (digitais ou não) podem colaborar com as aulas sobre esse tema? Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação? SIM NÃO
  37. 37. • 4. Você utiliza a internet para se comunicar com outros professores, para divulgar os seus trabalhos e para buscar ideias e materiais que possam aprimorar suas aulas? Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação? SIM NÃO
  38. 38. • 5. Você conhece os hábitos dos seus alunos em relação ao uso da tecnologia e procura municiá-los de sugestões para que eles aproveitem os momentos online para aprender e se desenvolver? Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação? SIM NÃO
  39. 39. • 6. Você está sempre atento às oportunidades de formação sobre o uso da tecnologia na Educação, sejam elas dentro da sua própria escola ou em outras instituições? Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação? SIM NÃO
  40. 40. • 7. Qual dessas ações NÃO pode ser incrementada com a criação de um blog: • Comunicação com os alunos Divulgação do seu trabalho Comunicação com os pais Aplicação de provas Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação?
  41. 41. • 8. O que se deve fazer antes de uma aula que utilize equipamentos e recursos tecnológicos? • Definir bem os objetivos a serem atingidos. Testar os equipamentos e ter sempre um plano B. Calcular o tempo que será gasto com as atividades. Todas as alternativas. Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação?
  42. 42. • 9. Qual dessas características NÃO é típica dos nativos digitais? • Quando se trata de tecnologia, executam mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Compartilham suas ideias e seus conhecimentos na internet. Leem muito na internet, mas poucos livros. Têm dificuldade com o inglês. Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação?
  43. 43. • 10. O que se pode encontrar em um ambiente virtual de aprendizagem (AVA)? • Correio eletrônico. Agenda. Publicação de textos e arquivos. Todas as alternativas. Você está pronto para utilizar a tecnologia na Educação?
  44. 44. Referências • Fonte: http://www.coisaetale.com.br/2012/04/as-geracoes-baby- boomer-x-y-e-z/ • Fonte: http://www.eca.usp.br/moran/integracao.htm - Acesso em 25/05/13 • Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/educacao-e- tecnologia-o-sarrafo-subiu - Acesso em 25-05-13 • Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=dnbHn2RVPqU – Acesso em: 25-05-13 • Fonte: http://ndonline.com.br/oeste/noticias/72693-professor- universitario-e-morto-a-tiros-em-chapeco.html - Publicado em 20/05/13-14:10 por: Gabriel Spenassatto • Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/05/1279552- acesso-a-internet-no-brasil-cresce-mas-53-da-populacao-ainda- nao-usa-a-rede.shtml - Acesso em: 25-05-13
  45. 45. Referências • CURY, Augusto. Ansiedade – como enfrentar o mal do século. Editora Atlas, 1ª Ed. – São Paulo: Saraiva, 2014

×