Geoffroy de Pennorf

v

'Êff A PRI f"

VÍL (ff HW

Tradução:  Gildo de Aquino

g”

É
f_ . QM. 

¡. _ &VEÀ
* ^ 4  4.x
_ l
I...
A «me
Geoffroy de Penna#

*'1“T ' *ñtñw* T"" 'f'r^
“' '**rJ. _e. -l *W

f 
JJ-. . 4.. - . .L , ... -~á

1 “vá 'WT' Tvà '5
...
Era uma vez uma menina que vivia com os pais na
beira de uma floresfa.  Como ela nunca firava o chapéu
'edondo e vermelho ...
Um dia,  sua mae disse: 

- Hoje é o aniversario da vovó.  Você quer levar
para ela estes dois bolos e este pote de mantei...
- Prefiro que você vó pelo campo - disse a mõe.  -É

mais curto pela floresta,  mas. ..
- Eu sei,  tem o lobo.  Nõo se pre...
.. w

“V” 'V' 'Íf í 

  
 

 
  

 
 
 
  

. r

ã:  

a
r . 

No caminho,  Chapeuzinho Redondo encontrou um

grande cacho...
i0

 

É

Ela nao resistiu.  Tirou sua corneta do bolso e. ..

O animal acordou com um salto,  completamente

aterrorizado...
i2

 

- Aha!  Olhe a cara do cachorro!  Eu sei, 

tudo bem,  nao foi legal tocar a corneta,  mas nõo
pude resistir.  Pegu...
- Eu. .. eu. .. eu não sou um cachorro,  eu. .. eu. ..

eu sou o lobo e eu. .. eu. ..
- Tudo bem!  Mas você nao é o lobo. ...
- Mas é verdade,  eu. .. eu. .. eu sou o lobo. ..

- Tudo bem,  nos seus sonhos,  talvez.  Bem,  a vovó me
aguarda,  eu te...
O lobo,  pois era ele mesmo,  recuperou o fôlego. 

- Que pestínha!  Ai,  meu pobre coração! 

i5
i6

- Mas ela vai ver só!  Cara de bonzinho. .. Vou

enfiar este bolo na goela dela e depois comê-Ial
W

    
 

5*"? 

E o lobo saiu correndo para a casa da vovó.  Foi direto
pela ñorestci,  sem olhar nem para a direita nem...
Um carro atropelou o lobo! 

BANGUE!
20

 

Era justamente a vovó,  que voltava do
supermercado. 

- Oh,  céus!  Que horror!  O pobre cao!  Apareceu
de repente...
- Que bom!  Ele não esta morto.  Rapido,  para a
cama.  Vou chamar o veterinario. ..
Neste momento,  Chapeuzinho Redondo chegou a

casa da vovó. 
- Bom dia,  vovól-Sou eu,  o sol de sua vida,  e trago dois, ...
- Oh!  Você esta deitada.  Esta doente?  Que cara horrível! 

23
24

- Oh,  nao!  É aquele cachorro que pensa que é lobo. 
Danado!  Miseróvel!  Ele comeu minha vovó!  E pensar que lhe

de...
- Quem. .. quem. .. quem esta aí? 

Chapeuzinho bateu nele com um candelabro. 

- Tome isso,  bicho feio! 

25
- Vovó,  esta me ouvindo?  Vovó!  Vou tirar você daí.
E ló foi elci ligar para a policia. 

77
- Oh!  Céus!  Ele m I- ' . 
_ l _ orreu' exclamm¡ O V°V°› 0° Chegm - Eu não entendo,  o pobre cachorro ainda
com o veterin...
- Calma,  calma - disse o veterinario.  - Este animal, 

_ ohi VOVÓ!  você está Vwoi EU ache¡ que O Cachorro que,  diga-se...
32

 

O veterinario conseguiu salvar o lobo,  que ficou

se recuperando na casa da vovó.
Depois disso,  ele teve de admitir:  sua reputação de lobo

mau estava arruinada. 

Então,  passou o resto da vida com a v...
Quanto a Chapeuzinho Redondo,  marcada para

sempre por essa aventura,  tornou-se uma Veterinaria de

fama mundial.
Geoffroy de Pennart nasceu em 195!,  em París,  capital da França. 
Formou-se na Escola Superior de Artes Graficas em 1974...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Chapeuzinho redondo

532 visualizações

Publicada em

O clássico conto onde a Chapeuzinho não é tão inocente e o lobo mau não é tão malvado. Uma história divertida e com final surpreendente.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
532
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
82
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Chapeuzinho redondo

  1. 1. Geoffroy de Pennorf v 'Êff A PRI f" VÍL (ff HW Tradução: Gildo de Aquino g” É f_ . QM. ¡. _ &VEÀ * ^ 4 4.x _ l I , ' l HDR? ~_¡ d *a "í 2.24:- 'r“. › ¡' . " l di! _nu-g ' , /Ds_r_ÍIA' [7 , ._, , , . Il f_ r f ' r _ › . , x w w q" . r f_ _LJ . í L' 1; _ = "', ___"'°' , ¡ Êscurlnte, r , .- , ./ --, ~*; .~. ,a v . , «a _. v J¡
  2. 2. A «me Geoffroy de Penna# *'1“T ' *ñtñw* T"" 'f'r^ “' '**rJ. _e. -l *W f JJ-. . 4.. - . .L , ... -~á 1 “vá 'WT' Tvà '5 -* H¡ J_ -J-s f . Â. ; s) . A4 «J '1 4- Pocuçóo. de AQUÍÚO 2< 'eo-pressão É _ ; dt-u
  3. 3. Era uma vez uma menina que vivia com os pais na beira de uma floresfa. Como ela nunca firava o chapéu 'edondo e vermelho que sua avó lhe havia dado. seu apelido era Chapeuzinho Redondo.
  4. 4. Um dia, sua mae disse: - Hoje é o aniversario da vovó. Você quer levar para ela estes dois bolos e este pote de manteiga? Sei que ela vai ficar felíz em ver você. Chapeuzinho Redondo aceitou logo, pois adorava a avó.
  5. 5. - Prefiro que você vó pelo campo - disse a mõe. -É mais curto pela floresta, mas. .. - Eu sei, tem o lobo. Nõo se preocupe, mamãe, ja vi esse filme.
  6. 6. .. w “V” 'V' 'Íf í . r ã: a r . No caminho, Chapeuzinho Redondo encontrou um grande cachorro cinza que dormia encostado num monte de feno.
  7. 7. i0 É Ela nao resistiu. Tirou sua corneta do bolso e. .. O animal acordou com um salto, completamente aterrorizado. - O que. .. que é. .. o que é issoi? !
  8. 8. i2 - Aha! Olhe a cara do cachorro! Eu sei, tudo bem, nao foi legal tocar a corneta, mas nõo pude resistir. Pegue um bolo para você me perdoar.
  9. 9. - Eu. .. eu. .. eu não sou um cachorro, eu. .. eu. .. eu sou o lobo e eu. .. eu. .. - Tudo bem! Mas você nao é o lobo. O lobo vive na floresta e é muito mau. E você, olhe só, (tom essa cara de bonzinho. .. i3
  10. 10. - Mas é verdade, eu. .. eu. .. eu sou o lobo. .. - Tudo bem, nos seus sonhos, talvez. Bem, a vovó me aguarda, eu tenho de ir. Esta vendo a fumaça? É ali mesmo, mas, por causa do lobo, tenho de contornar a floresta. Adeus, cachorro. .. i4
  11. 11. O lobo, pois era ele mesmo, recuperou o fôlego. - Que pestínha! Ai, meu pobre coração! i5
  12. 12. i6 - Mas ela vai ver só! Cara de bonzinho. .. Vou enfiar este bolo na goela dela e depois comê-Ial
  13. 13. W 5*"? E o lobo saiu correndo para a casa da vovó. Foi direto pela ñorestci, sem olhar nem para a direita nem para a esquerda. A casa estava bem ali. -Só falta atravessar essa estrada e. .. l7
  14. 14. Um carro atropelou o lobo! BANGUE!
  15. 15. 20 Era justamente a vovó, que voltava do supermercado. - Oh, céus! Que horror! O pobre cao! Apareceu de repente, não pude evitar!
  16. 16. - Que bom! Ele não esta morto. Rapido, para a cama. Vou chamar o veterinario. ..
  17. 17. Neste momento, Chapeuzinho Redondo chegou a casa da vovó. - Bom dia, vovól-Sou eu, o sol de sua vida, e trago dois, n" , mb l 22 ao u oo
  18. 18. - Oh! Você esta deitada. Esta doente? Que cara horrível! 23
  19. 19. 24 - Oh, nao! É aquele cachorro que pensa que é lobo. Danado! Miseróvel! Ele comeu minha vovó! E pensar que lhe dei um bolo! Com os gritos, o lobo abriu os olhos, completamente zonzo:
  20. 20. - Quem. .. quem. .. quem esta aí? Chapeuzinho bateu nele com um candelabro. - Tome isso, bicho feio! 25
  21. 21. - Vovó, esta me ouvindo? Vovó! Vou tirar você daí.
  22. 22. E ló foi elci ligar para a policia. 77
  23. 23. - Oh! Céus! Ele m I- ' . _ l _ orreu' exclamm¡ O V°V°› 0° Chegm - Eu não entendo, o pobre cachorro ainda com o veterinario. respirava quando fui buscar o senhor. ..
  24. 24. - Calma, calma - disse o veterinario. - Este animal, _ ohi VOVÓ! você está Vwoi EU ache¡ que O Cachorro que, diga-se de passagem, não é um cão, mas sim um lobo “nha devorado você! EU quem Sawmo/ e agora em está enorme, nõo esta morto. Vou cuidar dele, mas preciso de morto! É minha culpa! muito Coima 30
  25. 25. 32 O veterinario conseguiu salvar o lobo, que ficou se recuperando na casa da vovó.
  26. 26. Depois disso, ele teve de admitir: sua reputação de lobo mau estava arruinada. Então, passou o resto da vida com a velha senhora. '27
  27. 27. Quanto a Chapeuzinho Redondo, marcada para sempre por essa aventura, tornou-se uma Veterinaria de fama mundial.
  28. 28. Geoffroy de Pennart nasceu em 195!, em París, capital da França. Formou-se na Escola Superior de Artes Graficas em 1974, quando começou a trabalhar como freelance. Um de seus primeiros trabalhos foi o de desenhar mapas; depois passou a editar jornais. Atualmente, faz ilustrações e design gráfico para varias empresas. Geoffroy de Pennart mora em Dordogne, com a mulher e duas ñlhas. 35 i J. x -_, _-_ k: , ¡lilãj Éik? 'f ' ff-il” é? ?

×