LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                 PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE                   Lei 8.112/90 - ...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                  PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEO presente curso será desenvolvid...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                   PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE• Deveres e proibições (arts. 11...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                     PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE                          AULA...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                   PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEO que nos interessa nessa aula é...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                  PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTECargo públicoDe acordo com a Lei ...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                     PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEPortadores de deficiênciaÀs pe...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                   PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEA diferença entre cargo em comis...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                 PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEocupará os três cargos (efetivo, c...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                  PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEnão tem caráter absoluto e obriga...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                  PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEGabarito:01) (Técnico Judiciário/...
LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS                  PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE09) (CESPE/2010/TRE-MT/Analista J...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 00

1.986 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.986
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
156
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 00

  1. 1. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE Lei 8.112/90 - teoria e exercícios (ANALISTA E TÉCNICO DO INSS)Prezado(a) aluno(a),Meu nome é Armando Mercadante. Sou Procurador do Estado de MinasGerais, lotado em Juiz de Fora/MG, e professor de Direito Administrativo emcursos preparatórios para concursos públicos, além de ser autor do livro“Direito Administrativo – vol. 3 – coleção informativos comentados”, publicadopela editora JusPODVIM.Para aqueles que não me conhecem, adoto um estilo de aula bem objetivo,buscando redigir textos sem excessos, elaborados apenas com o que de fatointeressa para você que precisa conciliar tempo com muita matéria.Minha proposta é desenvolver nas aulas um treinamento de Lei 8.112/90,sendo fundamental que você siga durante todo o curso minhas orientações.Tenho certeza que se fizer a sua parte no final do curso você estará voandoalto em Lei 8.112/90.As aulas terão em média de 30 a 40 páginas, nas quais explicarei os artigosconstantes da Lei 8.112/90, focando, quando necessário, teoria ejurisprudência, além de questões de provas com ênfase na banca CESPE, quepossivelmente será a organizadora do concurso.Ao final de cada aula apresento, além das questões de concursos anteriores,um simulado com assertivas por mim elaboradas.Não se esqueça que o concurseiro que passa em concurso público é aqueleque não vincula o seu estudo à publicação de editais. A preparação deve sercontínua, em especial para os concursos do INSS, cuja concorrência éaltíssima. 1 www.pontodosconcursos.com.br
  2. 2. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEO presente curso será desenvolvido de acordo com o seguinte cronograma:AULA 0• Disposições preliminares (arts. 1º ao 4º)• Provimento: disposições gerais e nomeação (arts. 5º ao 10)AULA 1• Provimento: concurso público; posse e exercício; estabilidade; formas de provimento; disponibilidade (arts. 11 ao 32)• Formas de vacância (arts. 33 ao 35);• Remoção e redistribuição (arts. 36 e 37);• Substituição (arts. 38 e 39);AULA 2• Vencimento e remuneração (arts. 40 a 48);• Vantagens (arts. 49 a 76);• Férias (arts. 77 a 80);• Licenças (arts. 81 a 92);• Afastamentos (arts. 93 a 96).AULA 3• Concessões (arts. 97 a 99);• Tempo de serviço (arts. 100 a 103);• Direito de petição (arts. 104 a 115); 2 www.pontodosconcursos.com.br
  3. 3. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE• Deveres e proibições (arts. 116 e 117);• Acumulação (arts. 118 a 120);• Responsabilidades (arts. 121 a 126);• Penalidades (arts. 127 a 142).AULA 4• Processo administrativo disciplinar (arts. 143 a 182);• Seguridade Social do Servidor (arts. 183 a 230);Desejo-lhe muita sorte e espero que faça um ótimo proveito do curso.Forte abraço!Armando Mercadantemercadante@pontodosconcursos.com.br 3 www.pontodosconcursos.com.br
  4. 4. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE AULA DEMONSTRATIVA PONTO 1 Lei 8.112/90 Disposições preliminares (art. 1º ao 4º)Abrangência da Lei 8.112/90Durante esse estudo da Lei 8.112/90 é importante que saiba que a relaçãoentre Administração Pública (Administração Pública direta: União, Estados,DF, Municípios; Administração Pública Indireta, autarquias, fundaçõespúblicas, empresas publicas e sociedades de economia mista) e seus agentespúblicos pode ser regulada por regimes jurídicos distintos.No caso de pessoas jurídicas de direito privado, tais como fundações públicasde direito privado, empresas públicas e sociedades de economia mista, oregime jurídico será o celetista (regime contratual), pois é da CLT(Consolidação da Legislação Trabalhista) que são extraídas as principaisregras norteadoras da relação Administração x agente público.Quando o foco do estudo são as pessoas jurídicas de direito público, nas aulasde Direito Administrativo estudamos que o regime de emprego público pôde seradotado por um período (não aprofundaremos nesse tema aqui), mas o regimejurídico padrão, conforme entende o STF, é o regime jurídico estatutário(regime legal).Ou seja, de acordo com o STF, devem as pessoas jurídicas de direito públicoadotarem um regime estatutário. Cada ente federado (União, Estados, DF eMunicípios) edita uma lei específica criando o seu regime jurídico estatutáriopara reger suas relações com seus servidores. 4 www.pontodosconcursos.com.br
  5. 5. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEO que nos interessa nessa aula é o regime jurídico da União, de suasautarquias (ex. INSS) e de suas fundações públicas (ex. FUNAI): Lei 8.112/90.A Lei 8.112/90 instituiu o regime jurídico dos servidores públicos civis daUnião, das autarquias, inclusive as em regime especial, e das fundaçõespúblicas federais (art. 1º).De início, cuidado, pois essa lei não se aplica aos militares!!!!Da leitura acima certamente você lançou a seguinte pergunta: o que sãoautarquias em regime especial (“inclusive as em regime especial)? São apenasautarquias que possui algumas características que as diferem das autarquiascomuns. O INSS é uma autarquia comum; já a ANATEL possui característicasespeciais, da mesma forma que a ANEEL, ANAC e ANVISA. Estas são criadascomo agências reguladoras. Nada mais são do que autarquias criadas noformato de agências reguladoras, matéria que é objeto das aulas de DireitoAdministrativo desse curso. Portanto, a Lei 8.112 é aplicável às autarquiascomuns bem como às autarquias especiais.Conceito de servidorPara efeitos da Lei 8.112/90, servidor é a pessoa legalmente investida emcargo público (art. 2º).A pegadinha de prova é a banca substituir a palavra “cargo” por “emprego”.Atenção!!! O emprego é ocupado pelo agente público vinculado ao regimecontratual (ex. celetista).Dessa forma, de acordo com a Lei 8.112/90, servidor é quem ocupa cargo, sejao cargo efetivo (preenchido por meio de concurso público) ou em comissão(livre nomeação). 5 www.pontodosconcursos.com.br
  6. 6. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTECargo públicoDe acordo com a Lei 8.112/90, cargo público, que é criado por lei comdenominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, é o conjuntode atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacionalque devem ser cometidas a um servidor (art. 3º, caput).Os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros, são criados paraprovimento efetivo (ocupado por meio de concurso público) e em comissão(livre nomeação) (art. 3º, parágrafo único).Provimento e vacância (art. 5º a 12)Disposições geraisSão requisitos básicos para investidura em cargo público (art. 5º):• a nacionalidade brasileira;• o gozo dos direitos políticos;• a quitação com as obrigações militares e eleitorais;• o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo;• a idade mínima de dezoito anos;• aptidão física e mental.As atribuições do cargo podem justificar a exigência de outros requisitosestabelecidos em lei, sendo fundamental a observância, em especial, doprincípio da razoabilidade na fixação desses requisitos. Pense numa fase deconcurso público que envolva testes físicos. Na fixação do número de “barras”exigidos de homens e de mulheres, a Administração Pública deve usar o bomsendo (razoabilidade) não exigindo o mínimo igual para ambos os sexos, bemcomo não estipulando um limite muito elevado do padrão comum. 6 www.pontodosconcursos.com.br
  7. 7. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEPortadores de deficiênciaÀs pessoas portadoras de deficiência é assegurado o direito de se inscreverem concurso público para provimento de cargo cujas atribuições sejamcompatíveis com a deficiência de que são portadoras; para tais pessoas serãoreservadas até 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas no concurso.Atenção na prova: a Lei 8.112/90 não definiu que deve ser 20% o percentualde reserva, mas sim que deverão ser reservadas ATÉ 20%.EstrangeirosAs universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológicafederais poderão prover (preencher) seus cargos com professores, técnicos ecientistas estrangeiros, de acordo com as normas e os procedimentos da Lei8.112/90.NomeaçãoTanto o ingresso num cargo efetivo como em comissão passam pelasseguintes fases: NOMEAÇÃO (durante o prazo de validade - art. 9º) – POSSE(em até 30 dias contados da nomeação - art. 13, §1º) – EXERCÍCIO (em até 15dias contados da posse - art. 15, §1º).Existe nomeação tanto para cargo efetivo como para cargo em comissão(art. 13, §1º).No caso de função de confiança não haverá nomeação, mas simdesignação. A expressão nomeação deve ser usada para cargo edesignação para função de confiança. 7 www.pontodosconcursos.com.br
  8. 8. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEA diferença entre cargo em comissão e função de confiança consta do art. 37,V, da CF: “as funções de confiança, exercidas exclusivamente porservidores ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serempreenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e percentuaismínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de direção,chefia e assessoramento”.Melhor explicando.... função de confiança só pode ser desempenhada porservidor efetivo (concursado); já os cargos em comissão podem ser ocupadospor servidores efetivos (concursado) e por particulares. O que ocorre no cargoem comissão é que a CF determinou que cada ente federado (União, Estados,DF e Municípios) devem, por meio de lei, estipular um percentual mínimo doscargos em comissão que somente serão ocupados por servidores efetivos decarreira. Então, por exemplo, no chutômetro.... dos 250 cargos em comissão doINSS, 20% deverão ser ocupados por servidores efetivos de carreira; opercentual restante (80%), poderá ser ocupado tanto por servidor como porparticulares.Nomeação é uma das sete formas de provimento previstas na Lei 8.112/90 (art.8º). É a única forma de provimento originário, sendo as demais derivadas,pois pressupõem um vínculo prévio do servidor com o Poder Público.O servidor ocupante de cargo em comissão ou de natureza especial poderá sernomeado para ter exercício, interinamente, em outro cargo de confiança, semprejuízo das atribuições do que atualmente ocupa, hipótese em que deveráoptar pela remuneração de um deles durante o período da interinidade(art. 9º, parágrafo único).Pense na seguinte situação: você é servidor(a) da União e ocupa um cargo emcomissão (é Diretor de determinado órgão); um cargo em comissão de Diretorde outro órgão da União vaga (o seu ocupante pediu exoneração); até que aUnião escolha o novo ocupante, você é nomeado para ocupar interinamente(provisoriamente) esse cargo. Durante esse período de acumulação, você 8 www.pontodosconcursos.com.br
  9. 9. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEocupará os três cargos (efetivo, comissão e comissão interino), porém receberáem apenas dois (no efetivo e você optará por uma das duas remunerações doscargos comissionados). QUESTÕES DE CONCURSOS01) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Com relação à Lei nº 8.112/90,pode-se afirmar que:a) De acordo com as regras constitucionais em vigor, em que a obrigatoriedadedo regime jurídico único foi abolida, a Lei nº 8.112/90 aplica-se às empresaspúblicas e sociedades de economia mista da União;b) Trata-se de legislação que pode ser aplicada também para os Estados epara os Municípios, pois a União tem competência para estabelecer, por lei,normas gerais sobre as questões relativas aos servidores públicos;c) A Lei nº 8.112/90 somente se aplica para a Administração direta, autárquicae fundacional da União.d) A lei estabelece o regime contratual para disciplinar as relações jurídicasentre a União e seus servidores, não adotando o regime estatutário;e) Com o fim do regime jurídico único, a Lei nº 8.112/90 passa a vigorarsomente para a Administração Direta.02) (Técnico Judiciário - TRT 1ª região - 2003) A Lei nº 8.112, de 11 dedezembro de 1990, trata do:a) Regime Jurídico da União, das Autarquias e das Fundações Públicas;b) Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos da União;c) Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, das Autarquias edas Fundações Públicas Federais;d) Regime Jurídico dos Servidores Públicos da União, das Autarquias e dasFundações Públicas;e) Regime Jurídico dos Servidores Públicos da União, dos Estados, dasAutarquias e dos Municípios.03) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Empregado público é a pessoalegalmente investida em cargo público.04) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Os cargos públicos no PoderExecutivo são criados por lei.05) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Os cargos podem ser de provimentoefetivo ou em comissão.06) (FCC/2010/TRF - 4ª REGIÃO/Analista Judiciário/Taquigrafia) A idademínima para a investidura em cargo público é dea) 20 anos. b) 21 anos. c) 16 anos. d) 18 anos. e) 14 anos.07) (CESPE/2004/STM/Analista Judiciário/Área Judiciária) A garantiaconstitucional da reserva de vagas em concurso público para deficientes físicos 9 www.pontodosconcursos.com.br
  10. 10. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEnão tem caráter absoluto e obrigatório, uma vez que o acesso é reguladoquanto à compatibilidade das atribuições do cargo e às deficiências de que oscandidatos são portadores.08) (CESPE/2010/MPU/Técnico Administrativo) As pessoas com qualquertipo de deficiência física têm garantido o direito de se inscrever em concursopúblico para provimento de cargo cujas atribuições sejam compatíveis com adeficiência de que são portadoras, além da reserva de, pelo menos, 25% dasvagas oferecidas no concurso.09) (CESPE/2010/TRE-MT/Analista Judiciário/Área Judiciária) Todos oscargos públicos são acessíveis apenas aos brasileiros, sejam estes natos ounaturalizados.10) (FCC/2010/TRE-AC/Analista Judiciário/Área Judiciária) Em relação aoprovimento do cargo público é correto afirmar que a posse e o exercícioocorrerão no prazo de trinta dias contados da publicação do ato deproclamação dos aprovados no concurso, podendo ser prorrogado por igualprazo, uma única vez.11) (FCC/2010/TRE-AC/Analista Judiciário/Área Judiciária) Em relação aoprovimento do cargo público é correto afirmar que a nomeação far-se-á, dentreoutras hipóteses, em comissão, quando se tratar de cargo isolado deprovimento efetivo ou de carreira, inclusive na condição de interino para cargosde confiança vagos.Após conferir o gabarito, faça a sua avaliação: Data Nº questões Acertos % acerto Data Nº questões Acertos % acerto 11 11 Data Nº questões Acertos % acerto Data Nº questões Acertos % acerto 11 11 Data Nº questões Acertos % acerto Data Nº questões Acertos % acerto 11 11 10 www.pontodosconcursos.com.br
  11. 11. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTEGabarito:01) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Com relação à Lei nº 8.112/90, pode-seafirmar que:a) De acordo com as regras constitucionais em vigor, em que a obrigatoriedade doregime jurídico único foi abolida, a Lei nº 8.112/90 aplica-se às empresas públicas esociedades de economia mista da União;b) Trata-se de legislação que pode ser aplicada também para os Estados e para osMunicípios, pois a União tem competência para estabelecer, por lei, normas geraissobre as questões relativas aos servidores públicos;c) A Lei nº 8.112/90 somente se aplica para a Administração direta, autárquica efundacional da União.d) A lei estabelece o regime contratual para disciplinar as relações jurídicas entre aUnião e seus servidores, não adotando o regime estatutário;e) Com o fim do regime jurídico único, a Lei nº 8.112/90 passa a vigorar somentepara a Administração Direta.02) (Técnico Judiciário - TRT 1ª região - 2003) A Lei nº 8.112, de 11 de dezembrode 1990, trata do:a) Regime Jurídico da União, das Autarquias e das Fundações Públicas;b) Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos da União;c) Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, das Autarquias edas Fundações Públicas Federais;d) Regime Jurídico dos Servidores Públicos da União, das Autarquias e dasFundações Públicas;e) Regime Jurídico dos Servidores Públicos da União, dos Estados, das Autarquias edos Municípios.03) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Empregado público é a pessoa legalmenteinvestida em cargo público. (errada)04) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Os cargos públicos no Poder Executivo sãocriados por lei. (correta)05) (Técnico Judiciário/2001/TRE/NCE) Os cargos podem ser de provimento efetivoou em comissão. (correta)06) (FCC - 2010 - TRF - 4ª REGIÃO - Analista Judiciário - Taquigrafia) A idademínima para a investidura em cargo público é dea) 20 anos. b) 21 anos. c) 16 anos. d) 18 anos. e) 14 anos.07) (CESPE/2004/STM/Analista Judiciário/Área Judiciária) A garantiaconstitucional da reserva de vagas em concurso público para deficientes físicos nãotem caráter absoluto e obrigatório, uma vez que o acesso é regulado quanto àcompatibilidade das atribuições do cargo e às deficiências de que os candidatos sãoportadores. (correta)08) (CESPE/2010/MPU/Técnico Administrativo) As pessoas com qualquer tipo dedeficiência física têm garantido o direito de se inscrever em concurso público paraprovimento de cargo cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de quesão portadoras, além da reserva de, pelo menos, 25% das vagas oferecidas noconcurso. (errada) 11 www.pontodosconcursos.com.br
  12. 12. LEI 8.112/90 P/ ANALISTA E TÉCNICO DO INSS PROFESSOR: ARMANDO MERCADANTE09) (CESPE/2010/TRE-MT/Analista Judiciário/Área Judiciária) Todos os cargospúblicos são acessíveis apenas aos brasileiros, sejam estes natos ou naturalizados.(errada)10) (FCC/2010/TRE-AC/Analista Judiciário/Área Judiciária) Em relação aoprovimento do cargo público é correto afirmar que a posse e o exercício ocorrerãono prazo de trinta dias contados da publicação do ato de proclamação dosaprovados no concurso, podendo ser prorrogado por igual prazo, uma únicavez. (errada)11) (FCC/2010/TRE-AC/Analista Judiciário/Área Judiciária) Em relação aoprovimento do cargo público é correto afirmar que a nomeação far-se-á, dentre outrashipóteses, em comissão, quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivoou de carreira, inclusive na condição de interino para cargos de confiança vagos.(errada)Chego ao final dessa aula demonstrativa, cujo conteúdo foi uma amostraresumida do que serão minhas aulas.O simulado sobre os assuntos aqui abordados será apresentado ao final doprimeiro encontro.Espero ter despertado seu interesse em participar do curso.Grande abraçoArmando Mercadantemercadante@pontodosconcursos.com.br 12 www.pontodosconcursos.com.br

×