A vida quotidiana
nos séc. XIII e XIV
Trabalho efetuado por:
António Oliveira nº4 5ºA
A vida quotidiana nos séc. XIII e XIV
• No século XIII os portugueses
estavam divididos em grupos
sociais, com deveres e d...
A NOBREZA
• A nobreza era o grupo dos guerreiros, a
quem competia a defesa do território e
ajudar o rei a fazer novas conq...
Distrações
• Quando não havia guerra, os nobres
divertiam-se nos seus castelos,
sempre a pensar na preparação para
as bata...
Torneios ou Justas
•     Faziam torneios ou justas,
combates entre si para saberem qual
deles era o melhor guerreiro. Mesm...
Outras distrações
• Outro dos divertimentos da nobreza
era ouvir cantigas de amor ou de
amigo e as de escárnio e maldizer,...
Alimentação dos nobres
• Faziam normalmente duas refeições, o jantar e a ceia, onde predominava a carne,
pão de trigo, vin...
O vestuário da nobreza
O Clero
• Grupo privilegiado que possuía terras,
não pagava impostos, recebia
impostos e aplicava a justiça nas suas
terra...
Outras atividades
• Para além dessa função
desempenhava outras tarefas, como
o ensino, já que era o único grupo
social, co...
Monges Copistas
• Copiar livros à mão, por vezes
exemplares únicos, era um trabalho
demorado e minucioso feito pelos
monge...
Afazeres
• O clero também fazia a guerra, através das Ordens religiosas – militares
como os Templários. Assim, tal como a ...
Vestuário
Habitação
•Clero secular: padres, bispos e cónegos que viviam junto da população nas aldeias
ou cidades;
•Clero regular: f...
Povo
• O povo era o grupo mais numeroso da sociedade (cerca de 90%), mas também o
mais pobre, extremamente pobre.
• Na sua...
Atividades
• O camponês, que era
completamente analfabeto, servia
de soldado em caso de guerra e
devia obediência, além do...
Distrações do povo
• Ída à missa, procissões e romarias.
Alimentação
• A alimentação do povo baseava-se em pão negro, feito de mistura de cereais ou
castanha, acompanhado por cebo...
Habitação
• Teto de colmo, paredes de madeira ou pedra, quase sem aberturas, e chão em
terra batida;
• Tinha só uma divisã...
Grupos Privilegiados
Clero Nobreza
Direitos
• Não pagavam impostos ao rei.
• Possuíam grandes terras.
• Tinham vários poderes, como: aplicar a justiça e rece...
Deveres
• O clero o seu principal dever era prestar serviço religioso.
• A Nobreza era a Guerra, defender o rei.
Grupo não privilegiado
Povo
Direitos
• Grupo social sem direitos,
só tinha obrigações…
Deveres
• Trabalhava muitas horas, de sol a sol,
e de forma muito dura.
• Do que produzia, uma grande parte
era entregue a...
BIBLIOGRAFIA
• http://hgp5.blogs.sapo.pt/998.html
• http://historiageografiadeportugal.blogspot.pt/2011/03/secu
lo-xiii.ht...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

António a vida quotidiana nos séc

738 visualizações

Publicada em

A Vida Quotidiana na Idade Média

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
738
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

António a vida quotidiana nos séc

  1. 1. A vida quotidiana nos séc. XIII e XIV Trabalho efetuado por: António Oliveira nº4 5ºA
  2. 2. A vida quotidiana nos séc. XIII e XIV • No século XIII os portugueses estavam divididos em grupos sociais, com deveres e direitos diferentes. Esses grupos eram o clero, a nobreza e o povo, sendo os dois primeiros grupos privilegiados. • O rei não é um grupo social, mas uma pessoa que, embora pertença à nobreza, governa toda a população.
  3. 3. A NOBREZA • A nobreza era o grupo dos guerreiros, a quem competia a defesa do território e ajudar o rei a fazer novas conquistas aos árabes, recebendo terras como recompensa. Quanto mais terras e gente tivesse às suas ordens, mais rico e poderoso era o nobre. • Nessas terras trabalhava o povo que, por isso, pagava impostos aos nobres, mas estes não pagavam impostos nenhuns ao rei. Além disso, o povo tinha que lhes obedecer, porque o nobre administrava a justiça nas suas terras.
  4. 4. Distrações • Quando não havia guerra, os nobres divertiam-se nos seus castelos, sempre a pensar na preparação para as batalhas. • Caçavam, animais como o urso, o veado ou o javali. A falcoaria, caça com o auxílio de aves de rapina, era praticada para capturar espécies mais pequenas, como coelhos, patos ou perdizes.
  5. 5. Torneios ou Justas •     Faziam torneios ou justas, combates entre si para saberem qual deles era o melhor guerreiro. Mesmo quando os nobres ocupavam o seu tempo a jogar xadrez estavam a preparar-se para a guerra porque este é um jogo de estratégia, inspirado no campo de batalha da Idade Média.
  6. 6. Outras distrações • Outro dos divertimentos da nobreza era ouvir cantigas de amor ou de amigo e as de escárnio e maldizer, cantadas pelos trovadores. Algumas destas cantigas foram escritas pelo próprio rei D. Dinis, um dos nossos primeiros poetas.
  7. 7. Alimentação dos nobres • Faziam normalmente duas refeições, o jantar e a ceia, onde predominava a carne, pão de trigo, vinho, queijo e um pouco de fruta.
  8. 8. O vestuário da nobreza
  9. 9. O Clero • Grupo privilegiado que possuía terras, não pagava impostos, recebia impostos e aplicava a justiça nas suas terras. • A principal função deste grupo era a religião.
  10. 10. Outras atividades • Para além dessa função desempenhava outras tarefas, como o ensino, já que era o único grupo social, com exceção de uns quantos nobres, que sabia ler e escrever.
  11. 11. Monges Copistas • Copiar livros à mão, por vezes exemplares únicos, era um trabalho demorado e minucioso feito pelos monges copistas.
  12. 12. Afazeres • O clero também fazia a guerra, através das Ordens religiosas – militares como os Templários. Assim, tal como a nobreza, também eles recebiam do rei muitas terras como recompensa da ajuda militar. • Outro dos seus afazeres, era cuidar dos doentes e dar assistência aos peregrinos. Neste tempo de grande fé e de guerras por causa da religião, o poder da igreja era imenso.
  13. 13. Vestuário
  14. 14. Habitação •Clero secular: padres, bispos e cónegos que viviam junto da população nas aldeias ou cidades; •Clero regular: frades (ou monges) e freiras que viviam nos mosteiros ou conventos.
  15. 15. Povo • O povo era o grupo mais numeroso da sociedade (cerca de 90%), mas também o mais pobre, extremamente pobre. • Na sua esmagadora maioria, o povo trabalhava na agricultura, mas quase nunca as terras eram suas. Por isso, pagava pesadas rendas e impostos ao dono da terra, fosse ele o rei ou um senhor do clero ou da nobreza.
  16. 16. Atividades • O camponês, que era completamente analfabeto, servia de soldado em caso de guerra e devia obediência, além do rei, ao senhor das terras onde trabalhava. • Com o correr dos tempos foi aumentando o número de concelhos, aí a situação do povo era diferente.
  17. 17. Distrações do povo • Ída à missa, procissões e romarias.
  18. 18. Alimentação • A alimentação do povo baseava-se em pão negro, feito de mistura de cereais ou castanha, acompanhado por cebolas, alhos ou toucinho. Apenas nos dias festivos havia queijo, ovos e bocados de carne.
  19. 19. Habitação • Teto de colmo, paredes de madeira ou pedra, quase sem aberturas, e chão em terra batida; • Tinha só uma divisão e havia pouca mobília; • Dormia-se num recanto coberto de molhos de palha.
  20. 20. Grupos Privilegiados Clero Nobreza
  21. 21. Direitos • Não pagavam impostos ao rei. • Possuíam grandes terras. • Tinham vários poderes, como: aplicar a justiça e receber os impostos dentro dos seus domínios. • Podiam recrutar homens para formar o seu exército.
  22. 22. Deveres • O clero o seu principal dever era prestar serviço religioso. • A Nobreza era a Guerra, defender o rei.
  23. 23. Grupo não privilegiado Povo
  24. 24. Direitos • Grupo social sem direitos, só tinha obrigações…
  25. 25. Deveres • Trabalhava muitas horas, de sol a sol, e de forma muito dura. • Do que produzia, uma grande parte era entregue ao senhor, como renda. • Devia ainda prestar ao senhor outros serviços, como a reparação das muralhas do castelo, e outros impostos, como os que devia pela utilização do moinho, do forno ou do lagar.
  26. 26. BIBLIOGRAFIA • http://hgp5.blogs.sapo.pt/998.html • http://historiageografiadeportugal.blogspot.pt/2011/03/secu lo-xiii.html

×