Docentes do CCT e EAD

994 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
994
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
63
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Docentes do CCT e EAD

  1. 1. PERCEPÇÃO DOS DOCENTES DO CCT COM RELAÇÃO À EAD Maria Lúcia Serafim - UEPB [email_address] Rodrigo Lins Rodrigues - UEPB [email_address] COLÓQUIO BRASILEIRO EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA GT05: Novas tecnologias na prática pedagógica
  2. 2. Introdução <ul><li> INTRODUÇÃO </li></ul><ul><li>Este estudo apresenta resultados parciais de pesquisa desenvolvida com docentes dos cursos de graduação do Centro de Ciências e Tecnologia – CCT, na UEPB, com relação a percepção construída por estes acerca da educação a distância – EAD. É relevante a investigação sobre as concepções dos docentes, sua compreensão e tratamento diante desta questão, pois é inegável que a educação a distância como ferramenta de educação de massas, vem gerando as mais diversas experiências e expectativas e se ampliando no âmbito tanto das universidades brasileiras como estrangeiras. </li></ul><ul><li>Tal realidade exige que sejam repensadas as propostas pedagógicas para a esferas do ensino superior, tomando como referência o avanço das tecnologias digitais, a forma de apropriação dessas tecnologias e o universo dos indivíduos que não apenas consomem em seu cotidiano imagens e outras representações mas se comunicam e usufruem desse universo. </li></ul>COLÓQUIO BRASILEIRO EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA GT: Novas tecnologias na prática pedagógica
  3. 3. Objetivo do estudo <ul><li>Traçar um perfil dos docentes do CCT em relação a percepção que têm sobre EAD, para que a instituição possa refletir e estruturar contextos de formação no âmbito de sua parcela formadora, criando ou solicitando condições, para formação continuada dos profissionais que nela atuam. </li></ul>
  4. 4. Fundamentação <ul><li>Ao final do Século XX, surge a possibilidade de uma EAD mais rápida, via uma combinação de telefone com o computador, via Internet.   O aparecimento da Internet e de cursos on-line no mundo globalizado vem possibilitando a oferta de conhecimento em todas as áreas.  </li></ul><ul><li>Surge assim,   a necessidade do  aprimoramento tecnológico  a cada dia que passa,  para acompanhar as mudanças educacionais.  Nessa concepção de educação, além de exigir a própria condição tecnológica, ela também exige o domínio das máquinas e de seus “softwares”. </li></ul>
  5. 5. Fundamentação <ul><li>Há ainda a predominância da lógica de transmissão de conteúdos prontos, e a forma como o tempo de aprendizagem do aluno é concebida ainda é dentro de uma relação prisioneira com os aspectos didáticos metodológicos de concepção tradicional. </li></ul><ul><li>Freire (1975) chamava a isso de “educação bancária”, aquela que deposita, transfere valores e conhecimentos, refletindo a sociedade opressora, favorecendo a “cultura do silêncio”. </li></ul>
  6. 6. Fundamentação <ul><li>Aprender significa muito mais do que reter informações esparsas ou desconexas e sem contexto e ensinar vai além da mera transmissão de um saber abstrato. </li></ul><ul><li>Portanto, na sociedade atual está se repensando esse modelo educacional, que não se vê sentido em continuar marcado no aprendiz como fogo na memória. </li></ul>
  7. 7. Fundamentação <ul><li>Segundo indicadores de qualidade para cursos de graduação a distância, a experiência com cursos presenciais não é suficiente para assegurar a qualidade da produção de materiais adequados aos meios de comunicação e informação. </li></ul><ul><ul><li>A produção de material impresso, vídeos, programas televisivos, radiofônicos, videoconferências, páginas web atende a uma outra lógica de concepção, de produção, de linguagem, de estudo e controle de tempo (BRASIL, MEC, 2001) </li></ul></ul>
  8. 8. Fundamentação <ul><li>A legislação da EAD em nosso país está em constante processo de transformação, tal como a própria dinâmica da educação e da educação a distância. </li></ul><ul><li>Diante de tantos dispositivos, limitações e vácuos existentes nas variadas questões que a envolvem como adequação da tutoria, avaliação, regras de distribuição, equivalência entre ensino a distância e ensino presencial e outras questões que estão sendo dado tratamento. O que se espera é que a burocracia imposta pela legislação seja resultado de zelo e responsabilidade pela política de EAD, o que refletido pelo ponto de vista pedagógico, toda esta discussão e estruturação legal é essencial para a credibilidade dos processos em EAD no país. </li></ul>
  9. 9. Metodologia <ul><li>Universo da pesquisa </li></ul><ul><li>Professores que fazem parte do conjunto de docentes da Universidade Estadual da Paraíba no Campus I no Centro de Ciências e Tecnologia – CCT. </li></ul>
  10. 10. Aplicação do instrumento de análise <ul><li>Aplicou-se questionário composto por questões semi-estruturadas,o método utilizado foi o de amostragem aleatória simples, que teve como objetivo obter uma parcela representativa da população estudada. </li></ul><ul><li>Nesse processo todos os elementos da população tiveram a mesma probabilidade de serem selecionados permitindo que qualquer subconjunto de n elementos de uma população constitui-se numa amostra de15 docentes dos cursos de graduação: Licenciatura em Computação, Engenharia Sanitária, Estatística, Licenciatura em Física, Matemática. </li></ul>
  11. 11. Tratamento e análise dos dados <ul><li>A análise dos dados foi realizada por meio da estatística descritiva de inferência, onde as variáveis utilizadas para avaliação, foram do tipo qualitativa. </li></ul><ul><li>Outras medidas estatísticas foram utilizadas para os objetivos propostos pela pesquisa, tais como; tabelas de distribuição de freqüências; histogramas, gráficos de barras múltiplas¸ diagrama de dispersão, onde foram feitos utilizando-se o software Excel. </li></ul>
  12. 12. RESULTADOS PARCIAIS DA PESQUISA Quanto ao Sexo 73% masculino, o que ainda é marca nos cursos em que esta pesquisa foi feita. Titulação acadêmica em 66,7% mestres como maioria na pesquisa.
  13. 13. As figuras apresentam o percentual de 67% de afirmações sobre o uso da Internet para pesquisa do professor, e de 53,3% de uso do msn, o que pode caracterizar como dados positivos de inserção, para que a instituição fundamente seu processo de formação com tecnologias e adense a qualidade do ensino dos alunos envolvendo os professores presenciais em experiências com o tempo das disciplinas desenvolvido também a distância.
  14. 14. Quando perguntados sobre a participação deles em cursos através da EAD responderam em 87% que já usufruíram dessa possibilidade, isso nos aponta que há na universidade um grupo de profissionais que poderão aprofundar seus conhecimentos na aceitação de cursos de formação nesta modalidade de aprendizagem. Já em relação ao aluno em cursos de EAD, têm percepção em 73% de que essa modalidade exige menos empenho do aluno.
  15. 15. Diante das Características da educação a distância os educadores se posicionaram da seguinte forma : I. A EAD pode atender, em geral, a uma população estudantil dispersa geograficamente e, em particular, àquela que se encontra em zonas periféricas, que não dispõem das redes das instituições convencionais. Há uma crença de 73% nessa possibilidade de atendimento.Pode-se inferir certa compreensão de sentido de inclusão pelo percentual apresentado
  16. 16. II.A EAD administra mecanismos de comunicação múltipla, que permitem enriquecer os recursos de aprendizagem e eliminar a dependência do ensino face a face. O percentual de 73% aponta para a possibilidade de uma instituição que possa utilizar múltiplos espaços para que o aluno continue estudando e aprendendo em outros ambientes que não somente nos horários das aulas presenciais.
  17. 17. III.Estabelece a possibilidade de personalizar o processo de aprendizagem, para garantir uma seqüência acadêmica que responda ao ritmo do rendimento do aluno. Frente a esta característica consideram 67% que o estabelecimento desta possibilidade não venha a garantir seqüência acadêmica ao aluno. O que se pode observar através da percepção dos professores é que este item tratado está em consonância com a crença construída de que o desempenho do aluno em EAD é menos exigido.
  18. 18. TECENDO ALGUMAS CONSIDERAÇÕES FINAIS <ul><li>As percepções dos professores acerca da educação a distância, sugerem pressupostos a se retomar: </li></ul><ul><li>Um deles é a questão da necessária articulação significativa entre a formação inicial destes e a formação continuada. Para que se percebam e se articulem como educadores de seu tempo, e assim possam fundamentados na ciência e na produção do conhecimento desenvolver estratégias mediadoras no processo de aprendizagem e de pesquisa, assimilando criticamente a relação educação e tecnologia digital; </li></ul><ul><li>O estudo ainda apresenta aspectos para que a instituição atente para o perfil de seu professorado e procure com eles superar a concepção de manutenção da transmissão do saber e neste sentido, buscar romper com a atitude do mestre que instrui, em favor do mestre que provoca a construção da aprendizagem em tempos de tecnologias versáteis. </li></ul>
  19. 19. REFERÊNCIAS <ul><li>BRASIL, MEC. Indicadores de qualidade para cursos de graduação a distância , Brasília, 2001. </li></ul><ul><li>CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede . Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1999. </li></ul><ul><li>FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido . Paz e Terra, Rio de Janeiro, 11975 </li></ul><ul><li>SILVA, M. Sala de aula interativa . 3. ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2002 </li></ul>

×