Resumos história (2º teste)

1.194 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.194
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumos história (2º teste)

  1. 1. Resumos História 1. A 1ª Guerra Mundial 1.1. Nomear as principais alterações no mapa político europeu decorrentes da Guerra Desaparecimento do Império Austro-Húngaro (novos estados: Áustria, Hungria e Checoslováquia), a Rússia perde o domínio da Finlândia e dos Estados Bálticos (Estónia, Letónia e Lituânia), aumento territorial da Sérvia (passa a chamar-se Jugoslávia), a Alemanha tem de ceder territórios à Bélgica, Dinamarca, França, Checoslováquia e Polónia 1.2. Indicar outras consequências políticas decorrentes da Guerra Aumento do número de repúblicas (redução do número de monarquias), triunfo da democracia parlamentar, fundação da Sociedade das Nações, crescimento dos impérios coloniais da França e Inglaterra, desaparecimento do império Alemão, formação da União Soviética (1º estado socialista do Mundo) 1.3. Relacionar o triunfo da democracia parlamentar com a vitória dos Aliados Os países Aliados eram países onde vigorava a democracia parlamentar, pelo que a sua vitória representou a vitória da própria democracia. 1.4. Definir “democracia parlamentar” Sistema político em que o poder reside no parlamento, eleito pelos cidadãos. 1.5. Identificar o mentor da SDN Woodrow Wilson (presidente dos EUA) 1.6. Nomear a conferência internacional de onde nasceu a organização acima referida Conferência de Paz em Paris (1919) 1.7. Apontar o objectivo central que presidiu à criação da SDN Defesa da paz e ordem internacionais (evitar uma catástrofe idêntica à Guerra Mundial) 1.8. Indicar outros objectivos da SDN Desarmamento dos países vencidos, defesa das minorias nacionais resultantes das alterações ao mapa político europeu, administrar as colónias dos vencidos, reforçar a cooperação entre todos os povos a nível económico, social e cultural. 1.9. Localizar no espaço a sede da organização Genebra, na Suíça 1.10. Explica o fracasso da Sociedade das Nações Ausência de uma força militar capaz de fazer impor a sua autoridade, não entrada dos EUA (oposição do seu parlamento) 1.11. Referir episódios comprovativos desse fracasso Ocupação da Manchúria pelo Japão (1932), invasão da Etiópia pelo Itália (1935), Guerra Civil Espanhola, violações de Hitler ao Tratado de Versalhes, 2ª Guerra Mundial 1.12. Distinguir a situação económico-financeira da Europa e dos EUA no pós-guerra Antes do conflito a Europa tinha uma economia próspera, sendo credora dos EUA. Terminado o conflito, os EUA assumem a liderança da economia mundial e passam a credores da Europa. 1.13. Explicar o aumento da emigração europeia nesse período Deveu-se à dramática situação económico-financeira do continente (desemprego e inflação) 1.14. Explicar a mini-crise económica dos EUA entre 1919-23 Deveu-se à adaptação da economia de guerra para a economia de paz (necessidade de proceder a uma reconversão do sector produtivo, quer no plano industrial quer no plano agrícola) 1.15. Citar a designação por que ficou conhecido na economia americana o período entre 1923-29 “Era da Prosperidade” (explosivo crescimento económico) 1.16. Enumerar razões da prosperidade americana no período em questão Riquezas naturais do país, estímulo ao consumo interno através do crédito bancário e de agressivas campanhas publicitárias, aumento da procura externa, financiamento da reconstrução europeia, novos métodos de organização e divisão do trabalho (aumento da produtividade, formação de grandes empresas e desenvolvimento da Bolsa) 2. A Revolução Socialista Soviética 2.1. Localizar no espaço o Império Russo Desde o Mar Báltico na Europa ao Oceano Pacífico na Ásia
  2. 2. 2.2. Caracterizar a Rússia pré-revolucionária nos planos político, económico e social No plano político, era uma monarquia autocrática liderada pelo czar Nicolau II. No plano económico tinha uma economia de base rural mergulhada numa crise quase permanente e uma indústria pouco significativa. No plano social, era marcada por grandes injustiças, sendo o grosso da riqueza nacional pertencente ao clero e à nobreza, enquanto que os milhões de camponeses que viviam na miséria. A classe operária era pouco numerosa e objecto de exploração e a burguesia era pouco numerosa e influente. 2.3. Descrever o contexto em que decorre a revolução de 1905 Derrota Russa na guerra contra o Japão, que deixou o czar Nicolau II bastante fragilizado 2.4. Apontar o objectivo central da referida revolução Transformar a Rússia numa monarquia parlamentar semelhante à inglesa 2.5. Indicar factores favoráveis à crise de 1917 Recusa do regime em fazer reformas e dar mais liberdade à população, situação agravada com as dificuldades económicas, a fome e falta de combustíveis geradas pela guerra, a que se juntam as humilhantes derrotas militares face à Alemanha 2.6. Identificar as duas revoluções de 1917 Revolução de Fevereiro e Revolução de Outubro 2.7. Apontar as principais consequências da Revolução de Fevereiro Deposição do czar Nicolau II, formação de um Governo Provisório dominado pelos partidos burgueses, manutenção da Rússia na guerra, formação dos Sovietes 2.8. Indicar as principais críticas de Lenine ao poder emergente da Revolução de Fevereiro Manter o país na guerra e defender os interesses da burguesia, esquecendo os operários e os camponeses 2.9. Definir “Sovietes” e “Guardas Vermelhos” Sovietes conselhos formados por soldados, operários e camponeses, dominados pelos Bolcheviques e que funcionavam como um poder paralelo ao Governo Provisório Guardas Vermelhos milícia armada dos Bolcheviques, formada por Trotsky e que foi determinante na vitória dos Bolcheviques na Revolução de Outubro) 2.10. Nomear o partido político que esteve na origem na Revolução de Outubro Partido Bolchevique (Comunista) 2.11. Identificar o filósofo alemão que serviu de guia ideológico aos Bolcheviques Karl Marx 2.12. Identificar as facções em confronto na Guerra Civil de 1918-23 Russos Brancos (monárquicos e inimigos dos Bolcheviques) e Russos Vermelhos (partidários de Lenine) 2.13. Definir “Comunismo de Guerra” Plano de reforma política e económica ensaiado por Lenine no contexto da Guerra Civil. Representa na prática a aplicação dos princípios da ideologia comunista 2.14. Referir as principais medidas integrantes do programa acima mencionado A nível político assinou-se a paz com a Alemanha, instaurou-se a ditadura do partido Bolchevique, o “Terror Vermelho” e criou-se a Tcheka (polícia política) e a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). A nível económico colectivizou-se a economia (fim do capitalismo e da propriedade privada) 2.15. Apontar as consequências resultantes da aplicação do “Comunismo de Guerra” Quebra acentuada da produção industrial e agrícola e entrada da Rússia numa grave crise de fome e numa enorme agitação social 2.16. Definir “NEP” Programa económico apresentado por Lenine com o objectivo de combater os efeitos negativos do Comunismo de Guerra 2.17. Enumerar as medidas integradas na NEP Restauração da pequena propriedade agrícola e devolução das pequenas fábricas 2.18. Mencionar as consequências resultantes da aplicação da NEP Melhoria da situação económica e uma acalmia social que reforçou o poder bolchevique 2.19. Identificar os protagonistas da luta pela sucessão de Lenine Estaline e Trotsky 3. A 1ª República 3.1. Identificar o regime político vigente em Portugal nos finais do séc. XIX Monarquia Constitucional
  3. 3. 3.2. Expor os factores da decadência da Monarquia Constitucional nos finais do dito século Agravamento da crise económica e financeira, instabilidade governativa, corrupção dos políticos, desenvolvimento das ideias republicanas, fundação do Partido Republicano (1876), crise gerada pelo Ultimato Inglês (1890) e Regicídio 1908 3.3. Apontar o principal objectivo que presidiu à criação do Partido Republicano em 1876 Derrube da Monarquia e proclamação da República 3.4. Nomear os meio usados pelos republicanos na luta contra a Monarquia Propaganda através da imprensa, realização de grandes manifestações nacionais (300 anos da morte de Camões e 100 anos da morte do Marquês de Pombal) 3.5. Explicar o significado das seguintes datas: “31 de Janeiro de 1891” e “5 de Outubro de 1910” 31 de Janeiro de 1891 tentativa fracassada de implantar a República no Porto 5 de Outubro de 1910 triunfou a revolta liderada pelo Partido Republicano, que terminou com a proclamação da República 3.6. Enquadrar cronologicamente a 1ª República 5 de Outubro de 1910 a 28 de Maio de 1926 3.7. Identificar a Constituição que consagrou juridicamente a república Constituição de 1911 3.8. Apresentar os principais órgãos do estado republicano Poder legislativo pertencia ao Congresso, dividido em duas Câmaras: Senado e Câmara dos Deputados Poder executivo pertencia ao Ministério (governo) e ao Presidente da República (eleito por sufrágio indirecto para um mandato de 4 anos) Poder judicial juízes e tribunais 3.9. Comprovar o carácter parlamentarista da República O Parlamento era o órgão do poder mais importante, dele dependendo o Presidente da República, a cuja eleição procedia, e o Ministério. 3.10. Caracterizar sob o ponto de vista político o regime republicano A República não só não trouxe a estabilidade política como a agravou. Houve uma constante queda de governos (45 em 16 anos), resultante da inexistência de maiorias parlamentares e da rivalidade entre os principais dirigentes políticos. Foi agravada pelas tentativas de restaurar a monarquia, pelas frequentes intervenções dos militares na vida política e pela corrupção dos políticos. 3.11. Descrever a atitude dos republicanos face ao clero Perseguição à igreja, (esta era uma das grandes responsáveis pela decadência em que se encontrava Portugal). São tomadas diversas medidas anti-clericais (“Lei do Divórcio”, proibição do ensino religioso nas escolas, expulsão dos jesuítas, submissão do clero ao governo, etc.) 3.12. Mencionar as razões da intervenção portuguesa na 1ª Guerra Mundial ao lado dos Aliados Solidariedade para com os regimes democráticos, defesa das colónias africanas ameaçadas pelo imperialismo alemão e inglês, aliança luso-britânica e necessidade de obter o reconhecimento internacional do novo regime. 3.13. Nomear os teatros de guerra em que Portugal participou Guerra em África (norte de Moçambique e sul de Angola) e na Frente Ocidental

×