Resumos físico química (3º teste)

7.085 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.085
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
249
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumos físico química (3º teste)

  1. 1. Resumos Físico Química 1. 2º Lei de Newton Enunciado da Lei a força resultante do conjunto das forças que actuam num corpo produz nele uma aceleração com a mesmadirecção e o mesmo sentido da força resultante, que é tanto maior quanto maior for a intensidade da força resultante. Corpos com massa constanteIntensidade da força aumenta  aceleração aumenta Corpos com a mesma intensidadeMassa do corpo diminui  aceleração aumenta Movimentos Rectilíneos Uniformemente Alterados Movimento Rectilíneo Uniformemente Acelerado Os vectores e têm sentidos iguais (o mesmo do movimento). Movimento Rectilíneo Uniformemente Retardado Os vectores e têm sentidos iguais (o oposto ao do movimento). 2. Lei da Acção-reacção Não há um único corpo próximo da superfície da Terra que não esteja sujeito a forças. As forças descrevem a interacção entre dois corpos, actuando sempre aos pares. Realmente, quando um corpo exerce uma força sobre outro, o segundo exerce também uma força sobre o primeiro. Qualqueruma das duas forças pode ser chamada acção, sendo a outra designada por reacção. O conjunto das duas forças constitui umpar acção-reacção. As forças que constituem um par acção-reacção podem actuar por contacto ou à distância e são assim caracterizadas:  têm a mesma direcção  têm sentidos opostos  têm a mesma intensidade  estão aplicadas em corpos diferentes; uma em cada corpo  têm a mesma linha de acção Página | 1 | Ana Neiva |
  2. 2. Resumos Físico Química 3. Forças de atrito Força de atrito força que ocorre devido à fricção entre as superfícies. É uma força que se opõe ao movimento. Tem sentidooposto ao movimento.  O atrito pode ser útil ou prejudicial O atrito é útil para O atrito é prejudicial para Caminhar Patinagem no gelo Aderir os carros à estrada Aumentar a velocidade dos carros em corrida Desintegrar os asteróides que entram na atmosfera do nosso planeta Reentrada das naves na atmosfera terrestre Apagar o lápis com uma borracha  O atrito aparece em várias situações do dia-a-dia como  Quando se apaga com uma borracha  Quando se arrasta uma caixa no chão  Quando a sola dos sapatos não escorrega  O atrito depende  da aderência entre as superfícies  Quanto mais rugosas forem as superfícies, maior é a força de atrito  do peso do corpo que se move  Quanto maior for o peso do corpo que se move, maior é a força de atrito  Para reduzir o atrito  Alterar a forma das superfícies em contacto Ex.: os carros de Fórmula 1 e os aviões têm uma forma aerodinâmica para diminuir o atrito com o ar  Alterar a rugosidade das superfícies em contacto Ex.: as estradas em alcatrão reduzem o atrito, enquanto que as estradas em terra batida têm um atrito muito grande  Substituir o atrito de escorregamento pelo atrito de rolamento Ex.: ao empurrar uma caixa pelo chão, usar umas rodas para diminuir o atrito  Alterar a natureza das superfícies em contacto Ex.: as dobradiças das portas são lubrificadas para perderem atrito e facilitarem o movimento  Para aumentar o atrito  Aumentar a rugosidade e o relevo das superfícies em contacto Ex.: o relevo de um pneu ou as correntes aumentam o atrito facilitando o movimento na estrada  O atrito pode ser representado vectorialmente  Mesma direcção que o movimento  Sentido oposto ao movimento  As forças (atrito e movimento) são aplicadas no mesmo corpo 4. Momento de uma força Movimento de rotação quando um corpo roda em torno de um ponto ou eixo, efectuando os vários pontos do corpotrajectórias diferentes. Página | 2 | Ana Neiva |
  3. 3. Resumos Físico Química  Para facilitar o movimento de rotação  Aumentar o braço de força (espaço entre o eixo de rotação e o local onde é aplicada a força)  Aumentar a força aplicada  Aplicar a força de rotação perpendicularmente ao eixo rotativo  A medida do efeito rotativo de uma força é dada por uma grandeza física a que se chama momento da força. A unidade SI para momento de força é N x m (Newton por metros)  Alavanca barra rígida que gira em torno de um eixo ou ponto fixo, o fulcro, na qual são aplicadas duas forças: a força que se pretende vencer, a resistência, e a força que é necessário exercer para vencer a primeira, a potência. Uma alavanca está em equilíbrio quando os momentos das duas forças, potência e resistência, são iguais. 5. Equilíbrio dos corpos Um corpo apoiado está em equilíbrio enquanto a vertical traçada pelo centro de gravidade passar pela base de apoio. Oequilíbrio dos corpos apoiados pode ser estável, instável ou indiferente. O equilíbrio dos corpos apoiados é tanto mais estável quanto:  mais próximo da base de sustentação estiver o centro de gravidade;  maior for a área da base de sustentação. Para evitar problemas por causa da estabilidade deve evitar-se:  Ter pilhas muito altas sobre meios de transporte (camiões com muito mercadoria) 6. Impulsão Quando mergulhamos qualquer objecto na água, temos a sensação de que se torna mais leve. Parece-nos que algo empurraesse objecto para cima. Foi há mais de dois mil anos que o sábio grego Arquimedes descobriu que os corpos mergulhados em líquidos ficam sujeitos auma força de baixo para cima, designada por impulsão.  O valor da impulsão depende  do volume dos corpos  da densidade do fluido, líquido ou gás, em que os corpos se encontram Página | 3 | Ana Neiva |
  4. 4. Resumos Físico Química A impulsão pode ser calculada a partir de uma expressão matemática. A unidade SI da impulsão é N (Newton). Opeso real é o peso fora do líquido e peso aparente é o peso dentro do líquido. A densidade também pode ser útil no cálculo da impulsão. A unidade SI é g/cm3 (grama por centímetro cúbico) Lei de Arquimedes qualquer corpo mergulhado num líquido recebe da parte deste uma impulsão vertical, de baixo paracima, de valor igual ao do peso do volume de líquido deslocado. Página | 4 | Ana Neiva |

×