O AROEIRAAno XVIII - Nº 201
1ª quinzena de
novembro de 2015
Edição concluída
12/11/2015
REGIONAL
Não quebra, não verga, nã...
O AROEIRA 2
presença do homem
na sua articulação
com a sociedade civil,
que atinge a classe
dominante, gerando
uma unidade...
O AROEIRA 3Novembro de 2015
Pauta do 1° Encontro de
ambientalistas de Anastácio
2.Andamento das obras do Aterro
Sanitário ...
O AROEIRA 4 Novembro de 2015
Para Zeca, reforma ministerial começa surtir
efeito e Dilma consegue sustentação na Câmara
Ze...
ÁREA DO CAMPO DE FUTEBOL
O AROEIRA 5Novembro de 2015
de fundos pertencem a
uma especulador que
não foi identificado,
enqua...
O AROEIRA 6 Novembro de 2015
Movimento PT em ação
Falta de pavimentação revolta moradores do Lídio Barbiere
legitimo repre...
Conte com SALEMAQ
EMPRÉSTIMOS E CONSIGNAÇÕES
para realizar seus sonhos
 Um jeito rápido de conseguir crédito, sem avalista...
O AROEIRA 8 Novembro de 2015
Professores da UFMS reúnem-se para
discutir alternativas para a Universidade
docentes, 18.000...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aroeira201 Edição Primeira Quinzena de Novembro de 2015

146 visualizações

Publicada em

Jornal Popular de Anastácio em defesa do meio ambiente e de avaliação e sugestões de políticas públicas para o município de Anastácio, Mato Grosso do Sul, Brasil

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
146
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aroeira201 Edição Primeira Quinzena de Novembro de 2015

  1. 1. O AROEIRAAno XVIII - Nº 201 1ª quinzena de novembro de 2015 Edição concluída 12/11/2015 REGIONAL Não quebra, não verga, não apodrece Ambientalistas Realizaram o Primeiro Encontro em Anastácio Nota Pública Anastácio. Aldirio Sergio Rodrigues, ambientalista representante da fundação nacional de saúde. (FUNASA), dirigiu à palestra aos participantes sobre o meio ambiente na Câmara de vereadores em Anastácio MS, enfatizando a responsabilidade do poder público Municipal reunião das suas principais lideranças e correntes internas para discutir o processo eleitoral de 2016. A partir da orientação nacional do PT para candidaturas competitivas, se optou por convite a minha pré-candidatura em função do meu histórico eleitoral e do resultado das últimas eleições, que me fez o deputado federal mais votado na Capital. em conscientizar as pessoas do município sobre os cuidados que devemos ter com o espaço em que vivemos. O palestrante trouxe informações valiosas sobre os projetos financiados para Anastácio com recursos do governo federal na ordem de três milhões de reais para a recuperação e Tendo em vista o momento difícil dos partidos políticos, em particular do PT, resolvi aceitar o convite para aprofundar o debate, condicionando-o a: 1 - Unificação de todas forças internas do Partido dos Trabalhadores em torno deste projeto com a presença das principais lideranças do PT 2- Composição de uma coligação eleitoral forte 3 - Uma chapa de vereadores e canalização do córrego Pedra Preta, outro projeto importante para o município é o esgotamento sanitário e o saneamento básico no valor de cinco milhões de reais também com recursos do governo Dilma do PT. (Ver mais na página 2) vereadoras competitiva 4 - Condições minímas de uma estrutura para campanha eleitoral Por fim, reafirmo os compromissos com os atendimentos aos movimentos sociais, populações quilombolas, indígenas e trabalhadores e trabalhadoras da agricultura familiar. Deputado Federal Zeca do PT s Ambientalistas Ode Anastácio através do Editor do Jornal O Aroeira Marcelo Nunes, coordenado pelo Movimento PT reuniu um publico de aproximadamente 30 pessoas para o 1° Encontro de Ambientalistas em Anastácio no dia 23 de outubro de 2015 com o apoio do P.V (Partido Verde). Nessa reunião assumimos o desafio de nos prepararmos para construir coletivamente a política ambiental de Anastácio unindo o PT, o PV objetivando juntos diagnosticarmos e encontrarmos a solução para as questões ambientais. Compondo a mesa, O momento político que vive o Partido dos Trabalhadores, perseguido pelas Adão Salemaq pelo Partido Verde, e o Prof. Luiz Carlos Batista pelo Partido dos Trabalhadores, o presidente do PV Adão Salemaq abriu o encontro a saudando os participantes e falou sobre os efeitos nocivos da degradação ambiental em elites, pela grande mídia e pelo judiciário, fez com que o Diretório Estadual convocasse uma Prof. Luiz PT, Adão Salemaq PV e Aldirio representante da FUNSASA Participantes no evento aguardando início do 1° Encontro Municipal de Ambientalistas lendo o Jornal O Aroeira
  2. 2. O AROEIRA 2 presença do homem na sua articulação com a sociedade civil, que atinge a classe dominante, gerando uma unidade pouco comum na relação da burguesia com a classe trabalhadora. Os detentores dos meios de produção que intervém no espaço degradando-o e utilizam-se tão facilmente do discurso ecológico para mobilizar e sensibilizar os trabalhadores para determinadas causas, constituem-se em oportunistas que se aproveitam para usufruir de seus interesses próprios usando-nos como cobaias. No caso das cidades do porte de Anastácio onde moramos retratada pela pauta proposta para esse evento onde constatamos que a degradação ambiental existe tanto no meio urbano como rural e que lamentavelmente não conta com o apoio do poder publico municipal. Desejamos a todos os presentes uma boa reunião e que a partir desse primeiro encontro ocorram tantos outros se fizerem necessários. Ver mais na pag. 3 comunicação, toma as ruas e as Universidades, tornando-se um dos temas mais amplamente discutidos mundo afora. A questão ambiental passa a ser encarada de maneira mais objetiva pelos ecologistas, deixando de ser um fato meramente físico para ser inserido em um contexto político social que o encerra, enfraquecendo assim a visão idealista que permeia ainda o movimento ambiental, a da defesa do verde pelo verde, mas devemos considerar a representante do Movimento OPT Prof. Luiz se manifestou nesse encontro destacando que a questão ambiental não é, absolutamente, uma novidade. Há muito tempo o problema de ar poluído, de barulho, de água infectada, do acumulo de lixo, da insalubridade, vem sendo sentido pelos setores mais desprivilegiados da sociedade, nas favelas, nos bairros periféricos dos grandes centros urbanos, nas zonas industriais. Se por um lado os benefícios são privilégios de alguns, o mesmo já não se pode constatar em relação aos problemas ambientais gerados como subproduto dessa condição anterior. O crescimento econômico de poucos, expõe agora a problemas ambientais seríssimos não só para a classe trabalhadora, atingindo também a classe média, e os mais abastados (ainda que não com a mesma intensidade). Assim, a questão ambiental passa a ser preocupação generalizada, e invade os meios de Novembro de 2015 EXPEDIENTE O AROEIRAO AROEIRAO AROEIRAO AROEIRA JORNAL O AROEIRA CNPJ 20.547.710/0001-970 Administração e redação: Av. Manoel Murtinho, 1.034 - Anastácio-MS Fone: 3245-2243 Editor: Félix Nunes e-mail: felixnunes@hotmail.com Tesoureiro: Marcelo Félix Nunes Fotos desta edição: Félix Nunes e arquivo Publicação com distribuição no sudoeste. 1º Encontro Ambientalistas Marcelo Felix Ambientalista e diretor do jornal O Aroeira As margens do Córrego Pedra Preta invadida pelas construções Possíveis impactos com a canalização do Córrego Pedra Preta e nossa proposta de recuperação hidrológica além de exterminar a biota dos rios e das baixadas, não resolve o problema, pelo contrario, iremos cometer os mesmos erros de São Paulo e outras cidades que desaparecem debaixo d’água com as inundações, além do não perdoa as agressões que sofre ignorância das leis naturais é nosso maior pecado ambiental. A solução é aprender com os mecanismos de controle que a própria natureza desenvolveu. Vamos assim economizar vidas e dinheiro. A recolocação das famílias urbanas que invadiram as margens dos córregos e rios, tem um custo financeiro, a ONU e o FMI através dos seus bancos parceiros Mundial e o BID deveriam colaborar com essa ação ao invés de financiar a canalização dos córregos. impacto visual e a piora das condições do ecossistema, também diminui atratividade de lazer de águas correntes para recreação e da um mal exemplo para educação ambiental uma vez que o córrego recuperado e renaturalizado, é uma ferramenta a mais para os professores introduzir uma cultura sustentável nos alunos. O esforço de todos, ações inteligentes e políticas ambientais responsáveis são fundamentais para a harmonia entre o homem e a natureza. A nossa proposta é tirar os esgotos dos córregos, diminuir o cimento nos quintais e calçadas, o desmatamento, os movimentos de terra que diminui o leito dos rios a ocupação urbana que rouba o leito dos rios, etc. As margens dos rios e córregos de Anastácio precisam ser recuperados, a natureza canalização provoca Amodificações indiretas como impermeabilização, diminuindo a capacidade de infiltração tornando o escoamento superficial mais intenso e rápido aumentando a vazão
  3. 3. O AROEIRA 3Novembro de 2015 Pauta do 1° Encontro de ambientalistas de Anastácio 2.Andamento das obras do Aterro Sanitário para Anastácio e Aquidauana. Foto da Placa no local das obras da unidade de processamento do lixo de Anastácio em completo abandono Na reunião esse ponto de pauta foi discutido e o Secretario de Planejamento Urbano explicou que a obra de tratamento de lixo já esta concluída em Anastácio, faltam apenas o investimento do município no valor de 250 mil reais para obras complementares para colocar em funcionamento a Usina de Tratamento de Resíduos (Aterro sanitário Municipal) Foto do treino no campo da Aldeinha de Anastácio da equipe de futebol feminino da etnia terena que representou o MS nos jogos internacionais indígenas Sentimos a ausência dos indígenas nessa reunião, mas observamos que a entrevista com o cacique Enéias divulgado pela edição 199 do jornal O Aroeira incomodou a administração municipal que promoveu uma reunião com as lideranças indígenas visando encontrar uma solução para o problema da área indígena ocupada por propriedades particulares. 1.Criação de uma APP (Área de Proteção Permanente) para a Aldeinha em Anastácio, 4.Saneamento básico e Ambiental esgotamento sanitário e uma estação de tratamento de esgoto para Anastácio Falta do saneamento básico e o lançamento do esgoto sanitário direto no Rio Aquidauana Dados da Secretaria de Planejamento Urbano de Anastácio informam que o município possui apenas 12% de esgotamento sanitário. Estão em andamento obras de captação e construção de uma estação elevatória para o tratamento do esgoto em Anastácio orçadas em 5 milhões de reais já licitados dependendo apenas de alguns ajustes técnicos no projeto para liberação, mesmo com essas obras a previsão é de que o saneamento básico do município atinja 19% das residências O Secretário de Planejamento urbano informou na reunião que investimentos na ordem de 3 milhões de reais estão sendo destinados para a canalização do córrego Pedra Preta, e foi questionado pelo ambientalista Marcelo Felix afirmando que a simples canalização poderá matar o rio definitivamente porque essa canalização limitara sua sobrevida a um canal. 5.Recuperação de áreas degradadas em Aquidauana e Anastácio Recuperação das matas ciliares em áreas degradadas nos córregos do município pelo avanço da urbanização Nesse item da pauta foi constatado que as iniciativas de canalização dos córregos que cortam o município inviabilizam a recuperação das matas ciliares desses mananciais de água existentes na cidade de Anastácio, bem como a arborização dos novos conjuntos habitacionais pelo poder publico municipal que alega o fornecimento de mudas de ipês para atender os moradores do conjunto Cristo Rei foi questionado pelos presentes nesse encontro que o fornecimento dessas mudas deveria ser acompanhado de um processo de educação ambiental para que essas mudas possam sobreviver. Não basta apenas dar as mudas mais as mesmas devem ser tratadas para que cresçam e floresçam no futuro. 6.Criação de espaços educadores sustentáveis para a prática de educação ambiental no ambiente escolar e nos órgãos públicos Contato com a natureza aula de campo de educação ambiental Esse item da pauta não foi abordado na reunião ficou prejudicado pela ausência dos alunos e dos educadores das escolas Romalino Alves de Albres, Carlos Drumond e Roberto Scaff que foram convidados, confirmaram a participação e não justificaram sua ausência. 7.Processo de implantação, arrecadação e aplicação do ICMS ecológico municipal em Anastácio e Aquidauana. Unidades de conservação asseguraram a Alcinópolis o maior indíce do ICMS Ecológico em MS (Foto: Reprodução/TV Morena Esse item da pauta também não foi abordado por faltar informações dos órgãos públicos do município responsável pela área porque a Secretaria de Planejamento Urbano possui na sua estrutura administrativa a coordenadoria de meio ambiente, mas não dispõe de técnico habilitado para essa tarefa tão importante para o desenvolvimento de uma política ambiental municipal. 3.Poluição e degradação ambiental nos córregos de Aquidauana e Anastácio. Foto do assoreamento dos córregos de Anastácio e contaminação pelo lixo dos córregos
  4. 4. O AROEIRA 4 Novembro de 2015 Para Zeca, reforma ministerial começa surtir efeito e Dilma consegue sustentação na Câmara Zeca do PT visita Aquidauana e Anastácio para defender candidaturas próprias do PT presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), crítico ferrenho da presidente, ponderou que é preciso cautela para analisar novo pedido, que inclui parecer do TCU (Tribunal de Contas da União) sobre pedaladas fiscais de 2015, que para o parlamentar, por si só não configuram, necessariamente, caso de impeachment. Para Zeca, não só a declaração de Cunha, mas o clima “sereno” na Câmara se deve à partidos de oposição nesta quarta-feira (21) não surtiu efeito avalanche esperado, ao menos, é o que pensa o deputado federal e ex- reforma ministerial de Dilma que começa mostrar primeiros efeitos colaterais. A presidente com reforma ampliou espaço do PMDB no governo em busca de coalisão com base aliada na Câmara. “Eu particularmente estou contente com base de apoio da presidente que está se articulando melhor, a reforma começa se expressar nos partidos de sustentação do governo”. governador de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT. “O clima na Câmara está mais tranquilo, o que tem trazido agilidade aos trabalhos da Casa”. Assinado pelo jurista Helio Bicudo, pelo ex- ministro da Justiça no governo Fernando Henrique, Miguel Reale Júnior e por Janaína Conceição Paschoal, o pedido tem apoio dos partidos de oposição a Dilma: PSDB, DEM, SD, PPS e PSC. Porém, até mesmo pedido de impeachment Ocontra presidente Dilma Rousseff (PT) protocolado pelos ZECA DO PT O FEDERAL DO POVO Zeca do PT sugere Lei de Incentivo ao Esporte para reformar Jacques da Luz e Morenão argumento Zeca do PT. O parlamentar lembrou, que por meio dessa iniciativa, instituições e entidades públicas e privadas sem fins lucrativos têm até o dia 31 de outubro para apresentar projetos esportivos ou de reforma e construção de espaços desportivos com doações, que podem ser deduzidas no imposto de renda de empresas e pessoas físicas. "É uma iniciativa que pode resolver os problemas dos estádios na Capital, sem comprometer os recursos dos orçamentos do município e da E outra reunião com a mesma pauta em Anastácio MS no Assentamento São Manoel onde está boa parte dos dirigentes do PT em Anastácio, inclusive o presidente do PT João Luiz de Lima. Zeca convocou uma universidade. São milhões de reais que podem ser captados, e ficarem diretamente em Campo Grande para atender essa demanda esportiva. Temos o campeonato estadual e Copa do Brasil ano que vem, é uma vergonha os times daqui terem que jogar em outras cidades", finalizou Zeca do PT. O estádio Jacques da Luz foi inaugurado em 2003, pelo deputado Zeca do PT, no seu segundo mandato como governador (2003-2006), com capacidade para 4,5 mil pessoas sentadas, cabines de imprensa, reunião com as lideranças do PT no município e uma reunião livre com todos os assentados da São Manoel e do Monjolinho em Anastácio. Zeca enfatiza a necessidade do PT disputar as eleições deputado federal Zeca do PT irá Osugerir ao prefeito Alcides Bernal (PP) e a reitora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Célia Maria, a utilizarem a Lei Federal de Incentivo ao Esporte para fazer a adequações necessárias nos estádio Jacques da Luz e Pedro Pedrossian, o Morenão. "Precisamos liberar o Morenão que está sem jogos há quase dois anos e melhorar estrutura do estádio Jacques da Luz para que possa atender adequadamente ao futebol profissional de Campo Grande", deputado federal Zeca Odo PT agendou uma visita aos assentados do projeto de Assentamento Indaiá para tratar da conjuntura para as eleições municipais de 2016 para Aquidauana. dirigentes dos clubes profissionais de futebol se reuniram com o prefeito Alcides Bernal para pedir reformas no Estádio Jacques da Luz, na Moreninhas para o Estadual 2016. vestiários, além de dispor de um campo com dimensões oficiais (90 metros por 60 metros). Foram investidos na época R$ 984 mil na construção do estádio. No início de outubro, de 2016 com candidatura própria buscando articular uma aliança com os partidos de oposição a atual gestão municipal desgastada pelo fracasso das ações e na construção do diálogo com a população.
  5. 5. ÁREA DO CAMPO DE FUTEBOL O AROEIRA 5Novembro de 2015 de fundos pertencem a uma especulador que não foi identificado, enquanto os lotes, 4, 5 e 6 medindo cada um 25 metros de frente por 35 metros de fundos também não se conhece o proprietário, os lotes 13 e 14 medindo 11 metros de frente por 43,62 metros de fundo e os lotes 15,16 e 17 que medem 14,50 metros de fundo por 30 de fundos pertencem a um advogado da cidade e os lotes 7, 8 e 9 já encontram-se edificados com um hotel a prefeitura também detém uma área que é a quadra 44 com 3.729 m2. O movimento indígena (PR/MS) com a vice- presidência e a deputada Antonieta Amorim (PMDB/MS) com a relatoria. Os demais membros titulares são os deputados professor Rinaldo Modesto (PSDB/MS) e Paulo Corrêa (PR/MS). Os suplentes são, respectivamente, Amarildo Cruz (PT/MS), Renato Câmara (PMDB/MS), Felipe Orro (PDT/MS) e Beto Pereira (PDT/MS), indicados por suas bancadas partidárias. Como primeiro encaminhamento o deputado João Grandão, em concordância com os demais membros da comissão, definiu que as reuniões passem a ser realizadas às quintas- feiras, às 14 horas, a começar da próxima semana, a princípio no Plenarinho. De acordo com o parlamentar, as investigações deverão ser conduzidas com tranquilidade e em conformidade com o que preconiza o Regimento Interno da Assembleia Legislativa. “Este não será um debate fácil, mas teremos de ter muita tranquilidade e humildade para contar com o apoio de todos, do Executivo, do Judiciário e da sociedade como um todo, para não cometermos injustiças. Nossa missão é fazer um debate justo, isento de qualquer questão política, partidária ou ideológica, dentro do que preconiza o rito interno desta Casa de O parlamentar, proponente da comissão, foi conduzido por maioria de votos ao comando da comissão, que tem a missão de apurar a ação/omissão do Estado nos casos de violência praticados contra os povos indígenas entre 2000 e 2015 no Mato Grosso do Sul. da aldeinha esta se mobilizando solicitando que a prefeitura regularize a área através da criação de uma APP (Área de Aldeinha de Anastácio tem no Acampo de futebol sua principal área de lazer para servir a comunidade indígena urbana do município. Como podemos ver no mapa do campo de futebol que pertence a comunidade indígena encontra-se toda loteada por especuladores que invadiram aquela área que tradicionalmente serviu de um cemitério indígena no passado. Conforme podemos observar no mapa os lote 1, 2, 3, medindo 12 metros de frente por 25 metros de fundo e os lotes 10,11,12 que medem 11 metros de frente por 43,62 metros deputado estadual João OGrandão (PT/MS) foi eleito presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará a ação/omissão do Estado nos casos de violência praticados contra os povos indígenas entre 2000 e 2015 no Mato Grosso do Sul. Em reunião realizada na manhã desta quinta- feira (5) no Plenarinho Nelito Câmara, na Assembleia Legislativa, o deputado foi conduzido por maioria de votos ao comando da comissão, ficando a deputada Mara Caseiro Na justificativa da proposta, que também contou com a assinatura dos parlamentares Beto Pereira (PDT), Lídio Lopes (PEN), Onevan de Matos (PSDB) e Zé Teixeira (DEM), os deputados proponentes citaram casos de mortes de indígenas em várias regiões de Mato Grosso do Sul. Segundo eles, é necessário ouvir representantes de “segmentos sociais e de serviços públicos” para apurar os fatos. A CPI foi oficializada pelo Ato 9/15, de 14 de outubro deste ano, da Mesa Diretora. Regimentalmente, os integrantes da comissão tem 120 dias para concluir os trabalhos, prazo que pode ser prorrogado por igual período. Assessoria de Comunicação Daniel Machado - MTB 31.676/6 Leis”, antecipou. “Apesar de ter sido um dos proponentes desta CPI, que investiga a ação e omissão do Estado nos casos de violência contra os indígenas entre 2000 e 2015, tenho a consciência de que esta comissão é fruto de uma demanda da sociedade e do clamor dos movimentos sociais, terá grande cobertura da imprensa e opinião pública de todo o País, por isso é grande minha responsabilidade de comandar essa missão e espero fazê-la com diligência e sabedoria”, finalizou. A criação da CPI para investigar a responsabilidade do Estado, pela ação ou omissão, em ocorrências de violência contra os povos indígenas, foi requerida pela bancada do PT na Assembleia Legislativa, em especial pelos deputados João Grandão e Pedro Kemp. particulares da região. Abaixo publicamos a foto de um croquis da área loteada e contestada pelos indígenas. Proteção Permanente) na área garantindo e incorporando essas terras como indígena retirando os proprietários Aldeinha de Anastácio Sofre com Especulação Imobiliária João Grandão comandará CPI que investiga violência contra indígenas em MS nos últimos 15 anos Foto:VictorChileno/ALMS
  6. 6. O AROEIRA 6 Novembro de 2015 Movimento PT em ação Falta de pavimentação revolta moradores do Lídio Barbiere legitimo representante da comunidade negra de Aquiidauana e Anastácio e fez na sua exposição uma analise da conjuntura internacional enfatizando que a questão do negro na sociedade não deve ser tratada como um simples movimento de minorias, mas devemos entender que os negros e seus descendentes constituem a maioria da população brasileira. O mundo atravessa atualmente um processo de Globalização do consumo e internacionalização do capital nesse modelo devemos mobilizar nós afros descendentes para que o movimento de consciência negra atinja a todos aqueles que defendem propostas para compor um programa alternativo de governo para Anastácio e para o Brasil, através de politicas publicas de ajustes sociais incorporando o negro nesse processo através da criação de coordenadorias de politicas afirmativas que busquem atender a comunidade negra naquilo que eles tem de especifico. Politicas que combatem a discriminação racial e o preconceito através da abertura de espaços de inserção do negro na sociedade através da criação de um feriado no dia 20 de novembro para homenagear o maior líder negro da historia brasileira Zumbi dos Palmares. oi proposta também nessa reunião uma Fvisita à comunidade Furnas dos Baianos de Aquidauana no dia 20 de novembro de 2015 para colher as reivindicações daquela comunidade visando construir um programa alternativo que atenda os interesses dos negros que habitam o Mato Grosso do Sul em especial Aquidauana e Anastácio. o dia 1º de novembro de N2015 as 09:00 horas reuniram-se O Prof. Luiz, Daniel Pereira dos Santos e Adelino Ocampos membros do Movimento PT de Anastácio com representantes do PT de Aquidauana Gustavo Gauto, o presidente do DSE do campus de Aquidauana da UFMS Pedro Vasconcelos e o editor do Jornal O Aroeira Marcelo Felix Nunes filiado do PV. O Prof. Luiz representando o Movimento PT abriu a reunião saudando os presentes e apresentou o estudante de Geografia Pedro Vasconcelos e presidente do Diretório Setorial dos Estudantes do campus de Aquidauana como liderança estudantil e também representando a comunidade negra de Aquidauana e Anastácio Pedro Vasconcelos apresentou-se como ampla área de preservação ambiental onde foram utilizados tijolos ecológicos (indica economia no material da produção e não há queima dos tijolos) na construção da moderna fábrica de farinhas. Para fechar a reunião o Prof. Luiz sugeriu a organização de um Movimento Municipal pela Democracia Direta (MOMUNDEDI) que se resume em criar a partir das bases dos segmentos consultados em Anastácio a união dos diversos segmentos para promover em junho de 2016 uma conferencia municipal que tenha como pauta a participação direta da classe trabalhadora no processo politico de Anastácio em 2016, mobilizando a sociedade organizada para defender seus interesses juntos às autoridades constituídas no município. Ficou acertado também que o Jornal O Aroeira esta aberto para receber matérias relacionadas ao mês da consciência negra para publicar nas edições quinzenais do mês de novembro de 2015. Essas matérias deverão chegar até o dia 25 de novembro para a edição da 2ª quinzena. O e-mail para envio é o seguinte: jornaloaroeira@ gmail.com A comunidade quilombola Furnas dos Baianos é composta por 22 famílias de afro descendentes, está localizada há 35 km da cidade de Aquidauana no distrito de Piraputanga, plantando o milho, feijão e a mandioca praticando a agricultura familiar através de uma organização social denominada Associação Negra Rural Quilombola Furnas dos Baianos. A construção de uma Apoio a atividades do dia da consciência negra Prédio da Farinheira integrando o espaço com a paisagem local Pedro Vasconcelos, Marcelo, Gustavo Daniel e Adelino presentes na reunião sobre a consciência negra alta de drenagem pluvial e Fpavimentação do conjunto Lídio Barbiere, programa do governo federal “Minha casa, Minha Vida”. virou rotina de reclamações das famílias que ali habitam. Abandono e frustração é um sentimento que convive com os moradores há cinco anos – tempo de existência do bairro que sofre com a falta de atenção das autoridades. Os problemas que afetam as famílias do Lídio Barbiere é uma realidade comum no país, com relação a bairros recém- povoados que mantém os núcleos carentes com a demora dos serviços públicos necessários. Pavimentação das ruas, infraestrutura básica, como energia elétrica e rede de esgoto, para imóveis construídos com recurso federal, são exigências básicas exigidas pelo Ministério das Cidades para imóveis construídos com recursos do governo federal. Uma das ruas do Conjunto Lídio Barbiere, um dia após a última chuva.
  7. 7. Conte com SALEMAQ EMPRÉSTIMOS E CONSIGNAÇÕES para realizar seus sonhos  Um jeito rápido de conseguir crédito, sem avalista, com prazos e taxas imperdíveis  Consignado Servidor Público, aposentados e pensionistas do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul;  Consignado para aposentados e pensionistas do INSS;  Consignados para servidores e aposentados da Prefeitura de Campo Grande-MS;  Servidores públicos Federal e Militar do Exército Brasileiro. Rua Dom Aquino, 356 - Centro - Anastácio MS Telefone (67) 3245-1760 falar com Dna Nina ou Bruna. Av. Aeroporto, 693 – Bairro Santo Amaro - Campo Grande MS Telefone (67) 3364-4077 Novembro de 2015 O AROEIRA 7 Passeio Turístico por Anastácio área urbana e 4.161na área rural. Antes de ser fundado era conhecido como bairro da margem esquerda de Aquidauana, foi fruto de uma dissidência política entre os partidários do PSD (Partido Social Democrata) que adotavam uma política desenvolvimentista, e moravam na margem esquerda do Rio Aquidauana e os coronéis conservadores partidários da UDN (União Democrática Nacional) que habitavam a margem direita, um embate entre os uma burguesia comercial emergente que se instalaram onde hoje é Anastácio e a oligarquia constituída por latifundiários tradicionais onde é atualmente Aquidauana. Os moradores da margem esquerda decidiram se rebelar contra a oligarquia bovina que os consideravam pulga de camisola dos coronéis fazendeiros de Aquidauana O fundador Sr. Vicente Anastácio chegou a Mato Grosso no termino da guerra com o Paraguai, estabelecendo-se na cidade de Nioaque em 1871 fundou a “Casa Vicente Anastácio” com histórico e cultural constituído em Anastácio por uma diversidade étnica e cultural representativa no cenário do povoamento do Mato Grosso do Sul. A cidade possui um aldeamento urbano da etnia terena que habitam a Aldeinha de Anastácio. Conta-se que em 1933 os irmãos Gregório “o neco” Sebastião e José saíram da aldeia Buriti por divergências religiosa com os índios da aldeia Bananal em Aquidauana onde decidiram comprar 40 hectares de terras na margem esquerda de Aquidauana com a venda algumas reses e cavalos. Em 1965 com a emancipação do novo município de Anastácio a aldeinha foi anexada à cidade e muitos Terenas desfizeram de seus lotes e voltaram para a aldeia Buriti ou ficaram como índios desaldeados na cidade Em 1982 com uma nova organização que recebeu o nome de Aldeinha, dos 40 hectares adquirido em 1933 restaram atualmente apenas 4 hectares. Em 2015 os índios da Aldeinha lutam em defesa do campo de futebol que esta ocupado por um loteamento particular Hoje estes índios vivem uma ambigüidade entre a manutenção de seus traços culturais originais e a ameaça de uma continua integração à uma filial instalada na margem esquerda do rio Aquidauana onde hoje é Anastácio, dedicava-se à importação de “couros vacuns”, crina, borracha, painas e penas de garças. Seu proprietário, “banqueiro da Caixa Geral das Famílias, da Sociedade bonificadora e da Companhia de seguros Sul América” também realizava serviços de navegação por meio da “lancha a vapor” Ligúria e de duas chatas. Além disso, as duas fazendas da Casa, situadas “nas proximidades de Nioac” contavam com o estoque de 4000 cabeças de gado vacum e 500 cavalos. O legado histórico dessa ocupação é representado por um patrimônio sociedade não índia pelo processo de aculturação e a desenfreada urbanização. O município abriga no seu território vários trabalhadores rurais predominando os de origem nordestina como os pernambucanos que habitam a colônia Pulador e também outro núcleo de agricultores familiares oriundos do interior de São Paulo na Colônia Paulista. Possui também dois importantes assentamentos organizados na luta pela Reforma Agrária e outro pelo crédito fundiário frutos da luta pela terra no Brasil na década de 80 do século XX. Na área rural abriga alem de algumas fazendas de gado, uma população significativa de agricultores familiares de várias regiões do Brasil inclusive Brasiguaios, população camponesa que na década de 70 emigrou para o Paraguai como posseiro. O objetivo dessa atividade é despertar e incentivar investimentos que o Prefeito e os vereadores como autoridade constituída no município podem destinar ao Turismo como fonte de geração de renda. Por isso o Jornal O Aroeira propõe esse roteiro turístico e a organização de outros pontos turísticos como esses para atrair os turistas ao município. om a finalidade de elaborar um Croteiro turístico para Anastácio o jornal O Aroeira destaca como alternativa esse passeio como parte de um tour urbano e rural por Anastácio com o seguinte itinerário: Saída da Aldeinha composta por índios terena que habitam a cidade de Anastácio, dirigindo-se à colônia pulador onde se produz a melhor farinha da região , em seguida indo até a colônia paulista ocupada na década de 50 por agricultores do interior de São Paulo, para em seguida visitar os dois maiores assentamentos da Reforma Agrária da Nova República conhecendo a cachoeira no assentamento São Manoel, terminando no centro urbano do assentamento Monjolinho Roteiro Turístico para Anastácio Anastácio está localizado na região centro oeste com área 2.957,50 km quadrados e altitude de 180 metros. Foi fundada em 20 de novembro de 1958 elevada e emancipada em 08 de maio de 1965 sua população atual segundo censo de 2010 é de 23.835 sendo 19.674 na Prof. Luiz passeando pelo Rio Aquidauana
  8. 8. O AROEIRA 8 Novembro de 2015 Professores da UFMS reúnem-se para discutir alternativas para a Universidade docentes, 18.000 alunos e 2.000 técnicos administrativos vivendo em 21 unidades de uma instituição que tem na sua administração resquícios de uma ditadura, que precisa urgentemente democratizar suas ações transformando- as numa gestão plural inclusiva participativa e acima de tudo uma universidade para o povo sulmatogrossense garantindo o atendimento às suas necessidades dentro de um universo cientifico. Temos que caminhar na direção de uma assembleia estatuinte, finalizou o prof. Ângelo O Prof. Leandro Sauer enfatizou duas coisas: 1º de ordem pragmática, temos que eleger o próximo reitor, 2º temos também que discutir os rumos da UFMS, não podemos continuar com 68% da representatividade nos conselhos nas mãos do executivo, temos que no mínimo inverter essa ordem traçando uma estratégia de como agirmos coletivamente no COUN para superar essa ordem vigente na UFMS, construindo momentos para consolidar iniciativas democráticas. O técnico Ivacir disse que nossa intervenção nos conselhos esta engessada, os pilares do nosso candidato deve ser o de cultivar o dialogo, privilegiando a democracia, por uma universidade diferente. O Prof. Moacir argumentou que falta nos condições de trabalho e consequentemente condições de saúde, temos que diagnosticar os problemas de condições de trabalho que afetam a saude de todos na UFMS. O Agnaldo graduando em gestão publica disse que ser diferente é unir esforços para mudar através da democracia, com inclusão, participação e coerência. Não existe o companheirismo entre os diversos segmentos com respeito às diferenças. O Prof. Marco Aurélio afirmou que fazer diferente significa começar diferente e nos somos responsáveis pela gestão desse processo que estamos iniciando agora. Infelizmente nossa universidade é o terceiro orçamento do Estado e isso não trouxe soluções mais aumentou os problemas. Temos casos como o de Paranaíba onde um curso de zootecnia que tem o coordenador e não tem o curso implantado, e temos cursos que estão implantados mas não tem coordenadores funcionando com supervisores. O prof. Teodorico que já atuou vários cargos da UFMS e foi diretor cientifico da FUNDECT, enfatizou que temos que romper com a barreira do medo na UFMS, e definir nomes que possam se apresentar como uma possibilidade de uma nova gestão participativa na UFMS. O Prof. Antonio Ozório argumentou que é um especialista em eleição de reitor e que sofreu desde 2000 vários golpes no andamento dos pleitos para reitor O Prof. Miguel de Aquidauana se manifestou dizendo que a UFMS esta dividida entre uma Universidade em Campo Grande e algumas "escolinhas" espalhadas pelo interior, ele reclamou da ausência de isonomia na relação capital e interior dividindo-nos em duas categorias de professores os do centro e os da periferia. O Prof. Antonio Firmino de Aquidauana falou que temos que ir além de uma assembleia estatuinte realizando um congresso estatuinte com delegações de todos os segmentos e dos campi e unidades da UFMS para ser representativo de toda instituição na elaboração de uma proposta de reestruturação como uma alternativa para salvar a UFMS. Nos encaminhamentos foram constituídas três câmaras para planejar as ações futuras desse movimento sendo uma câmara de finanças, uma câmara de programa e uma terceira de agendamento e comunicação. No dia 19 de novembro está agendada uma reunião do fórum Eusébio Barrios para debater a Universidade brasileira com o ex reitor da UFGD prof. Damião e em dezembro uma outra reunião do fórum para debater o planejamento nas Instituições Federais de Ensino. A coordenação do evento através da câmara de agenda e comunicação informara brevemente a agenda de reuniões desse movimento através dos e- mails dos participantes. estacamos os pontos importantes Ddessa reunião: 1º Política de inclusão; 2º ampliação dos espaços democráticos de atuação; 3º Administração propositiva; 4º descentralização administrativa; 5º construir espaços de debates permanentes. Esses foram os elementos motivadores para que um grupo de aproximadamente 100 professores participasse de uma reunião na ACP no dia 07 de novembro de 2015 para traçar um programa alternativo de reestruturação da UFMS pelas bases promovendo espaços coletivos de debates. A professora Mariuza usou a palavra dizendo que estamos reunidos nessa manhã para discutir coletivamente a UFMS, defendendo uma Universidade participativa, garantindo espaço para todos de forma transparente e comprometida. O Prof. Ângelo Arruda disse que trabalhamos numa instituição que sua administração age como se fossemos soldados no exercito. Somos 1.300 Prof. Marco Aurelio e o prof. Geraldo, presidente da ACP abrem a reunião dos professores Professores da UFMS reunidos na ACP discutem uma UFMS diferente Mauro do Atlântico reafirma compromisso com o PT liderança municipal um antigo adversário do PT que é o deputado Estadual Felipe Orro e o PT do B sofre a influencia do ex governador do Estado do PMDB, e o PSL não tem expressão política de peso no Estado e nem em Aquidauana. Concluiu-se para encerrar que o vereador reafirmou o compromisso com a democracia petista e que a decisão final será dada pelo Diretório Municipal do Partido e continuarão até no máximo abril de 2016 as conversas registrando- se que na fala dos presentes que a vontade dos petistas é que o vereador continue sua trajetória já vencedora por dentro do PT, mas que se tiver que sair ele recebeu incentivo dos petistas que continuarão a apoiá-lo como pré candidato mesmo que seja por outra sigla partidária, a tarefa do momento é detectar quais as forças que estariam dispostas a se unir como PT na condição da candidatura do Mauro do Atlântico a prefeito diante da crise que o PT atravessa. São desafios que devem ser resolvidos até a convenção para fechar os possíveis aliados. viabilizar sua candidatura a prefeito com chances de vitória. Pelo menos três partidos foram apontados como possibilidades, que foi o PSL como o menos comprometedor por ter influencia do senador Delcídio, outro seria o PT do B da Deputada Estadual Mara Caseiro vinculada ao André Puchinelli, e outro seria o PDT do Deputado Estadual Felipe Orro. Foi questionado qual seria o destaque de uma possível ida do vereador a um desses Partidos, sendo que PDT tem na sua vereador e presidente do PT de OAquidauana Mauro do Atlântico reuniu-se com aproximadamente 30 militantes do PT no dia 23 de outubro de 2015 às 17:30 para avaliar a conjuntura municipal que o coloca em segundo lugar na disputa das próximas eleições para a Prefeitura de Aquidauana em 2016. O destaque na pesquisa que o coloca em segundo lugar deve-se mais ao seu prestigio pessoal do que ao Partido dos Trabalhadores que atualmente atravessa sua maior crise política com alto índice de rejeição junto à sociedade. Devido à situação que abala o PT no cenário nacional, essa plenária municipal do PT de Aquidauana avaliou também quais seriam as conseqüências dentro da possibilidade de se viabilizar a candidatura do vereador Mauro por outra sigla partidária, as avaliações preliminares indicam que a candidatura por outro partido colocaria em risco a atuação política do vereador Mauro. Qual seria o melhor partido na atual conjuntura para receber o vereador e

×