As Sensações Auditivas

4.076 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.076
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As Sensações Auditivas

  1. 1. AGRUPAMENTODE ESCOLAS DE OLIVEIRA DE FRADES As Sensações Auditivas Trabalho elaborado por: Alexandre Nº 1 8ª F Ano lectivo 2011-12 Educação Musical - 8ºano
  2. 2. ÍNDICE• Sensação de Intensidade;• Escala de intensidades em Decibéis;• Limiar de Audibilidade;• Limiar da Dor;• Sensação do Timbre; • Componentes; • Transitórios.• Conclusão.• Bibliografia.
  3. 3. Sensação de IntensidadeNo aspeto físico a intensidade de um som define-secomo a intensidade mecânica da onda sonora que otransporta. Exprime-se em watt/cm2.Na prática aintensidade dum som não costuma exprimir-se netasunidades, mas sim numa escalatécnica, convencional. S Sonómetro Aparelho para determinar a intensidade de um som no seu aspeto físico.
  4. 4. Escala de intensidades em Decibéis• Para medir os sons que nos rodeiam usa-se uma escala para exprimir o nível sonoro, que se mede em decibel (símbolo: dB).• Verificou-se que a variação de 1 bel coincide mais ou menos com as sete sucessivas variações de intensidade que os músicos usam: FF - Fortíssimo O bel e a unidade F - Forte pratica de sensação MF - Mezzo Forte musical, decima parte do bel – o decibel. P - Piano Esta escala varia entre PP - Pianíssimo o e 120 db.
  5. 5. Limiar de Audibilidade• Os nossos limites de audibilidade são determinados em termos de intensidade sonora, para um tom puro de frequência de 1000Hz (Hertz). A gama entre esses limites é bastante grande: vai do Limiar de Audibilidade (mínima intensidade audível) até o Limite de Dor (nível máximo de intensidade audível sem danos fisiológicos ou dor). GERADOR DE SINAIS Aparelho eletrónico que pode produzir sons puros em qualquer frequência, sendo possível regular a intensidade.
  6. 6. Limiar de Audibilidade (Cont.)• O nosso ouvido não reage da mesma maneira ao longo de todas as frequências audíveis assim não ouvi-mos tão bem na região grave nem na região aguda o linear de audibilidade e mais fraca intensidade sonora capaz de provocar sensação de audição em qualquer frequência audível o seu valor vária conforme a frequência de pessoa para pessoa.Para determinar o limiar de audibilidade para certa frequência:• Pôr o gerador de sinais a emitir o som da frequência em estudo;• Diminuir lentamente a potência sonora até que o som deixe de se ouvir;• Em seguida começar com potência zero e aumentar lentamente até ouvir o som em estudo.Se os dois valores não se coincidirem, acha-se a media.
  7. 7. Limiar da Dor Campo Auditivo: O limiar da dor e o contrario do limiar de Campo Auditivo é espaçoaudibilidade, efetivamente para uma dada frequência delimitado pelo limiar deaudível há um nível de intensidade tão forte que o som se audibilidade e pelo limiar da dor.torna psicologicamente intolerável e fisicamente Audiometriatraumatizante. A audiometria é um estudo O limiar da dor é a potência sonora máxima que o que permite avaliar comouvido pode tolerar, se as potências sonoras forem exatidão a funcionalidade de ambos ossuperiores ao limiar da dor podem causar no ouvido lesões ouvidos, determinar sedefinidas. existe uma deficiência da capacidade auditiva. Os valores médios do limiar da dor ao longo detoda a zona de frequências audíveis foram encontradospor Fletcher.
  8. 8. Sensação de TimbreO timbre e a qualidade que permite distinguir umsom de outros que tenham a mesma intensidadee a mesma altura.O estudo da sensação do timbre é extremamentecomplexo e depende de vários fatores. Tratamosaqui apenas dos mais importantes: Componentese Transitórios.
  9. 9. ComponentesA sensação do timbre depende do numero e da intensidade dos componentes, ede estes serem ou não harmónicos. O sonograma é a representação gráfica do som do canto; ele registra a frequência pelo tempo gasto. Pode-se ver o gráfico de nota por nota, ficando bem claro o desenho e o tempo de cada uma delas para podermos entender melhor a correta apresentação da frase musical. Canto funcional do papo-branco.O espectrograma e mais rigoroso do que o sonograma.
  10. 10. TransitóriosNem todos os harmónicos envolvem da mesma maneira durante o tempoque se ouvem: algumas levam bastante tempo a atingir a sua amplitudemáxima, outros atingem-na de imediato, decrescendo bruscamente deseguida. Se os componentes evoluem de forma diferente, a relação entreas suas intensidades, (o aspeto) irá variar ao longo dos tempos.
  11. 11. Conclusão:Com este tema concluímos que devemos ter cuidadoscom os nossos ouvidos tendo o cuidado de os protegerde grandes volumes de musica. BibliografiaAnexo “Educação Musical 8º ano”Google
  12. 12. Fim de apresentação

×