MÉTODOS
CONTRACETIVOS
CATARINA PEREIRA E1/2
DSP – PROMOÇÃO DA SAÚDE
Métodos
Contracetivos
Métodos
Naturais

Métodos Não
Naturais

Método do
calendário
Método da
temperatura

Métodos
Definiti...
TÓPICOS

Métodos Contracetivos




Métodos Naturais
Métodos do calendário
Método da temperatura
Método do muco cervical
...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Naturais

Método do calendário/ método de Ogino-Knaus
Método que parte do conhecimento do...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Naturais

Método do calendário/ método de Ogino-Knaus

Menstruação seguinte

Menstruação
...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Naturais

Método do Temperatura
A temperatura basal do corpo de uma mulher (medida logo a...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Naturais

Método do Muco Cervical
O muco é uma substância gelatinosa, produzida pelas glâ...
Vantagens

MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Não Naturais
 Hormonais







E muito eficaz;
Método fácil, prático e d...
Vantagens
 Elimina o risco de esquecimento;
 Adequado para quem evita os estrogénios.

MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos ...
Vantagens
 Eficácia contracetiva;
 Não há necessidade de realizar uma ação diária.

MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Não...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Vantagens
 Confortável;
 Prático;
 Promove o meio acético.

Métodos Não Naturais
 Hormonais

...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Não Naturais

Vantagens
 Eficaz, se usado corretamente;
 Protege contra as DST’s;
 Fác...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Não Naturais
 Barreira

Preservativo Feminino
É feito de um tubo de borracha fina, com u...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Vantagens
 Diminui o risco de cancro do colo do útero;
 Pode colocar-se antes da relação sexual...
Vantagens

MÉTODOS CONTRACETIVOS


 Não afeta negativamente a saúde;
 Fornece lubrificação;
 Não interfere no ciclo me...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Definitivos

Esterilização
 Feminina
Chama-se laqueação das trompas. Cortam-se, cauteriz...
MÉTODOS CONTRACETIVOS


Métodos Definitivos

Esterilização
 Masculina
Chama-se vasectomia ou laqueação dos canais defere...
CONTRACEPÇÃO DE EMERGÊNCIA
Pílula do dia seguinte, é um método que pode ser
utilizado após a falha na utilização de um mét...
QUAIS OS MÉTODOS MAIS INDICADOS E PARA
QUEM?
 Pílula: adequada a mulheres em idade reprodutiva, não fumadoras e sem
patol...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Métodos Contracetivos

877 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
877
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Métodos Contracetivos

  1. 1. MÉTODOS CONTRACETIVOS CATARINA PEREIRA E1/2 DSP – PROMOÇÃO DA SAÚDE
  2. 2. Métodos Contracetivos Métodos Naturais Métodos Não Naturais Método do calendário Método da temperatura Métodos Definitivo Barreira Hormonal Pílula Método do muco cervical Químicos Preservativos Esterilizações Implantes Laqueação das trompas DIU Vasectomia Anel Vaginal Diafragma Espermicida
  3. 3. TÓPICOS Métodos Contracetivos   Métodos Naturais Métodos do calendário Método da temperatura Método do muco cervical Métodos Não Naturais Hormonal Pílula Implantes DIU Anel Vaginal Barreira Preservativos Diafragma Químicos Espermicidas Definitivos Esterilização Laqueação da Trompas Vasectomia
  4. 4. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Naturais Método do calendário/ método de Ogino-Knaus Método que parte do conhecimento do período fértil da mulher de forma a restringir as relações sexuais ao período seguro. A mulher tem de anotar, pelo menos durante mais ou menos 1 ano, a duração dos seus ciclos menstruais. Vantagens  A mulher não necessita de consumir químicos;  Não tem efeitos secundários. Desvantagem  É um método muito pouco eficaz, visto que os ciclos menstruais podem variar frequentemente.
  5. 5. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Naturais Método do calendário/ método de Ogino-Knaus Menstruação seguinte Menstruação S T Q Q S S 1 2 3 4 S 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 T Q Q S 3 10 17 24 31 D Vamos imaginar que uma mulher tem um ciclo sexual de 28 dias e a sua menstruação veio no dia 5 de Dezembro. A mulher terá de, desde que lhe veio a menstruação, contar 28 dias (segundo o exemplo) no dia seguinte virá a próxima menstruação temos de saber quando será a ovulação para termos a perceção dos dias férteis. A ovulação ocorre 14 dias antes da menstruação seguinte, para saber os dias férteis tem de se contar cinco dias antes e depois da ocorrência da ovulação. 4 11 18 25 5 12 19 26 6 13 20 27 7 14 21 28 Ovulação Período fértil ( a mulher deverá abster-se de relações sexuais neste período) S 1 8 15 22 29 D 2 9 16 23 30
  6. 6. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Naturais Método do Temperatura A temperatura basal do corpo de uma mulher (medida logo ao acordar, sempre à mesma hora, antes de comer e sem ter feito esforço muscular, tirando a temperatura na boca, no reto ou na vagina, usando sempre o mesmo termómetro) é variável durante o seu ciclo. Assim, a temperatura, nos dias entre a ovulação e a menstruação seguinte, sobe cerca de dois a cinco décimos de grau. A anotação diária da temperatura origina um gráfico com a variação da temperatura ao longo do ciclo sexual. Desvantagens  Oferece uma proteção pouco fiável, já que a mulher só tem a perceção da elevada temperatura após a ovulação pelo que poderá não evitar a fecundação;  Para além disso quando a mulher esta febril ou tem uma infeção , a eficácia do  método fica comprometido.
  7. 7. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Naturais Método do Muco Cervical O muco é uma substância gelatinosa, produzida pelas glândulas do colo do útero, que sofre alterações ao longo do ciclo menstrual. Na altura da ovulação, toma uma aparência de clara de ovo com grande elasticidade . Se uma mulher quiser utilizar este método para contraceção deverá, todas as manhãs, observar se tem muco na vulva e, em caso afirmativo, a sua aparência. Convém ser acompanhada por um médico ou um bom conhecedor deste método. Para aumentar a sua eficácia contracetiva, a mulher só deverá ter relações sexuais três dias depois da ocorrência do ponto máximo de elasticidade do muco. Desvantagens  Por ser um método pouco eficiente, não é recomendado a mulheres que não tenham parceiros fixos, ou que não queiram mesmo engravidar.
  8. 8. Vantagens MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Não Naturais  Hormonais      E muito eficaz; Método fácil, prático e de baixo custo; Pode tratar acne e endometriose; Alivia as dores menstruais; Não interfere com as relações sexuais. Método da Pílula A pílula contracetiva oral combinada, também conhecida como pílula anticoncecional, é uma combinação de estrogénio e progesterona administrada oralmente para inibir a fertilidade normal da mulher. Quando tomada segundo as indicações médicas tem uma eficácia de cerca de 100%. Esta eficácia diminui quando não é tomada corretamente ou se houver vómitos ou diarreias nas horas seguintes a ser tomada. Há ainda a referir alguns medicamentos, como certos antibióticos, diminuem o efeito da pílula. Desvantagens  Não protege contra as DST's;  Possibilidade da ocorrência de efeitos secundários como dores de cabeça ou mamarias, náuseas etc.: Taxa de eficácia: Muito eficaz 0,5 a 1,5 gravidezes em 100 mulheres/ano.
  9. 9. Vantagens  Elimina o risco de esquecimento;  Adequado para quem evita os estrogénios. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Não Naturais  Hormonais Desvantagens Método dos Implantes Liberta lentamente progestagénios que impedem a ovulação. Atuam num período de 3 anos, logo desde a primeira utilização O implante subcutâneo (intradérmico) é um método contracetivo muito eficaz para prevenir uma gravidez, podendo ser utilizado sozinho sem a necessidade de recorrer a métodos contracetivos adicionais. No entanto, ele não protege das IST's , onde só o preservativo é comprovadamente eficaz.  Pode ser sentido através de uma palpação digital;  Não protege contra as DST's;  A mulher pode ser infértil durante vários meses após terminar a sua utilização. Taxa de eficácia: Muito eficaz 99,8% - 0 a 0,07 gravidezes por 100 mulheres/ano.
  10. 10. Vantagens  Eficácia contracetiva;  Não há necessidade de realizar uma ação diária. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Não Naturais  Hormonais Desvantagens Método do DIU Um dispositivo intrauterino (DIU), é um dispositivo que é inserido no útero, por um médico. Ele impede o processo de nidação, onde o óvulo se fixa no endométrio. Pode estimular ainda uma reação inflamatória no útero, que também é contracetiva. Pode ter diversos formatos, e alguns dispositivos libertam hormonas para aumentar sua eficácia. É eficaz durante 3 a 5 anos. Deve ser sempre vigiado pelo médico . É um método muito seguro, mas pode ter alguns efeitos secundários, pois pode agravar as dores menstruais provocar períodos menstruais muito abundantes e pode, por vezes, facilitar o aparecimento de infeções intrauterinas, pelo que se deve usar sempre o preservativo.  Os DIU de cobre podem aumentar as dores e fluxos menstruais;  Não protege contra as IST's;  Pode provocar infeções da mucosa uterina ou nas trompas de Falópio que podem conduzir á esterilidade. Taxa de eficácia: Muito Eficaz 0,1 a 2 gravidezes por cada 100 mulheres/ano
  11. 11. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Vantagens  Confortável;  Prático;  Promove o meio acético. Métodos Não Naturais  Hormonais Método do Anel Vaginal O anel vaginal é constituído por anel flexível impregnado de hormonas que são lentamente libertadas e absorvidas para a corrente sanguínea As hormonas libertadas evitam que se liberte os ovócitos dos ovários e assim se dê a fecundação. É feito à base de estrogénio e progesterona. Taxa de eficácia: é eficácia similar à da pílula combinada Desvantagens  Não protege das DST's;  Pode ter efeitos secundários à semelhança das pílulas.
  12. 12. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Não Naturais Vantagens  Eficaz, se usado corretamente;  Protege contra as DST’s;  Fácil de comprar e utilizar;  Sem efeitos secundários físicos.  Barreira Preservativo Masculino Este é o método contracetivo mais utilizado em todo o mundo, que ajuda não só no planeamento familiar como também reduz o risco de transmissão de diversas DST's. É feito de látex ou poliuretano e geralmente vem já lubrificado, existindo em várias cores, aromas e tamanhos. Deve estar presente durante todo o ato sexual: deve colocar-se antes de iniciar a penetração e retirar-se depois da ejaculação, antes que o pénis perca a ereção. Taxa de eficácia: 5,0 a 10 gravidezes em cada 100 mulheres Desvantagens  Tem de se adquirir antes de se prever ter relações sexuais;  Possibilidade de se romper.
  13. 13. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Não Naturais  Barreira Preservativo Feminino É feito de um tubo de borracha fina, com um anel em cada extremidade. Um dos anéis é fechado e inserido na vagina, tapando o colo do útero e o outro é aberto ajustando-se em volta da abertura da vagina e da vulva. Evita, tal como o preservativo masculino que o esperma tenha acesso ao aparelho reprodutor feminino. Taxa de eficácia: 5,0 a 10 gravidezes em cada 100 mulheres     Vantagens Eficaz, se utilizado corretamente; Protege contra as DST's; Sem efeitos secundários; É mais resistente que o preservativo masculino. Desvantagens  Diminui a sensação vaginal;  Elevado custo.
  14. 14. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Vantagens  Diminui o risco de cancro do colo do útero;  Pode colocar-se antes da relação sexual, evitando interrupções da mesma; Métodos Não Naturais  Barreira Diafragma O diafragma é um pequeno anel flexível recoberto por uma película de borracha ou silicone que é colocado pela mulher dentro da vagina até cinco horas antes da relação sexual. O papel do diafragma é obstruir completamente o colo do útero, impedindo que os espermatozoides atinjam o órgão e consequentemente fertilizem o ovócito. Ao contrário do preservativo, que só pode ser utilizado uma vez, o diafragma pode ser reutilizado diversas vezes. Taxa de eficácia: 85 por cento. Desvantagens  Para o colocar a mulher tem de se sentir á vontade consigo própria;  Risco de: -Odor fétido -Corrimento vaginal  Não protege das DST's.
  15. 15. Vantagens MÉTODOS CONTRACETIVOS   Não afeta negativamente a saúde;  Fornece lubrificação;  Não interfere no ciclo menstrual. Métodos Não Naturais  Químicos Espermicidas São produtos químicos de aplicação local cuja acção consiste em neutralizar os espermatozóides (diminuindo a sua vitalidade) ou fazer uma barreira que impede a passagem do esperma para o útero. Existem espermicidas em forma de óvulo, creme e spray. Taxa de eficácia: 18 a 30 gravidezes em 100 mulheres/ano Desvantagens  Podem causar irritações de pele;  É um dos métodos menos eficazes, pois não mata/ desvitaliza todos os espermatozoides;  Não protege contra as DST's.
  16. 16. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Definitivos Esterilização  Feminina Chama-se laqueação das trompas. Cortam-se, cauterizam-se ou obstruem-se as trompas de Falópio, o que vai impedir que os ovócitos cheguem ao útero e, consequentemente, que sejam fecundados. É necessária anestesia geral.
  17. 17. MÉTODOS CONTRACETIVOS  Métodos Definitivos Esterilização  Masculina Chama-se vasectomia ou laqueação dos canais deferentes. Cortam-se ou bloqueiam-se os canais deferentes, impedindo assim a passagem dos espermatozoides na ejaculação. Pode provocar a inflamação dos testículos. Não é necessária anestesia geral. Vantagens     É uma solução para quem não quer voltar a ter filhos ; É uma solução definitiva e eficaz; É uma operação praticamente irreversível; Não afeta o desejo, prazer ou desempenho sexual;
  18. 18. CONTRACEPÇÃO DE EMERGÊNCIA Pílula do dia seguinte, é um método que pode ser utilizado após a falha na utilização de um método contraceptivo ou após uma relação sexual não protegida. A toma desta pílula específica, em situações de emergência, pode prevenir, com eficácia e segurança, uma gravidez não desejada. A contracepção de emergência deve ser utilizada nas horas seguintes à relação sexual que se julga de risco, ou seja, que se efectuou durante o período fértil ,de preferência o mais breve possível até ao período máximo de 72 horas. A pílula do dia seguinte tem efeitos abortivos no caso de impedir a nidação. Pode prevenir três em cada quatro gravidezes não desejadas, evitando o recurso ao aborto. Se a nidação já tiver acontecido, num período superior a 72 horas, a contracepção de emergência não produz um efeito anticoncetivo. Pode ser utilizada nos seguintes casos:  Falha ou erro na utilização de um método contracetivo;  Rompimento do preservativo ou permanência dentro da vagina;  Erro no cálculo do período fértil;  Falha do coito interrompido;  Deslocamento do dispositivo intrauterino;  Erro na toma da pílula, no caso de ter havido relações sexuais;  Violação.
  19. 19. QUAIS OS MÉTODOS MAIS INDICADOS E PARA QUEM?  Pílula: adequada a mulheres em idade reprodutiva, não fumadoras e sem patologias hepáticas e cardíacas  Preservativo: devem ser sempre utilizados já que protegem contra as IST's  Diafragma: adequado a mulheres que conheçam os seus órgãos genitais e que estejam á vontade com o seu corpo.  Implantes subcutâneos: adequados a mulheres que não tenham a capacidade da toma diária da pílula ou a mulheres que pretendam protecção prolongada e discreta.  Esterilização: Indicado para casais que não queiram ter filhos  Métodos naturais: Adequado a mulheres dispostas a monitorar os seus ciclos com cuidado e a aceitar a abstinência nos seus dias férteis. Contraindicados a mulheres com ciclos menstruais irregulares  Adesivo: Não aconselhável a mulheres com peso superior a 90kg, pois diminui a sua eficácia porque só há apenas um tipo de adesivo com a mesma dosagem de hormonas.  DIU: Adequado a mulheres com parceiro fixo, não expostas a doenças sexualmente transmissíveis. Não recomendado a mulheres que ainda não tiveram filhos.

×