Apresentação planejamento psicogênese da língua escrita

53.860 visualizações

Publicada em

Material apresentado no planejamento do mês de setembro no município de Pedro do Rosário.

Publicada em: Educação
6 comentários
49 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
53.860
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
71
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3.323
Comentários
6
Gostaram
49
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação planejamento psicogênese da língua escrita

  1. 1. Prefeitura de Pedro do Rosário Secretaria Municipal de Educação PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
  2. 2. " Ler não é decifrar, escrever não é copiar". (Emilia Ferreiro)
  3. 3. As pesquisas sobre a psicogênese da língua escrita, realizadas por Emilia Ferreiro e Ana Teberosky no fim dos anos 1970 e publicadas no Brasil em 1984, mostraram que as crianças constroem diferentes ideias sobre a escrita, resolvem problemas e elaboram conceituações.
  4. 4. EMÍLIA FERREIRO ANA TEBEROSKY
  5. 5. • Nível 1: Hipótese Pré-Silábica; A criança: - não estabelece Vínculo entre fala e escrita; - demonstra intenção de escrever através de traçado linear com formas diferentes; - usa letras do próprio nome ou letras e números dna mesma palavra; - caracteriza uma palavra como letra inicial; - tem leitura global, individual e instável do que escreve: só ela sabe o que quis escrever;
  6. 6. Hipótese Pré-silábica ☺ criança: → supõe que a escrita é outra forma de desenhar ou de representar coisas e usa desenhos, garatujas e rabiscos para escrever; → supõe que a escrita representa o nome dos objetos; coisas grandes devem ter nomes grandes, coisa pequenas devem ter nomes pequenos; → faz registros diferentes entre palavras modificando a quantidade e a posição e fazendo variações nos caracteres; → supõe que para algo poder ser lido precisa ter no mínimo de duas a quatro grafias, geralmente três ( hipóteses da quantidade mínima de caracteres); → supõe que para algo poder ser lido precisa ter grafias variadas (hipótese da variedade de caracteres)
  7. 7. Nível Pré-Sílabico CARACTERÍSTICAS (aquilo que já sabe): - Escrever e desenhar têm o mesmo significado; - Não relaciona a escrita com a fala; - Acredita que coisas grandes têm um nome grande e coisas pequenas têm um nome pequeno (realismo nominal);
  8. 8. Nível Pré-Sílabico CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA: - Que sinais eu uso para escrever palavras? - Conhecer o significado dos sinais escritos. O QUE PRECISA SABER: - Diferenciar o desenho da escrita; -Reconhecer que usamos letras para escrever - Identificar e escrever o próprio nome. - Perceber que usamos letras diferentes em diferentes posições.
  9. 9. Nível Pré-Sílabico
  10. 10. ATIVIDADES FAVORÁVEIS: - Alfabeto móvel - Desenhar e escrever o que desenhou; - Usar o nome em situações significativas: marcar atividades, objetos, utilizá-Io em jogos, bilhetes, etc; - Ouvir leitura feita diária pela professora e poder recontá-Ia; - Ter contato com diferentes portadores de textos; - Freqüentar a biblioteca, banca de jornais, etc; - Reconhecer e ler o próprio nome em situações significativas: chamadas, jogos, etc; - Conversar sobre a função da escrita; - Utilizar letras móveis para pesquisar nomes, reproduzir o próprio nome ou dos amigos; - Bingo de letras; - Produção oral de histórias; - Escrita espontânea; - Textos coletivos tendo o professor como escriba; - Aumentar o repertório de letras; - leitura dos nomes das crianças da classe, quando isto for significativo. - Comparar e relacionar palavras;- Produzir textos de forma não convencional;
  11. 11. Nível 2: Intermediário I CARACTERÍSTICAS (aquilo que já sabe): - Para cada fonema, usa uma letra para representá-lo. - Não atribui valor sonoro à letra. -Pode usar muitas letras para escrever e ao ler, aponta uma letra para cada fonema, ainda que sobrem letras. -Ao escrever a frase pode usar uma letra para representar cada palavra. CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA: - A escrita está vincula à pronúncia das partes da palavra? - Como ajustar a escrita à fala? - Qual a quantidade mínima de letras necessárias para se escrever?
  12. 12. Nível Intermediário I O QUE PRECISA SABER: - Atribuir valor sonoro às letras. - Aceitar que não é preciso muitas letras para se escrever, apenas o necessário para representar a fala. - Perceber que palavras diferentes são escritas com letras em ordens diferentes, que costumam não se repetir.
  13. 13. SILÁBICO SEM VALOR SONORO Intermediário I ATIVIDADES FAVORÁVEIS: - Todas as atividades do nível anterior. - Comparar e relacionar escritas de palavras diversas. - Escrever pequenos textos memorizados (parlendas, poemas, músicas, trava-línguas...). - Relacionar personagens a partir do nome escrito. - Relacionar figura às palavras, através do reconhecimento da letra inicial. -Ter contato com a escrita convencional em atividades significativas: -Reconhecer letras em um pequeno texto conhecido. - Leitura de textos conhecidos. - Relacionar textos memorizados com sua grafia.
  14. 14. • Nível 3: Hipótese Silábica; A criança: - já supõe que a escrita representa a fala; - tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras; - já supõe que a menor unidade de língua seja a sílaba; - em frases, pode escrever uma letra para cada palavra.
  15. 15. Hipótese silábica CARACTERÍSTICAS (aquilo que já sabe): - Para cada fonema, usa uma letra para representá- lo. - Atribui valor sonoro à letra(seja vogal ou consoante). - Pode usar muitas letras para escrever e ao fazer a leitura, apontar uma letra para cada fonema. - Ao escrever frases, pode usar uma letra para cada palavra. CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA: - A escrita está vincula à pronúncia das partes da palavra? - Como ajustar a escrita à fala? - Qual a quantidade mínima de letras necessárias para se escrever?
  16. 16. "EIA"- Menina "OIA"- bonita "AO" - Laço "IA" - Fita O QUE PRECISA SABER: - Atribuir valor sonoro a todas as letras. - Aceitar que não é preciso muitas letras para se escrever, apenas o necessário para representar a fala. - Perceber que palavras diferentes são escritas com letras em ordens diferentes, que costumam não se repetir.
  17. 17. Pé Lápis Caderno Computador O meu caderno tem linhas ATIVIDADES FAVORÁVEIS: -Cruzadinhas (Com e sem banco de palavras) - Caça-palavras. (Com e sem banco de palavras) - Completar lacunas em textos e palavras. - Construir um dicionário ilustrado, desde que o tema seja significativo. - Evidenciar rimas entre as palavras; - Usar o alfabeto móvel para escritas significativas; - Jogos variados para associar o desenho e seu nome; Colocar letras em ordem alfabética; - Contar a quantidade de palavras de uma frase.
  18. 18. • Nível 4: Hipótese Silábico-Alfabética ou Intermediário II; A criança: - inicia a superação da hipótese silábica; - compreende que a escrita representa o som da fala; - passa a fazer uma leitura termo a termo; (não global) - consegue combinar vogais e consoantes numa mesma palavra, numa tentativa de combinar sons, sem tornar, ainda, sua escrita socializável. Por exemplo, CAL para cavalo.
  19. 19. CARACTERÍSTICAS (aquilo que já sabe): - Compreende que a escrita representa os sons da fala; - Percebe a necessidade de mais de uma letra para a maioria das sílabas; - Reconhece o som das letras; - Pode dar ênfase a escrita do som só das vogais ou só das consoantes: bola = oa ou bl; - Atribui o valor do fonema em algumas letras: cabelo = kblo. Nível 4: Hipótese Silábico-Alfabética ou Intermediário II;
  20. 20. CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA: - Como fazer a escrita dela ser lida por outras pessoas? - Como separar as palavras na escrita se isto não acontece na fala? - Como adequar a escrita à quantidade mínima de caracteres?
  21. 21. O QUE PRECISA SABER: - Usar mais de uma letra para representar o fonema quando necessário; - Atribuir o valor sonoro das letras. ATIVIDADES FAVORÁVEIS: - As mesmas do nível anterior; - Separar as palavras de um texto memorizado; - Generalizar os conhecimentos para escrever palavras que não conhece: associar o "G” do nome da "GABRIELI” para escrever “GAROTA’, “GAVETA”“; - Ditado de palavras do mesmo campo semântico, conhecidas ou não. - Produzir pequenos textos; individuais e coletivos. . - Reescrever histórias individualmente ou coletivamente Hipótese Silábico-Alfabética ou Intermediário II;
  22. 22. • Nível 5: Hipótese alfabética. A criança: - compreende que a escrita tem função social; - compreende o modo de construção do código da escrita; - omite letras quando mistura as hipóteses alfabética e silábica; - não tem problemas de escrita no que se refere a conceito; - não e ortográfica e nem léxica.
  23. 23. HIPÓTESE ALFABÉTICA CARACTERÍSTICAS (aquilo que já sabe): - Compreende a função social da escrita: comunicação; - Conhece o valor sonoro de todas ou quase todas as letras; - Apresenta estabilidade na escrita das palavras; - Compreende que cada letra corresponde aos menores valores sonoros da sílaba; - Procura adequar a escrita à fala; - Faz leitura com ou sem imagem; -Inicia preocupação com as questões ortográficas; - Separa as palavras quando escreve frases; - Produz textos de forma convencional.
  24. 24. CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA: - Por que escrevemos de uma forma e falamos de outra? - Como distinguir letras, sílabas e frases? - Como aprender as convenções da língua escrita? HIPÓTESE ALFABÉTICA O que precisa saber: - Preocupação com as questões ortográficas e textuais (parágrafo e pontuação). -Usar a letra cursiva.
  25. 25. Felipe – 7 anos – Escrita Alfabética ESCRITA ALFABÉTICA: ATIVIDADES FAVORÁVEIS: -Todas as anteriores; - Leituras diversas; - Escrita de listas de palavras que apresentem as mesmas regularidades ortográficas em momentos em que isto seja significativo; - Atividades a partir de um texto: leitura, localização de palavras ou frases; ordenar o texto; -Jogos diversos como bingo de letras e palavras; forca...
  26. 26. “Quem tem muito pouco, ou quase nada, merece que a escola lhe abra horizontes” Emília Ferreiro
  27. 27. JOGOS PARA ALFABETIZAR http://semedpedrodorosario.blogspot.com.br
  28. 28. Silabário Para jogar: Se não houver a possibilidade de construir um silabário para cada criança, será necessário um para cada grupo de 3 ou 4 crianças. Formas de jogar: 1 - O professor leva as fichas e sorteia, as crianças montam as palavras sorteadas, depois registram no caderno. Pode-se, ainda, pedir que identifiquem a letra inicial/final, número de letras, vogais e consoantes. Dependendo do nível, pode- se solicitar que separem as sílabas. 2 - Em grupo, cada criança recebe um determinado número de tampinhas. Um por vez deve tentar formar palavras colocando apenas uma tampa no tabuleiro, sendo possível aproveitar as sílabas/letras dos demais integrantes. 3 - Cada criança forma 4 palavras no silabário, depois, preenche os espaços com sílabas soltas e troca o silabário com o colega, que deverá localizar as palavras formadas pelos amigos. Depois deverá ser feito um registro da atividade no caderno.
  29. 29. Memória 3D - figura e palavra Jogo da memória com imagem e nome da palavra. Podem ser usadas letras bastão ou cursiva, minúscula ou maiúscula, dependendo do nível de escrita da turma.
  30. 30. Pescaria Objetivo: Desenvolver a consciência silábica. Materiais necessários : Caixa para pescaria, peixes com letras, anzol. Modo de jogar: O jogador retira de um envelope uma ficha com uma figura. O mesmo deverá encontrar o peixe que contém a letra que inicia a figura. Deve dizer o nome da figura, segmentando-a silabicamente e classificando-a pelo número de sílabas. Em seguida, deverá colocar o peixe no aquário adequado ao número de sílabas. Podem ser somados pontos por acerto.
  31. 31. Bingo das letras O professor oferece uma cartela onde estão escritas as palavras faltando uma letra. De acordo com o sorteio, as crianças completam as palavras com o apoio do alfabeto móvel. Jogo da memória das letras Objetivo: Desenvolver a memória e identificar as letras que compõem o alfabeto, relacionando-as com o fonema inicial de cada palavra. Materiais necessários: Cartas com as letras do alfabeto
  32. 32. Caixas ilustradas Objetivo : Desenvolver a percepção da linguagem escrita; promover a associação da palavra com a figura e dos grafemas com os fonemas. Materiais necessários :Caixinhas de fósforo; figuras pequenas; letras recortadas. Modo de jogar : As professoras deverão formar as palavras de acordo com a figura Quebra-cabeça com palitos ou caixas Objetivo: Familiarizar as crianças com a noção de palavras e sílabas. Materiais necessários: fichas em forma de quebra-cabeça, palitos ou caixas. Vence a equipe que formar o maior número de palavras.
  33. 33. Jogo das abelhas Objetivo: Consciência fonêmica - identificação do fonema inicial e segmentação fonêmica. Materiais necessários: Abelhas e mãozinhas em E.V.A. Modo de jogar: O professor sorteia uma letra e produz o som da mesma. Cada integrande da equipe ficará com uma mãozinha. O aluno que identificar a letra deverá bater na abelha com a mãozinha, ficando com a mesma caso esteja correto. Ganha quem tiver mais abelhas.
  34. 34. Boliche do alfabeto - Jogo das argolas Objetivos: Identificar as letras do alfabeto relacionando-as com o fonema inicial de cada palavra; Desenvolver a coordenação ampla. Materiais necessários: embalagens de refrigerante e bola. Modo de jogar: Ao derrubar as garrafas, deverá identificar a letra e dizer uma palavra que inicie com a mesma.
  35. 35. Varal das letras Montar 4 alfabeto completos, incluindo K,Y, W. Selecionar o mesmo número de imagens (que possuam 4 letras). A criança escolhe uma imagem e procura no varal as letras que formam seu nome.
  36. 36. Alfabeto concreto Uma faixa com as letras do alfabeto. Cada bolso recebe uma figura, cujo o nome inicia com a letra que está no bolso. Confeccionado em feltro. Como jogar: 1 - Cada criança recebe um determinado número de figuras e deve organizar dentro dos bolsos. 2- Divididos em duas ou três equipes, cada uma recebe um número de figuras, quem organizar primeiro ganha um ponto. 3- Organizar livremente, de acordo com a letra inicial.
  37. 37. Trilha Alfabética Objetivo: Consciência fonêmica Materiais necessários: Placas de E.V.A. com as letras do alfabeto e dado numérico. Modo de jogar: O jogador joga o dado, anda as casas correspondentes e executa a tarefa determinada pelo professor. Bingo fonológico Bingo inspirado no jogo tradicional, no entanto, o professor sorteia apenas a sílaba inicial da figura
  38. 38. "Tão importante quanto o que se ensina e se aprende é como se ensina e como se aprende". ( César Coll )

×