A classe média

208 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
208
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A classe média

  1. 1. “A Classe Média: Ascensão e Declínio”
  2. 2. Professor Elísio Estanque em entrevista ao “Diário Económico” (DE) DE – Em Portugal existe pobreza envergonhada?
  3. 3. Professor Elísio Estanque em entrevista ao “Diário Económico” (DE) Prof. – Existe(...) As famílias e os indivíduos a dada altura incorporaram um “status” de uma condição “remediada” e que mereceu a consideração (ou até a inveja) de conhecidos, vizinhos, familiares o que, agora, perante as dificuldades e carências económicas inesperadas, lhes coloca acrescidas dificuldades no plano psicológico. A imagem projetada para o exterior entra em conflito com a realidade de um orçamento familiar que já não consegue sustentar esse estatuto de desafogo. Por isso, em muitos casos recorre-se à assistência, mas isso é feito às escondidas por forma evitar o encontro com os grupos mais pobres e miseráveis com quem os que já foram (e ainda se sentem) membros da classe média não aceitam ser confundidos.
  4. 4. Professor Elísio Estanque em entrevista ao “Diário Económico” (DE) DE – Um País sem classe média tem tendência, a médio prazo, a “morrer”? Ou são possíveis milagres?
  5. 5. Professor Elísio Estanque em entrevista ao “Diário Económico” (DE) Prof. – A classe média integra grupos muito distintos no seu seio. Mas não é só a questão financeira que conta. O empobrecimento de uns, a contenção e o risco de cair na penúria de outros, a revolta daqueles que, apesar das dificuldades, se possam aguentar ou ainda o fechamento em soluções individualistas de muitos outros compõem uma panóplia de possíveis reações. Porém, as respostas desses grupos, desencantados e frustrados com o poder económico e político podem também derivar para a contestação coletiva, engrossando movimentos, protestos e revoltas mais ou menos radicais. Um contexto de forte descontentamento e de saturação face às instituições e aos agentes do sistema (partidos políticos) é propício ao surgimento de propostas salvíficas e a discursos populistas que podem resultar em ditaduras. E estas camadas descontentes podem servir de rastilho, arrastando consigo os restantes setores populares, os desempregados e os excluídos que o eram antes da crise. Sem classe média nenhuma democracia consegue aguentar-se por muito tempo. Mas a classe média também atua coletivamente e pode ajudar a fazer revoluções.
  6. 6. EU RECUSO-ME A FAZER PARTE DE UM GRUPO “DESENCATADO E FRUSTRADO”. RECUSO-ME A SERVIR DE RASTILHO PARA REVOLTAS, REVOLUÇÕES OU GUERRAS. RECUSO-ME A DESPERDIÇAR A MINHA VIDA COM RAIVAS, ÓDIOS, FRUSTRAÇÕES, DESCONTENTAMENTOS OU MISÉRIAS. Eu faço parte da Empower Network e dos Lazy Millionaires League – Duas empresas que produzem milionários. Duas empresas que entregaram esta semana, a mais 38 pessoas, cheques de seis digitos. E estou à procura de gente que, como eu, queira aprender, trabalhar e mudar a sua vida para sempre.
  7. 7. Estou Aqui: http://aldadocouto.com/exp2 E Aqui:
  8. 8. ESTOU À SUA ESPERA

×