Notícia e Reportagem

1.546 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.546
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
355
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Notícia e Reportagem

  1. 1. A NOTÍCIA
  2. 2. TEXTO Elementos do jornal / Manchete
  3. 3. TEXTO
  4. 4. LIDE Lide é o aportuguesamente da palavra inglesa "lead" e se refere à abertura (início) de uma notícia, ou seja, o primeiro parágrafo. No texto jornalístico, o primeiro parágrafo tem que responder às perguntas básicas: TEXTO
  5. 5. TEXTO QUEM O QUÊ QUANDO ONDE COMO POR QUÊ LEADLEAD
  6. 6. Dormem em aula 30 alunos franceses Uma classe inteira de um colégio francês dormiu durante uma aula na sexta-feira da semana passada. Ontem, a polícia descobriu o motivo. Em vez do haxixe consumido habitualmente no intervalo, que estava em falta naquele dia, os 30 estudantes da cidade de Talange (nordeste da França) resolveram tomar tranqüilizantes. A única aluna que não dormiu confessou que distribuíra as pílulas. Atividade: TEXTO
  7. 7. - uma classe inteira de um colégio francês - dormiu durante uma aula - na sexta-feira da semana passada - cidade de Talange (nordeste da França) - em vez do haxixe consumido habitualmente no intervalo, que estava em falta naquele dia, resolveram tomar tranqüilizantes - Complemento: a única aluna que não dormiu confessou que distribuíra as pílulas TEXTO Quem:Quem: O quê:O quê: Quando:Quando: Onde:Onde: Por quê:Por quê: Como:Como:
  8. 8.  Nome do jornal TEXTO Foto principal Informações da edição Manchete Coluna / Notas Chamadas Submanchete Cotações / Clima
  9. 9. • O cabeçalho é o cartão de visitas. Deve possuir formas simples, comunicativas legíveis e marcantes. São partes integrantes do cabeçalho: o nome do jornal; o editor responsável; a localidade onde é veiculado o jornal, a data, edição e valor. Manchete : é o título principal, de maior destaque, no alto da primeira página do jornal (capa)
  10. 10. O JORNAL IMPRESSO Os elementos do design do jornal impresso: Colunagem: Distribui o texto em colunas verticais de tamanho regular, espaçadas e válidas para encaixar os elementos. O espaço entre as colunas deve ser suficiente para garantir um intervalo visual limpo e contrastante com a coluna de texto
  11. 11. Fotos: vêm sempre acompanhadas de legenda descritiva e do crédito para o fotógrafo.
  12. 12. Artes Charges (desenhos geralmente satíricos de políticos e personagens que estão em evidência)
  13. 13. Box: é um espaço graficamente delimitado que pode incluir em seu espaço textos, gráficos, charges, fotos, etc.
  14. 14. Artes Infográfico: mapas, gráficos estatísticos, seqüenciais e esquemas visuais. Sempre citar fonte e data
  15. 15. • É como uma Vitrine de loja de sapatos. • Função é seduzir o leitor a ler os conteúdos do jornal impresso • Expõe os principais assuntos da edição • Acima está o cabeçalho – o cartão de visita do jornal • Sabendo o significado de cada cor, o diagramado pode ser criativo Primeira Página
  16. 16. Reportagem A reportagem é um dos gêneros mais nobres em jornalismo. É na reportagem que se evidenciam os grandes jornalistas Baseia-se no testemunho direto dos fatos e situações As fontes podem ser também documentos, livros, almanaques, relatórios, recenseamentos, etc.
  17. 17. Entre os tantos desafios já existentes na rotina escolar, está posto mais um. O bullying escolar - termo sem tradução exata para o português – tem sido cada vez mais reportado. É um tipo de agressão que pode ser física ou psicológica, ocorre repetidamente e intencionalmente e ridiculariza, humilha e intimida suas vítimas. "Ninguém sabe como agir", sentencia a promotora Soraya Escorel, que compõe a comissão organizadora do I Seminário Paraibano sobre Bullying Escolar, que reuniu educadores, profissionais da Justiça e representantes de governos nos dias 28 e 29 de março, em João Pessoa, na Paraíba. “As escolas geralmente se omitem. Os pais não sabem lidar corretamente. As vítimas e as testemunhas se calam. O grande desafio é convocar todos para trabalhar no incentivo a uma cultura de paz e respeito às diferenças individuais”, complementa. (IDENTIFIQUE NO TRECHO ACIMA OS VERBOS DICENDI)
  18. 18. A partir dos casos graves, o assunto começou a ganhar espaço em estudos desenvolvidos por pedagogos e psicólogos que lidam com Educação. Para Lélio Braga Calhau, promotor de Justiça de Minas Gerais, a imprensa também ajudou a dar visibilidade à importância de se combater o bullying e, por consequência, a criminalidade. "Não se tratam aqui de pequenas brincadeiras próprias da infância, mas de casos de violência, em muitos casos de forma velada. Essas agressões morais ou até físicas podem causar danos psicológicos para a criança e o adolescente facilitando posteriormente a entrada dos mesmos no mundo do crime”, avalia o especialista no assunto. Ele concorda que o bullying estimula a delinquência e induz a outras formas de violência explícita. Seminário - Organizado pela Promotoria de Justiça da Infância e da Adolescência da Paraíba, em parceria com os governos municipal e estadual e apoio do Colégio Motiva, o evento teve como objetivo, além de debater o assunto, orientar profissionais da Educação e do Judiciário sobre como lidar com esse problema. A Promotoria de Justiça elaborou um requerimento para acrescentar os casos de bullying ao Disque 100, número nacional criado para denunciar crimes contra a criança e o adolescente. O documento será enviado para o Ministério da Justiça e à Secretaria Especial de Direitos Humanos.
  19. 19. Durante o encontro também foi lançada uma publicação a ser distribuída para as escolas paraibanas, com o objetivo de evidenciar a importância de um trabalho educativo em todos os cenários em que o bullying possa estar presente – na escola, no ambiente de trabalho ou mesmo entre vizinhos. Nesse manual, são apresentados os sintomas mais comuns de vítima desse tipo de agressão, algumas pistas de como identificar os agressores, conselhos para pais e professores sobre como prevenir esse tipo de situação e mostram-se, ainda, quais as consequências para os envolvidos. Em parceria com a Universidade Maurício de Nassau, a organização do evento registrou as palestras e as discussões – o material se transformará num vídeo-documentário educativo que será exibido nas escolas da Paraíba, da Bahia e de Pernambuco. http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/bullying-preciso-levar-serio-431385.shtml
  20. 20. Promotores querem tornar bullying crime 19 de abril de 2011 Promotores da Infância e Juventude de São Paulo querem que o bullying seja considerado crime. Um anteprojeto de lei elaborado pelo grupo prevê pena mínima de 1 a 4 anos de reclusão, além do pagamento de multa. Se a prática for violenta, reiterada e cometida por adolescente, em caso de condenação, o autor poderá ser acolhido pela Fundação Casa. Pela proposta, pode ser penalizado quem expuser alguém de forma voluntária e mais de uma vez a constrangimento público, escárnio ou degradação física ou moral, sem motivação evidente e estabelecendo com isso uma relação desigual de poder. Se o crime for cometido por mais de uma pessoa, por meio eletrônico ou por qualquer mídia (cyberbullying), a pena será aumentada de um terço até a metade. E, se cometido contra menor de 14 anos ou pessoa com deficiência mental, a pena aumenta ainda mais um terço. Quando resultar em lesão grave, a pena será de reclusão de 5 a 10 anos. Se ocasionar a morte da vítima, a reclusão será de 12 a 30 anos, além de multa - a mesma prevista para homicídios. O anteprojeto prevê ainda que, se a prática resultar em sequela psicológica à vítima (provada por meio de laudos médicos e psiquiátricos), a pena de reclusão será de 2 a 6 anos e multa. No entanto, como o bullying na maioria dos casos é praticado por crianças e adolescentes, os promotores vão precisar adaptar a tipificação penal dessas práticas à aplicação de medidas socioeducativas. O anteprojeto será submetido no próximo dia 6 de maio a aprovação na Promotoria da Infância e Juventude do Ministério Público e, depois, encaminhado ao procurador-geral, Fernando Grella, que deve enviar o texto a um deputado federal. As informações são do Jornal da Tarde. http://www.estadao.com.br/noticias/geral,promotores-querem-tornar-bullying-crime,708329,0.htm
  21. 21. TEXTO QUEM O QUÊ QUANDO ONDE COMO POR QUÊ LEADLEAD Promotores Querem que o bullying seja considerado crime Abril 2011 – projeto 06 de maio São Paulo Defendendo a criação de um anteprojeto de lei elaborado pelo grupo que prevê pena mínima de 1 a 4 anos de reclusão, além do pagamento de multa. Se a prática for violenta, reiterada e cometida por adolescente, em caso de condenação, o autor poderá ser acolhido pela Fundação Casa. Não diz na notícia
  22. 22. Bullying motivou 87% de ataques em escolas, diz estudo 16 de abril de 2011 O psiquiatra americano Timothy Brewerton, que tratou de alguns dos estudantes sobreviventes do massacre de Columbine, que deixou 13 mortos em 1999 nos Estados Unidos, apresentou ontem no Rio estudo realizado pelo serviço secreto do país cujo resultado apontou que, nos 66 ataques em escolas que ocorreram no mundo de 1966 a 2011, 87% dos atiradores sofriam bullying e foram movidos pelo desejo de vingança. Trata-se da mesma motivação alegada pelo atirador Wellington Menezes de Oliveira, autor do massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo. "O bullying pode ser considerado a chave para entender o problema e um enorme fator de risco, mas outras características são importantes, como tendências suicidas, problemas mentais e acessos de ira. Não acredito em um estereótipo ou perfil para um assassino potencial nas escolas." A pesquisa apontou que em 76% dos ataques no mundo os assassinos eram adolescentes e tinham fácil acesso às armas de parentes. "Além do controle ao acesso às armas, recomendamos também que os pais fiquem atentos a alguns comportamentos, como maus-tratos contra animais, alternância de estados de humor, tendências incendiárias, isolamento e indiferença", disse Brewerton. Segundo ele, 70% dos ataques registrados em escolas no mundo aconteceram nos Estados Unidos. O levantamento apontou que naquele país 160 mil alunos faltam diariamente no colégio por medo de sofrer humilhações, surras ou agressões verbais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. http://www.estadao.com.br/noticias/geral,bullying-motivou-87-de-ataques-em-escolas-diz-estudo,707119,0.htm
  23. 23. TEXTO QUEM O QUÊ QUANDO ONDE COMO POR QUÊ LEADLEAD O psiquiatra americano Timothy Brewerton apresentou estudo realizado pelo serviço secreto do país Ontem – 15/04/2011 No Rio A pesquisa apontou que em 76% dos ataques no mundo os assassinos eram adolescentes e tinham fácil acesso às armas de parentes Não diz na notícia
  24. 24. OBRIGADA PELA ATENÇÃO. PROFESSORA MARCIA REGINA FACELLI AGUINA

×