Lendas 9o. a

1.525 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.525
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
322
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lendas 9o. a

  1. 1. TRABALHO LENDAS9º. ANO A - 2013
  2. 2. Matinta pereira
  3. 3. Matinta PereiraA Matinta-Pereira, também conhecida como Mati-Taperê, é uma personagem dofolclore da região norte do Brasil. É representada por uma mulher idosa e assustadoraque veste uma roupa escura e velha. De acordo com a lenda, a Matinta passa as noitese madrugadas pelas ruas assoviando de forma estridente, amedrontando as pessoas.De acordo com a lenda, uma forma de não ser perturbado pela Matinta seriaoferecendo a ela, no dia seguinte, algum tipo de alimento e tabaco (fumo). Destaforma ela deixaria de assustar as pessoas da casa, parando de assoviar. Caso contrário,ficaria assoviando todas as noites nas proximidades da casa.Em algumas regiões do Norte do Brasil, a Matinta aparece com um pássaro escuro quea ajuda a assustar as pessoas, assoviando de forma assustadora e levando azar poronde passa. Em outras versões da lenda, ela possui a capacidade de se transformar emum pássaro.
  4. 4. Ela também aparece em dias de lua cheia,quando a lua esta ficando cheia osmoradores da região já fecham a casa com medo que ela apareça,mais de diaela é com uma senhora normal com boa aparência ninguém desconfia que elaé matinta ela bate de porta em porta pedindo comida, mais se você negar acomida para ela, ela voltara de forma aterrorizante e assombrara sua casa,elatambém se transforma em um pássaro negro com manchas na costa.
  5. 5. Trabalho Leiturae RedaçãoLendasNome :Barbara de Jesus Barbosa CalviNº69°ATema : Vitória Régia
  6. 6. A lenda da vitória-régia é muito popular no Brasil, principalmente naregião Norte. Diz a lenda que a Lua era um deus que namorava as maislindas jovens índias e sempre que se escondia, escolhia e levavaalgumas moças consigo. Em uma aldeia indígena, havia uma lindajovem, a guerreira Naiá, que sonhava com a Lua e mal podia esperar odia em que o deus iria chamá-la.Os índios mais experientes alertavam Naiá dizendo que quando a Lualevava uma moça, essa jovem deixava a forma humana e virava umaestrela no céu. No entanto a jovem não se importava, já que eraapaixonada pela Lua. Essa paixão virou obsessão no momento em queNaiá não queria mais comer nem beber nada, só admirar a Lua.Numa noite em que o luar estava muito bonito, a moça chegou à beirade um lago, viu a lua refletida no meio das águas e acreditou que odeus havia descido do céu para se banhar ali. Assim, a moça se atirouno lago em direção à imagem da Lua. Quando percebeu que aquilo forauma ilusão, tentou voltar, porém não conseguiu e morreu afogada.Comovido pela situação, o deus Lua resolveu transformar a jovem emuma estrela diferente de todas as outras: uma estrela das águas –Vitória-régia. Por esse motivo, as flores perfumadas e brancas dessaplanta só abrem no período da noite.De vermelho é o final que eu mudei
  7. 7. Novo FinalAssim Náia se atirou no lago, mas foisurpreendida com um grande jacaré verde.Ecomo o jacaré estava com fome comeuNáia. O deus Lua vendo que a moça estavainteressada nele, e como era muito bela atransformou numa flor muito linda. E como ojacaré avia a comido o transformou em umagrande planta verde. A flor ficava dentro dagrande planta verde, representando o jacaréque havia comido a moça linda.Essa plantaficou conhecida com VITÓRIA-RÉGIA
  8. 8. Amanda Ferraz da Silva n° 03Renato de Sousa Silva Júnior n°29
  9. 9. Honorato ou Norato Maria Caninana
  10. 10. Cobra Norato Cobra Norato , ou Honorato, e uma das mais conhecidas lendas do folclore amazônico.Conta a lenda que em numa tribo indígena da Amazônia, uma índia, grávida da Boiúna(Cobra-grande, Sucuri), deu à luz a duas crianças gêmeas que na verdade eram Cobras.Um menino, que recebeu o nome de Honorato o Norato, e uma menina, chamada deMaria Caninana. Depois de nascidos , ao perceber que eram "Cobras", ela resolveu seaconselhar com um Pajé, e perguntou se devia matá-los ou jogá-los no rio. O Pajé, entãorespondeu que se os matasse ela morreria também. Então ela decidiu soltá-los no leito dorio Tocantins.La no rio, eles como Cobras se criaram. Honorato era bom e vinha sempre visitar a mãe.Mas, sua irmã, "Maria Caninana", que era a mais pura expressão da maldade, nunca veio.Assim mesmo andavam sempre juntos e percorreram todos os rios da Amazônia.Maria, sendo muito má, um verdadeiro demônio, fazia muitas travessuras quedesgostavam o irmão. Alagava canoas, mexia com os bichos, assombrava e afogavaviajantes e banhistas, fazia naufragar embarcações, cometia, enfim, toda sorte demaldades.Eram tantas as maldades e atentados praticadas por ela que, um dia, Honorato acaboupor matá-la para por fim às suas perversidades. Honorato, em algumas noites de luar,perdia o seu encanto e adquiria a forma humana transformando-se em um belo rapaz,deixando as águas para levar uma vida normal na terra.
  11. 11. cobra Norato Cobra Norato , ou Honorato, e uma das mais conhecidas lendas do folclore amazônico.Conta a lenda que em numa tribo indígena da Amazônia, uma índia, grávida da Boiúna(Cobra-grande, Sucuri), deu à luz a duas crianças gêmeas que na verdade eram Cobras.Um menino, que recebeu o nome de Honorato o Norato, e uma menina, chamada deMaria Caninana. Depois de nascidos , ao perceber que eram "Cobras", ela resolveu seaconselhar com um Pajé, e perguntou se devia matá-los ou jogá-los no rio. O Pajé, entãorespondeu que se os matasse ela morreria também. Então ela decidiu soltá-los no leito dorio Tocantins.La no rio, eles como Cobras se criaram. Honorato era bom e vinha sempre visitar a mãe.Mas, sua irmã, "Maria Caninana", que era a mais pura expressão da maldade, nunca veio.Assim mesmo andavam sempre juntos e percorreram todos os rios da Amazônia.Maria, sendo muito má, um verdadeiro demônio, fazia muitas travessuras quedesgostavam o irmão. Alagava canoas, mexia com os bichos, assombrava e afogavaviajantes e banhistas, fazia naufragar embarcações, cometia, enfim, toda sorte demaldades.Eram tantas as maldades e atentados praticadas por ela que, um dia, Honorato acaboupor matá-la para por fim às suas perversidades. Honorato em noites de lua cheia selibertava da maldição deixando na beira do rio seu corpo de cobra sem ação, no entantoquando o sol nascia ele voltava a sua forma de cobra e só seria liberto da maldição sealguém enfiasse uma estaca de madeira em se corpo enquanto estivesse na formahumana ; porem a aparência de seu corpo de cobra era tão monstruosa que as pessoasfugiam aterrorizadas .
  12. 12. E.M.E.B “EducadorPaulo Freire”Nome: Marília Altina Barros nº: 24 9º A
  13. 13. "Curupira"A palavra "currupira"procedem do tupi kurupir,que significa "o coberto depústulas"2 . SegundoStradelli, procedem de curu,contração de corumi, e pira,"corpo", significando, então,"corpo de menino"
  14. 14. Um dos mais populares e espantosos entes fantásticosdas matas brasileiras. O curupira é representado porum anão, cabeleira rubra, pés ao inverso, calcanharespara a frente. A mais antiga menção de seu nome fê-lao venerável José de Anchieta, em São Vicente, em 30 demaio de 1560: "É coisa sabida e pela boca de todoscorre que há certos demônios e que os brasis chamamCurupira, que acometem aos índios muitas vezes nomato, dão-lhe açoites, machucam-nos e matam-nos.São testemunhos disso os nossos irmãos, que viramalgumas vezes os mortos por eles.
  15. 15. Por isso, costumam os índios deixar emcerto caminho, que por ásperas brenhas vaiter ao interior das terras, no cume da maisalta montanha, quando por cá passam,penas de aves, abanadores, flechas e outrascoisas semelhantes, como uma espécie deoferenda, rogando fervorosamente aosCurupiras que não lhes façam mal".Nenhum outro fantasma brasileiro colonialdeterminou oferenda propiciatória.Demônio da floresta, explicador dosrumores misteriosos, do desaparecimentode caçadores, do esquecimento decaminhos, de pavores súbitos,inexplicáveis, foi lentamente o Curupirarecebendo atributos e formas físicas quepertenciam a outros entes ameaçadores eperdidos na antiguidade clássica.
  16. 16. Nome: Gabriella,Nathielly,Jadielly,Thayanne n°:26,12,16,30 sérieEMEB “educador Paulo Freire “
  17. 17. Vitória-régia é uma lenda muito popular no Brasil, principalmente na região Norte.Diz a lenda que a Lua era um deus que namorava as mais lindas jovens índias e sempre quese escondia, escolhia e levava algumas moças consigo. Em uma aldeia indígena, havia umalinda jovem, a guerreira Naiá, que sonhava com a Lua e mal podia esperar o dia em que odeus iria chamá-la.Os índios mais experientes alertavam Naiá dizendo que quando a Lua levava uma moça, essajovem deixava a forma humana e virava uma estrela no céu. No entanto a jovem não seimportava, já que era apaixonada pela Lua. Essa paixão virou obsessão em um momentoonde Naiá não mais queria comer nem beber nada, só admirar a Lua.Numa noite em que o luar estava muito bonito, a moça chegou à beira de um lago, viu a luarefletida no meio das águas e acreditou que o deus havia descido do céu para se banhar ali.Assim, a moça se atirou no lago em direção à imagem da Lua. Quando percebeu que aquilofora uma ilusão, tentou voltar, porém não conseguiu e morreu afogada.Comovido pela situação, o deus Lua resolveu transformar a jovem em uma estrela diferentede todas as outras: uma estrela das águas – Vitória-régia. Por esse motivo, as floresperfumadas e brancas dessa planta só abrem no período da noite.
  18. 18. Numa noite em que o luar estava maravilhoso,naiá foi até a praia veraquele lindo luar e em sua mente ele via um homem muito lindo maistudo aquilo era ilusão, mas continua a olha para aquele luar e foi verde perto tudo aquilo e nado... Mais nunca chegava resolveu voltar paracasa chegando lá pensou em voltar aquele lugar mais no meio docaminho apareceu um homem mas aquele era real era seucompanheiro na aldeia , ele olhou ela e saiu correndo e não disse nadae naiá vou para aquela praia novamente e chegou lá e olhou ,agora vouolha mais de perto e foi de novo nadando mas em fim chegou perto ecomeço a se iludi com aquilo e todo luar ia naquela praia , e um dia elasentiu que tinha uma coisa errada e viu um homem com tudo aquiloseu amigo que avia visto tudo aquilo foi nadando e a matou com umaflechada nas costa e por fim tudo aquilo avia acabou por um coragemde um homem e nunca mais aquele deus apareceu para nenhumamoça bonita e aquela moça foi mais uma vitoria régia por um ato decoragem e as flores nunca mais de abriram a noite .
  19. 19. EMEB “Educador Paulo Freire”Nome:Amanda Lemos N° 04Nome:Ariane Bocaiuva N° 05data:15/05/2013 9°ano A
  20. 20. Lenda o Chupa CabraA Lenda do Chupa Cabra tomou grande proporção nosanos 90 pela aparição de vários animais mortos. Essesanimais apareceram, principalmente, em Porto Rico,no Nicarágua, na Flórida, e em algumas regiões doMéxico e do Brasil.Eles ganharam esse nome pela morte de muitascabras em Porto Rico. O detalhe é que essas cabrasnão apareceram sem partes do corpo ou somente comsua ossada, elas apenas apareceram com marcas dedentadas no pescoço e sem sangue, que teria sidodrenado.
  21. 21. Novo FinalAssim acabou que o chupa cabra foi achado morto perto da fronteira do Brasilcom a Argentina, perto de uma grande fazenda de cabras e cabeças de gado.O seu corpo foi levado pra análise, e descobriram que o Chupa Cabra é naverdade um morcego voador que ronda as fazendas que continha cabra a noitee se alimentavam do sangue delas.
  22. 22. LendaLobisomemNomes: Lucas Henrique nº21Kaique Gonçalves nº 18Serie: 9º ano A
  23. 23. Lenda original A figura do lobisomem é de um monstro que mistura formas humanas e de lobo.Segunda a lenda, quando uma mulher tem 7 filhas e, depois, um homem, esse últimofilho será um Lobisomem. Quando nasce, a criança é pálida, magra e possui as orelhas um pouco compridas. Asformas de lobisomem aparecem a partir dos 13 anos de idade. Na primeira noite deterça ou sexta-feira após seu 13º aniversário, o garoto sai à noite e no silêncio da noitese transforma pela primeira vez em lobisomem e uiva para a Lua, semelhante a umlobo. Após a primeira transformação, em todas as noites de terça ou sexta-feira, o homem setransforma em lobisomem e passa a visitar 7 partes da região, 7 pátios de igreja, 7 vilase 7 encruzilhadas. Por onde ele passa, açoita os cachorros e desliga todas as luzes quevê, além de uivar de forma aterrorizante. Quando está quase amanhecendo, o lobisomem volta a ser homem. Segundo ofolclore, para findar a situação de lobisomem é necessário que alguém bata bem forteem sua cabeça. Algumas versões da história dizem que os monstros têm preferênciapor bebês não batizados, fazendo com que as famílias batizem suas crianças o maisrápido possível.
  24. 24. Final daLenda modificado Após a decima transformação, em todas as noites de segunda-feira, o homem se transforma em lobisomem e passa a visitar 1 parte daregião, 1 pátio de igreja para tentar obter a salvação, 1 vila paravigiar sua família em quanto eles dormem e 1 encruzilhada para vera lua . Por onde ele passa, açoita os cachorros e liga todas as luzesque vê desligada pois tem medo do escuro , além de uivar deforma aterrorizante.
  25. 25. Imagens
  26. 26. Patrocinadores : Coca-ColaDoritosMc’DonaldsThe End.
  27. 27. Corpo seco – história originalA 20 quilômetros de Ituiutaba, na região conhecida como SãoVicente, está uma das serras mais famosas e, para muita gente, olugar é amaldiçoado. Conta a lenda que a serra do Corpo Seco é amoradia de uma pessoa que não está viva nem morta. Um rapazde alma muito ruim que torturava a própria mãe. Um dia, cansadade tanto sofrer, no leito da morte, teria jogado uma maldição nofilho. O homem, quando morreu, foi rejeitado primeiro por Deus,depois pelo diabo, e até mesmo a terra não quis o corpo que foidevolvido...
  28. 28. Corpo seco – Novo finalA 20 quilômetros de Ituiutaba, na região conhecida como São Vicente, está uma das serras mais famosas e,para muita gente, o lugar é amaldiçoado. Conta a lenda que a serra do Corpo Seco é a moradia de umapessoa que não está viva nem morta. Um rapaz de alma muito ruim que torturava a própria mãe. Um dia,cansada de tanto sofrer, no leito da morte, teria jogado uma maldição no filho. O homem, quando morreu,foi rejeitado primeiro por Deus, depois pelo diabo, e até mesmo a terra não quis o corpo que foi devolvido.Certo dia um casal voltava de uma festa e foram pela estrada de terra, pois os dois estavam alcoolizados. Nomeio do caminho, próximo ao cemitério onde o corpo vagava, o carro parou, tinha acabado o combustível.O homem ligou imediatamente para seu tio que ainda estava na festa, porem o local da festa era muitolonge de onde eles estavam. Ao aguarde de seu tio chegar os dois acabaram dormindo por causa do efeitoda bebida.Quando o homem o acordou não estava mais em seu carro e sim num hospital. O homem chamou aenfermeira e descobriu que sua namorada tinha morrido asfixiada, até hoje ninguém sabe o motivo.E Desde então, a lenda vaga por ai dizendo que o além dessas e outros casos acontecidos misteriosamentenesta pista, é a obra do homem do corpo seco, isso e muitos outros caso que é melhor nem comentar...
  29. 29. Trabalho de leitura e redaçãoE.M.E.B Educador Paulo FreireTema: Corpo SecoProfª MárciaNomes e Números:Alexia Santana nº 01Giovana Alvarenga nº 13Heloisa Roveratti nº15Jaqueline Fernandes nº 17Lara Oliveira nº 19
  30. 30. Lenda BrasileiraSalamanca do Jarau
  31. 31. No tempo dos padres jesuítas, existia um moço sacristão no Povo de Santo Tomé, naArgentina, do outro lado do rio Uruguai. Ele morava numa cela de pedra nos fundos da própriaigreja, na praça principal da aldeia.Ora, num verão mui forte, com um sol de rachar, ele não conseguiu dormir a sesta. Vai então,levantou-se, assoleado e foi até a beira da lagoa refrescar-se. Levava consigo uma guampa, queusava como copo.Coisa estranha: a lagoa toda fervia e largava um vapor sufocante e qual não é a surpresa dosacristão ao ver sair dágua a própria Teiniaguá, na forma de uma lagartixa com a cabeça defogo, colorada como um carbúnculo. Ele, homem religioso, sabia que a Teiniaguá - os padresdiziam isso!- tinha partes com o Diabo Vermelho, o Anhangá-Pitã, que tentava os homens earrastava todos para o inferno. Mas sabia também que a Teiniaguá era mulher, uma princesamoura encantada jamais tocada por homem. Aquele pelo qual se apaixonasse seria feliz parasempre.
  32. 32. Assim, num gesto rápido, aprisionou a Teiniagá na guampa e voltou correndo para a igreja,sem se importar com o calor. Passou o dia inteiro metido na cela, inquieto, louco que chegasse anoite. Quando as sombras finalmente desceram sobre a aldeia, ele não se sofreu: destampou aguampa para ver a Teiniaguá. Aí, o milagre: a Teiniaguá se transformou na princesa moura, quesorriu para ele e pediu vinho, com os lábios vermelhos. Ora, vinho só o da Santa Missa. Louco deamor, ele não pensou duas vezes: roubou o vinho sagrado e assim, bebendo e amando, elespassaram a noite.No outro dia, o sacristão não prestava para nada. Mas, quando chegou a noite, tudo se repetiu.E assim foi até que os padres finalmente desconfiaram e numa madrugada invadiram a cela dosacristão. A princesa moura transformou-se em Teiniaguá e fugiu para as barrancas do rioUruguai, mas o moço, embriagado pelo vinho e de amor foi preso e acorrentado.Como o crime era horrível - contra Deus e a Igreja! - foi condenado a morrer no garrote vil, napraça, diante da igreja que ele tinha profanado.
  33. 33. No dia da execução, todo o Povo se reuniu diante da igreja deSão Tomé. Então, lá das barrancas do rio Uruguai a Teiniaguásentiu que seu amado corria perigo. Aí, com todo o poder desua magia, começou a procurar o sacristão abrindo rombos naterra, um valos enormes, rasgando tudo. Por um desses valosela finalmente chegou à igreja bem na hora em que o carrascoia garrotear o sacristão. O que se viu foi um estouro muitogrande, nessa hora, parecia que o mundo inteiro vinha abaixo,houve fogo, fumaça e enxofre e tudo afundou e tudodesapareceu de vista. E quando as coisas clarearam a Teiniaguátinha libertado o sacristão e voltado com ele para as barrancasdo rio Uruguai.Vai daí, atravessou o rio para o lado de cá e ficou uns três diasem São Francisco de Borja, procurando um lugar afastado ondeos dois apaixonados pudessem viver em paz. Assim, foram pararno Cerro do Jarau, no Quaraim, onde descobriram uma cavernamuito funda e comprida. E lá foram morar, os dois.
  34. 34. Essa caverna, no alto do Cerro, ficou encantada. Virou Salamanca, que quer dizer "grutamágica", a Salamanca do Jarau. Quem tivesse coragem de entrar lá, passasse 7 Provas econseguisse sair, ficava com o corpo fechado e com sorte no amor e no dinheiro para oresto da vida.Na Salamanca do Jarau a Teiniaguá e o sacristão se tornaram os pais dos primeiros gaúchosdo Rio Grande do Sul. Ah, ali vive também a Mãe do Ouro, na forma de uma enorme bolade fogo. Às vezes, nas tardes ameançando chuva, dá um grande estouro numa das cabeçasdo Cerro e pula uma elevação para outra. Muita gente viu.
  35. 35. FinalMas essa pessoa tinha que ser corajosa e esperta por que nessa caverna tinha muitasarmadilhas, muitos tentaram mas acabaram falhado na ultima prova. Um dia um jovemtrabalhador que era muito azarado se interessou pela caverna e quis tentar passou a primeiraprova, a segunda, pela terceira e chegou na ultima diante daquela prova em que todosfalharam, ele sentou-se e refletiu um pouco, depois de refletir ele criou coragem e conseguiupassar pela ultima prova, e então desde aquele dia ele nunca mais foi azarado em toda a suavida.

×