Gestão e espiritualidade (1)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Gestão e espiritualidade (1)

em

  • 3,648 visualizações

Apresentação didática baseada na obra de Afonso Murad, Gestão e Espiritualidade (Ed. Paulinas)

Apresentação didática baseada na obra de Afonso Murad, Gestão e Espiritualidade (Ed. Paulinas)

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
3,648
Visualizações no SlideShare
3,647
Visualizações incorporadas
1

Actions

Curtidas
1
Downloads
108
Comentários
1

1 Incorporado 1

https://twitter.com 1

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Gestão e espiritualidade (1) Presentation Transcript

  • 1. Gestão e Espiritualidade Para instituições religiosas e educacionais Afonso Murad (versão out 2012)
  • 2. Parece que há um conflito sem solução Humanização e MísticaGestão
  • 3. Por que esta dificuldade?
  • 4. GESTÃOHabilidade (competência)para coordenar processos eliderar pessoas, em vista deresultados, a fim de realizarcom eficácia a missão deuma Instituição ou grupoorganizado.
  • 5. Múltiplas faces da Gestão Gestão pessoal Gestão da casa Gestão de instituições:  Comerciais  Governamentais  Religiosas  Sociais Especialização da gestão: Gestão da Educação Gestão Pastoral Gestão de pessoas Gestão do conhecimento Animação e Governo na Vida Consagrada: uma forma de gestão.
  • 6. GESTÃO ECLESIAL e na Vida Religiosa Competência para coordenar processos e liderar pessoas, para anunciar Jesus Cristo e colaborar na encarnação do Reino de Deus no mundo.
  • 7. As diversas dimensões da Gestão• Serviço: oferecer todas as possibilidades para que a instituição cumpra sua missão e seus destinatários se sintam felizes (Para nós: educar e evangelizar)• Pessoas: selecionar, formar, acompanhar, estimular e avaliar voluntários e profissionais.• Patrimonial: adquirir, manter e atualizar bens imóveis, móveis e tecnológicos.• Contábil e econômico financeiro: gerir recursos para realizar a missão e prestar contas deles.• Imagem: tornar conhecido o que se realiza (informação), como a cidade nos vê?• Inovação: difundir o conhecimento (formação), aprender de quem faz melhor, copiar, desenvolver e criar.
  • 8. Instituição gestora EvangelizaçãoInovação PessoasImagem Patrimônio Econômico
  • 9. Gestão em organizações simples...
  • 10. GESTOR(A) NAS ORGANIZAÇÕES COMPLEXASNível: operacional, executor(a), gestor(a).Cada um é gestor(a) de sua área de atuação  Empoderamento.À medida em que se ocupam funções de coordenação, cresce o estratégico e diminui o operacional.Na Vida Religiosa: Gestor(a) + Pastor(a) + coirmã(o)
  • 11. Gestão e negócio A gestão serve a qualquer grupo organizado. Negócio: venda de um produto ou serviço. clientes, fornecedores, funcionários e gestores (colaboradores) concorrentes.• A pastoral e a educação utilizam princípios de gestão, mas devem mostrar seu diferencial humanista e espiritual.
  • 12. Diferencial das Organizações• Conectividade: perceber e interpretar as tendências da sociedade.• Visão estratégica: missão, visão, valores, metas e resultados.• Inovação: introdução de novos serviços, antecipando as demandas do público-alvo.• Gestão do conhecimento: aprender de quem sabe, copiar e desenvolver, disseminar.• Qualidade: Oferecer soluções -> encantamento e fidelização.• Velocidade: Resposta e execução em menor tempo.• Viabilidade econômico-financeira.• Pessoal em contínuo aperfeiçoamento, atuando em equipe, com senso de pertença Visibilidade e imagem. Estimular simultaneamente a todas, com prioridades.
  • 13. Qual o diferencial de organizações cristãs?
  • 14. Pilares da gestão profissional (Peter Drucker)1. Capacitar pessoas para atuar em conjunto.2. Integrar a cultura local.3. Comprometer-se com metas comuns.4. Criar e utilizar indicadores de desempenho.5. Desenvolver valores compartilhados.6. Desenvolver e organizar o conhecimento -> inovação.7. Ancorar-se na comunicação e na responsabilidade.8. Buscar resultados múltiplos.9. Ter uma política de mudança: abandonar, aperfeiçoar, aprender com as conquistas.10. Inovar com continuidade.
  • 15. Empecilhos à gestão1. Amadorismo (realizar ações de forma caseira, movido por impulso).2. Ausência de visão de futuro e estratégias3. Pouca relação com a sociedade e a cultura atual.4. Baixa ênfase em resultados.5. Simulação de atitudes desejáveis.6. Concentração de poder e infantilização.7. Desequilíbrio centralização x descentralização8. Individualismo: destruidor de projetos comuns9. Investimentos desproporcionais.10. Ausência de gestão de pessoas.11. Baixa visibilidade institucional (imagem)12. Descontinuidade na gestão.13.Lentidão para realizar mudanças
  • 16. Funções da Equipe Gestora Planejamento Organização Liderança Controle Animação Espiritual
  • 17. PLANEJAMENTO Definir metas a serem alcançadas e decidir as ações para alcançá-las. Inclui: análise das situações, antecipação do futuro, determinação de objetivos, decisão sobre iniciativas, escolha das estratégias e recursos. Momento teórico e prático: faz pensar e ajuda a agir com eficácia. Planejamento participativo: envolve as pessoas nas decisões e na execução.
  • 18. Planejar é priorizar: escolher e abandonar...
  • 19. ORGANIZAÇÃO Reunir e coordenar pessoas, informações, recursos financeiros e físicos para alcançar os objetivos. Atrair pessoas competentes, especificar suas responsabilidades, agrupar tarefas em Grupos de Trabalho, ordenar e alocar recursos. Estruturas flexíveis e ágeis são as melhores. Reduzir numero de reuniões
  • 20. Organizar para vencer a lentidão
  • 21. LIDERANÇA Estimular as pessoas para que sejam grandes realizadoras. Líder: comunica-se com uma contato próximo e caloroso, monitora tarefas e inspira sua equipe a alcançar as metas propostas. Novo perfil: mobilizar as pessoas (adultos e jovens), para que contribuam com suas idéias e habilidades para a inovação
  • 22. CONTROLE Monitorar pessoas e processos, para verificar se os objetivos estão sendo alcançados. Controle estrito: sufoca as pessoas. Falta de controle: perda de energia. Controle sábio: nem caos, nem repressão. Monitoramento no início dos processos é sempre maior.
  • 23. Superar a falta de controle e a o controle estrito
  • 24. ANIMAÇÃO ESPIRITUAL Diante de Jesus, somos todos seguidores, aprendizes e irmãs(ãos). Animamos as pessoas a serem seguidoras de Jesus e membros da Igreja. Testemunhamos a paixão por Jesus e seu reino (Jo 21).
  • 25. Funções da Equipe Gestora Planejamento Organização Liderança Controle Animação Espiritual
  • 26. Gestão da Escola cristã Instituição educacional: reelabora o conhecimento, produz e dissemina a cultura, socializa as novas gerações, vive e explicita valores, prepara para ensino superior. Espaço de evangelização: forma lideranças de cristãos e cidadãos. Negócio: presta serviços educacionais e garante sua continuidade com eles. Filantrópica: Faz parte do terceiro setor e promove ações sociais.
  • 27. O aluno(a) para nós é: Educando Interlocutor da evangelização Cliente Cidadão planetário
  • 28. O(a) gestor(a): Coordena processos visando a aprendizagem. Anima e sustenta a paixão dos educadores. Responsabiliza-se pela evangelização Valores Anúncio Experiências comunitárias. Gerencia um negócio. Prepara cidadãos planetários. Em síntese: é pastor(a) e gestor(a).
  • 29. Gestão de pessoas em organizações• Processo de seleção -> contratação.• Monitoramento.• Avaliação de desempenho anual.• Manter bom clima organizacional.• Formação continuada e investimento.• Demissão.• Aposentadoria. Como se faz a gestão de pessoas naVida Religiosa?
  • 30. Espiritualidade na Gestão Valores: caminho
  • 31. Espiritualidade: a seiva da árvore da existência
  • 32. Como árvores de um bosque (dimensão comunitária)
  • 33. Espiritualidade:Antenas que captam os sinais de Deus na vida
  • 34. ESPIRITUALIDADE EM CONCEITOCultivo da relação com o sagrado, que dá consolo, esperança e sentido para a a existência.Vivência da fé que motiva as ações e alimenta nossas convicções.Jeito de viver o seguimento de Jesus, conforme nosso carisma.A espiritualidade se expressa em ritos e devoções, mas não se reduz a isso.
  • 35. A tensão gestão X espiritualidade São duas realidades muito diferentes, com lógicas, linguagens e perspectivas próprias. Na instituição, há conflito de interesses e perspectivas.
  • 36. A tensão produtiva Instituição sem gestão, fracassa. Sem valores e espiritualidade, se esvazia. Oportunidade: uma nova síntese entre interioridade e eficácia, valores e resultados, bondade e profissionalismo, contemplação e ação.
  • 37. Cultivo da Espiritualidade na Gestão Construir a Postura no trato unidade interior com as pessoas Caminho Instituição espiritual espiritualizada
  • 38. 1. Construir a unidade interior Cuidar de si: corpo, sentimentos, sensibilidade. Aprender a lidar com pressões e ansiedade. Cultivar o olhar de encantamento e alegria. Saborear o caminho percorrido. Partilhar sentimentos bons e guardá-los.
  • 39. 2.Postura no trato com as pessoas Reserva e discrição. Auto-controle. Estar presente sem invadir. Expressar gratidão. Acolher a incompreensão. Perseverança e paciência. Estimular sua equipe. Colocar limites. Negociação e flexibilidade. Humildade.
  • 40. SUPERAR O ATIVISMO E O DESCENTRAMENTO
  • 41. 3.Cultivo pessoal da espiritualidade Manter-se enraizado(a) em Deus. Exercitar a entrega, a ação de graças e a súplica. Meditar a Palavra de Deus
  • 42. Lidar com as tentações (vigiar e orar)
  • 43. Cultivo pessoal da espiritualidade Ter uma comunidade de referência. Fazer silêncio e se retirar, nos momentos mais exigentes. Exercitar a oração de discernimento e assumir o risco das decisões. A cada ano fazer seu projeto pessoal de vida e revisitá-lo periodicamente.
  • 44. SINAIS DE ORGANIZAÇÃO ESPIRITUALIZADA
  • 45. Sinais de organizações espiritualizadas1. Clima e qualidade das relações.2. Gestão participativa: empoderamento.3. Valorização dos colaboradores (política de gestão de pessoas)4. Inclusividade: étnica, cultural, pessoas com deficiência.5. Processos explícitos de cultivo da espiritualidade, se há oportunidade.6. Relações honestas com cliente e fornecedores.7. Compromisso com a sustentabilidade ecológica.8. Compromisso social.-> Ser um sinal profético de nova sociedade.
  • 46. Gestão profissional à luz da fé O difícil equilíbrio: estar no mercado sem ceder à sua lógica perversa. Risco: ficar a meio caminho. Tarefa: Aprender com o que há de melhor na sociedade e no mercado Ser uma instância crítica ao mercado globalizado e suas consequências: exclusão social e destruição do eco-sistema, aniquilamento das culturas locais. Ser um sinal profético.
  • 47. Estamos no mesmo barco....
  • 48. Por que gestão e espiritualidade? Para recuperar a unidade perdida entre interioridade e atividade. Para sermos mais felizes. Para que nossa missão tenha raízes profundas. Para sobreviver e ter sucesso, sem se inebriar com ele. Para recriar o carisma em novo contexto histórico.
  • 49. Para acessar este material:• Vá ao endereço: www.afonsomurad.blogspot.com• Busque: Gestão e espiritualidade (instituições religiosas e educacionais)• Baixe os eslaides no slideshare. Salve no seu computador(Melhor se você está conectado no Facebook)
  • 50. CréditosTexto, criação e fotos: Ir. Afonso Murad.Desenhos: Max Gonçalves,Crianças da educação infantil.É permitido a reprodução e utilização deste material, desde que citado o autor. Livro: Gestão e Espiritualidade (Paulinas).