Boletim dominical 16-06-2013

507 visualizações

Publicada em

Boletim dominical da Igreja Presbiteriana Nova Suíça, BH/MG.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
148
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim dominical 16-06-2013

  1. 1. Semeando paraa colheitaBOLETIM DOMINICALRua Limoeiro, 204 - Nova Suíça - Belo Horizonte - MG - CEP 30421-185 | tel.: (31) 3317-3330Congregação daNessa Edição:Adoração - Evangelização - Ensino - Comunhão - Ação SocialBOLETIM DOMINICALAdoração - Evangelização - Ensino - Comunhão - Ação SocialDomingo, 16 de Junho de 2013Ano II - Número 05Missões no MundoPágina 10Posicionamentoda IPB quanto adiversos TemasPáginas 02-03PastoralPáginas 04-06ARTIGONOTÍCIAS DO CAMPOPágina 11Histórico do Trabalho PresbiterianoProjeto: Igreja Presbiteriana Nova SuíçaESPECIALPáginas 07 - 09PROJETO DESPERTANDOVOCAÇÕESNOVAS FRONTEIRAS EMDIFERENTES CULTURASA DEPRESSÃONOS PASTORESSE/PMC VISITA O“PROJETO NOVASUÍÇA”
  2. 2. Pesquisas recentesvêm demonstrandoque entre as classesprofissionais que mais estão sujeitasao estresse provocado por suasatividades, uma das que encabeçama lista dos que mais sofrem são ospastores, mesmo considerando queestes não são propriamente “profis-sionais”, e sim vocacionados a pres-tar um serviço santo à Igreja denosso Senhor. Perdem apenas paraclasse dos professores e profissio-nais da saúde (enfermeiros, médi-cos e atendentes – principalmenteda rede pública).De acordo com a Organiza-ção Mundial de Saúde (OMS) adepressão atinge milhões de pesso-as ao redor do mundo e está entreas principais causas que contribuempara incapacitar um indivíduo. AOMS prevê que até o ano de 2020 adepressão passe a ser a segundamaior causa de incapacidade eperda de qualidade de vida.O Dr. Pérsio Ribeiro Gomesde Deus, cristão, pianista, médicopsiquiatra, docente da EST - Mac-kenzie (DEUS, 2010), relata que“em nossa prática clínica comopsiquiatra, temos atendido umnúmero expressivo de pastorescom quadros depressivos, comoobservado por outros autores(KOENIG, 2001; MOREIRA-ALMEIDA et al., 2006)”.O Dr. Pérsio define concisa-mente o conceito de depressão:Depressão é conceituada como umadiminuição ou queda de energia física epsíquica; assim sendo, qualquer fatorque possa causar essa diminuição deenergia pode produzir depressão.O conflito é um desses fatores. Desig-nam-se como conflito situações ouproblemas psíquicos não resolvidos ecarregados de emoção. A emoçãoatrelada ao conflito geralmente énegativa e se traduz especialmentepor meio da angústia, sentimentogerado pela ambivalência, pela contra-dição. Quanto mais oposição existeentre juízo de valor e juízo de realida-de, mais angústia é gerada. O apóstoloPaulo sintetiza de maneira lapidaresses pensamentos (Rm 7:19): “o bemque quero fazer, este não faço; mas omal que não quero se apresentasempre diante de mim”. (PERSIO,2009)Mais alarmante ainda é a suaconstatação ao citar que “LotufoNeto (1977, p. 251) encontroumaior incidência de doenças menta-is entre ministros protestantes secomparados à população geral, e ostranstornos depressivos responde-ram por 16,4% das doenças menta-is encontradas nos ministros protes-tantes”.Pérsio acrescenta informa-ções preciosas de sua pesquisa aodizer:Os dados de nossa pesquisa(DEUS, 2008) confirmam os acha-dos desses outros pesquisadores.Dentre os 50 prontuários de pacientescristãos portadores de depressãoatendidos na referida pesquisa numA DEPRESSÃO NOS PASTORESRev. Afonso Celso de OliveiraDomingo, 16 de junho de 2013Pág. 02PASTORAL“Como suspira a corça pelas correntes das águas,assim, por ti ó Deus, suspire a minha alma”.(Salmo 42.1)
  3. 3. período de seis meses, 13 pertenciam apastores, representando 26% dospacientes atendidos. Acreditamos queas respostas desses pacientes mere-cem uma atenção particular.Dos 13 pastores, nove são presbiteria-nos, três são batistas, e um é da Assem-bleia de Deus. Essa porcentagemprecisa ser considerada de formacuidadosa, pois não espelha a incidên-cia real de doença depressiva entrereligiosos ou entre pastores. A explica-ção desse desvio ou artificialidadeporcentual pode se dever ao fato deque há poucos psiquiatras cristãos emnosso meio, e essa pesquisa foi realiza-da por um psiquiatra cristão e presbite-riano.Esclarecemos ainda que, em razão dotamanho reduzido da amostra, osresultados não permitem generaliza-ção, pois não refletem a porcentagemde religiosos protestantes em nossopaís, devendo, portanto, ser compre-endida como estudo de caso.Indagados quanto ao seu conhecimen-to sobre a doença depressiva,obtinham-se informações de que oestado de doença por eles apresentadacorrespondia à doença depressiva,somente três deles tinham informa-ções a respeito.Quanto às causas para seu adoecimen-to, dos nove pastores presbiterianos,cinco relacionaram sua doença aoestresse do exercício da vida pastoral,dois a problemas de relacionamentoconjugal, e dois não sabiam a causa.Dos três pastores batistas, dois relacio-naram as causas ao pecado e à falta defé, e um não sabia a causa. O pastorassembleiano relacionou sua depres-são à ação do demônio.Um dado revelador e preocupante éque, dentre os pastores, dos novepresbiterianos, cinco referiram comocausa da depressão o estresse ligado àatividade pastoral. As explicaçõesdesse estresse pastoral foram relacio-nadas aos seguintes fatores: problemas com instâncias da Igreja(compreendida como organização)por presbitérios e sínodos: falta decompreensão e apoio das referidasinstâncias; problemas de relacionamento com asigrejas locais; uma queixa comum a todos foi aexistência de problemasfinanceiros advindos dabaixa remuneraçãoprofissional; problemas conjugaistambém foram significati-vos: três dos nove pasto-res presbiterianos nãosabem a causa. mudanças constantes decampos de trabalho.Diante de tudo isso, creioque devemos perguntar erefletir: Por que aqueles quelevam a Palavra daCura estão doentes? Pastores tambémprecisam de cuida-dos pastorais? Precisam cuidar de sua saúdecom profissionais da saúde? Por que o medo de consultarpsiquiatras e psicólogos?O pastor, líder carismático, ungido,investido da imagem do “homem deDeus” na comunidade, tem que estarsempre pronto e disponível para asatividades pastorais. Essa prontadisponibilidade atrelada à falta de umhorário determinado para as ativida-des pastorais é apontada (UNISINOS,2008) como uma das causas predispo-nentes a doenças. (DEUS, 2010)A agenda de um Ministro doEvangelho revela, às vezes nomesmo dia, uma “montanha-russa”de emoções contraditórias.... sepultamento pela manhã, reuniãode liderança à tarde, casamento emfinal de tarde e culto à noite; ou seja, avivência, num mesmo dia, da dor e doluto, o exercício da lógica e a preocu-pação, a celebração de momento dealegria, prédica e exortação; e atrela-das a essas atividades, todas as emo-ções sentidas, expressas e contidaspelo veículo sagrado. (DEUS, 2010).Quem entre nós já nãoenfrentou crises de melancolia,desânimo, fraqueza? Este temaproposto hoje deve ser levado asério, de tal forma que todos nóspossamos buscar auxílio, socorro, esermos mais fraternos com nossospares que, silenciosamente ou não,estão definhando em meio ao reba-nho de Cristo, não atentando aigreja, e às vezes o próprio pastor,que ele também é ovelha que preci-sa de cura.“... àquele que é poderoso paravos guardar de tropeçar, e apre-sentar-vos irrepreensíveis, comalegria, perante a sua glória, aoúnico Deus sábio, Salvador nos-so, seja glória e majestade, domí-nio e poder, agora, e para todoo sempre. Amém” (Judas 1:24-25).Domingo, 16 de Junho de 2013Pág. 03
  4. 4. Pág. 04 Domingo, 09 de junho de 2013A MULHER CRISTÃEsperança para Alma)3. A IPB é representada pela CE e pelopresidente do SC.O brasileiro tem alma episcopal.Mesmo presbiterianos, acostumados aoregime representativo, em que as decisõessão tomadas por concílios e não porindivíduos, por vezes se confundem nestaquestão. O fato é que a Igreja Presbiterianado Brasil não é representada pelo pastor Aou B que possa aparecer na mídia. Ela érepresentada por sua Comissão Executiva(Art. 1º, CI-IPB) e pelo presidente do SC(Art. 5º, RI-CE-SC).4. O Evangelho não é inclusivista, masexclusivista.No século pluralista e inclusivistaem que vivemos, ninguém gosta deexclusivistas, ou donos da verdade.Todavia, o próprio Jesus foi um exclusivista.Ele disse: "Eu sou o caminho, e a verdade, ea vida; ninguém vem ao Pai senão por mim"(Jo 14.6) e "Quem nele crê não é julgado; oque não crê já está julgado, porquanto nãocrê no nome do unigênito Filho de Deus"(Jo 3.18)Pode se dizer que o Evangelho éinclusivista no sentido de raças, idades,classes sociais, como nos ensina a Palavrade Deus: "Dessarte, não pode haver judeunem grego; nem escravo nem liberto; nemhomem nem mulher; porque todos vós soisum em Cristo Jesus." (Gl 3.28)Todavia, no Evangelho, inclusãoreligiosa não existe. João Batista quando viuos religiosos fariseus e saduceus vindo parao batismo, os excluiu dizendo: "Raça devíboras, quem vos induziu a fugir da iravindoura?" (Mt 3.7)Os que praticam as obras dacarne, pela Palavra de Deus, estãoexcluídos: "Ora, as obras da carne sãoconhecidas e são: prostituição, impureza,lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades,porfias, ciúmes, iras, discórdias,os últimos meses muitosNcrentes de nossas igrejastêm nos questionadosobre as posições do Rev. Marcos Amaralna mídia e sobre a posição oficial da IPBsobre estes temas. Como presidente doSínodo de Piratininga, concílio histórico daIPB, escrevo as linhas abaixo com o objeti-vo de prestar algum esclarecimento:1. A Igreja Presbiteriana do Brasil nãoaprova o ecumenismo.Já em 1966 o Supremo Concílio daIPB declarou que "... embora respeitando oforo íntimo de cada indivíduo, a IPB nãoentende que a liberdade de exameimplique na abertura de suas portas a toda asorte de dúvidas e heresias; 3) Determinarque os professores dos seminários da IPBse dediquem ao preparo intelectual eespiritual de seus alunos e se abstenham depropaganda e práticas ecumenistas eideológico-políticas" (SC-66-091)Em 1980 a Comissão Executiva doSC-IPB tratou de uma denúncia deecumenismo e instruiu o Presbitério atomar "conhecimento da denúncia no quetange à prática de ecumenismo porobreiros e igrejas sob sua jurisdição,verifique a procedência das acusações eprocesse a quem de direito" (CE-80-097)Mais recentemente, em 2006 aIgreja Presbiteriana do Brasil decidiudesfiliar-se da Aliança Mundial de IgrejasReformadas (AMIR) por constatarecumenismo e outros problemasteológicos naquela Aliança. Dentre outrasmedidas, a IPB resolveu: "... 3º) repudiar asrecomendações da AMIR às suas igrejas-membros, decorrentes das decisõestomadas na reunião de Accra - 2004,quanto à Bíblia, às missões, aoecumenismo, ao aborto, ao feminismo e àsexualidade; 4º) protestar, de formaveemente, na qualidade de membrofundador da AMIR, contra a visita dadiretoria da AMIR ao Vaticano com vistas aoecumenismo com a Igreja CatólicaApostólica Romana; 5º) retirar-se dafiliação da Aliança Mundial das IgrejasReformadas (AMIR), e lamentar estasrecentes decisões que ferem nossospadrões de fé e princípios éticos; 6º)determinar a publicação desta decisão noórgão oficial de divulgação da IPB, comdestaque em primeira página; 7º) darconhecimento desta decisão à diretoria daAliança Mundial das Igrejas Reformadas(AMIR) e às igrejas parceiras." (SC-2006-Doc. 11)2. A Igreja Presbiteriana do Brasil nãotem qualquer comunhão com asreligiões do ramo espírita.Tendo a Bíblia como única regrade fé e prática, a IPB condena anecromancia e a salvação pelas obras.Nesta pequena devocional o Rev.Hernandes Dias Lopes, ministropresbiteriano, condensa a posição da IPB:"Os mortos não se comunicam com os vivos?Isaías 8:19 - A favor dos vivos se consultarãoos mortos? Há muitas pessoas aflitas que aoperderem um ente querido recorrem aosmédiuns para, pretensamente, secomunicarem com os seus mortos? A Bíbliadiz que não. Deus considera essa prática umaabominação. A palavra de Deus pergunta: Emfavor dos vivos se consultarão os mortos? A leie aos profetas, se eles não falarem assim,jamais verão a alva. O rico que desprezouLázaro em sua porta e morreu, foi para oinferno. No tormento das chamas, rogou aopai Abraão que enviasse Lázaro, já no paraíso,a casa de seus pais. Jesus lhe disse, ele temseus pais e seus profetas, ouçam-nos. Eleredarguiu, não senhor se alguém levantardentre os mortos, eles ouvirão. Jesusrespondeu: Ainda que alguém ressuscite evenham falar-lhes, eles não crerão, se nãotiverem dado crédito aos profetas. Nãodevemos consultar os mortos nem mesmorecorrer a Deus em favor dos mortos. A Bíbliadiz que ao homem está ordenado morrer umasó vez, vindo depois disso o juízo." (Gotas deESCLARECIMENTO SOBRE A POSIÇÃO DA IGREJAPRESBITERIANA DO BRASIL – DIVERSOS ASSUNTOSRev. Ageu Magalhães
  5. 5. Pág. 05Domingo, 16 de Junho de 2013se o magistrado civil os convidar a fazê-lo.»Reafirma-se aqui a históricaseparação entre Igreja e Estado, tão caraaos reformados. Este ponto não foiinvenção dos reformadores, mas umresgate da verdade bíblica. Veja os textosprova:‘‘Nesse ponto, um homem, que estava nomeio da multidão lhe falou: Mestre, ordena ameu irmão que reparta comigo a herança.Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem meconstituiu juiz ou partidor entre vós?’’ Lc12.13,14‘‘Respondeu Jesus: O meu reino não é destemundo. Se o meu reino fosse deste mundo, osmeus ministros se empenhariam por mim,para que não fosse eu entregue aos judeus;mas agora o meu reino não é daqui’’. Jo 18.36‘‘Responderam: De César. Então lhes disse:Daí, pois, a César o que é de César, e a Deus oque é de Deus’’. Mt 22.21Isto posto, ministros doEvangelho não devem misturar assuntos deIgreja com assuntos de cunho civil.Ministros presbiterianos, especialmente,devem tomar muito cuidado neste sentido,pois levam a imagem da igreja,automaticamente. Isso não quer dizer queos crentes devam ser omissos comocidadãos. Cada crente tem o dever e aresponsabilidade de amar ao próximocomo a si mesmo, denunciar as injustiças dasociedade e lutar por um mundo melhor.Todavia, deve fazê-lo como indivíduo,como crente. A Igreja, como instituição,está proibida de fazer isso, pelas razõesacima.7. A Igreja Presbiteriana do Brasil nãoaprova o homossexualismoSendo a IPB uma igreja que seguea Bíblia como única regra de fé e prática,automaticamente condenará a práticahomossexual, por ser ela proibida nasEscrituras. Todavia, em 2007 a IPB semanifestou contrariamente ao tema, emdocumento público denominado"Manifesto Presbiteriano". Eis abaixo algunstrechos:"... a Igreja Presbiteriana do Brasilrepudia a caracterização da expressão doensino bíblico sobre o homossexualidadecomo sendo homofobia, ao mesmo tempo emque repudia qualquer forma de violênciacontra o ser humano criado à imagem deDeus, o que inclui homossexuais e quaisqueroutros cidadãos.»"... as Escrituras Sagradas, sobre asquais a Igreja Presbiteriana do Brasil firmadissensões, facções, invejas, bebedices,glutonarias e coisas semelhantes a estas, arespeito das quais eu vos declaro, como já,outrora, vos preveni, que não herdarão oreino de Deus os que tais coisas praticam."(Gl 5.19-21)Outra lista de exclusão: "Ou nãosabeis que os injustos não herdarão o reinode Deus? Não vos enganeis: nem impuros,nem idólatras, nem adúlteros, nemefeminados, nem sodomitas, nem ladrões,nem avarentos, nem bêbados, nemmaldizentes, nem roubadores herdarão oreino de Deus." (1Co 6.9,10)Jesus, no julgamento final, excluiráa muitos dizendo: "... nunca vos conheci.Apartai-vos de mim, os que praticais ainiquidade." (Mt 7.23)E no paraíso, nossa habitação final,apenas os que lavaram suas vidas com osangue de Cristo entrarão na cidade deDeus. Os demais serão excluídos: "Bem-aventurados aqueles que lavam as suasvestiduras [no sangue do Cordeiro], paraque lhes assista o direito à árvore da vida, eentrem na cidade pelas portas. Fora ficamos cães, os feiticeiros, os impuros, osassassinos, os idólatras e todo aquele queama e pratica a mentira." (Ap 22.13-15)5. O Evangelho exige confrontaçãoAs boas novas do Evangelho sófazem sentido quando entendemos quaissão as más notícias. E as más notícias nosinformam que o ser humano estátotalmente morto espiritualmente,caminhando para o inferno. Sendo assim,impossível será pregarmos as boas novasde salvação se o receptor da mensagemnão souber que está em perigo. Impossívelserá também qualquer arrependimento seos pecados daqueles que estão perdidosnão forem reconhecidos e confrontados.Muitos crentes hoje entendem serinvasiva a confrontação dos pecados dopróximo, todavia, não é isso o que nosmostra a Palavra de Deus. Vejamos algunsexemplos:- Natã confrontou o Rei Davi emseu pecado de adultério e assassinato (2Sm12.1-15) - Elias confrontou os pecados doRei Acabe (1Re 18.18) e o povo em geral(1Re 18.21) - João Batista confrontoufariseus e saduceus (Mt 3.8-10), o povo (Lc3.7-14) e o próprio Rei Herodes (Mt14.1.12). Aliás, porque confrontou oadultério de Herodes, foi decapitado...- Pedro confrontou Simão, omágico, pelo pecado de querer comprar odom de Deus (At 8.20)- Paulo confrontou Elimas, outromágico, por tentar impedir a pregação doEvangelho (At 13.8-12).- Em Atenas, capital do saberantigo, Paulo confrontou o pecado deidolatria dos atenienses (At 17.16-34).- Por fim, nosso Senhor Jesus,nosso mestre a quem devemos imitar,passou seu ministério confrontandopecadores, especialmente os religiosos.Certa ocasião, tratando com fariseus, disse:“Examinais as Escrituras, porque julgais ternela a vida eterna, e são elas mesmas quetestificam de mim. Contudo, não quereisvir a mim para terdes vida” (Jo 5.39,40).John MacArthur, no livro "OCaminho da Felicidade", Editora CulturaCristã, faz uma importante constataçãosobre este assunto:"Jesus veio ao mundo e expôs opecado do povo. Eles foram confrontados coma realidade do pecado. Se Jesus não tivessevindo, poderiam tê-lo encoberto. Estavam sesaindo muito bem acalmando as própriasconsciências. Sua religião tinha literalmentefechado os olhos para a verdade e, em suacegueira, estavam marchando para o inferno.Cristo rasgou o véu e disse: "Olhem para simesmos!" Então viram seus pecados eodiaram-no pelo que fez. Na verdade, não nosodeiam. Odeiam a justiça. Odeiam a Cristo.Apenas tenha uma vida justa, ser sal da terrae aguarde para ver o que acontecerá. Você jácolocou sal em uma ferida? Arde. Apenas sejareto em uma sociedade corrupta e verá qualserá a reação." (p. 190)6. A igreja não deve se imiscuirem assuntos do Estado.A Igreja Presbiteriana do Brasil éuma igreja confessional, isto é, adota umadas confissões históricas como sistemaexpositivo de doutrina. A confissão de féadotada pela IPB é a de Westminster.Pastores, presbíteros e diáconos de nossadenominação afirmam sua crença ecompromisso com a Palavra de Deus elealdade para com a Confissão de Fé e osCatecismos.No capítulo XXXI da Confissãode Fé, dos Sínodos e Concílios,encontramos a seguinte prescrição:"IV. Os sínodos e concílios não devemdiscutir nem determinar coisa alguma quenão seja eclesiástica; não devem imiscuir-senos negócios civis do Estado, a não ser porhumilde petição em casos extraordinários, oupor conselhos, em satisfação de consciência,
  6. 6. Pág. 06 Domingo, 16 de Junho de 2013espaços públicos (espaços privados, àsvezes!) para gritar suas palavras de ordem eapresentar as suas exigências. Aí vão osevangélicos para a rua com seus cânticos ebandeiras e, desse modo, anunciam para asociedade que somos apenas mais um grupobarulhento no meio dessa babel pós-modernade confusas facções. Não somos, porém, sómais um grupo. Somos minoritários, mas nãosomos apenas outra minoria no mosaicosocial. (...) O cristianismo fala à sociedade aspalavras de Jesus: “Vinde a mim, todos os queestais cansados e sobrecarregados, e eu vosaliviarei” (Mt 11.28). Venham pessoas detodos os grupos, categorias, minorias,maiorias. Venham como estão. Certamentenão continuarão como estão. Nos que vêm aele Jesus opera por seu Espírito algo que asociedade não pode proporcionar: a remissãode seus pecados, a comunhão com o Pai, ainclusão na família de Jesus. Isso não temmarcha que dê jeito...»Tanta força, dinheiro e entusiasmodespendidos nestas marchas/caminhadasdeveriam ser canalizados para prepararnosso povo na pregação do Evangelho.Quantos crentes que, há anos, não sabem oque é evangelizar? A maioria não sabecomo testemunhar sua fé ou discipular umamigo. Sair em grupos, pelas ruas, comfaixas e bandeiras é relativamente fácil. Odesafio é marcharmos individualmente naescola, no trabalho, na faculdade, pregandoo Evangelho, confrontando pecados. É issoo que nosso Senhor Jesus espera de nós.Concluo este texto pedindo aDeus que abençoe a Igreja Presbiteriana doBrasil, bem como a igreja evangélicabrasileira. Os dias são maus e, mais do quenunca a mentira se parecerá com averdade. É preciso estarmos em comunhãocom o Pai, em vigilância contra o erro ecom o coração repleto da Palavra de Deus.Que Ele nos ajude. Amém.suas crenças e práticas, ensinam que Deuscriou a humanidade com uma diferenciaçãosexual (homem e mulher) e com propósitosheterossexuais específicos que envolvem ocasamento, a unidade sexual e a procriação; eque Jesus Cristo ratificou esse entendimentoao dizer, “. . . desde o princípio da criação,Deus os fez homem e mulher” (Marcos 10.6);e que os apóstolos de Cristo entendiam que aprática homossexual era pecaminosa econtrária aos planos originais de Deus(Romanos 1.24-27; 1 Coríntios 6:9-11).»«Ante ao exposto, por sua doutrina,regra de fé e prática, a Igreja Presbiteriana doBrasil MANIFESTA-SE contra a aprovação dachamada lei da homofobia, por entender queensinar e pregar contra a prática dohomossexualidade não é homofobia, porentender que uma lei dessa naturezamaximiza direitos a um determinado grupo decidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza,atrofia e falece direitos e princípios jádeterminados principalmente pela CartaMagna e pela Declaração Universal deDireitos Humanos; e por entender que tal leiinterfere diretamente na liberdade e namissão das igrejas de todas orientações defalarem, pregarem e ensinarem sobre aconduta e o comportamento ético de todos,inclusive dos homossexuais.»8. A igreja não crê que suavisibilidade deva se dar por marchas oucaminhadasEm 2006 o Supremo Concílio daIPB pronunciou-se sobre a "Marcha paraJesus" de modo contrário ao movimento.Segue abaixo parte da resolução:"... Considerando: 1. o queestabelece o art. 97, na alínea “m” e em seuparágrafo único; 2. que apesar de seremrealizados eventos em locais diferentes poroutras lideranças evangélicas, existe certaunidade entre eles quanto à natureza, aopropósito, às datas e à teologia; tanto no usoda marca e do nome “Marcha para Jesus”,quanto a inexistência de qualquer esforçopara distinguir-se daquele realizado em SãoPaulo-Capital demonstram tal unidade. 3.que na “Marcha para Jesus” – SP houveparticipação de grupos gays, que seconsideram evangélicos, com ampladivulgação na imprensa, sem qualquerpronunciamento por parte da liderança doevento. 4. que o caráter teológico do evento écontrário às Sagradas Escrituras e aosSímbolos de Fé da IPB, a saber: a) Teologia daProsperidade; b) Confissão Positiva; c)Batalha Espiritual (inclusive EspíritosTerritoriais); d) Teologia Triunfalista; e outros,O SC-IPB-2006 RESOLVE: 1.pronunciar-secontrário à participação de seus concílios emembros na “Marcha para Jesus” emovimentos ou eventos de natureza teológicasimilar; 2. determinar aos concílios e aospastores que orientem suas igrejas para quenão se envolvam em eventos e movimentosdessa natureza..." (SC-2006- Doc. 148)Em agosto de 2012 aconteceu noRio de Janeiro, promovida por concílios daIPB a "Caminhada Presbiteriana".Certamente que a teologia por detrás da"Caminhada Presbiteriana" nada tem a vercom a da "Marcha para Jesus", todavia, emnossa opinião, há um equívoco: O alegadoobjetivo da visibilidade da Igreja, por meiode uma marcha ou caminhada, nãoencontra respaldo bíblico.Não temos paralelo bíblico demanifestação do povo de Deus, nostempos bíblicos, por meio de marchas.Naquele tempo, a marcha da igreja se davade forma silenciosa e efetiva, tal qual o salpenetrando no alimento (Mt 5.13); pessoale de relacionamento, como na igrejaprimitiva (At 8.4); cotidiana e sem cessar,como entre os primeiros convertidos (At2.42-47).Marchas, caminhadas oupasseatas têm caráter isolacionista, própriode gueto, e não o que Cristo nos ensinou, asaber, envolvimento amplo na sociedade,como sal e luz (Mt 5.13-16), comirrepreensível testemunho cristão:“…mantendo exemplar o vossoprocedimento no meio dos gentios, paraque, naquilo que falam contra vós outroscomo de malfeitores, observando-vos emvossas boas obras, glorifiquem a Deus nodia da visitação” (1 Pe 2.12).Neste sentido, o Rev. CláudioMarra, editor da Editora Cultura Cristã,publicou precioso texto no editorial doJornal Brasil Presbiteriano de maiopassado:«Ocorre que asmarchas, manifestações,caminhadas, etc., têm sidopromovidas pelas minoriasda sociedade, ou gruposisolados, de qualquerproporção e tamanho,c o m o u m m e i o d ea f i r m a ç ã o d e s u aidentidade e reivindicaçãodo livre exercício de seusdireitos civis. Assim é quea f r o - d e s c e n d e n t e s ,indígenas, homossexuais,mulheres, operários deuma mesma categoriaprofissional e outros gruposperiodicamente ocupam os
  7. 7. p r o j e t o d eOplantação de igrejasdenominado “NovaSuíça” surgiu por iniciativa doplantador Rev. Afonso Celso deOliveira e do presidente do Conselhoda Primeira Igreja Presbiteriana deBelo Horizonte, Rev. Ludgero BonilhaMorais. Aquilo que no início pareciaapenas o esboço de um plano, umsonho em plantar mais uma igreja emBelo Horizonte, ganhou corpo edefinição a partir da aprovação daminuta do projeto pelo Conselho daPrimeira Igreja. Todas essas tratativasocorreram entre outubro e dezembrodo ano de 2010.Após o projeto ser elaborado,convidou-se o Plano MissionárioCooperativo - PMC/IPB − órgãoresponsável em apoiar e financiarparcerias de plantação e revitalizaçãode igrejas presbiterianas, e oPresbitério Belo Horizonte, paraaderirem como mantenedoresjuntamente com o gestor, PrimeiraIgreja Presbiteriana de Belo Horizonte.A escolha do local, bairro Nova Suíça,foi fruto de uma análise geográfica emque se levou em conta o númeroexpressivo de membros da PrimeiraIgreja residentes na região, quepoderiam apoiar e formar um núcleoinicial para dar começo aos trabalhosde evangelização e fundamentação donascedouro da nova igreja.Em janeiro de 2011, chega aBelo Horizonte, depois de seis anos noRio Grande do Sul, onde plantou aIgreja Presbiteriana de Canela,organizada em 2011, o Rev. AfonsoCelso de Oliveira, com sua família –esposa Tatiane; e filhos, PedroHenrique, Samuel Joshua e RebecaK a l l e y − p a r a a s s u m i r aresponsabilidade como obreiroplantador do projeto.A partir da instalação da famíliaPág. 07Domingo, 16 de Junho de 2013Histórico do Trabalho PresbiterianoProjeto: Igreja Presbiteriana Nova Suíça‘‘Aqueles quesemeiam comlágrimas, comcantos de alegriacolherão. Aqueleque sai chorandoenquanto lança asemente, voltarácom cantos dealegria, trazendoos seus feixes’’.Salmos 126:5-6momento do culto inaugural - 10/06/2012momento do culto inaugural - 10/06/2012família pastoral
  8. 8. Pág. 08 Domingo, 16 de Junho de 2013pastoral no bairro Nova Suíça parainiciar a nova igreja, começaram asvisitações e abordagem de membrosresidentes na região. As primeirasreuniões de caráter espiritualcomeçaram a ser realizadas em casasde irmãos que, de forma hospitaleira,abriram as portas para a chegada danova igreja. Inicialmente tínhamos noano de 2011 reuniões de estudosbíblicos às quartas e sextas-feiras.Começava aí a se consolidar umpequeno grupo de apoio, fundamentalpara início de uma igreja nascente.No ano de 2012, prospectandoa possibilidade de ter um local própriopara o culto presbiteriano, e assim daruma identidade mais sólida ao projeto,o Conselho da Primeira Igreja aprovoua locação de um imóvel que fosseadequado a essas pretensões. Em maiosurgiu uma residência disponível paraalugar, em local muito estratégico, defácil localização e acesso não somenteàs pessoas residentes no Bairro NovaSuíça, como em diversos outros bairrosadjacentes à região. Alugou-se esseimóvel localizado à Rua Limoeiro, 204,onde hoje, pela mercê de Deus,funciona a congregação presbiterianaNova Suíça.O culto inaugural, marcohistórico desse empreendimentomissionário, ocorreu no dia 10 de junhode 2012, cujo pregador foi nosso ilustrepresidente do Conselho, Rev. LudgeroBonilha Morais, Secretário Executivodo SC/IPB. Nessa ocasião estiverampresentes cerca de sessenta pessoasque abrilhantaram o evento e o cultoem ação de graças ao Senhor.De junho de 2012 a junho de2013, a igreja incipiente já deuamostras de que a boa mão de nossoSenhor está conduzindo essa obra, cujomaior interessado em sua expansão,crescimento e consolidação é opróprio Deus Triúno, Senhor da Seara.Trabalho infantil - educação cristãRecepção de novos membros - 21 de abril de 2013‘‘Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio dotemplo. Partiam o pão em suas casas, e juntosparticipavam das refeições, com alegria e sinceridadede coração, louvando a Deus e tendo a simpatia detodo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos osdias os que iam sendo salvos’’.Atos 2. 46-47
  9. 9. Nesse primeiro ano, a igreja tomoucorpo, Deus acrescentou cerca de 20novos membros ao trabalho original,que, somados as outras famíliascooperadoras, hoje alcançam umnúmero expressivo de cerca de 40pessoas envolvidas no projeto direta eindiretamente. Nossos cultosdominicais têm uma presença sólida eestável, crescente e proeminente, demédia de 30 a 35 pessoas por culto. Ostrabalhos não se resumem ao cultosolene dominical, mas temos tambémuma Escola Bíblica Dominical (às 9horas) com cerca de vinte matriculados- crianças, jovens e adultos. Contamoscom uma reunião de oração àssegundas-feiras às 19h30min, e reuniãode estudo bíblico às quintas-feiras às19h30min. Dispomos de uma MesaAdministrativa, com dois presbíterosda ativa do Conselho da Primeira Igreja,residentes no bairro, e uma auxiliar detesouraria, que aqui também reside.Existem hoje departamentossendo consolidados, como a educaçãocristã infantil com diversas irmãsvoluntárias na monitoria, e já é dealgum tempo que em todo terceirosábado do mês, nossas mulherespromovem encontros femininos paraevangelização, discipulado, reflexão,oração e comunhão da membresiafeminina. A juventude tambémcomeçou a se movimentar, e esta sepreparando para ter também seuespaço e dia de reunião com o mesmopropósito do grupo feminino –estreitar os laços de comunhão,aprendizado e evangelização.Por tudo isso, e por muito maisque virá, estamos felizes, alegres econfiantes que Deus, o Senhor dasMissões, promoverá em seu tempodeterminado a consolidação desseprojeto cujo objetivo no momento éser organizado em Igreja. Deusconcederá essa vitória de acordo comsuas promessas reveladas em suaDomingo, 16 de Junho de 2013 Pág. 09momento feminino - encontro de mulheresReuniões iniciais - culto nos lares 2011Batismo infantil - 21 de abril de 2013‘‘Vocês sãotestemunhas destascoisas.’’Lucas 24:48
  10. 10. MulticulturalTodos os povos e cul-turas do mundo rece-berão o Evangelhode Jesus Cristo. A cada dia as boasnovas sobre o amor de Deus mos-trado de forma plena na pessoa deJesus Cristo chegam aos lugaresmais longínquos da terra.Este será o tema mobiliza-dor da próxima viagem do ProjetoDespertando vocações. A viagemmissionária será realizada entre 08 a18 de julho.A base do Projeto será acidade e região de Canela, Rio Gran-de do Sul. A Igreja Presbiteriana deCanela uma nova igreja com funda-mentos bíblicos-reformados e comas portas abertas para os habitantesda cidade e região.A equipe será formada por 21Seminaristas. Estes estudantes deTeologia são dos Seminários que aIgreja Presbiteriana do Brasil man-tém nas cidades de São Paulo, Cam-pinas, Recife, Teresina, Rio de Janei-ro e Belo Horizonte.O grupo será monitorado porDiretores de Seminários, Coorde-nadores de Cursos, Professores deTeologia Pastoral do Centro Presbi-teriano Andrew Jumper e por umPág. 10 Domingo, 16 de Junho de 2013aluno de Mestrado em Missões urba-nas, pesquisando na área de pesqui-sa de campo e discipulado.Santana do LivramentoAlém de contatos com oshabitantes de Canela e fortaleci-mento dos crentes fará um desloca-mento até Santana do Livramento eBagé, buscando dados etnográficosque auxiliarão nos fundamentos defuturos projetos para o plantio deIgrejas Presbiterianas naquelaregião.MISSÕES NO MUNDOProjeto Despertando VocaçõesNOVAS FRONTEIRAS EM DIFERENTES CULTURASBagé, RS.Fonte: http://projetodespertandovocacoes.blogspot.com.br/Então disse aos seus discípulos: "A seara égrande, mas os trabalhadores são poucos.Peçam, pois, ao Senhor da seara que envietrabalhadores para a sua seara.’’Mateus 9:37-38 (NVI)Canela, RS.Santana do Livramento, RS.
  11. 11. Pág. 11Domingo, 16 de Junho de 2013NOTÍCIAS DO CAMPONeste último dianove de junho,d o m i n g o , aCongregação Presbiteriana NovaSuíça, como parte das celebraçõesespeciais pela passagem do seuprimeiro ano de existência, recebeu ailustre visita do Rev. Jedeias Duarte,D.D. Sr. Secretário Executivo doPlano Missionário Cooperativo–PMC/IPB.O SE/PMC reuniu-se às 17horas com o obreiro plantador doprojeto, Rev. Afonso Celso deOliveira, e dois presbíteros daPrimeira Igreja Presbiteriana de BeloHorizonte, gestora e proponente dop r o j e t o , m e m b r o s d a M e s aAdministrativa da congregação – Pb.Anderson Fleming e Pb. HelmutRiegg.Durante a reunião foram relatados ao SE/PMC osprogressos e desaos da Congregação Nova Suíça. Emcontrapartida, Rev. Jedeias deu também um depoimento sobreas boas expectativas do PMC relacionados a mais um projeto quea Primeira Igreja de Belo Horizonte empreende em parceria como órgão de plantação de igrejas do SC/IPB.Às 18 horas iniciou-se o culto solene com a participaçãoespecial do Coral Feminino da Primeira Igreja Presbiteriana deBelo Horizonte. A Direção do culto coube ao obreiro plantador,Rev. Afonso Celso de Oliveira. Para enriquecer a bênção desseencontro solene, o pregador da noite, Rev. Jedeias trouxe àcongregação uma palavra de desao e encorajamento no seusermão baseado no texto da Primeira Carta de Paulo a Timóteo,capítulo dois, versos doze a dezessete.Finalizado o culto, após a apresentação dos visitantes epalavra pastoral do Rev. Afonso, ocorreu na área gourmet daigreja uma deliciosa confraternização, onde todos puderamdedicar um precioso tempo de comunhão. Estiveram presentesnesta solenidade e confraternização cerca de cinquenta pessoas,entre crianças e adultos.Temos a certeza, pela fé, que Deus esteve presente e seagradou do que recebeu como louvor e honra ao seu nome cheiode glória!SECRETÁRIO EXECUTIVO DO PMCVISITA O “PROJETO NOVA SUÍÇA”Pb. Anderson, Rev. Jedeias, Rev. Afonso e Pb. Hemultmomento do culto solentemomento do culto solente
  12. 12. - Ter | 9h às 12h- Qui | 14h às 17h- Reunião de Oraçãoseg às 19h30min- Estudo Bíblicoqui às 19h30min- Escola Bíblica Dominicaldom às 09h- Culto Solenedom às 18hPROGRAMAÇÃO SEMANALATENDIMENTO PASTORAL- Rua Limoeiro, 204Nova Suíça - BH/MG- Tel: 3317-33307574-5149- Rev. Afonso Celsode Oliveira- E-mail:pastorafonso@gmail.comCONTATOCongregação da-Rev. Afonso Celso de Oliveira(31) 7574-5149Pb. Anderson Fleming(31)Pb. Helmut Rieg(31)Mesa Administrativapag. 12Domingo dia 09/06 às 18 horas -Participação do Coral Feminino da Primeira Igreja Presbiteriana de BeloHorizonte.Pregador convidado: Rev. Jedeias Duarte - SE/PMC - IPB.Domingo dia 16/06 às 18 horas -Participação do Coral Masculino da Primeira Igreja Presbiteriana deBelo Horizonte.Pregador convidado: Rev. César Guimarães do Carmo - Membro daJURET-SPTDRNE, pastor da Igreja Presbiteriana Jardim das Oliveiras,BH.Domingo dia 23/06 às 18 horas -Participação do Coral Jovem da Primeira Igreja Presbiteriana de BeloHorizontePregador convidado: Rev. Edson Costa Silva, SE-PBHZ, pastor auxiliarda Primeira Igreja de BH.Domingo dia 30/06 às 18 horas -Pregador convidado: Rev. Gustavo Quintela Franca - pastor auxiliar daPrimeira Igreja de BH.02/06 - Leonardo D’Agostini -Tel.: 8595-680710/06 - Rev. Afonso e Tatiane (casamento ) Tel.: 3046-491320/06 - Silvania Silva (esposa do Levi) - Tel.: 2515-667522/06 - Anderson Fleming - Tel.: 2526-376525/06 - Eunice Batista Gonçalves - Tel.: 3372-0017Desejamos a todos os aniversariantes de Junho ricas bênçãos derramadas peloEterno. Que nosso bom Deus seja bendito em agraciar nossos queridos com suaboa mão, seu consolo, conforto e fortalecimento, para louvor do nome de suaglória!«O justo florescerá com a palmeira crescerá como cedro no líbano». Sl 92:12ANIVERSARIANTES DE JUNHOD. Marlene, Sr. Ronaldo. Maria Rosário Costa Teixeira Maciel, Ana Marina CostaTeixeira Maciel, Antônio Henrique Costa T. Maciel, Pedro Henrique Costa T.A igreja está convocada para orar por essa família entre os dias 17/06 a 23/06JUNHO - MÊS DE CELEBRAÇÕESNo dia 10 de junho de 2013 nossa congregação completou pelamercê de Deus um ano da sua organização de ponto de pregação para ostatus de congregação. Com isso em mente e com o coração cheio dealegria, estamos programando um mês repleto de cultos especiaiscomemorativos, com a participação de vários pastores que pregarão aosdomingos em nosso púlpito, contando ainda com corais de nossa igrejaque farão apresentações especiais. Contamos desde já com as orações,participação e divulgação dos membros de nossa igreja.Rev. Afonso Celso.AVISOSDomingo, 16 de Junho de 2013

×