Semeando paraa colheitaBOLETIM DOMINICALRua Limoeiro, 204 - Nova Suíça - Belo Horizonte - MG - CEP 30421-185 | tel.: (31) ...
s palmas são para osAhomens; os louvores,para Deus! Assim creemos cristãos reformados. Nada é mais belono culto do que ado...
cos na segunda pessoa do singular eplural, e na primeira pessoa do plural, emque Deus é invocado, celebrado, procla-mado, ...
L e i t u r a : E f é s i o s 5 . 2 2 , 3 31.Ser submissa ao seu marido emtudo, assim como a igreja ésubmissa a Cristo (Ef...
Submeter-se não é ser escra-va, nem perder sua opinião nem sentir-se inferior, mas aceitar o papel queDeus lhe deu, agindo...
prir suas obrigações conjugais em relaçãoao marido é roubar o que lhe é devido.5. Ser pura, casta, buscando abeleza interi...
projeto de plantaçãoOde igrejas denomina-do “Nova Suíça”surgiu por iniciativa do plantador Rev.Afonso Celso de Oliveira e ...
Pág. 08 Domingo, 09 de Junho de 2013iniciar a nova igreja, começaram asvisitações e abordagem de membrosresidentes na regi...
corpo, Deus acrescentou cerca de 20novos membros ao trabalho original,que, somados as outras famíliascooperadoras, hoje al...
interessante que emÉalgumas citações doNT, a nome da irmãPriscila ocorre antes do nome domarido Áquila (At 18.18,26; 2 Tm4...
CONSAGRAÇÃO SINGULARPriscila e Áquila pela vidade Paulo arriscaram a própria vida,ver Rm 16.3,4. Paulo nãoconsiderou sua v...
- Ter | 9h às 12h- Qui | 14h às 17h- Reunião de Oraçãoseg às 19h30min- Estudo Bíblicoqui às 19h30min- Escola Bíblica Domin...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Boletim dominical Igreja Presbiteriana Nova Suíça - BH, MG 09-06-2013

1.509 visualizações

Publicada em

Boletim informativo dominical da Congregação presbiteriana do bairro Nova Suíça.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.509
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
90
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim dominical Igreja Presbiteriana Nova Suíça - BH, MG 09-06-2013

  1. 1. Semeando paraa colheitaBOLETIM DOMINICALRua Limoeiro, 204 - Nova Suíça - Belo Horizonte - MG - CEP 30421-185 | tel.: (31) 3317-3330Congregação daNessa Edição:Adoração - Evangelização - Ensino - Comunhão - Ação SocialBOLETIM DOMINICALAdoração - Evangelização - Ensino - Comunhão - Ação SocialDomingo, 09 de Junho de 2013Ano II - Número 04Missões no MundoPáginas 10O LOUVOR -UMA EXPRESSÃODE AMOR E GRATIDÃOA DEUSPáginas 02/03PastoralPáginas 04-06Estudo BíblicoNOTÍCIAS DOCAMPOMissões no MundoPáginas 11OS DEVERESDA ESPOSA CRISTÃHistórico do Trabalho PresbiterianoProjeto: Igreja Presbiteriana Nova SuíçaESPECIALPáginas 07 - 09Priscila, uma mulhera serviço de Deus
  2. 2. s palmas são para osAhomens; os louvores,para Deus! Assim creemos cristãos reformados. Nada é mais belono culto do que adorar a Deus commúsicas que expressam a grandeza de suamajestade, a imponência de seus ricosatributos, a magnitude de sua graça, aimensurável leveza de seu supremoamor. Deus, e somente Deus, deve ser oalvo de nossa mais sublime adoração.Os cânticos que entoamosrefletem diretamente nossa teologia,aquilo que cremos. Por isso é tarefa dasmais difíceis a seleção de cânticos para oculto cristão. A Igreja Presbiteriana doBrasil tem seu próprio hinário, o NovoCântico, que tem passado por algumasrevisões ao longo de sua história. Cadaigreja local tem suas preferências poroutros cânticos que compõem a hinódiabrasileira.A cada geração percebemosuma tendência de gostos e variedadesrítmicas e melódicas. Mas o desafio ésaber: quais são as melhores músicas eletras que se enquadram na perspectivabíblico-teológica, para o serviço religiosodo culto que Deus requer? Creio que sãoas que procuram preservar e conjugar, aomesmo tempo, a simplicidade, com aelegância; a sã doutrina, com a poesia; aboa melodia, com o cântico congregacio-nal. E tudo isso redundará tão somente namais bela expressão da glória de Deus.Cânticos que usam por demais opronome pessoal na primeira pessoa dosingular, ou que reivindicam bênçãospessoais, como um pedinte que estendea mão para alcançar uma esmola, emgeral, precisam ser revistos e, quem sabe,evitados. Não traduzem com legitimida-de suficiente o que deve ser o louvor aDeus. Isso caberia, talvez, em orações desúplicas e petições de intercessão. Cânti-O LOUVOR - UMA EXPRESSÃODE GRATIDÃO E AMOR A DEUSRev. Afonso Celso de OliveiraDomingo, 09 de junho de 2013Pág. 02PASTORAL
  3. 3. cos na segunda pessoa do singular eplural, e na primeira pessoa do plural, emque Deus é invocado, celebrado, procla-mado, apresentado com todo seuesplendor e glórias, esses sim, devem serpriorizados.A Igreja Presbiteriana do Brasil hámuito em seus Concílios vem promoven-do debates e buscado a padronização deseu culto congregacional. De fato, jáexiste prescrito em nosso Manual Presbi-teriano o Princípio de Liturgia, mas,infelizmente quase não é observado. Oprincípio regulador do culto reformadoparte da premissa de que no culto só épermitido o que estiver explicitamenteprescrito nas Escrituras. Os luteranos,diferentemente, afirmam que tudo aquiloque não estiver explicitamente proibidopode ser utilizado no culto solene.Parece-me que este último, oprincipio luterano, é que tem sido desen-volvido nos cultos de muitas de nossasigrejas presbiterianas. Muitos incautosentendem que observar esses princípioscalvinistas é preciosismo que beira aoexagero e fundamentalismo. Esquecemesses críticos que, ao observarmos a LeiMoral de Deus, o Decálogo, constata-mos que os quatro primeiros manda-mentos tratam exclusivamente do temaligado à adoração, ao culto, aos juramen-tos solenes e ao trato de crente com seuDeus. Portanto, a adoração pública é algoimportante na agenda de Deus.Na última reunião do SupremoConcílio, de 2010, e a extraordinária de2011, o tema da adoração pública foitratado com seriedade e profundidade.Uma comissão especial, formada deteólogos e pastores líderes proeminentesde nossa denominação, se debruçousobre o assunto e apresentou ao plená-rio, sendo aprovada como resolução,uma “Carta Pastoral e Teológica sobreLiturgia na IPB”. Seu objetivo é nortear epadronizar o culto reformado na IgrejaPresbiteriana do Brasil, em todas as suasigrejas locais, congregações e camposmissionários.A Carta Pastoral deixa claro oque são os elementos fundamentais doculto cristão:Nem todas as atividades realizadas pelosseres humanos são próprias, adequadasou eficazes para estes fins elevados.Embora muitas dessas atividades nãosejam intrinsecamente erradas em simesmas, elas não cabem no cultoprescrito por Deus. Por este motivo, opróprio Deus nos revelou em sua Palavraquais os elementos apropriados para oseu culto, que são assim definidos pornossos símbolos de fé: - orações; - leiturada Palavra de Deus; - pregação da Palavrade Deus; - cantar salmos, hinos e cânti-cos espirituais ou sagrados; - celebraçãoda Ceia (quando houver); - ministraçãodo batismo (quando houver); - juramen-tos religiosos; - votos, jejuns solenes eações de graças em ocasiões especiais; -ofertas.Em resposta àqueles que defen-dem uma adoração contextualizada coma cultura contemporânea, reivindicando aadmissão de elementos novos e estra-nhos à boa tradição reformada, essaCarta afirma que a cultura não deve servirde pretexto para a inovação do sagrado:Todas estas mudanças, todavia, dizemrespeito às circunstâncias do culto.Nenhuma delas tem a ver com acrésci-mo ou diminuição dos elementos doculto público. Assim, o fato de quemudanças têm ocorrido no culto aolongo da história da IPB não justifica ainclusão de novos elementos hoje, sejaa título de modernidade, adaptação,contextualização e renovação.Por causa de sua natureza circunstanciale secundária, as providências queatendem o culto não devem tornar-seum fim em si mesmas, nem assumircaráter religioso, tomar o lugar doselementos ou impedir que os mesmossejam utilizados de forma própria, eficaze correta pelo povo de Deus. Apesardisto, elas são importantes e seu objeti-vo é permitir que o culto a Deus aconte-ça de maneira adequada, apropriada,facilitando a sua realização e maximizan-do o potencial dos elementos (ICo14.40).Além disto, a Carta Pastoral, muibem elaborada, aponta com espírito debrandura e amor questões polêmicascomo “danças”, “palmas”, “acentuadasexpressões corporais”, dando norte esubsídio teológico para que os Ministros,Conselhos e dirigentes dos cultos possamestabelecer um programa litúrgico queseja teologicamente correto e aceitável aDeus.Quando o Supremo Concílio daIPB resolve questões, ele baixa sua deter-minação aos Sínodos e Presbitérios paraque estes façam suas igrejas jurisdiciona-das observarem com zelo as determina-ções. Desobedecer a uma decisão conci-liar é o mesmo que quebrar intencional-mente o terceiro mandamento que diz:“Não tomarás o nome do SENHOR, teuDeus, em vão, porque o SENHOR nãoterá por inocente o que tomar o seunome em vão” Êxodo 20.7.Infelizmente, percebemos, commuita tristeza, que muitos de nossosoficiais e pastores no ato de sua ordena-ção ao firmarem juramento solene deobedecer e defender os símbolos de fé daIgreja Presbiteriana do Brasil, fazem issode forma no mínimo leviana e inconse-quente. Afinal, já sabem de antemão quenão estão dispostos a seguir aquilo que secomprometeram a fazê-lo em nome deDeus. Por uma questão de princípioético-cristão seria preferível que nuncativessem jurado, ou deveriam ser hones-tos com a Igreja, o Presbitério e consigomesmos, pedindo o seu despojamentosem censura, buscando então algumaoutra denominação que se adeque a suafilosofia ministerial. Seria mais honroso!Por fim, acredito que cantar aBíblia, porções das Escrituras que forammusicadas, transformadas em melodias, éa melhor maneira de não cometermosalguma gafe, ou cairmos em equívoco decantarmos algum cântico que possainduzir a um duplo sentido. Não esque-çamos que os cânticos que selecionamosnão são inspirados, como a Bíblia é.Portanto, é de bom senso sempre revisarnossos hinários e cânticos para o cultocristão.Cantemos, celebremos e exalte-mos aquele que é digno de receber todahonra, glória, poder e majestade: oSenhor nosso Deus!Domingo, 09 de Junho de 2013Pág. 03
  4. 4. L e i t u r a : E f é s i o s 5 . 2 2 , 3 31.Ser submissa ao seu marido emtudo, assim como a igreja ésubmissa a Cristo (Ef 5.22-24; Cl3.18; 1 Pe 3.1- 6; Tt 2.5)Os princípiosda Palavra de Deus sãoeternos. A esposa deves e s u j e i t a respontaneamente àliderança do marido.Todo cristão tem aresponsabilidade de“ s u j e i t a r - s e ”(hypotasso) a alguém,independentemente desua posição na vida: Oscidadãos devem sesubmeter ao governo(Rm 13.1,5; 1 Pe 2.13;Tt 3.1); a igreja estásujeita a Jesus (Ef 5.24);os servos devem sesujeitar aos seussenhores (Tt 2.9; 1 Pe2.18); os cristãos jovensdevem ser submissosaos mais velhos (1 Pe 5.5), e “domesmo modo” a esposa devesubmeter-se ao seu marido.Deus estabeleceu o marido como ocabeça da família (1 Co 11.3; Ef 5.23);aquele que tem a responsabilidade deliderar e exercer a autoridade. Aresposta correta a essa autoridade ésubmissão voluntária. A esposa não serebaixa sendo submissa ao marido, masdemonstra a nobreza do seu caráter,assim como fizeram Sara e outrasmulheres piedosas dos tempos bíblicos(1 Pe 3.5). Esta submissão é devida aomarido, sendo ele cristão ou não (1 Pe3.1,2). É Deus quem ordena isto (1 Pe3.5,6).Esposo e esposa são iguais emCristo (Gl 3.28; 1 Pe 3.7), porém hádiferença de papéis no lar. A submissãonão significa ser inferior ao homem, ouque a mulher tem menos valor dentroda família, mas sim que, dentro do lar, omarido foi colocado por Deus comosendo a autoridade final.A mulher foi colocada na famí-lia como auxiliadora (Gn 2.18) e quemajuda não é o chefe, mas sim, o auxiliar.Neste sentido temos quedizer que a mulher não foichamada para exercer aliderança (1 Co 11.8-10; 1Tm 2.11-14).A mulher que ocupaum cargo de liderança emseu trabalho não podesimplesmente achar queem sua casa poderá liderarda mesma forma. Umasenhora crente foi entrevis-tada na televisão. Aentrevistadora perguntou:“Quem é que manda emsua casa?” Ela respondeu:“Meu marido”. A comenta-rista continuou: “E quemdecidiu?” “ Eu. Fui eu quemdecidiu quem seria o chefelá em casa. Ele é o cabeçada nossa família”.Submeter-se nas deci-sõesAs decisões na famíliadevem ser conjuntas, mas,em caso de divergência, adecisão final é do marido. A esposadeve consultar o marido antes de tomaruma decisão, evitar criticar as decisõesdo marido e não se rebelar diante delas.Como você tenta convencer seumarido de alguma coisa? Você insiste noseu ponto de vista até ele se cansar efazer o que você quer? Você age deforma independente, sem consultar oseu marido? A mulher não pode mudaro marido! A única coisa que pode fazeré mudar a si mesma e a forma comoreage a seu marido. Mudar os outros éalgo que depende deles e de Deus.Pág. 04 Domingo, 09 de junho de 2013A MULHER CRISTÓO fato de ser mulher não faz de vocêum tipo de cristão diferente, maso fato de ser cristã faz de você umamulher diferente”.OS DEVERES DA ESPOSA CRISTÃRita Leite
  5. 5. Submeter-se não é ser escra-va, nem perder sua opinião nem sentir-se inferior, mas aceitar o papel queDeus lhe deu, agindo com prudência,humildade e inteligência.Razões para submeter-se:Por amor e reverência aoSenhor, a esposa deve acatar seusmandamentos. Somente sendo umacrente fiel e cultivando uma vida cheiado Espírito ela poderá submeter-se aomarido.Para dar bom testemunho. Aesposa crente que se submete aomarido é diferente das esposas que nãotemem nem amam ao Senhor. Essadiferença poderá ser a porta para umtestemunho evangelístico.Como todo mandamento deDeus a submissão nos traz também aSua bênção pela obediência:Umamulher submissa tem de seu esposoPROTEÇÃO E SEGURANÇA;Através da submissão a mulheralcança realização pessoal, pois este éseu papel.A submissão leva a uma deliciosaHARMONIA NO LAR.Quando a mulher é submissa,se torna exemplo para as mais novas epara o mundo.A mulher se transforma emverdadeiro exemplo como mãe eesposa aos filhos, lembrando que elesreproduzirão seu comportamento.1. Respeitar o marido (Ef5.33b).A palavra traduzida por “respeitar”neste texto é também traduzida por“temer” (At 10.2,35; 13.16,26; 1 Pe2.17). A esposa deve mostrar respeitopelo marido como líder na relação,assim como a igreja respeita Jesuscomo seu líder (Ef 5.24). Sara é umexemplo citado do tipo de respeito quea esposa deve ter pelo marido. Ela nãosó obedeceu a Abraão, mas também ochamava de “senhor” (1 Pe 3.6; Gn18.12). “Senhor” indica um coraçãopronto para responder em obediênciae respeito. A implicação deve ser queela obedecia a Abraão porque ohonrava como “senhor”, não nosentido divino, mas no sentido humanodaquele que tem a autoridade.A esposa deve falar do marido de formarespeitosa, principalmente diante dosfilhos e de outras pessoas. Não comoAbigail que apesar de livrar a pele de,seu esposo Nabal, falou de maneiradesrespeitosa acerca dele (1 Sm25.25).2. Ser uma auxiliadora paraseu marido (Gn 2.18).Esta é a finalidade pela qual a mulher foicriada (1 Co 11.8-9). Nenhum cônjugedeve servir a si mesmo de maneiraegoísta, mas deve servir ao outro. Isto éprincipalmente verdadeiro para aesposa. Ela deve estar ao lado (não éabaixo nem acima) do marido. Para queisso se torne uma realidade em nossavida, é necessário que haja uma dose dedesprendimento, carinho, renúncia e,acima de tudo MUITO AMOR.,A mulher é uma auxiliadora domarido:a) No sentido afetivo: é amulher de um só homem, o seu mari-do, e se entrega a ele com amor einteireza de coração.b) No sentido social: contribui paraconservar a imagem do seu maridocomo um homem de bem diante daigreja e da sociedade.c) No sentido profissional: dá ao maridoo apoio que lhe falta por parte dosamigos, levando-o a superar as crisesde maneira positiva.d) No sentido espiritual: ora por ele eestimula a sua fé. O auxílio espiritualque a mulher cristã pode e deve ofere-cer ao seu marido é um investimentocujo retorno se dará sem demora.3. Tomar conta da sua casa(Tt 2.4-5; 1 Tm 5.14; Pv 14.1).Não é uma proibição ao traba-lho feminino, mas uma indicação da suaresponsabilidade quanto à boa ordemda casa. Se ela trabalha, tem emprega-da, ou contrata diarista, a responsabili-dade de gerenciar sua casa continuasendo dela (1 Tm 5.14,15). As esposasdevem ser prudentes, sensatas, tendocomo prioridade satisfazer as necessi-dades de sua família (Tt 2.5). A priorida-de de uma esposa, portanto, é cuidardo seu lar. Ela mostra seu amor por seuesposo e filhos fazendo do lar umrefúgio de paz e descanso para a família,amigos e hóspedes (1 Tm 5.14).A esposa também tem granderesponsabilidade na educação dosfilhos (1 Tm 2.15). A palavra gregautilizada (teknogonia) significa nãosomente gerar filhos, mas tambémabrange a ideia de educá-los.4. Conceder ao seu marido oafeto que lhe é devido (1 Co7.3).Ambos os cônjuges são obriga-dos, entre outras coisas, a satisfazer osdesejos sexuais do outro. A mulher nãodeve privar seu marido de seu corpo,porque pertence a ele (1 Co 7.4-5),mas deve agradá-lo (v. 34). Não cum-Pág. 05Domingo, 09 de Junho de 2013
  6. 6. prir suas obrigações conjugais em relaçãoao marido é roubar o que lhe é devido.5. Ser pura, casta, buscando abeleza interior mais do que aexterior (Tt 2.3-5; 1 Tm2.9,10; 1 Pe 3.1-6)O que a Bíblia quer ressaltar é amodéstia e a preocupação maior de servirtuosa e não a proibição de adornos.Pedro não estava escrevendo que asmulheres não podem se enfeitar, e simque o enfoque da mulher cristã deveestar mais na exaltação do ser interior doque no exterior. Paulo também mandaque a mulher se vista com modéstia ebom senso. A mulher não deve estar tãopreocupada com a aparência externaquanto com suas qualidades interiores.A mulher cristã deve observar arazão que a leva a vestir-se, enfeitar-se:se é para se exibir ou atrair a atenção deoutras pessoas, ou para agradar aoSenhor e a seu marido. As joias que eladeve usar sempre: o espírito manso etranquilo (1 Pe 3.4); ter um espíritopacífico, que busca a conciliação e aharmonia na família.Algumas esposas são barulhen-tas, gostam de tumultos, porém, não háadorno mais bonito do que a discrição(Pv 11.22), e a mulher que age assimhonra seu marido (Pv 12.4).Pág. 06 Domingo, 09 de Junho de 2013Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo.Mulheres, sujeitem-se a seus maridos, como aoSenhor, pois o marido é o cabeça da mulher, comotambém Cristo é o cabeça da igreja, que é o seucorpo, do qual ele é o Salvador. Assim como a igrejaestá sujeita a Cristo, também as mulheres estejamem tudo sujeitas a seus maridos. Efésios 5:21-24 NVII. Amarás o senhor teu Deus de todo o teu coração, e a teu marido somente um pouquinho a menos do que amas aDeus (Dt 6.5);II. Alegremente te submeterás a teu marido, tua cabeça, como ao Senhor (Ef 5.22)III. Guardarás tua língua com toda diligência, tendo o cuidado de abençoar teu marido e nunca discutir abertamentedetalhes íntimos do relacionamento amoroso (Pv 31.26, 11.16).IV. Conservarás um coração alegre em tudo que tiveres de fazer durante o dia (Pv 17.22);V. Afastarás de ti uma natureza ciumenta ou egoísta (Pv 6.34);VI. Preferirás teu marido a qualquer outro (nunca comparando diminutivamente a outros homens) e sinceramente oadmirarás e reverenciarás (Ef 5.33);VII. Diligentemente manterás o teu lar e a ti mesma atraentes, lembrando que não deves somente ganhar o amor doteu marido, mas também conservá-lo (Pv 31.27).VIII. Darás valor às tuas virtudes femininas mais do que a própria vida (Pv 12.4);IX. Inspirarás a teus lhos um amor, respeito e reverência a seu pai (Pv 22.6);X. Não serás ranzinza (Pv 25.24).OS DEZ MANDAMENTOS PARA A ESPOSAFonte: h p://doutrinas.blogspot.com.br/2009/04/os-deveres-da-esposa-crista.html
  7. 7. projeto de plantaçãoOde igrejas denomina-do “Nova Suíça”surgiu por iniciativa do plantador Rev.Afonso Celso de Oliveira e do presi-dente do Conselho da Primeira IgrejaPresbiteriana de Belo Horizonte, Rev.Ludgero Bonilha Morais. Aquilo que noinício parecia apenas o esboço de umplano, um sonho em plantar mais umaigreja em Belo Horizonte, ganhoucorpo e definição a partir da aprovaçãoda minuta do projeto pelo Conselho daPrimeira Igreja. Todas essas tratativasocorreram entre outubro e dezembrodo ano de 2010.Após o projeto ser elaborado,convidou-se o Plano MissionárioCooperativo - PMC/IPB − órgãoresponsável em apoiar e financiarparcerias de plantação e revitalizaçãode igrejas presbiterianas, e oPresbitério Belo Horizonte, paraaderirem como mantenedoresjuntamente com o gestor, PrimeiraIgreja Presbiteriana de Belo Horizonte.A escolha do local, bairro Nova Suíça,foi fruto de uma análise geográfica emque se levou em conta o númeroexpressivo de membros da PrimeiraIgreja residentes na região, quepoderiam apoiar e formar um núcleoinicial para dar começo aos trabalhosde evangelização e fundamentação donascedouro da nova igreja.Em janeiro de 2011, chega aBelo Horizonte, depois de seis anos noRio Grande do Sul, onde plantou aIgreja Presbiteriana de Canela,organizada em 2011, o Rev. AfonsoCelso de Oliveira, com sua família –esposa Tatiane; e filhos, PedroHenrique, Samuel Joshua e RebecaK a l l e y − p a r a a s s u m i r aresponsabilidade como obreiroplantador do projeto.A partir da instalação da famíliapastoral no bairro Nova Suíça paraPág. 07Domingo, 09 de Junho de 2013Histórico do Trabalho PresbiterianoProjeto: Igreja Presbiteriana Nova Suíça‘‘Aqueles quesemeiam comlágrimas, comcantos de alegriacolherão. Aqueleque sai chorandoenquanto lança asemente, voltarácom cantos dealegria, trazendoos seus feixes’’.Salmos 126:5-6momento do culto inaugural - 10/06/2012momento do culto inaugural - 10/06/2012família pastoral
  8. 8. Pág. 08 Domingo, 09 de Junho de 2013iniciar a nova igreja, começaram asvisitações e abordagem de membrosresidentes na região. As primeirasreuniões de caráter espiritualcomeçaram a ser realizadas em casasde irmãos que, de forma hospitaleira,abriram as portas para a chegada danova igreja. Inicialmente tínhamos noano de 2011 reuniões de estudosbíblicos às quartas e sextas-feiras.Começava aí a se consolidar umpequeno grupo de apoio, fundamentalpara início de uma igreja nascente.No ano de 2012, prospectandoa possibilidade de ter um local própriopara o culto presbiteriano, e assim daruma identidade mais sólida ao projeto,o Conselho da Primeira Igreja aprovoua locação de um imóvel que fosseadequado a essas pretensões. Em maiosurgiu uma residência disponível paraalugar, em local muito estratégico, defácil localização e acesso não somenteàs pessoas residentes no Bairro NovaSuíça, como em diversos outros bairrosadjacentes à região. Alugou-se esseimóvel localizado à Rua Limoeiro, 204,onde hoje, pela mercê de Deus,funciona a congregação presbiterianaNova Suíça.O culto inaugural, marcohistórico desse empreendimentomissionário, ocorreu no dia 10 de junhode 2012, cujo pregador foi nosso ilustrepresidente do Conselho, Rev. LudgeroBonilha Morais, Secretário Executivodo SC/IPB. Nessa ocasião estiverampresentes cerca de sessenta pessoasque abrilhantaram o evento e o cultoem ação de graças ao Senhor.De junho de 2012 a junho de2013, a igreja incipiente já deuamostras de que a boa mão de nossoSenhor está conduzindo essa obra, cujomaior interessado em sua expansão,crescimento e consolidação é opróprio Deus Triúno, Senhor da Seara.Nesse primeiro ano, a igreja tomouTrabalho infantil - educação cristãRecepção de novos membros - 21 de abril de 2013‘‘Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio dotemplo. Partiam o pão em suas casas, e juntosparticipavam das refeições, com alegria e sinceridadede coração, louvando a Deus e tendo a simpatia detodo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos osdias os que iam sendo salvos’’.Atos 2. 46-47
  9. 9. corpo, Deus acrescentou cerca de 20novos membros ao trabalho original,que, somados as outras famíliascooperadoras, hoje alcançam umnúmero expressivo de cerca de 40pessoas envolvidas no projeto direta eindiretamente. Nossos cultosdominicais têm uma presença sólida eestável, crescente e proeminente, demédia de 30 a 35 pessoas por culto. Ostrabalhos não se resumem ao cultosolene dominical, mas temos tambémuma Escola Bíblica Dominical (às 9horas) com cerca de vinte matriculados- crianças, jovens e adultos. Contamoscom uma reunião de oração àssegundas-feiras às 19h30min, e reuniãode estudo bíblico às quintas-feiras às19h30min. Dispomos de uma MesaAdministrativa, com dois presbíterosda ativa do Conselho da Primeira Igreja,residentes no bairro, e uma auxiliar detesouraria, que aqui também reside.Existem hoje departamentossendo consolidados, como a educaçãocristã infantil com diversas irmãsvoluntárias na monitoria, e já é dealgum tempo que em todo terceirosábado do mês, nossas mulherespromovem encontros femininos paraevangelização, discipulado, reflexão,oração e comunhão da membresiafeminina. A juventude tambémcomeçou a se movimentar, e esta sepreparando para ter também seuespaço e dia de reunião com o mesmopropósito do grupo feminino –estreitar os laços de comunhão,aprendizado e evangelização.Por tudo isso, e por muito maisque virá, estamos felizes, alegres econfiantes que Deus, o Senhor dasMissões, promoverá em seu tempodeterminado a consolidação desseprojeto cujo objetivo no momento éser organizado em Igreja. Deusconcederá essa vitória de acordo comsuas promessas reveladas em suaPalavra!Domingo, 09 de Junho de 2013 Pág. 09momento feminino - encontro de mulheresReuniões iniciais - culto nos lares 2011Batismo infantil - 21 de abril de 2013‘‘Vocês sãotestemunhas destascoisas.’’Lucas 24:48
  10. 10. interessante que emÉalgumas citações doNT, a nome da irmãPriscila ocorre antes do nome domarido Áquila (At 18.18,26; 2 Tm4.19), talvez em razão de certapreeminência no labor cristão, maisdoque,acredito,umacausasocial.A l g u n s a s p e c t o srelacionados com a cooperação emC r i s t o d a c i t a d a i r m ã : 1 )C o m p r o m i s s o S o c i a l ; 2 )Conhecimento profundo dasE s c r i t u r a s ; 3 ) C a s a m e n t oHarmonioso; 4) ConsagraçãoSingular, colocando os valores doReinoacimadesuaprópriavida.COMPROMISSOSOCIALI Co 16.19 “As igrejas da Ásia vossaúdam. No Senhor, muito vossaúdam Áquila e Priscila e, bemassim, a igreja que está na casadeles.” O padrão judaico para asmulheres tementes a Deus incluía otrabalho dentro e fora do lar, Pv.31.10-31. Priscila, junto com seumarido eram fabricantes de tenda.“Depois disto, deixando PauloAtenas, partiu para Corinto. Lá,encontrou certo judeu chamadoÁquila, natural do Ponto,recentemente chegado da Itália,com Priscila, sua mulher, em vistade ter Cláudio decretado que todosos judeus se retirassem de Roma.Paulo aproximou-se deles. E, postoque eram do mesmo ofício, passou amorar com eles e ali trabalhava, poisa profissão deles era fazertendas.”At 18.1-3. Era uma mulherdinâmica, operosa e recebia UMAIGREJA em sua casa. Ainda quefosse aparentemente uma questãode horas semanais envolvia labor,dedicação e boa vontade. Alémdisso, hospedou o próprio Paulo.Não há menção de filhos do casal,talvez não os tivesse, mas envolviamuito esforço e dedicação, atéporque não havia as facilidades datecnologia moderna. Os bens e olabordedicadosaoutros.C O N H E C I M E N T O D A SESCRITURAS“Nesse meio tempo, chegoua Éfeso um judeu, natural deAlexandria, chamado Apolo,homem eloqüente e poderoso nasEscrituras. Era ele instruído nocaminho do Senhor; e, sendofervoroso de espírito, falava eensinava com precisão (akribos-acuradamente) a respeito de Jesus,conhecendo apenas o batismo deJoão. Ele, pois, começou a falarousadamente na sinagoga.Ouvindo-o, porém, Priscila eÁquila, tomaram-no consigo e, commaiorexatidão (akribesteron-maisPág. 10 Domingo, 09 de Junho de 2013acuradamente), lhe expuseram(ektithemi, para fora +colocar, por -indicativo aoristo médio) o caminhode Deus.” At 18.24-26 Apolo erainstruído no caminho do Senhor,ensinava com precisão, mas comlimitação ao batismo de João. Airmã Priscila destaca-se, posiçãoanterior na citação dos nomes docasal e com maior exatidão, expõe,coloca para fora, valorizando o quefazia, voz média, ampliava oconhecimento deste valoroso servode Cristo, o eloqüenteApolo, citadocomo um dos expoentes na igrejacoríntia,ICo3.4,5.CASAMENTOHARMONIOSOTodas as citações da irmãPriscila, são com o marido Áquila,três das quatro ocorrências no NT oseu nome precede o do marido, massempre juntos. A vida e o ministériodo casal é visto nas Escrituras, nãoa g e m i s o l a d a m e n t e . E s t a sevidências textuais levam aconsiderar Am 3.3 “Andarão doisjuntos, se não houver entre elesacordo?” Priscila e Áquila andaramjuntos porque viviam em harmonia,em comunhão. Cumpre-se no casalotexto de Ec 4.9 “Melhor é seremdois do que um, porque têm melhorpagadoseu trabalho.”MISSÕES NO MUNDOPriscila, uma mulher a serviço de DeusRev. José Clóvis Falcão“Saudai Priscila e Áquila, meus cooperadores em Cristo Jesus, os quais pela minha vidaarriscaram a sua própria cabeça; e isto lhes agradeço, não somente eu, mas também todas asigrejasdos gentios.”Rm16.3,4
  11. 11. CONSAGRAÇÃO SINGULARPriscila e Áquila pela vidade Paulo arriscaram a própria vida,ver Rm 16.3,4. Paulo nãoconsiderou sua vida preciosa,contanto que completasse a carreiraministerial, At 20.24, Jesus ensinouque o discipulado envolve amarmenos a vida do que a Jesus, “equem não toma a sua cruz e vemapós mim não é digno de mim.” Mt10.38. A consagração deste casal,destacando a referida irmã, não sópela consideração ao apóstolo, masa consciência que tinham daimportância do mesmo para apropagação do Reino. Todas asigrejas dos gentios tambémagradeceram a esta consagradaserva do Altíssimo e seu dedicadomarido.Estas marcas provam acooperação em Cristo no ministériopaulino, Rm 16.3. Trabalhavam emconjunto, na força de Jesus, no reinodeCristoeparaglóriadeDeus.P r i s c i l a u m a m u l h e rmarcante em sua geração! Umexemploparanossa geração.Rev.JoséClóvisFalcãoPág. 11Domingo, 09 de Junho de 2013Aconteceu o III Simpósio Missionário na Sexta Igreja Presbiterianaem Belo Horizonte, MG, no dia 11 de maio passado, das 8:30 às 17hs, com otema: “E dizia-lhes: Grande é, em verdade a seara, mas os obreiros são pou-cos; rogai, pois, ao Senhor da seara que envie obreiros para sua seara”. Lc.10.2Os preletores foram o Rev. José João de Paula, membro da APMT e oRev. Marcos Agripino, executivo.A igreja participou ativamente. Houve momentos de muita reexãomissionária. Segundo o Rev. Agripino, o evento foi muito importante para quea igreja que já se envolve com vários projetos missionários, continue nestacaminhada sendo motivada pelos avanços dos projetos e pela grande tarefaque ainda precisa ser realizada.NOTÍCIAS DO CAMPOSimpósio Missionário foi realizado em Belo HorizonteMulhereSAçãOEMTODO TERCEIROSÁBADO DO MÊSPRÓXIMO ENCONTRO:DIA 15 DE JUNHOÀS 18 HORAS.Rua Limoeiro, 204Nova Suíça
  12. 12. - Ter | 9h às 12h- Qui | 14h às 17h- Reunião de Oraçãoseg às 19h30min- Estudo Bíblicoqui às 19h30min- Escola Bíblica Dominicaldom às 09h- Culto Solenedom às 18hPROGRAMAÇÃO SEMANALATENDIMENTO PASTORAL- Rua Limoeiro, 204Nova Suíça - BH/MG- Tel: 3317-33307574-5149- Rev. Afonso Celsode Oliveira- E-mail:pastorafonso@gmail.comCONTATOCongregação da-Rev. Afonso Celso de Oliveira(31) 7574-5149Pb. Anderson Fleming(31)Pb. Helmut Rieg(31)Mesa Administrativapag. 12Domingo dia 09/06 às 18 horas -Participação do Coral Feminino da Primeira Igreja Presbiteriana de BeloHorizonte.Pregador convidado: Rev. Jedeias Duarte - SE/PMC - IPB.Domingo dia 16/06 às 18 horas -Participação do Coral Masculino da Primeira Igreja Presbiteriana deBelo Horizonte.Pregador convidado: Rev. César Guimarães do Carmo - Membro daJURET-SPTDRNE, pastor da Igreja Presbiteriana Jardim das Oliveiras,BH.Domingo dia 23/06 às 18 horas -Participação do Coral Jovem da Primeira Igreja Presbiteriana de BeloHorizontePregador convidado: Rev. Edson Costa Silva, SE-PBHZ, pastor auxiliarda Primeira Igreja de BH.Domingo dia 30/06 às 18 horas -Pregador convidado: Rev. Gustavo Quintela Franca - pastor auxiliar daPrimeira Igreja de BH.02/06 - Leonardo D’Agostini -Tel.: 8595-680710/06 - Rev. Afonso e Tatiane (casamento ) Tel.: 3046-491320/06 - Silvania Silva (esposa do Levi) - Tel.: 2515-667522/06 - Anderson Fleming - Tel.: 2526-376525/06 - Eunice Batista Gonçalves - Tel.: 3372-0017Desejamos a todos os aniversariantes de Junho ricas bênçãos derramadas peloEterno. Que nosso bom Deus seja bendito em agraciar nossos queridos com suaboa mão, seu consolo, conforto e fortalecimento, para louvor do nome de suaglória!«O justo florescerá com a palmeira crescerá como cedro no líbano». Sl 92:12ANIVERSARIANTES DE JUNHOFernando Baumgratz, Shirley França Baumgratz;LuizaBaumgratz,LaísFrança Baumgratz.A igreja está convocada para orar por essa família entre os dias 10/06 a 16/06JUNHO - MÊS DE CELEBRAÇÕESNo dia 10 de junho de 2013 nossa congregação completará pelamercê de Deus um ano da sua organização de ponto de pregação para ostatus de congregação. Com isso em mente e com o coração cheio dealegria, estamos programando um mês repleto de cultos especiaiscomemorativos, com a participação de vários pastores que pregarão aosdomingos em nosso púlpito, contando ainda com corais de nossa igrejaque farão apresentações especiais. Contamos desde já com as orações,participação e divulgação dos membros de nossa igreja.Rev. Afonso Celso.AVISOSDomingo, 09 de Junho de 2013

×