Puericultura: UmaPrioridade a ser Resgatada
Child-Care: A Priority to Recover
Luiz Antônio Del Ciampo1
; Flávio Rosa2
; Ru...
beirão Preto (SP), que é um ambulatório de Assistên-
cia Materno-Infantil a nível primário, ligado ao Depar-
tamento de Me...
seja, 42 (87,5%) o fizeram nos dois primeiros meses de
vida, o que se apresenta como um achado positivo,
visto que nessa f...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Puericultura uma prioridade a ser resgatada

113 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
113
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Puericultura uma prioridade a ser resgatada

  1. 1. Puericultura: UmaPrioridade a ser Resgatada Child-Care: A Priority to Recover Luiz Antônio Del Ciampo1 ; Flávio Rosa2 ; Rubens Garcia Ricco3 ; Trabalho realizado na Unidade D. Pedro I do Centro de Saúde Escola do Ipiranga. Unitermos: Puericultura. Serviços de Saúde Keywords: Child-Care. Health Care Services 1 - Doutor em Pediatria. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. USP.Pediatra do CSEIpiranga de Ribeirão Preto. 2 - Pediatra do CSEIpiranga de Ribeirão Preto. 3 - Professor Associado do Departamentode Puericultura e Pediatria da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto -USP. RESUMO: Com o objetivo de se conhecer a demanda espon- tânea para o ambulatório de Puericultura de uma Unidade Básica de Saúde, foi elaborado este tra- balho que consiste em um levantamento retros- pectivo realizado na Unidade D. Pedro I doCSE Ipiranga de Ribeirão Preto (SP), através de con- sultas aos prontuários de todas as crianças com idades entre 0 e 14 anos que foram matriculadas no serviço no período de 03/01/1994 a 29/ 04/1994. Foram utilizadas as seguintes infor- mações: sexo da criança, idade, data da matrícula e motivo da procura ao serviço. Durante esse período foram matriculadas 300 cri- anças sendo 156 do sexo masculino (52%) e 144 do sexo feminino (48%). Dessas, apenas 48 (16%) o fizeram para seguimento de Puericultura e 252 (84%) estavam interessadas apenas em um pron- to atendimento, mostrando a necessidade de se estimular e divulgar os programas de Puericul- tura, para os quais são sugeridas algumas medi- das de incentivo. Introdução Dentre os principais objetivos da Assistência à Saúde Infantil desenvolvida nas Unidades Básicas de Saúde, estão a promoção e a recuperação da saúde das crianças, buscando assegurar seu crescimento e desenvolvimento na plenitude de suas potenciali- dades, sob o ponto de vista físico, mental e social, desta forma contribuindo para a redução das altas taxas de morbidade e mortalidade infantil que ainda se observam em nosso meio e, consequentemente, atuando na qualidade de vida das crianças incluídas nessa Assistência (1,2). Fundamentada nos preceitos básicos da Pediatria Social, com grande ênfase nos aspectos preventivos da prática médica, a Puericultura procura atuar sobre o binômio mãe-filho durante uma das etapas de maior vulnerabilidade biológica e social do ser humano, que é a infância. É considerada, por alguns autores, como a arte de se evitar que a criança adoeça, entendida dentro de um contexto de seguimento clínico periódi- co através de consultas médicas previamente estabele- cidas (3,4). É necessário, porém, que se tenha serviços tecnica- mente habilitados e politicamente decididos para colo- car a Puericultura em prática, incutindo-se na popu- lação a idéia da sua importância e da necessidade de se matricular as crianças nesse programa, o mais pre- cocemente possível. Em nossa prática diária temos observado que a grande maioria dos casos que demandam às Unidades Básicas de Saúde são crianças com algum tipo de doença, cujos pais procuram um pronto-atendimento, não conhecendo ou não se interessando pelo seguimento periódico e continuado nos programas de Puericultura (5,6,7). Diante da importância desses programas na área de Saúde Materno-Infantile das dificuldades encontradas para desenvolvê-los, foi idealizado este trabalho com a finalidade de se conhecer a demanda espontânea para o Ambulatório de Puericultura da Unidade D. Pedro I do Centro de Saúde Escola do Ipiranga. Material e Métodos O trabalho consiste em um levantamento retros- pectivo realizado na Unidade D. Pedro I do Centro de Saúde Escola do bairro do Ipiranga, na cidade de Ri-
  2. 2. beirão Preto (SP), que é um ambulatório de Assistên- cia Materno-Infantil a nível primário, ligado ao Depar- tamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP,cujo atendimento é realizado por médicos residentes do Departamento de Pue- ricultura da FMRPUSP e corpo clínico do próprio serviço. Através de consultas aos prontuários de todas as crianças com idades entre O e 14 anos que foram matriculadas no ambulatório no período de 03/01/1994 a 29/04/1994, foram obtidas as seguintes informações: a) sexo da criança b) idade c) data da matrícula d) motivo da procura ao serviço. Considerou-se como matrícula toda criança que tenha recebido seu primeiro atendimento no serviço, dentro do período determinado. Resultados Durante o período de estudo foram matriculadas 300 crianças na Unidade D. pedro I do CSEIpiranga, com idades variando entre Oa 14 anos, sendo 156 do sexo masculino (52%) e 144 do sexo feminino (48%), distribuídas de acordo com as idades de matrícula conforme mostra a tabela 1. A tabela II apresenta a distribuição das crianças matriculadas no serviço segundo o motivo dessa matrícula tenha sido para seguimento no programa de Puericultura ou para consultas de Pronto-Aten- dimento. As crianças que procuram o serviço para segui- mento no programa de Puericultura e as suas respec- tivas idades de matrícula podem ser observadas na tabela 3. Discussão Os resultados encontrados permitem observar que a maioria das crianças matriculadas no CSEIpiranga (Unidade D. Pedro I) procura o serviço devido a algu- ma doença (252 = 84%) e apenas 48 estão inicialmente interessadas em seguimento no programa de Pueri- cultura. Também se constitui maioria as crianças matri- culadas com idades superiores a 6 meses (208 = 69,33%). Embora havendo 92 crianças (30,66%) matri- culadas com idades inferiores a 6 meses, portanto em melhores condições de serem acompanhadas em pro- gramas de Puericultura, notamos que apenas 48 (52,17%) se dispuseram a procurar o serviço com esse propósito, ficando 44 (47,82%) delas interessadas ape- nas no Pronto-Atendimento. Com relação às crianças que procuraram o serviço para seguimento de Puericultura,a grande maioria, ou
  3. 3. seja, 42 (87,5%) o fizeram nos dois primeiros meses de vida, o que se apresenta como um achado positivo, visto que nessa fase da vida ainda se pode atuar com grande sucesso em relação ao incentivo à prática do aleitamento materno, principalmente. Nota-se, portanto, que se faz necessário modificar essa realidade com o objetivo de difundir a importân- cia do seguimento periódico e contínuo os programas de Puericultura, estimulando os pais a procurarem o mais precocemente possível as Unidades Básicas de Saúde e efetuando a matrícula de seus filhos. Entendemos que de modo ideal a matrícula deva ser feita no primeiro mês de vida da criança, época em que a mãe deve procurar o Posto de Saúde para aplicar a vacina BCG ou realizar o "exame do pezi- nho", ocasião esta que sempre deve ser aproveitada para se abrir o registro da criança no ambulatório. Também como incentivo à Puericultura devemos ressaltar a importância dos serviços de Assistência Pré- Natal e das Maternidades que têm papel fundamental na orientação de gestantes e mães, encaminhando-as junto com seus filhos para os Programas de Pueri- cultura próximos à sua residência. Além disso, em locais onde ocorra a demanda de recém-nascidos e lactentes jovens, como as creches, devem existir pes- soas preparadas para discutir essa questão com as mães, orientando-as no sentido de procurarem local apropriado para esse tipo de atendimento. Finalmente, os pais poderiam ainda receber algum tipo de orientação ou instrução para procurar as Unidades Básicas de Saúde, quando fossem registrar as crianças nos Cartórios de Registro Civil, o que acon- tece com a quase totalidade das crianças nascidas vivas em nosso meio. Esforços no sentido de estimu- lar e favorecer a prática da Puericulturanão devem ser poupados, pelos seus benefícios para a saúde infantil e, consequentemente, para toda a sociedade. Summary: Child-Care: A Priority to Recover The purpose of this study is evaluate the spon- taneous demand to Pediatric Health Care Services by a retrospective survey realized in CSE Ipiranga (Ribeirão Preto - SP), between 03/01/1994 and 29/04/1994. The informations studied was: sex, age and date and motive of re- gistration in the service. The results showed that was 300 children recorded during the time of the study: 156 male (52%) and 144 female (48%). Only 48 children (16%) was recorded in Child-Care Programme, showing the necessity of divulge the importance of this programm and increasing its application in whole community. The study suggests some action to increase this programmes. Referências Bibliográficas 1. BARBIERI, M.A.; SILVA, L.M.;WOISKI, J.R.; TERUEL, J. R.; DANELUZZI, J.C.; WEBER, O. Avaliação Preliminar de um Programa Comunitário de Assistência à Infância. Rev. Saúde públ., 5:67-76, 1971. 2. BARBIERI, M.A.; DANELUZZI, J..; AMBROSIO,M.R.; RICCO R.G.; BARROS FILHO, A.A.; GOMES, U.A.; TERUEL, J.R.;SALLES, B.C.Avaliaçãode um Programa Comunitário de Assistência à Infância. Medicina - Rev. do CARL e do HC da Fac Med. Rib. Preto da USP,7:39-48, 1974. 3. CRESPIN, J. Puericultura. Ciência, Arte e Amor. Fundo Editorial BYK,São Paulo, p. 21-26, 1992. 4. MARCONDES, E. Pediatria Básica. Ed. Sander, São Paulo, 1986. 5. MARQUES, A.N. Pediatria Social. Ed. Cultura Médica, São Paulo, p. 1-9, 1986. 6. MORLEY, D. Pediatria no Mundo e Desenvolvi- mento: Prioridades. Edições Paulinas, São Paulo, p. 22-41, 1980. 7. ROCHA, S,M.M. Puericultura e Enfermagem. Cortez Editora, São Paulo, p. 5-12, 1987 Recebido para publicação: 22/08/1994 Aceito para publicação: 30/08/1994 ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA: Dr. Luiz Antônio Del Ciampo Rua Guatambú, 44 - CEP 14040-160 Ribeirão Preto - São Paulo

×