Câncer de colo uterino d iagnostico e tratamento

27.015 visualizações

Publicada em

0 comentários
22 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
27.015
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14.242
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
22
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Câncer de colo uterino d iagnostico e tratamento

  1. 1. • Clínico• Citologia (triagem para outros exames)• Colposcopia (dirigir a biópsia)• Biópsia:• Direta• “Saca-bocado”• CAFDiagnóstico:CÂNCER DE COLO UTERINO
  2. 2. • Estágios Iniciais - Sintomatologia Pobre• Sintomatologia Exuberante = Doença Avançada• Sintomas Eventuais:• Secreção Vaginal Sero-sanguínea (Caldo de Carne)• Sinusorragia• Sangramentos Anormais• Dor pélvica e/ou Dispareunia• Odor Fétido, Perda Urinária ou Fecal pela Vagina• Sinais Clínicos:• Lesão Vegetante ou Ulcerada no Colo (pode acometer a vagina)Diagnóstico Clínico:CÂNCER DE COLO UTERINO
  3. 3. Carcinoma Invasor do Colo Uterino – Estágio InicialCÂNCER DE COLO UTERINO
  4. 4. CarcinomaInvasorColoUterino–Citologia
  5. 5. • 85 a 95% epidermóide (espinocelular, escamoso)• 5 a 15% adenocarcinomas (endocervicais)• Abaixo de 1% = outros tipos histológicosHistologia:CÂNCER DE COLO UTERINO
  6. 6. Histologia
  7. 7. Estadiamento:• Padrão FIGO de 1985, modificado em 1995• Alternativo – UICC 1997 - TNM• Exame definitivo = clínico• Exames complementares na avaliação de vagina e paramétrio = baixasensibilidade e baixa especificidade• Inspeção e toque vaginal e toque retal = 2 examinadores (OMS)• Avaliação da área da lesão vaginal – inspeção e toque• Paramétrios – acometimento, encurtamento, nodularidade• Exames complementares: cistoscopia, retossigmoidoscopia, urografiaexcretoraCÂNCER DE COLO UTERINO
  8. 8. UrografiaExcretora
  9. 9. Cistoscopia
  10. 10. Reto-sigmoidoscopiaFlexível
  11. 11. Estadio 0: in situEstadio I: Ia carcinoma pré-clínico do colo (microscópico)Ia1: invasão mínima do estroma < 3mm e extensão < 5 mmIa2: invasão estroma de 3 a 5 mm e extensão de 5 a 7 mmIb: carcinoma francamente invasivo (acima de padrão Ia2)Ib1: tumor < 4 cmIb2: tumor > 4 cmEstadio II: IIa: extende-se além do útero para dois terços superioresda vaginaIIb: extende-se além do útero para paramétrio, sem atingirparede pélvica (plano ósseo)Estadio III: IIIa extende-se além do útero para terço inferior da vaginaIIIb extende-se além do útero para paramétrio atingindoparede pélvica (plano ósseo), ou com exclusãorenal à urografia excretora ou hidronefroseEstadio IV: IVa invasão de órgãos adjacentes (reto e/ou bexiga)IVb metástase à distânciaFIGO, 1995
  12. 12. EstadiamentoCâncer deColo Uterino
  13. 13. VAGINAPARAMÉTRIOPLANOÓSSEOI BIII BII BII AIII AEstadiamento do Câncer de Colo Uterino
  14. 14. VAGINABEXIGARETOII BII AIII AIV AIV AEstadiamento do Câncer de Colo Uterino
  15. 15. Carcinoma Invasor do Colo Uterino IB2 “Bulky”
  16. 16. CA deColo –EstadioIIA
  17. 17. CA de ColoMRI ContrastadaExclusão RenalEC IIIB
  18. 18. Invasão do Reto - Câncer de ColoUterino – Reto-sigmoidoscopia
  19. 19. CAdeColo-MRI-ECIVA
  20. 20. Estadio clínico Sobrevida em 5 anos(%)I 81,6II 61,3III 36,7IV 12,1não estadiadas 52,3total 59,8Prognóstico do Câncer de Colo UterinoEstadio I: Sem linfonodos comprometidos = 90%Com linfonodos comprometidos = 50%CÂNCER DE COLO UTERINO
  21. 21. Estadio clínico LinfonodosPélvicos (%)LinfonodosAórticos (%)Metástases adistância (%)Ia1 0 0 0Ia2 até 3 mm 0,6 0 0Ia2 3 a 5 mm 4,8 < 1 0,74Ib 15,9 2,2 4,74IIa 24,5 11 9,21IIb 31,4 19 16,18III 44,8 30 20,38IVa 55 40 23,72Disseminação LinfonodalCÂNCER DE COLO UTERINO
  22. 22. Tratamento do Câncer de Colo Uterino• Cirurgia• Radioterapia• Quimioterapia• ImunoterapiaCÂNCER DE COLO UTERINO
  23. 23. Tratamento CA Colo Uterino - Cirurgia• Histerectomia Radical X Convencional• Planos de Piver• Linfadenectomia• Exenteração pélvicaCÂNCER DE COLO UTERINO
  24. 24. Cirurgia - Planos de PiverPiver IPiver IIPiver IVPiver IIICÂNCER DE COLO UTERINO
  25. 25. Cirurgia Wertheim-Meigs – Ureter e Vasos Ilíacos
  26. 26. Cirurgia CA Colo - Linfadenectomia• Amostragem• Cadeia Ilíaca Interna e Fossa Obturadora• Ilíaca Comum e Ilíaca Externa• Para-aórticosCÂNCER DE COLO UTERINO
  27. 27. Cirurgia Wertheim-Meigs – Fossa Obturadora
  28. 28. UreterV. IlíacaExternaA. IlíacaExternaA. IlíacaInternaA. Uterina
  29. 29. Peça operatória – Wertheim-Meigs
  30. 30. Peça operatória – Wertheim-Meigs - Posterior
  31. 31. Braquiterapia – CA Colo Uterino
  32. 32. Braquiterapia – CA Colo Uterino
  33. 33. Braquiterapia - Curvas de Isodose
  34. 34. Tratamento CA Colo Uterino - Quimioterapia• Esquemas Básicos:CisplatinoCarboplatino5-Fluouracil• Drogas Auxiliares:BleomicinaIfosfamidaTaxanesAntracíclicosCÂNCER DE COLO UTERINO
  35. 35. Tratamento CA Colo Uterino• Estadio Ia1: ConizaçãoHTA simples (prole definida)• Estadio Ia2:HTA simples com linfadenectomiaPiver 2 com linfadenectomiaWertheim-MeigsBraquiterapia isolada• Estadio Ib e IIa: Wertheim-MeigsRadioterapiaQuimioterapia + Radioterapia (1b2)CÂNCER DE COLO UTERINO
  36. 36. • Estadio IIb, IIIa e IIIb:RadioterapiaQuimioterapia + RadioterapiaQuimioterapia + Radioterapia + Cirurgia• Estadio IVa:Exenteração Pélvica (sem comprometimento de paramétrio)Quimioterapia + Radioterapia• Estadio Ivb: Quimioterapia + Radioterapia• Recidiva: Quimioterapia• Outras possibilidades terapêuticas: ImunoterapiaCÂNCER DE COLO UTERINOTratamento CA Colo Uterino
  37. 37. Seguimento Após o Tratamento• 50% das recidivas – 1 ano• 85% das recidivas – 2 anos• Reavaliação clínica com citologia e colposcopia – 3/3 meses por2 anos• Após 2 anos – 6/6 meses até 5 anos• Anual após 5 anos (AMB-FEBRASGO)• Avaliação clínica com exame retal (toque) e vaginal – áreas deespessamento e/ou nodulação• Baixa eficácia de exames de imagem na recidivaCÂNCER DE COLO UTERINO
  38. 38. Lesão fundo vaginal após 2 meses de Wertheim–Meigs = Granulona
  39. 39. Recidiva após 3 anos – Ferida Operatória
  40. 40. Complicações do Tratamento• Cirúrgicas:• Intraoperatórias:• Hemorragias: moderadas (35%) a graves (7%)• Lesão vesical: pequenas (15%) a extensas (2%)• Lesão de alça intestinal: superficial (5%) a profunda (1,3%)• Óbito geral menor que 0,5%CÂNCER DE COLO UTERINO
  41. 41. • Cirúrgicas:• Pós-operatórias:• Infecção urinária: 20%• Disfunção miccional: 10%• Fístula uretero-vésico-vaginal: 3,5%• Linfocele: 2%CÂNCER DE COLO UTERINOComplicações do Tratamento
  42. 42. • Radioterapia:• Estenose vaginal (32%)• Proctite actínica (15%)• Cistite actínica (7%)• Enterite actínica (4%)• Fibrose subcutânea (4%)• Fístulas urológicas e/ou proctológicas (0,5 a 2%)CÂNCER DE COLO UTERINOComplicações do Tratamento
  43. 43. Vulvite amoniacal – Fístula Reto-vésico-vaginal pós radioterapia

×