Acidente Vascular Cerebral
Isquêmico - AVCI
Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc
Acidente Vascular Cerebral
Terceira causa de morte nos EUA.
Todos os anos 600 mil americanos tem um
AVC sendo que 85% são ...
Definição
O acidente vascular cerebral é uma lesão do
sistema nervoso central caracterizada por ter
um início súbito conse...
4
AVE ISQUÊMICO
 Quanto ao tipo: Trombótico, Embólico, Lacunar
1. AVC trombótico- 40 a 60% dos AVCs isquêmicos é
originár...
5
2. AVC embólico- as embolias cerebrais são
muito mais freqüentes do que se imaginava.
A chance de ocorrer um AVC embólic...
6
3. AVC lacunar - Cerca de um terço dos pacientes com
AVC isquêmico têm lesões lacunares. As lacunas são
lesões de pequen...
7
8
AVE Isquêmico
Doença Cerebrovascular
Aterosclerótica
20%
Doença de Artérias
Penetrantes - Lacunar
25%
Embolia Cardiogêni...
9
10
11
12
13
14
Acidentes Isquêmicos
Os acidentes isquêmicos ocorrem:
fluxo normal 40 a 60 ml/100g/min
perda da função 20 a 40
lesão neuro...
Acidentes Isquêmicos
A redução do fluxo tem como fisiopatologia
Hipoperfusão
Embólico
Trombose no sitio da lesão
Acidentes Isquêmicos
As causas mais comuns são:
Doença grande vaso extra craniano
Doença grande vaso intra craniano
Doença...
Acidentes Isquêmicos
Correlação de causa com clínica:
Inicio súbito com déficit máximo sugere um
evento embólico.
Curso le...
Fatores de Confusão
Uma série de patologias mimetizam o AVC.
A mais importante é a Hipoglicemia.
Outra é a Enxaqueca assoc...
Fatores de Confusão
Mnemonic for Differential Diagnosis of Stroke
 M Migraine
 E Epilepsy (postictal)
 D Dissection, ao...
Os eventos corticais
costumam ser embólicos,
afasia,perda sensibilidade
cortical ou perda de
força envolvendo face
braço m...
AVC região cortical ou subcortical?
Cortical Subcortical
Aphasia Face, arm, and leg more equally
Visual field defect Class...
Acidentes Isquêmicos
A história clínica, o exame físico e
o CT possibilitam localizar o
evento:circulação anterior ou
post...
24
Manifestações Clínicas
 Déficit Motor – hemiplegia e hemiparesia;
 Déficit de Comunicação;
 Distúrbios da Percepção;...
Porque utilizar o CT
 1. A realização do CT de crânio afasta as
possibilidades de hemorragia intracraniana e de
hemorragi...
Porque utilizar o CT
Acidentes Isquêmicos
Histórico:
 Fase “pré trombolítico”: diagnóstico e
tratamento de suporte
 Fase “pós trombolítico”: ...
Fato Histórico
Acidentes Isquêmicos
Uso de trombolítico:
Início dos sintomas < 3 horas
Ausência de hemorragia
Hipodensidade menor que 1/3...
Sinais Precoces
A importância destes achados precoces na CT é o
conhecimento que eles resultam da hipoperfusão
localizada ...
Artéria Cerebral Média
Hiperdensa
Fatores de Confusão
Mudança dos sintomas, a pobre descrição
pelo paciente, localização ora na circulação
anterior ou poste...
Indicações de RM
1. Os pacientes com
comorbidades e doença de
pequenas artérias
2. As lesões de tronco cerebral
3. Os paci...
Lesão Isquêmica Hiperaguda
Edema Vasogênico
Sinal Hiperintenso
 Após 3-6 horas, sofrimento do endotélio.
 Há influxo de água e proteínas plasmática...
FLAIR DWI
Difusão
Lesão Isquêmica
43
44
45
AVE Isquêmico
 Vias Aéreas Pérvias ( Adotar protocolo ABCDE);
 Cabeceira elevada a 30 graus;
 Administração de líqui...
Avci   prof. fernando ramos gonçalves-msc
Avci   prof. fernando ramos gonçalves-msc
Avci   prof. fernando ramos gonçalves-msc
Avci   prof. fernando ramos gonçalves-msc
Avci   prof. fernando ramos gonçalves-msc
Avci   prof. fernando ramos gonçalves-msc
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Avci prof. fernando ramos gonçalves-msc

820 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
820
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Avci prof. fernando ramos gonçalves-msc

  1. 1. Acidente Vascular Cerebral Isquêmico - AVCI Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc
  2. 2. Acidente Vascular Cerebral Terceira causa de morte nos EUA. Todos os anos 600 mil americanos tem um AVC sendo que 85% são isquêmicos. Causa mais importante de doença incapacitante nos EUA. Custo anual de 30 bilhões de dólares. M Wintermark Stroke;2002,33:2005-2031 NINDS - N Engl J Med, 1995
  3. 3. Definição O acidente vascular cerebral é uma lesão do sistema nervoso central caracterizada por ter um início súbito conseqüente a insulto vascular. Estas alterações podem ser por oclusão de um vaso nos acidentes isquêmicos ou por ruptura nos acidentes hemorrágicos.
  4. 4. 4 AVE ISQUÊMICO  Quanto ao tipo: Trombótico, Embólico, Lacunar 1. AVC trombótico- 40 a 60% dos AVCs isquêmicos é originária de trombose de artérias cerebrais. Lesões ateromatosas são a mais freqüente origem das obstruções trombóticas. O início dos sintomas pode ser abrupto, freqüentemente há sinais prévios de deficiência circulatória
  5. 5. 5 2. AVC embólico- as embolias cerebrais são muito mais freqüentes do que se imaginava. A chance de ocorrer um AVC embólico é muito alta em paciente com fibrilação atrial ou com história de infarto do miocárdio recente. O início do quadro é abrupto
  6. 6. 6 3. AVC lacunar - Cerca de um terço dos pacientes com AVC isquêmico têm lesões lacunares. As lacunas são lesões de pequeno tamanho (menor que 1 cm de diâmetro), ocorrendo em conseqüência de danos em arteríolas de pequeno calibre. •QUADRO: hemiparesia ou hemiplegia proporcionada, completa, sem alterações de sensibilidade associadas e, especialmente, hemiplegias à direita em destros sem comprometimento da fala. O início é abrupto.
  7. 7. 7
  8. 8. 8 AVE Isquêmico Doença Cerebrovascular Aterosclerótica 20% Doença de Artérias Penetrantes - Lacunar 25% Embolia Cardiogênica 20% Causas Não Usuais 5% Criptogênico 30%
  9. 9. 9
  10. 10. 10
  11. 11. 11
  12. 12. 12
  13. 13. 13
  14. 14. 14
  15. 15. Acidentes Isquêmicos Os acidentes isquêmicos ocorrem: fluxo normal 40 a 60 ml/100g/min perda da função 20 a 40 lesão neuronal 10 a 15
  16. 16. Acidentes Isquêmicos A redução do fluxo tem como fisiopatologia Hipoperfusão Embólico Trombose no sitio da lesão
  17. 17. Acidentes Isquêmicos As causas mais comuns são: Doença grande vaso extra craniano Doença grande vaso intra craniano Doença pequeno vaso intracraniano Anormalidades do sangue como por exemplo defeitos coagulação hiperosmolaridade
  18. 18. Acidentes Isquêmicos Correlação de causa com clínica: Inicio súbito com déficit máximo sugere um evento embólico. Curso lento e progressivo do déficit por minutos a horas sugerem doença de pequeno vaso. Inicio dos sintomas após uma manobra de Valsava sugerem acidente cardioembólico
  19. 19. Fatores de Confusão Uma série de patologias mimetizam o AVC. A mais importante é a Hipoglicemia. Outra é a Enxaqueca associada a sinais e sintomas neurológicos.
  20. 20. Fatores de Confusão Mnemonic for Differential Diagnosis of Stroke  M Migraine  E Epilepsy (postictal)  D Dissection, aortic  I Intoxication (drug, alcohol); infection  C Contusion; trauma  S Sodium; electrolytes; glucose FLEMMING K, Mayo Clin Proc. 2004;79:1071-1086
  21. 21. Os eventos corticais costumam ser embólicos, afasia,perda sensibilidade cortical ou perda de força envolvendo face braço mais que a perna (ACM) ou perna mais que a face ou o braço (ACA). AVC região cortical ou subcortical?
  22. 22. AVC região cortical ou subcortical? Cortical Subcortical Aphasia Face, arm, and leg more equally Visual field defect Classic lacunar syndromes Monoparesis Pure motor Hemineglect Pure sensory Cortical sensory loss Ataxic hemiparesis Abulia Clumsy-hand dysarthria FLEMMING K, Mayo Clin Proc. 2004;79:1071-1086
  23. 23. Acidentes Isquêmicos A história clínica, o exame físico e o CT possibilitam localizar o evento:circulação anterior ou posterior ou subcortical como nos infartos lacunares. Furlan A. JAMA. 1999;282:2003-2011.
  24. 24. 24 Manifestações Clínicas  Déficit Motor – hemiplegia e hemiparesia;  Déficit de Comunicação;  Distúrbios da Percepção;  Comprometimento da Atividade Mental e efeitos psicológicos;  Disfunção Vesical;
  25. 25. Porque utilizar o CT  1. A realização do CT de crânio afasta as possibilidades de hemorragia intracraniana e de hemorragia subaracnóidea com uma sensibilidade de quase 100%.  2. O CT é o exame escolhido nas emergências devido ao custo, tempo de aquisição e a facilidade de distinguir isquemia de hemorragia.
  26. 26. Porque utilizar o CT
  27. 27. Acidentes Isquêmicos Histórico:  Fase “pré trombolítico”: diagnóstico e tratamento de suporte  Fase “pós trombolítico”: diagnóstico precoce dentro da janela terapêutica
  28. 28. Fato Histórico
  29. 29. Acidentes Isquêmicos Uso de trombolítico: Início dos sintomas < 3 horas Ausência de hemorragia Hipodensidade menor que 1/3 do território da artéria cerebral média na CT
  30. 30. Sinais Precoces A importância destes achados precoces na CT é o conhecimento que eles resultam da hipoperfusão localizada e mais suscetíveis de serem resgatadas. As áreas com real hipodensidade a CT são resultantes de edema vasogênico e com dano irreversível (CORE) e portanto não resgatáveis com o uso dos trombolíticos
  31. 31. Artéria Cerebral Média Hiperdensa
  32. 32. Fatores de Confusão Mudança dos sintomas, a pobre descrição pelo paciente, localização ora na circulação anterior ou posterior dificultam o diagnóstico
  33. 33. Indicações de RM 1. Os pacientes com comorbidades e doença de pequenas artérias 2. As lesões de tronco cerebral 3. Os pacientes com sintomas transitórios
  34. 34. Lesão Isquêmica Hiperaguda
  35. 35. Edema Vasogênico Sinal Hiperintenso  Após 3-6 horas, sofrimento do endotélio.  Há influxo de água e proteínas plasmáticas para o extracelular.  Volume atinge pico 1-5 dias após o insulto  Resolução em 1-2 semanas.
  36. 36. FLAIR DWI Difusão
  37. 37. Lesão Isquêmica
  38. 38. 43
  39. 39. 44
  40. 40. 45 AVE Isquêmico  Vias Aéreas Pérvias ( Adotar protocolo ABCDE);  Cabeceira elevada a 30 graus;  Administração de líquidos com cautela;  Evitar solução Glicosada.  Heparina profilática para TVP/TEP subcutânea  AAS 100 a 300 mg nas primeiras 48 h  Terapia trombolítica-indicações: 18 a, dentro das 3 primeiras horas do início do quadro, TAC de crânio sem evidência de hemorragia e ausência de contra-indicações  Evitar redução aguda da PA  manter PAM em torno de 90 a 120 mmmHg

×