Nas sendas do saber

556 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
556
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nas sendas do saber

  1. 1. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA AS GRANDES INDAGAÇÕES DO SER HUMANO, QUANTO A SUA ORIGEM SEU DESTINO, E SUA MISSÃO TERRESTRE. Capitulo n.º 1 Preâmbulo aos Futuros iniciantes Nas Sendas do Saber Amado irmão, colega e batalhador na causa da educação e do Evangelho em geral, elaboramos este programa partindo do pressuposto da sua educação assistemática na experiência de campo, nas lides da pregação e, sobretudo, nas muitas leituras realizadas durante a maratona do bacharelado e no ministério em particular. Diante de você dispusemos um desafio peculiar, algo quase lúdico: a proposição de questões semelhantes a muitas que nos fazem no decorrer de nossas existências, em estudos bíblicos, nos saguões, terraços e áreas posteriores de templos. São os grandes por quês, as herméticas questões, os anseios, por que não dizer, as duvidas, as paixões intelectuais, o profundo e secular desejo de conhecer as razões da origem, missão e destino do homem. Aliemo-nos nesta jornada. Usemos a celebre bateia para minerarmos as preciosidades do saber universal. Ousemos penetrar até onde nos permite a Mente Suprema, adentramos os portais epistemológicos, sem, contudo, jamais, perdermos as vibrações do coração. Buscamos as respostas mais completas, as definições mais abrangentes, as analises mais perfeitas e as sínteses mais úteis e objetivas. Que não sejam apenas os louros finais do grau obtido, das láureas, do pergaminho recebido, a motivação maior. Que nos motivem aos desafios, a visão dos horizontes, a aventura de navegarmos por mares nunca antes navegados. Que nos motivem as horas silentes à busca de um entendimento mais lúcido daquilo que muitos se esquecem de desvendar. Que nos motivem a visão futura de uma cátedra acadêmica melhor preenchida e os olhos brilhantes dos alunos abeberando-se á falsa cultura materialista deste mundo tenebroso em seus últimos ademares. Vamos adiante amado irmão, sabendo que grandes recompensas estão diante de nós, pela decisão sabia e voluntária de sermos cristãos.
  2. 2. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA Que o pai das luzes, em quem não há sombra, nem variação, possa estar sempre conduzindo seus passos durante o labor que desenvolverá, enquanto estiver adquirindo e conhecendo nestas humildes linhas. MINUTO DE MEDITAÇÃO 1.São os pequenos detalhes que às vezes servem de estimulo e ânimo ao homem. 2.As experiências da vida, são evoluções do aperfeiçoamento humano, nesta jornada terrena. 3.O maior valor da vida encontra-se no interior de cada ser humano. 4.As realizações, sucessos e derrotas, dependem do vislumbre de cada um. Acácio... VONTADE DE VENCER Em um domingo, três homens engatinhavam numa cabine de uma espaçonave, um veiculo estranho, presa a um gigantesco foguete no Cabo Kennedy, na Florida, enquanto o mundo aguardava o paradoxo, fascinado pelo lançamento da espaçonave Columbia, começa a contagem regressiva. Nunca, jamais uma espaçonave decolará do Planeta Terra, orbitará em torno do Planeta e voltará em vôo controlado, aterrissando como um avião. Para esta missão foi necessária muita força. O foguete que foi veiculo da espaçonave media 61 metros, pesava duas mil toneladas, um milhão e novecentos mil litros de combustível, seu empuxo era de mais de dois milhões de quilos, força suficiente para levantá-la a uma altitude de 37 quilômetros em apenas dois minutos. Após a decolagem inicial a Columbia atingiu uma altitude de 300 quilômetros e entrou em orbita em volta da Terra a uma velocidade de 27.000 Km/h. em sete dias fez 113 orbitas em volta da Terra. Uma demonstração de força jamais vista neste planeta. Após a passagem de cristo pela terra, foi o único fato que estarreceu o mundo e todos os seus habitantes, sem distinção. A espaçonave na época foi comparada a uma águia, mais não era, na verdade era um objeto metálico de forma estranha, que perdeu sua força e desabou do céu, brilhando com o calor da reentrada na atmosfera, e acabou sua missão pousando como um planador nas planícies salgadas do deserto da Califórnia. A Columbia foi o maior feito histórico cientifico espetacular. Com toda sua força e equilíbrio para sair da Terra, sua capacidade de permanecer no espaço, tudo criado pelo homem. As Águias, por causa de sua capacidade de encontrar as colunas de ar quente que se elevam do solo, chamadas térmicas, são capazes de permanecer no voo
  3. 3. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA indefinidamente, sem mover suas enormes asas. Por isso que a Columbia tinha como destino cair de volta na Terra, pois não era uma águia. Para Columbia ser uma águia deveria ter nascido Águia, ou renascido de uma Águia. Este é o problema da humanidade, temos uma força natural, entretanto não temos força pra chegar até o fim. Algumas pessoas no inicio de uma negocio ou empreendimento, por vezes parecem ir bem, mais acabam por cair de volta a Terra no final das contas. A maioria de nós às vezes nem sequer consegue decolar da plataforma de lançamento. Fazemos barulho, comentamos, idealizamos, ameaçamos voar, mais decolar que é bom, nada. Às vezes nem barulho somos capazes de fazer, sem nenhuma força somos derrubados pelo inicio de vento que chega e nos joga ao chão, onde por vezes ficamos esquecidos para sempre, como se nem mesmo tivéssemos existido. Algumas pessoas bem sucedidas, que chegaram à realização profissional, financeira ou social, em suas profissões, são questionadas freqüentemente a respeito de suas vidas. Essas pessoas não são feitas de metal como a Columbia, cujo destino fora cair do céu na Terra mais cedo ou mais tarde, são águias de verdade, voando, alcançando as alturas. Quando lhes é perguntado de onde vinha a força que os mantinham no ar, todos respondem. De Deus e de meu eu. Disseram que sua força de vida era interna de vontade, de realizações, de honestidade e razão comigo mesmo e com Deus. Ao contrario da espaçonave Columbia que chegara ao espaço com esforço do homem, pois a Columbia era uma maquina criada pelo mesmo, que fora em vão, a não ser para identificar a criação do ser humano, para atingir seus objetivos e alimentar seu querer. Ao contrario do homem que trilha suas realizações pelo seu próprio esforço, atingindo seu objetivo e se mantendo como águia em vôo permanente, com ajuda de Deus. Você pode ate mesmo pensar que Deus é injusto, indagando a si próprio: “porque Deus ajuda aqueles que já estão com suas vidas feitas, mas comigo é diferente!...” O que as pessoas não enxergam é que as oportunidades são como o vento, passam o tempo inteiro na frente das pessoas, são elas que não param pra enxergar. Deus ajuda aquele que se ajuda primeiramente, pois não da prioridade para os homens famosos, os ricos, ou para as pessoas respeitadas que se vestem bem aos domingos para ir à igreja. Deus é para todo mundo que esteja consciente que necessita de ajuda, com humildade e serenidade, ele ama os que já estão sem esperança, os alcoólatras, os viciados, os que já perderam a força de lutar pela vida, e está caindo indefesos, rumo à destruição em choque com a terra, como a Columbia reentrando na atmosfera e caindo no deserto como objeto inanimado, isso se não explodir antes da reentrada, ele ama o desempregado, a mulher que se enredou no adultério e da prostituição, o adolescente solitário, o homem de negocio fracassado. Deus o ama, e se você permitir ele não só lhe mostrara um novo caminho, mas lhe dará força para vencer os obstáculos da vida.
  4. 4. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA Segundo os índios, todo mundo precisa de alguém para falar, com quem se relacionar, alguém para que possa contar todos os segredos de seu coração. Mas uma vez que fizer isto, é prova de fraqueza, pois ninguém quer que os outros saibam desta necessidade. Porém o homem só vive plenamente quando se liberta das convenções criadas por ele mesmo. O SER HUMANO Mamífero bípede, dotado de inteligência e linguagem articulada, símios, lêmures, e homem, derivados provavelmente de ancestral comum. O homem até pela sua natureza de imperador dos animais, não tem certeza de sua decadência, mais vive na busca de informações, sabe-se que o homem desenvolveu articulações uma comunicação eficiente, sentidos, em busca sempre de sua melhora de vida e do meio. O homem é animal reprodutor, que estabelece normas de conduta social, financeira, ético e outras convenções. Para sua sobrevivência no geral lhe é exigido trabalho e produção, através de atividades acessórias, realiza trabalhos pelo qual é remunerado para prover de seu sustento e bem estar. Como elemento reprodutor tem necessidade de uma fêmea para a reprodução. Como os demais animais mamíferos, se alimenta, defeca, dorme e tem necessidade de água. Neste estado de definição do homem, vimos em seu lugar por exemplo, o macaco quais suas necessidades, os seus anseios e podemos concluir que serão as mesmas coisas. Se olharmos para o porco notaremos que será a mesma coisa, e assim sucessivamente com todos os animais mamíferos, exceto a necessidade financeira, pois os demais animais não sabem o que é capitalismo. Dentro disto ainda faremos uma relação, a gestação de uma macaca, gerará um primata idêntico ao pai ou a mãe, e numa relação genealógica, muito parecido com toda sua linha ancestral. Assim sendo, da mesma forma é o homem na sua ascendência genealógica, com certeza no seu antepassado poderemos depararmos com humanos idênticos, inclusive com traços de personalidade e conhecimento, não existindo predominância do pai ou da mãe, pois a linha ancestral é remota, e não há condições de identificarmos e célula primeira da geração. Podemos concluir que se hoje existe A que foi filho de B + C, que eram filhos de D + E e F + G, e assim sucessivamente, não teríamos fim, mais se aleatoriamente na vigésima geração depararmos com outro A, que seria idêntico a este existente, poderemos deduzir que uma célula predominante deste primeiro A se manifestou nessa vigésima geração, e que este demonstra aspectos físicos similares, com traços de conhecimento e perfis de personalidade parecidas, com isto, queremos demonstrar que se todo descendente de macaco ou outro animal traz características iguais, seja no aspecto físico, social, e outros, por que com o homem seria diferente.
  5. 5. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA Desta forma quando temos a impressão de haver estado ou vivido em lugares em que nunca estivemos, de conhecer pessoas que nunca vimos antes, ou ainda ter algumas habilidades que nunca nos foi ensinada, chamamos de descendência celular, ou seja, uma célula de um ascendente foi transmitida por varias gerações, e veio despertar em outra época, com os mesmos traços daquele que a transmitiu. Há varias explicações para uma serie de ocorrências, como por exemplo, quando se fala de espírito!.. Morreu Pedro e este após a morte passou a querer manter contato com a família. A família, através de entidades ligadas ao meio, tenta a consumação da comunicação, e por vezes, tem-se resultados positivos que os levam a achar semelhança a seu ente querido. Com isso poderia ser possível, a não ser através do espírito que procura estabelecer contato? Muito simples, pessoas ligadas a família procuram ajuda, e expõem a situação para outras pessoas que ficam mais familiarizadas, e num processo do inconsciente, em sessões marcadas para os interessados, junto com o grupo destinado a ajuda, se reúnem, e fazem com que o ente querido (espírito) se manifeste. Tal ocorrência se da através de pessoas vivas, que gravam informações, e sugestionadas pelo fato, e contato com a família, afloram suas experiências de vida, e influencias que tiveram com o relato, provendo a criação do espírito. Se dizendo incorporadas, conscientes ou não, falam em nome dos espíritos, segundo eles desencarnado. Onde acredito que a descendência de dados pela descendência celular melhor explica. Pois de todo gato adulto mia para se comunicar, como um filhote recém nascido de gato já nasce miando!... São transmissões de dados hereditários. Ou ainda, num consultório de um profissional, o cliente é submetido a uma regressão, seja sugestionada ou hipnótica, e o analisado passa a conhecer suas vidas passadas, e por vezes, conhece o útero de sua mãe em fase de gestação. Explica-se o fato de que mesmo o feto em processo de crescimento , é uma vida, e com tal são varias células vivas. Esta criação é racional, e tem condições de armazenar informações. Dentro de uma regressão bem conduzida poderia alcançar este estagio e muito mais, pois se existe células vivas de geração para geração, tranquilamente neste individuo poderia se manifestar uma célula de mil anos ou mais, ou ainda ter vivificado por varias vezes dentro desta descendência, obtendo a experiência de vidas passadas. Trataremos com uma profundidade maior no capitulo de Descendência Celular. Se todos os humanos são descentes de um SER, então, serão necessariamente decentes de humanos. O problema da humanidade é o orgulho. Não queremos admitir que somos incapazes de resolver sozinhos o problema da vida. Orar é simplesmente falar com Deus, e escutar em silencio o que falamos. É expressão da fé do homem. Acácio...
  6. 6. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA As pessoas mais triste do mundo são os cristãos que não atingiram a plenitude que nunca ousaram em sair da falsa compensação, para novos objetivos. O homem deve sempre ser guiado, para o seu bem e ao bem do mundo, pois o homem desgarrado, está a deriva como ice-berg ao mar. Não existe doutrina religiosa errada, o que existe é dúbia interpretação de caminhos a serem trilhados. Acácio... LIDERANÇA-CRIANDO SEGUIDORES No ambiente corporativo, Em casa, Na escola, Na vida Religiosa Todos enfrentam um mesmo desafio no dia-a-dia: Persuadir o outro a seguir suas idéias. É muito difícil fazer alguém mudar de opinião e começar a agir de acordo com essa mudança. Howard Gardner, professor da Universidade Harvard e um dos estudiosos do comportamento humano, analisam como os cérebros mais influentes da História valeram-se dos sete vetores para persuadir as pessoas. Analisou a mente de grandes líderes em diversas áreas. Descobriu pontos em comum usados por essas personalidades para modificar a cabeça de milhões de pessoas. Entre elas:  Margaret Thatcher,  George Walker Bush,  Bill Gates,  Jack Welch,  Pablo Picasso,  Albert Einstein,  Sigmund Freud,  Mahatma Gandhi,  Nelson Mandela O psicólogo elaborou um método de persuasão, cujo resultado está no livro “Mentes que Mudam – A Arte e a Ciência de Mudar as Nossas Idéias e as dos Outros”.
  7. 7. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA Segundo o estudioso, apresentar múltiplas versões de um mesmo conceito é uma das mais poderosas maneiras de influenciar a mente de alguém. O livro de Gardner veio quebrar a postura continuísta dos executivos, que só falavam em reengenharia de processos e que agora estão interessados no comportamento humano. Sete vetores ou alavancas que favorecem as mudanças mentais : 1. RAZÃO: apresentação lógica e racional do pensamento. 2. PESQUISA: utilização de informações relevantes e dados objetivos na argumentação. 3. 4. RESSONÂNCIA: a idéia deve parecer correta ao público, que, muitas vezes, se identifica com a mensagem. 5. REDESCRIÇÕES: contar uma boa história usando diferentes “embalagens”; ter retórica. 6. RECURSOS: a audiência precisa ser seduzida e acreditar que ganha alguma coisa – dinheiro, obras, etc. 7. EVENTOS DO MUNDO REAL: crises, guerras, tudo o que pode levar à mudança de conceitos. 8. RESISTÊNCIAS: o líder deve estar preparado para elas e saber enfrentá-las. Gardner, criador também da Teoria das Inteligências Múltiplas: diferentes tipos de talentos determinam o potencial de uma pessoa, as chamadas oito inteligências:  Lingüística  Lógica  Musical  Espacial  Corporal  Naturalista  Pessoal  Existencial  A intenção dessa teoria é identificar aptidões específicas e ajudar a desenvolvê- las pois são inatas, complementares e às vezes antagônicas.
  8. 8. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA PODER DE TRANSFORMAÇÃO OS ERROS E ACERTOS DE HOMENS PODEROSOS. Alguns escultores de idéias interferiram no rumo da História, levando milhões de pessoas a mudar os próprios conceitos e adotar novas idéias.  BILL GATES – MICROSOFT O que fez: mostrou que o software é mais importante que o hardware. Seus programas mudaram a forma de as pessoas usarem o computador. Recompensou os que contribuíram para o crescimento da Microsoft. Introduziu o conceito de gerência de negócios na filantropia.  JACK WELCH – Ex-CEO da GE - O que fez: antecipou-se às tendências da economia, e apostou na globalização. Conseguiu o apoio de toda a empresa mesmo tendo reduzido drasticamente o quadro de funcionários.   CHARLES DARWIN – Biólogo que criou a teoria da evolução das espécies. O que pretendia: origem das espécies aconteceu por meio da seleção natural ao longo do tempo. Obstáculos: segundo as religiões a criação do mundo ocorreu em sete dias. Que vetores usou:  pesquisa – garimpava provas para comprovar sua teoria;  razão – tinha explicações lógicas para tudo;  redescrição – apresentou suas idéias de diferentes formas;  resistência – hesitou em publicar sua teoria porque sabia que chocaria o mundo e só o fez quando outro cientista chegou a conclusões semelhantes.  MAHATMA GANDHI – Foi um líder indiano O que pretendia: libertar a Índia do domínio inglês e unir seu país. Obstáculos: conflitos só podiam ser resolvidos através da luta armada. Que vetores usou:  ressonância- com a experiência da população cansada da guerra e com a tradição pacífica do país;  redescrição – reforçava sua mensagem através de marchas, discursos e protestos com coreografia que propagandeavam a idéia da independência sem sangue;  pesquisa – estudou Filosofia e Religião para apoiar seu discurso e a tática pacifista;  eventos do mundo real – depressão econômica, guerras mundiais, declínio do colonialismo.
  9. 9. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA  PABLO PICASSO – Maior pintor do século XX O que pretendia: substituir o romantismo por uma arte modernista. Obstáculos: a audiência e a crítica estavam satisfeitas com o padrão vigente. Que vetores usou:  redescrição – através de diferentes meios e sistemas simbólicos;  ressonância – sua obra repercutia entre a juventude e estava ligada às principais tendências da cultura;  resistência – não ignorava os críticos, tentava conquistá-los;  eventos do mundo real – algumas de suas obras, como Guernica, ecoaram com a indignação contra o massacre de compatriotas.  MARGARET THATCHER – Ex-primeira ministra da Inglaterra. O que pretendia: recuperar o papel de destaque de seu país. Obstáculos: economia fraca e o consenso europeu pós-guerra por um Estado socializado. Que vetores usou:  pesquisa – pedia dados sobre tudo;  razão – apresentava as fraquezas da economia junto com as soluções;  ressonância – aprendeu técnicas de propaganda para vender suas idéias;  recursos – conferiu poder e prestígio para ter um círculo forte de apoio;  eventos do mundo real – Guerra das Malvinas; superou resistências.  GEORGE WALKER BUSH – Presidente dos EUA pela segunda vez consecutiva. O que pretende: liderar os EUA numa cruzada contra o terror. Obstáculos: antes do onze de setembro era um presidente ausente, isolado, ofuscado pela figura do pai. Mudou a própria mente e teve de convencer os demais de que ele era capaz de liderar seu país. Que vetores usou:  eventos do mundo real – ataques terroristas e o medo crescente da população;  recursos e recompensa – prometeu que reconstruiria os paises atacados e que a economia americana se beneficiaria;  razão – apresentou uma lógica para a guerra;  pesquisa – muniu-se de dados (até inventados) para justificar a invasão do Iraque.
  10. 10. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA  ROBERT SHAPIRO – Ex-CEO da Monsanto O que fez: entusiasta dos alimentos geneticamente modificados; tornar sua empresa número um em Biotecnologia. Acreditava demais em si e não convenceu o público de que os transgênicos eram uma boa idéia. A catástrofe nas relações públicas veio quando ele e a Monsanto viraram alvos preferidos dos defensores do meio ambiente.  JOHN CHAMBERS – CEO da Cisco O que fez: acreditava que a Internet representaria uma segunda revolução industrial e levou a Cisco a comprar inúmeras empresas pontocom. Não prestou atenção aos sinais de que a bolha da Internet iria estourar, levando a Cisco a grandes perdas. O estudo de Gardner: uma chave que abre o cérebro para uma mudança de atitude. Formas clássicas de persuasão: conversas, ensino, terapia e criação e disseminação de idéias e produtos. Ele considera a mente como um campo de batalha onde várias histórias competem:  brigam entre si pela sobrevivência,  pela duradoura permanência no cérebro,  pela oportunidade de estimular comportamentos. Líderes bem-sucedidos empregam basicamente três inteligências: o Lingüística, para contar boas histórias; o Pessoal, para compreender as pessoas, saber ouvi-las e motivá-las; o Existencial, de forma que se sintam à vontade ao formular questões fundamentais. Alguns conselhos de Howard Gardner:  Na vida acadêmica: a razão e a pesquisa são os mais importantes vetores;  Entre duas pessoas íntimas: a ressonância faz a diferença;  Mudança da mente dos jovens: utilizar a redescrição, apresentando uma nova idéia de diferentes maneiras;  No ambiente de trabalho: o mais importante é superar resistências;  Entre pais e filhos: não apostar em recompensas e castigos; esse tipo de atitude muda comportamentos apenas temporariamente, o ideal é desenvolver um elo de confiança;  Quando o interlocutor tem opinião forte, deve-se ouvi-lo com atenção e não fazer comentários que aticem suas crenças.
  11. 11. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA GRANDES HOMENS GRANDES EMPRESAS Empresas de sucesso são comandadas por empresários que dominam a arte de motivar seus funcionários, vendendo a seus liderados as idéias do seu negócio. Eles acreditam que os três alicerces para a motivação de uma equipe são: coração, cabeça e bolso. Coração é a paixão pela empresa, é considerar que tudo deve ser feito com prazer. Cabeça é poder participar, consciente de que usando os próprios conhecimentos, todos poderão adquirir novas competências. É a certeza de que o trabalho vai lhes proporcionar desenvolvimento, o próprio e o da empresa. E bolso, é o óbvio. O crescimento do negócio tem de ser acompanhado pelo crescimento dos funcionários. Existe uma razão clara para perseguir isso: eles acreditam que são as pessoas que diferenciam as empresas. Como afirma o pensador Pierre Lévy, em seu livro “conexão planetária”: do tripé que sustenta as organizações ( pessoas, processos e tecnologia ) as primeiras são o fator mais importante no mundo corporativo: o colaborador, o ser pensante, o condutor. Essas pessoas se tornarão empreendedoras individuais, gerenciando sua carreira como uma pequena empresa, como cita o pensador francês, Pierre Lévy, em seu livro “conexão planetária”. É o novo profissional que surge dentro das empresas, buscando acima de tudo, o entusiasmo de poder transformar o mundo com seu trabalho. Vejamos alguns empreendedores que enfrentaram o desafio diário de formar suas equipes e mantê-las permanentemente motivadas, ou seja, acreditando em suas idéias. GRANDES HOMENS GRANDES EMPRESAS I. DAVID FEFFER GRUPO SUZANO RAMO: PAPEL E CELULOSE FATURAMENTO EM 2.003: US$ 1,5 BILHÃO Nº DE FUNCIONÁRIOS: 4.300 DESAFIO: entregar a presidência de uma empresa familiar a um profissional, atraindo a atenção dos investidores.
  12. 12. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA DIFICULDADE: livrar-se do apego emocional ao cargo. membro da terceira geração, Feffer foi educado para um dia ocupar a presidência. LIÇÃO: atraia, desenvolva e retenha os melhores talentos. assim, a escolha de um substituto e a transição serão mais fáceis. II. ABÍLIO DINIZ GRUPO PÃO DE AÇÚCAR RAMO: VAREJO FATURAMENTO EM 2.003: US$ 4,5 BILHÕES Nº DE FUNCIONÁRIOS: 60.000 DESAFIO: salvar um negócio à beira da falência DIFICULDADE: resgatar a credibilidade do mercado financeiro, de funcionários, clientes e executivos. LIÇÃO: Busque e domine todas as informações importantes para a condução do negócio. Lidere o processo de recuperação com mão firme. Planeje e execute seus movimentos com a máxima rapidez. III. LUIZA HELENA TRAJANO MAGAZINE LUIZA RAMO: VAREJO FATURAMENTO EM 2.003: US$ 324 MILHÕES Nº DE FUNCIONÁRIOS: 4.800 DESAFIO: Manter equipes de funcionários constantemente motivados num setor tradicionalmente de grande rotatividade e baixa qualificação. DIFICULDADE:Administrar isso numa empresa que,neste ano, deve crescer 58% e agregar centenas de novos empregados. LIÇÃO:Estimule a criatividade e o trabalho em equipe, dê autonomia para a solução de problemas e recompense financeiramente os bons resultados. Compartilhe sempre as informações. IV. JORGE GERDAU JOHANNPETER GRUPO GERDAU RAMO: SIDERURGIA FATURAMENTO EM 2.003: US$ 5,6 BILHÕES Nº DE FUNCIONÁRIOS: 20.160
  13. 13. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA DESAFIO: conquistar novos mercados, principalmente no exterior onde tem usinas (Estados Unidos, Canadá, argentina, Chile e Uruguai) e conseguir assim, a escala necessária para se tornar competitivo mundialmente. DIFICULDADE: investir recursos em projetos de longo prazo, afetados por grandes, oscilações de mercado. LIÇÃO: entre no jogo para vencer. Conheça em detalhes sua empresa e as dos concorrentes e ofereça algo diferente aos clientes. Planeje e inove. V. CONSTANTINO DE OLIVEIRA JÚNIOR GOL RAMO: AVIAÇÃO CIVIL FATURAMENTO EM 2.003: US$ 529 MILHÕES Nº DE FUNCIONÁRIOS: 2.685 DESAFIO:Criar um novo negócio no setor de aviação civil, um mercado em crise profunda. DIFICULDADE:Convencer funcionários e executivos de que isso seria possível e resistir à tentação de replicar velhas práticas. LIÇÃO:Esqueça os modelos tradicionais. Abra brechas no mercado, estabeleça novos paradigmas e mantenha-se fiel a eles. COMO CRIAR SEGUIDORES O guru DEEPAK CHOPRA, de origem indiana e residente nos EUA, é considerado no meio empresarial como um dos maiores especialistas em maximização do potencial humano. Ele busca responder como uma pessoa comum se torna um líder. Segundo ele, para chegar à liderança você precisa olhar para dentro de si e entender como as pessoas são motivadas espiritualmente; se não fizer isso vai apegar-se a velhos hábitos envolvendo-se em disputas desnecessárias. O fundamental segundo CHOPRA, é aprender a identificar as necessidades das pessoas – como o psicólogo ABRAHAM MASLOW, já apontou em meados do século XX – e saber responder a cada uma. Em qualquer grupo, seus integrantes se exprimem com base em dois temas básicos: necessidade e resposta. Todo os dias há algo que necessitamos, desde a necessidade primitiva de alimentação e abrigo até carências mais elevadas de auto- estima, amor e significado espiritual; existe algo como resposta ou (re)ação para satisfazer essa necessidade, desde disputa e competição até a descoberta criativa e a inspiração divina.
  14. 14. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA Necessidades e reações podem ser organizadas em ordem crescente. As necessidades inferiores são seguidas de necessidades mais elevadas, assim como as respostas. Como citou BERTOLT BRECHT: “Não fale de alma antes de Ter enchido meu estômago”. CHOPRA chama isso de hierarquia das necessidades e hierarquia das respostas; juntar as duas é a coisa mais poderosa que um líder pode fazer. Ele cita como exemplo, os movimentos políticos extremistas (fascismo, fundamentalismo religioso, nacionalismo étnico ) utilizam o medo, pois é a reação à necessidade mais primitiva – a sobrevivência. Pressões externas, tais como depressão econômica, migração social e forças competitivas, costumam desencadear essa necessidade. Vacláv Havel, presidente da República Tcheca, foi um poeta incumbido de satisfazer as necessidades de auto-expressão e liberdade de um país, depois que os comunistas as haviam suprimido. Martin Luther King chegou ao nível mais elevado da resposta e da visão, pois o povo necessitava adquirir significado e auto-estima. O líder que entende a hierarquia das necessidades terá êxito; aquele que busca metas de vida exterior, assim como dinheiro, vitória e poder, fracassará, isto porque, ele vai falhar em satisfazer seus seguidores. Ele resume através do acrônimo da palavra LEADERS a essência da liderança: LOOK and LISTEN ( ver e ouvir ) Faça isso como observador imparcial, que não executa julgamentos prévios; depois com seu coração, obedecendo a seus sentimentos mais verdadeiros; e finalmente com sua alma, respondendo com visão e criatividade. EMPOWERMENT ( delegar poder ) Deve partir de uma auto-referência, que responde ao feedback, independente da opinião dos outros ( chão de fábrica ). Oriente-se pelo processo, em vez de pelos resultados; assim, será possível elevar tanto seu status de líder como de seus seguidores. AWARENESS ( Ter consciência ) Significa estar ciente das seguintes questões implícitas em todos os desafios: Quem sou? O que quero? Qual o propósito da minha vida? Deve postular essas questões a si mesmo para servir de inspiração a seus seguidores. DOING ( fazendo ) Engloba uma orientação para a ação como modelo a ser seguido, assumindo a responsabilidade pelas promessas, sendo persistente, mas também significa Ter capacidade de comemorar e ver qualquer situação com flexibilidade e bom humor.
  15. 15. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA EMOTIONAL FREEDOM and EMPATHY ( ter liberdade emocional e empatia ) O líder vai além do melodrama e da reação a crises, livrando-se da toxicidade emocional para entender as necessidades profundas de seus seguidores. RESPONSABILITY (assumir responsabilidade) Ter iniciativas, assumir riscos maduros em vez de impensados, cumprir o prometido, Ter integridade e viver de acordo com valores internos. SYNCHRONICITY ( Ter sincronismo ) É um ingrediente misterioso do subconsciente que todos os grandes líderes devem dominar. O sincronismo é a capacidade de criar a boa sorte e de encontrar reservas de energia para que o líder vá além dos resultados previstos e atinja um nível mais elevado. Esse é o modelo mental utilizado pelos líderes; a liderança é a escolha mais crucial que alguém pode fazer – é a decisão de sair das trevas. Somente alguém capaz de encontrar sabedoria me meio ao caos será lembrado como grande líder. As tradições da sabedoria definem a verdade como uma única faísca que queima oda a floresta. Se o líder estiver disposto a ser essa faísca, outros a detectarão dentro dele.  Líderes e seguidores criam uns aos outros, formando uma ligação espiritual invisível.  Um líder é a alma simbólica do grupo; assim como os indivíduos, os grupos crescem de dentro para fora.  As qualidades internas do grupo determinam os resultados. LÍDER E LIDERANÇA Tannenbaum define liderança como influência interpessoal numa situação, por intermédio do processo de comunicação, para que seja atingida metas especificadas. DISTRIBUIÇÃO DA LIDERANÇA  Estrutura autocrática: O grupo não participa das decisões.  Estrutura paternalista: O líder paternalista pensa por todos.  Estrutura Permissiva (Laissez – Faire):Acredita-se que a melhor forma de dirigir é não dirigir em absoluto, deixando que os indivíduos maduros tenham uma completa liberdade.  Liderança participativa ou democrática: os membros trabalham em conjunto. Dá- se a máxima importância ao crescimento e desenvolvimento de todos os seus membros.  Liderança situacional: A sabedoria da liderança está em saber quando usar tal e qual método.
  16. 16. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA PERSONALIDADE DO LÍDER  A personalidade autoritária: Tem maneira limitada de encarar as coisas. Vive de acordo com costumes e hábitos tradicionais e isso é de grande importância pra ele.  Personalidade Democrática: Tende a ser liberal a respeito das coisas. Acredita que as pessoas devem ser julgadas pelos seus méritos. Admira debates, reuniões e o consenso geral. SELEÇÃO DE LÍDERES Como formar líderes? Clay Smith acredita que o método mais simples, porém o mais caro, é formar lideres e demitir os incompetentes. O PROCESSO DE SELEÇÃO DE LÍDERES  Escalas para medir a motivação para liderança  Atitudes na liderança  Testes de sensibilidades de grupo  Testes de sensibilidade interpessoal  Treinamento em liderança O gerente (líder) eficaz W.J.Redeu (1977) apresenta uma teoria sobre a eficácia do líder, denominada Teoria 3- D. Segundo ela, a eficácia do líder depende de comportamentos como:  Flexibilidade de estilo;  Sensibilidade situacional;  Habilidade de gestão situacional. CAPACIDADE DE LER A SITUAÇÃO É a capacidade de compreender as pessoas, de sentir o ambiente e o meio em que vive ou trabalha ou atua, momento. COMO DEVE AGIR A gestão situacional é a habilidade de mudar a situação, quando for necessário. Obs:transformar em apostila e acrescentar aqui a postura do líder eficaz, defeitos,qualidades e os dez mandamentos... ESTILOS DE LIDERANÇA  Líder separado: esse estilo de liderança dá ao gerente baixa orientação para o trabalho e pouca orientação para as relações humanas.  Líder relacionado: tem apenas alta orientação para as relações humanas.  Líder integrado: Possui uma elevada orientação para o trabalho e também interesses altos; é voltado para as relações humanas.
  17. 17. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA  Líder dedicado:Tem apenas alta orientação para o trabalho LIDERANÇA DE DESEMPENHO MÁXIMO  O que mantém o sucesso da empresa é a liderança, este é o fator que faz a diferença entre as organizações  Líderes vencedores são líderes que ensinam  Excelência no atendimento é o mínimo que a empresa deve ter  Líderes têm a coragem de enxergar a realidade e agir sobre ela. Risco e dor nunca os detêm.  Hoje, a maior vantagem é a inovação contínua  O líder deve saber falar com cada pessoa, conhecer cada um com sua sensibilidade  líder não deve se preocupar em agradar todo mundo, mas a maioria tem que estar ao seu lado. FALHAS DA LIDERANÇA  Falha na seleção de pessoal  Baixas expectativas  Não saber elogiar  Não saber delegar  Não saber repreender DICAS  Repreenda imediatamente o erro e só em particular  O importante é não julgar a personalidade das pessoas, e sim o desempenho delas  Defina bem as regras do jogo e dentro delas faça o jogo ficar bem duro  Elogie e desafie DESCENDÊNCIA CELULAR Com algumas pesquisas obtive algumas conclusões que coloco a seguir. O mundo passa por mutações, e o período e o tempo decorrido chamado de evolução, é apenas uma forma pejorativa de colocação, visto que, se fizermos uma experiência e retroagirmos no tempo, independente de idade, estado social e “status”, notaremos que no momento em que se indagar ao sujeito que tem entre 35 e 40 anos , ele terá lembranças de sua infância, juventude, e datas decorrentes, e que este perceberá que passou, em alguns segundos, por um túnel do tempo, e com uma afirmativa positiva, se lembrou exatamente o que se passava na sua infância, juventude e tempo decorrente, como a lembrança perfeita de alguns amigos, as vestes utilizadas na época, o almoço de final de semana, as realizações e a problemática da família. O mais importante nesta análise é que o analisado nota realmente que mudaram apenas o uso e os costumes, mais que tudo continua da mesma forma, em alguns casos perfeitamente igual, sem mudanças. O que nós percebemos, é que o mundo é muito simples na forma de sobrevivência, nas comunidades, na aceitação de dogmas em qualquer área, e com
  18. 18. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA isso o homem teria condições de criar diretrizes e meta de vida, que na realidade é a mutação de tempo e espaço se projetando no que chamo de momento futuro, sem a necessidade deste falso legalismo que escraviza o homem e sua descendência, pois se acreditamos que no mundo não existe problemas, por que cria-los. Dentro desta linha de pensamento vamos tentar atingir um nível maior, nota-se que biologicamente, a vida se inicia por um macho e por uma fêmea. Nossas escolas ensinam que para o homem é designado YX e para a mulher XX que na hora da fecundação do esperma/óvulo para o ser humano, e outros animais com suas formas definidas pela ciência com variáveis de numero genético, isto são fatos meramente ilustrativos para poder-mos expor nossa linha de pesquisa. Tendo a forma biológica como referencia, passamos a elucidar nossa tese, denominada DESCENDÊNCIA CELULAR, ou seja, a transcendência secular de valores, hábitos, costumes, aptidão, inteligência e o emaranhado de neurônios através da descendência e permanência de células passadas de pai para filhos durante séculos. Quem fui no passado sou no presente e serei no futuro, mesmo que este elemento físico fique adormecido durante tempos e tempos, um dia despertará na sua forma primeira, em qualquer lugar. Acácio... TELEPATIA A transmissão de dados, a chamada telepatia entre semoventes existe de fato da forma que possa a colocar. Cada ser é dotado de carga elétrica positiva ou negativa, destas cargas não digo que o negativo é pior que o positivo ou vice e versa, são meramente cargas elétricas, e como tal, polos opostos se atraem e polos iguais se repelem. Desta forma observa-se que o analisado polo positivo, em contato com elementos de polo positivo não sofrem alterações, e por vezes, sentem-se inquietos, incomodados. Porem outras vezes, os analisados em contato com elementos de polo negativo sentem-se à vontade, e em alguns casos nota-se melhora de desempenho, passividade, alegria e exploração de assuntos em alta. A EVOLUÇÃO DO HOMEM Esta pesquisa demonstra que o homem divide-se em planos, que esta sujeito a evolução ou permanece estacionado ate manifestar em algum descendente. Denominamos o primeiro plano de primário, este é da forma que o homem vem ao mundo despido dos vis metais. O segundo plano chamamos de plano secundário, e neste plano é quando o agente passa a querer, ter, a despertar o emocional de forma mais aguçada, num estado pré concebido de personalidade e anseios. O terceiro chamamos de plano Estacionário, é aquele onde se define os traços de personalidade profissional e mental, maturidade, momento em que o sujeito se define perante a sociedade, mesmo as vezes não tendo a consciência do bom ou do ruim. Passamos a seguir ao quarto plano denominado plano inicial, este é onde normalmente desperta no sujeito o certo ou errado, porem para a maioria já é tarde, pois tudo que foi planejado no seu projeto inicial, no plano anterior, deu errado, e assim o sujeito fica preso pelos laços das obrigações contraídos no decorrer das outras fases. Nesta fase normalmente desperta a memória celular do individuo, mas isto não é regra, podendo as vezes passar de geração para geração sem despertar o verdadeiro individuo.
  19. 19. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA HIPNOSE Através da regressão hipnótica, às vezes, atingimos níveis onde foge a compreensão do homem, como o analisado tendo vivido na Inglaterra num determinado tempo do século XIX. Isso para alguns seria reencarnação, mais para alguém ter vivido em algum tempo (momento) no passado, seria extremamente possível dentro de nossa tese de Memória Celular, onde esta célula, por transmissão, veio despertar num tempo futuro, neste momento de hipnose, pois só assim despertou a necessidade ou curiosidade de ter vivificado o tempo passado. O mundo é muito simples, mas há necessidade de termos um nível de compreensão, e deste nível vamos falar brevemente. A DESCENDÊNCIA A semelhança no aspecto físico formal em pessoas de famílias diferentes explica-se através da Memória Celular.. Como referencia vamos adotar que a descendência que estamos utilizando seja a décima segunda. Nesta geração podemos afirmar que desta escala genética será gerado um descente comum dentro de outra árvore genealógica, onde um dos filhos gerou duas vidas e uma desta se casou e gerou um descendente, a partir deste temos laços de memória célula, onde para a família A ou B é possível coincidência física, intelectual, moral, ética, aptidão profissional e outras. Dentro do contexto vimos que, após dez gerações, por obra do acaso, encontram-se duas pessoas que aparentemente nunca tiveram contato, porém parecem familiar um ao outro, portanto, isso explica o elo de memória celular transcendente. É muito comum pessoas que nunca estiveram em um lugar, e estando neste pela primeira vez acham familiar ou conhecido, e não encontraram explicação para o ocorrido. Direcionando esta ocorrência para a memória celular, chegamos a conclusão que algum ascendente conhecia o local, e após a passagem de alguns ou muitos anos, despertou esta recordação no seu descendente. Esta tese considera o campo magnético em pessoas (positivo, negativo), em lugares, em objetos, animais, tempo, espaço, no abstrato, na ideia, no vazio. POLARIDADE Diante dos fatos vamos considerar que a geração de alguém se deu por 1 + 2 = 3, ( é colocado desta forma para a análise de raciocínio lógico). Se convencionarmos que +1 (carga magnética positiva) e -2 ( carga elétrica negativa), geraram o +3 (carga elétrica positiva), poderemos, desta forma, considerar que as vibrações do -2 serão de uma harmonia maior para o +3 e ou vice versa. Assim também ocorrem com as coisas inanimadas, os animais, ou lugares, e isto reforça a tese que cargas opostas se atraem, e cargas iguais se repelem. Desta forma podemos concluir que todas as cargas opostas se somam. Tenham o meu relato e o de mais algumas pessoas que participaram desta experiência, certo dia em uma viagem de aproximadamente 130 Km, um amigo e eu, estávamos indo de uma cidade à outra, e todo tempo conversava-mos sobre assuntos diversos, quando, depois de aproximadamente 54 Km, eu notei, bem como meu acompanhante, que neste local aflorou assuntos de elevada profundidade, e diante do
  20. 20. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA fato, anotamos o que parecia de maior importância. De retorno a cidade, após 6 horas, notamos que havia certa dificuldade em lembrar do assunto abordado naquela ocasião (horas atrás), não tendo dificuldade em lembrar todo o assunto da viagem, bem como aos locais que tivemos em visita. Vou esboçar a idéia mais profundamente onde: (+1 -2) = +3 e (+4 -5) = -6 = (+3 -6) = -9 encontramos cargas favoráveis em (+1 +3 +4 para -9), bem como (-2 -5 -6 -9 para +3), desta forma esta legenda de positiva e negativo são convenções que nos embasam a reforçar nossa tese de descendência celular, onde provavelmente números derivados com cargas opostas tem caracteres imutáveis com perfeita harmonia, e números derivados com cargas iguais são mutáveis sem uma perfeita harmonia. Estes caracteres, sejam imutáveis e mutáveis, positivo e negativo, chamamos de polaridade. Onde um balão cheio de ar que contém conhecimento e ninguém sabe decifrar, assim como um livro imortaliza uma ideia mesmo que esquecido no tempo. Acácio... Estas conotações são meros relatos, pois para a profundidade do assunto não basta apenas a leitura e sim a sensibilidade de cada um. Os momentos de cada pessoa são dotados de tempo e espaço, mas as ocorrências são sempre similares. Podemos observar os estágios da idade do homem, e quando este atinge seus 40 anos, em média, começa a despertar maior compreensão, discernimento, e uma abertura jamais observada em outras etapas etárias do conhecimento, onde através do auto controle procura a plenitude de realizações, e a mais profunda sensibilidade para o desconhecimento. TEMPO NÃO EXISTE Quando esboçamos um momento, estamos determinando o tempo decorrido em linguagem simples de idade. A vida do ser humano esta dotada de infância, juventude, velhice, e estas etapas da vida determinam idades cronológicas do ser. Você que esta para atingir, ou já atingiu, uma idade de MATURIDADE em anos, volte neste momento a sua infância, lembre-se dos colegas na escola, as brincadeiras, a bicicleta, a reunião de família aos domingos, firme o pensamento e note como você se vestia, os costumes da época, note que esta simples experiência o levou para o túnel do tempo, onde você fez uma regressão sugestionada de aproximadamente INAFÂNCIA em anos, lembrando-se exatamente as maneiras e costumes da época. O mais importante, é que desta forma estamos dando condições para provar nossa teoria que o tempo não existe, e que nossa vida é feita de momentos, como momento futuro, momento presente, momento passado, isto nos alicerça para afirmar que o ser humano passa por mutações de uso e costumes, mais não existe evolução dentro da mesma genealogia, sendo sempre constante com a capacidade intelectual estável, as vezes sofrendo ate interferência do meio. O que podemos perceber é uma evolução tecnológica, que nada mais é que o meio do homem sendo substituído por maquinas, adaptadas para produções mais rápidas e de melhor qualidade. Mais se o homem evoluiu tecnologicamente, por que ele não substitui as maquinas por mais homens ? O HOMEM E AS DROGAS Esboçando a figura do homem como criatura humana, classifico-o à minha semelhança como sendo um processador de alimentos que transforma este em energia, descartando os dejetos inutilizados, que realiza processos químicos, e possui um campo de força, sendo dotado de capacidade intelectual e raciocínio. Se o homem
  21. 21. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA funciona como uma maquina perfeitamente projetada esta sujeito as influencias do meio, como a utilização de insumos que não fazem bem a sua estrutura, seja ela corporal ou mental. Podemos observar que aquele que adota o vicio com parte de sua vida, e depois não acha saída para sua libertação é provavelmente um fracassado, pois o homem que não tem controle sobre os seus anseios, seja por álcool, cigarro ou outras drogas, não tem condições de ser auto suficiente, e acaba vivendo uma droga de vida. Aquele que encontra-se dependente de droga consegue se libertar se necessariamente estiver determinado a atingir ao objetivo de tornar-se abstêmio. Dizem os conhecedores da matéria que não existe cura total para as drogas, usando sempre a denominação de abstêmio, e ignorando o ex dependente. Isto é muito relativo, e tenho aqui o depoimento de um cliente que comprova. Em meados de 1988, um homem que tinha o habito da bebida alcoólica à mais de vinte anos resolve parar de beber. Fazendo algumas tentativas frustradas, ele consegui parar no prazo máximo de três meses, mas acaba retornando ao vicio. Mais em certa data, esta pessoa, sob o efeito do álcool, praticou alguns atos que marcaram profundamente sua família, e com esta passagem o sujeito optou por nunca mais retornar ao vicio. Passaram-se aproximadamente cinco anos, e esta pessoa resolveu fazer um teste novamente com a bebida, passando então a ingerir cerveja, dosada e gradativamente, ficando todo o tempo atento aos resultados. Conseguiu beber sem se embriagar, e não tentou mais durante muitos anos. Portanto, com isto, concluo que a recuperação das drogas, bebida, cigarro, e outros, em alguns casos são perfeitas, ficando o individuo readaptado para o uso dosado (se necessário), sem a recaída. PSICOGRAFIA, ESPIRITISMO E CIÊNCIA A psicografia, segundo a doutrina espírita, tratasse de uma entidade que se manifesta e incorpora uma pessoa com dons mediúnicos, e através desta, manda mensagens para o mundo terreno. É comprovado que esta pessoa, com tais dons, esta sugestionada a receber a psicografia, e com caneta e papel na mão é preparada para a sessão. E esta, em contato com as demais pessoas que estão à mesa em perfeita harmonia, com polaridade inversa, se inspira e passa a psicografar, retratando as vezes assuntos adormecidos em seu subconsciente, ou no subconsciente de outras pessoa. Quanto aos dons mediúnicos, entendo como pessoas pré-sugestionadas, para as conscientes, e estado de êxtase ou alfa, para os inconscientes, em contato com os elementos de polaridade inversas ou iguais, passando caso a caso com inspirações diferentes, aflorando no subconsciente e nas polaridades iguais, às vezes sem manifestação. AS CRENÇAS O homem em seu limite, o dogma, as doutrinas religiosas, as sociedades, o homem em comunidade, o ser humano desde os primórdios necessita sempre ser liderado. O homem que não acredita em nada não vai a lugar algum. É notório e sabido que desde o principio dos tempos o homem procura um Deus para poder acreditar. Mais nobre gesto da raça humana perante Deus, brilhante para os representantes de Deus na terra. O ser humano é dotado de varias necessidades, uma delas é poder contar com Deus dentro de suas necessidades, orando, clamando, fazendo caridade, freqüentando igreja, fazendo o bem. Partindo dessa premissa temos dentro da
  22. 22. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA população humana varias doutrinas religiosas, e no homem à necessidade de optar por esta ou aquela doutrina, e estabelecer um elo de contato com Deus através de reza, oração e até mesmo do silencio, dando a Deus formas diversas de acordo com o conceito de cada um, pois desde o principio dos tempos o homem tem esta necessidade de acreditar em algo superior e inexplicável. Toda pessoa que acredita em Deus, recorre a ele em seus apuros, seja financeiro, pessoal ou familiar, e ele com certeza tenta atender a todos de acordo com intensidade da credibilidade de cada um. Mas como esse Deus se manifesta e sente a intensidade de fé de cada um? Através da fé depositada no coração do individuo que recorre a ele, sabendo que o homem é capaz de atingir qualquer objetivo tendo Deus em seu coração, e que terá esta força aumentada com a junção de outras pessoas, fortalecendo a credibilidade do primeiro. A CONSCIÊNCIA Desta forma, atingimos um deslocamento mental temporário, e com estas perguntas e respostas o individuo passa a raciocinar e aceitar novos valores, o abstrato passa a ser palpável e o real passa a ser imaginário, onde pensamentos e ideias entram em conflito de certo ou errado. Mas com bases positivas, neste estado de consciência entramos num estado de consciência consciente, talvez confuso, porem com certeza inusitado, porque nunca o individuo indagou a si mesmo sobre alguns capítulos da vida. O universo contém todas as coisas, mais não contém a reflexão do que nunca foi imaginado, como o louco procura o perigo, como uma criança inocente que descobre o mundo. Acácio... MUNDOS DIFERENTES Dentro desta esfera terrestre existem vários mundos, colocando em primeiro plano os extras terrestres, o homem que foi a lua, o mundo dos espíritos, a verdade dos loucos, a mitologia, a magia. Num segundo plano notamos um mundo onde todos trabalham, participam de escolas, adquirem bens, casam, criam filhos, procuram o aprimoramento social, pagam seus impostos, clamam a Deus, e acreditam sempre em dias melhores. Com esta comparação, alicerça-se à tese, em que o homem é levado a acreditar em mundos que servem de ilustração à sua imaginação, perdendo espaço ao mundo da realidade, que é a viga mestre a seu aprimoramento moral e social. Este segundo plano deveria ser o primeiro, mais na realidade é o segundo, podendo numa escala cronológica ser o terceiro, quarto, quinto e infinitamente, porque é normal e não existe novidade aparente, mais na realidade é o plano que deveria estar em primeiro lugar, pois este é constituído de coisas palpáveis. Acácio... MOMENTO DE REFLEXÃO Um homem de quarenta anos, plano de consciência e discernimento; Hoje com toda vivencia, percebo que tudo que eu achava certo, não estava certo, mais nem por isso, com a certeza de que é certo hoje, posso estar certo. Acácio...
  23. 23. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA PRISÕES SEM FERRO Numa reflexão interna na busca de orientação do meu eu como podemos mudar, na pequena trilha, vem pequenas soluções. Observando o universo e como este rege todas as coisas considerando que a realidade é a própria verdade. Pedra será sempre pedra, madeira sempre madeira, humanidade sempre humanidade, esta ultima muito é frágil, violenta, não segue o curso do universo ou pelo menos não tenta está trajetória, salvo algumas exceções.. Parte destes lêmures, humanos, ou simplesmente bios, provenientes de uma minúscula partícula como se uma ameba fosse chamada geração, é a própria natureza se manifestando com a paz que deveria ser impar para os humanos, mas o ódio corrompe, traz as grandes disputas pelo poder. Comparando o lado bom com as flores, o lado espiritualizado dos seres humanos como se flagrância fosse, beleza e sensibilidade, equilibradas serão sempre flores, tendo seu ciclo sempre balanceado na vivencia de um ser espiritualizado. Mas as partículas humanas e suas variáveis, em diversos níveis destoam de caráter, entendimento, ódio, inveja e chegam a encarcerar a própria humanidade, até não haver simpatia entre humanos um pelo outro, mas haverá sempre possibilidades de amizade e amadurecimento em uma parcela destas pessoas e em outra parcela a destruição e a maldade a infelicidade. Ser ou não ser eis a questão, o que somos pra que viemos, qual a nossa missão. A verdade absoluta não existe assim como mentira, pois toda mentira tem um fundo de verdade, como toda a verdade tem aspectos de mentira, pois senão não seria a verdade. Existira um dia quem sabe uma majorante de verdades que predominaram sobre os aspectos positivos de nossas vida, quer nos aspectos do amor, fraternidade, amizade, família, relacionamento, ou seja a pureza da alma desintoxicada. Até que cada ser dotado de inteligência, tornem conscientes de si, sendo que para um fator maior será necessário o "desejo de ocorrer ou não a mudança". Quando se nasce neste orbe, traz-se lições de aprendizado; na realidade uma espécie de programação (DNA) que é o resultado de uma linha genealógica entre todos descendentes, não importando a cronologia, pois está variável também é um elemento de base não totalmente verdadeira. Quando os entes familiares buscam a evolução, o ápice, a qualidade de vida sem interferência em seus pares teremos problemas minimizados, mas quando esta afetividade tem relação ao poder do vio metal haverá problemas que se transformarão em outros mais graves, até a crise final, nesta seara as chances de mudanças se tornarão muito apertadas. Há aprendizados em vários campos: material, emocional, mental, é assunto amplo e irrestrito. Observe que ninguém quase se dá conta de que pertence ao mesmo planeta e seus aprendizado, quer no aspecto físico no seu eu interior, físico, alma ou espírito, e na hora de sentir a necessidade de abstrair um bem para si próprio esta intensidade determina que bío aperta um botãozinho Starter, “visando o egocentrismo”.
  24. 24. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA As profissões são vínculos sagrados, que nos enobrecem e cultivam o bem do nosso corpo e alma, são o ganha-pão mas também a forma de ajudar a grande comunidade humana, propiciando condições de interação entre vidas. Intuitivamente escolhem aquilo que precisa fazer bem feito, e muitos destes humanos esqueceram-se da satisfação de viver harmoniosamente, com amor, felicidade, escravo do seu próprio cárcere podendo ate eternizar nesta prisão psicológica, atento a isto pode não dar tempo de voltar atrás e ser feliz, por coisa banais. Onde moramos chama planeta terra ou parte de nós somos celestiais. A humanidade está insana e doente, esqueceu-se o lhe coube. A inteligência, então, busca caminhos muito difíceis, bem distantes da simplicidade dos ciclos da natureza. É preciso reverter o nível de insanidade humana dentro de cada um de nós, nas atitudes, palavras, pensamentos. Muitos Mestres encarceraram em seus mundo, neste cárcere a que chamam de terra se isolando da célula mater humanidade.Qual foi esta contribuição? Trouxeram o mesmo discurso, e isso todos já sabem, já não é hora então de rever, desejar mudanças, ver um mundo diferente, nesta terra de humanos, como seres inteligentes que pensamos que somos. Estamos preparados para o Celestial. CAPITULO ...... PREPARAÇÃO DE OBREIROS “Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, do qual Jesus Cristo é a pedra principal”(Efésios 2:20) COMUNIDADE CRISTA A LUZ DO MUNDO Amado irmão em Cristo, Antes de subir aos céus Jesus nos deu um comando (Mateus 28:18-20). Ele nos ordenou a fazermos discípulos, introduzindo as pessoas no reino, também salientou a necessidade de ensiná-los a guardar todas as coisas que Ele havia ordenado. Isto é o Caminho, aprender e ensinar a viver conforme Jesus viveu. Este material foi compilado para fundamentar seus primeiros passos em direção ao alvo eclesiástico, uma ferramenta da igreja para formação de obreiros fiéis. Todo material que está aqui é de suma importância para os que almejam ao ministério, pois diz respeito às bases da nossa fé... NO QUE CREMOS! Não nos preocupamos em aprofundar teologicamente os temas, a fim de deixar a essência da Escritura bem clara e direta, para que todos possam compreender e guardar estas palavras no coração. A Igreja não necessita de um ensino acadêmico intelectualizado, necessita de prática cristã. (1Co1:18-31;2:1-16) Deus nunca vai nos examinar com base em nosso conhecimento bíblico, Ele vai nos perguntar como vivemos. A doutrina deve apontar sempre para a prática da vida dos discípulos (Tt 2:1-15). Que esta compilação o ajude a estar preparado para “toda” boa obra. Deus o Abençoe, rica e poderosamente. Na Paz de Jesus Cristo!
  25. 25. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA “Lembra-lhes que se sujeitem aos que governam, às autoridades; sejam obedientes, estejam prontos para toda boa obra. Aconselhe que não falem mal de ninguém, mas que sejam calmos e pacíficos e tratem todos com educação”. (Tito 3:1-2 ) ORIENTAÇÕES 1. Antes de ler esta apostila, procure ter um tempo de oração a sós com o Senhor. Peça - O que o faça entender as verdades da Sua Palavra. 2. Marque em sua Bíblia, com um Lápis ou caneta luminosa todos os textos aqui citados, isso o ajudará a encontrá-los em ocasião oportuna. 3. Sempre que não compreender algum tópico, procure esclarecimento com os líderes da Igreja. 4. Lembre-se, a bíblia não é só mais um livro espiritual, ela é a expressão viva da verdade e da vontade de Deus para nossas vidas. 5. É com a ajuda do Espírito Santo de Deus, que vivifica a Palavra em nossos corações, que podemos conhecer um pouco mais a cada dia, as virtudes do nosso Senhor. NÃO BASTA LER COM ATENÇÃO...É PRECISO INTENÇÃO ! “Toda base da obra, se alicerça primeiramente em obras sociais, bem aventura o homem solidário, o templo só se edificara com irmãos e obreiros tendo satisfeitas a suas carências” ORIENTAÇÃO SISTEMATICA 1 – INTRODUÇÃO 2- O OBREIRO E A CHAMADA PARA O MINISTÉRIO 3 - O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES 4 - O OBREIRO COMO LÍDER 5 – OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL 6 - O OBREIRO E AS ATIVIDADES MINISTERIAL 7 - O OBREIRO E O ESTATUTO DA COMUNIDADE CCLM 1 – INTRODUÇÃO “Este ensinamento é verdadeiro: se alguém quer muito ser LÍDER na Igreja, está desejando um trabalho excelente”. (I Timóteo 3:1- NLH) Este conteúdo simplificado visa proporcionar a todos que almejam ingressar na Comunidade Cristã a Luz do Mundo ou em outras denominações como líderes, informações básicas que lhes possibilitem desempenhar atividades relacionadas ao Ministério de modo que possam contribuir para o crescimento do Reino de Deus entre os homens, e para a edificação da Igreja – o Corpo de Cristo (Ef 4.15,15).
  26. 26. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA Na raiz da palavra OBREIRO, está a designação máxima da vida Cristã, “OBRA” (do latin opera = trabalho). No Dicionário Aurélio encontramos a tradução: “Aquele que colabora na realização de uma idéia, plano, campanha ou missão”. Desde que Deus criou o homem, ele tem demonstrado a necessidade de Seu povo ser conduzido por líderes (Gn 1.26-30). Apesar da fraqueza do homem e do fracasso de alguns, a verdade bíblica sobre o propósito de Deus não pode ser anulada. A Igreja vista como um organismo composto de membros com funções (dons) e necessidades diversas, requer uma administração criativa que possibilite a expressão destas funções, bem como a criação de mecanismos, onde cada necessidade daquele corpo de crentes possa ser suprida. Com isto, almas perdidas terão uma oportunidade válida de conhecer o plano de salvação. A criação de departamentos e ou ministérios específicos na Igreja, voltadas para dar oportunidade a cada cristão de exercer um tipo eficiente de trabalho conforme seus talentos é uma forma dinâmica, bíblica e comprovada, de funcionamento da Igreja, que, de fato, glorificam a Deus prioritariamente, e como conseqüência, suprem as necessidades do corpo. Ao mesmo tempo criam um senso sadio de realização pessoal no serviço sagrado, quanto à vocação de cada crente diante de Deus. Melhor de tudo, é que Deus é grandemente glorificado através de um crescente número de almas salvas, acompanhadas e edificadas num discipulado sério e constante. 2- O OBREIRO E A CHAMADA PARA O MINISTÉRIO 2.1- Tipos de chamada – em todas as questões do ministério, a primeira de todas as perguntas que se faz, é se o obreiro foi realmente chamado por Deus para o ministério. Muitas pessoas têm experimentado o “caos espiritual” porque se fizeram simplesmente “obreiros profissionais”. 2.1.1 - Chamada Universal – há um sentido em que todos os crentes são chamados para a obra, e essa chamada se caracteriza pelo amor as almas e por um intenso espírito de evangelização (Lc 19.10; Mc 15.16 e Rm 10.18). 2.1.2 - Chamada Específica – certas pessoas, porém, são chamadas e escolhidas pelo Senhor para servirem de modo definido e marcante. Comparando a Igreja do Senhor como um grande exército, torna-se necessário uma variedade de ministérios, como: pastores, evangelistas, missionários, diáconos, intercessores, mantenedores, professores, porteiros, visitadores, líderes, e muitos outros, todos “obreiros” na obra de Deus. Cada crente tem o seu trabalho que é “determinado pelo Senhor”, e é um privilégio receber a tarefa específica dada pelo Senhor (Jo 15.16; Ef 4.15,16); 2.1.3 - Variedades de ministérios – assim como um corpo precisa de uma variedade de membros para funcionar em harmonia, a Igreja do Senhor, como um corpo, mantêm o mesmo princípio (Rm 10.15; 12.4-8; Ef 4.8,11; ITm 3 e Ex 31.6); 2.1.4 - Ministérios falsos – concluímos que existem pessoas que escolhem o ministério como profissão (Lv 10.1-3), para adquirir prestígio (Nm 16.1-3), e pelo simples prazer de querer ser. (IISm 18.22; Ez 3.3,6).
  27. 27. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA 2.2 - Modo da Chamada – como pode alguém saber que está sendo chamado por Deus para o ministério? Como evitar o erro de Aimaás “o corredor” (2Sam 18:19-33), Nadabe e Abiu (Lev 10:1-2)? Como não se tornar um empecilho para os outros? A chamada divina se caracteriza pelos seguintes aspectos: 2.2.1 - Conceito espiritual – ICo 2.14; Is 30.21 2.2.2 - Iniciativa divina – Jo 15.16; Is 19.19; Am 7.14,15 2.2.3 - Direção do Espírito Santo – At 16.6-10 2.2.4 - Aptidões naturais – eloqüência, desenvoltura, etc 2.2.5 - Sensibilidade espiritual – IICo 3.5 2.2.6 - Reconhecimento pelos outros – colegas e líderes, etc. 2.3 - Qualificações para a Chamada 2.3.1 - Novo Nascimento – Jo 3.3; ICo 2.14-16 2.3.2 - Revestimento de poder – Lc 24.47-49 3.2.3 - Andar com Deus – At 3.12 2.3.5 - Educação – At 7.22 2.3.4 - A Escola da experiência – IICo 1.4,5 2.3.6 - Humildade – ICo 1.27-29 2.3.7 - Conhecimento bíblico – Mt 2.7 2.4 - Exigências para a chamada 2.4.1 - Qualificações naturais: a) Coragem – At 19.30 b) Diligência – Rm 12.8,11; ITm 1.15 c) Tato – IITm 4.1,2; ITm 5.1,2 d) Discrição – ITm 6.11 e) Cortesia – IPe 3.8 f) Asseio – Mt 5.37; Tg 5.12 g) Pontualidade – Mt 5.37 h) Responsabilidade – Jr 48.10 2.4.2 - Qualificações espirituais: a) Amor – Jo 15.12 b) Fé – Hb 11.6 c) Santidade – Is 52.11; Hb 12.14 d) Humildade – Mt 11.29 e) Paciência – Tg 5.7 f) Espírito perdoador – Lc 23.34 g) Distrações – IITm 2.4 2.5 - O Obreiro e sua vida pessoal – Um obreiro seja verdadeiramente espiritual em público. 2.5.1 Quando casado a) Ter um lar padrão – ITm 3.4,5 b) Criar os filhos à luz da Bíblia – Ef 6.6 c) Liderança e sujeição – Ef 5.22-30
  28. 28. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA 2.5.2 - Quando solteiro ou noivo a) Cuidar das coisas do Senhor – ICo 7.32 b) Ser exemplo dos fiéis – ITm 4.12 c) Fugir da prostituição (vários parceiros)– IITm 2.22 3 - O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES 3.1 - Obreiros (IITm 2.15) - são servos escolhidos segundo os critérios da Palavra de Deus, consagrados pelo Ministério da Igreja , mediante prévia aprovação do mesmo. A exemplo dos líderes, conforme preconiza a Bíblia, devem se consagrar ao serviço dos santos, sendo bons cooperadores na obra (ICo 16.15,16), suprindo as necessidades que surgirem em qualquer área da Igreja que necessite da atuação dos mesmos (ICo 16.17). Os obreiros serão submetidos a um período de experiência (I Tim 3:8-13), após o qual poderão ser conduzidos, ou não, para exercer efetivamente o seu encargo ministerial. 1 - Moral - de boa conduta (At 6.3) 2 - Espiritual – cheio do Espírito Santo (At 6.3) 3 - Intelectual – cheios de sabedoria (At 6.3) De acordo com as normas de ITm 3.8-13, o obreiro deve ser: a) Conservador do mistério da fé; b) Experimentado; c) Governar bem a sua casa; d) Irrepreensível; e) Não cobiçoso de sórdida ganância; f) Não maldizente; g) Portador de uma consciência limpa; h) Responsável; i) Ser dizimista e ofertante; j) Ser fiel em tudo; k) Ser temperante; l) Sincero (de uma só palavra) 3.2 - Características básicas para o obreiro - O obreiro será um auxiliar direto do Pastor local, subordinado a um líder delegado por este último. Deverão primar pelo fiel cumprimento das ordens emanadas pela liderança da Igreja, auxiliando, da melhor forma possível o Pastor local na condução da obra de Deus. Os obreiros terão também, entre outras atribuições que lhe forem delegadas, as seguintes missões. 3.3 - Atribuições do obreiro: a) Chegar antes do início do culto para verificar as condições e toda a estrutura de arrumação do templo (cadeiras, luzes, banheiros, ventiladores, som, arrumação do púlpito, etc), tomando todas as providências, dentro de sua esfera de atribuições, para que o trabalho seja iniciado no horário previsto; b) Estar em condições de iniciar o culto, no impedimento do Pastor local, ou da pessoa por este designada; além de realizar orações, ou trazer uma reflexão acerca da Palavra de Deus, em ocasiões especiais; c) Receber, de maneira Cortez e alegre, todos os irmãos e visitantes que adentrarem ao local do culto;
  29. 29. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA d) Impedir a entrada de animais, pessoas em visível estado de embriaguez, pessoas que demonstrem a nítida intenção de desviar a atenção dos demais presentes, ou pessoas que demonstrem explicitamente o desejo de atrapalhar o bom andamento do culto; e) Coibir qualquer pessoa que venha causar transtorno na boa ordem do culto, procurando, se for o caso, retirá-la da nave principal do templo, sempre da maneira mais polida e discreta possível; f) Coibir pessoas, que estejam sem motivo justificado, do lado de fora do templo durante os cultos, de maneira cordial, porém, enérgica, principalmente quem se apresentar em conduta que desabone o testemunho como cristão; g) Nos momentos de oração, quer seja pelos que estão se convertendo, ou pelos membros da Igreja, deverão dar a devida cobertura a quem está à frente do trabalho, impondo as mãos sobre o público alvo e conduzindo-os para o local que lhes for determinado; h) Deverão, quando do término da reunião, fiscalizar e auxiliar a devida arrumação do templo, bem como a guarda de qualquer material que deva ser recolhido, acionando os responsáveis para tal; i) Auxiliar a administração da Igreja no sentido de que haja a maior economia possível quando aos gastos com água, energia elétrica, telefone, bem como contribuir ativa e passivamente com a segurança do templo; j) Deve ser alguém com maturidade espiritual, pronto a respeitar e acatar ordens da liderança superior. k) Deve fazer bom uso da comunicação de informações; l) Deve se limitar a decidir dentro do poder e área que lhe foram delegados, sem criar conflitos com outros departamentos ou com os propósitos explícitos da Igreja. 4 - O OBREIRO COMO LÍDER 4.1 - Princípios Específicos 4.1.1 – Planejamento: trabalho 4.1.2 – Organização: tempo e recursos 4.1.3 – Integração: tarefas 4.1.4 – Motivação: equipe de trabalho 4.1.5 – Avaliação: resultados 4.1.6 – Alvos: realistas para atingir objetivos 4.2 - Características Básicas 4.2.1 - Interesse pelos outros 4.2.2 - Identificação com os outros 4.2.3 – Perspectiva: visão dos problemas 4.2.4 – Prioridades: a importância do trabalho 4.2.5 – Propósitos: estabelecer alvos para sua liderança
  30. 30. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA 4.3 - Perfil Social 4.3.1 – Integridade: caráter reto e princípios morais 4.3.2 – Convicção: fundamentos da fé em Deus para realizar a sua obra 4.3.3 – Lealdade: ao Senhor, superiores e liderados; 4.3.4 – Estabilidade: confiabilidade e capacidade de domínio de circunstância 4.3.5 –Discernimento: conhecimento dos fatos, consciência do que precisa ser feito, e desenvolvimento de plano de ação 4.3.6 – Tato: capacidade de lidar com outros sem ofender 4.3.7 – Conhecimento: da tarefa, das nossas forças e dos nossos pontos fracos, procurando sempre melhorar 5 – OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL 5.1 - Ética nas Relações Eclesiásticas 5.1.2 - Em Relação à Igreja a) manter-se leal ou solicitar desligamento caso haja discórdia (Rm 14.22); b) jamais fazer críticas à mesma publicamente (ICo 6.1-9); c) esforçar-se para promover o seu desenvolvimento (At 2.41-47); d) conhecer a história sua história e seus objetivos principais e) como membro do Corpo de Cristo, tratá-la com estima (Ef 5.23); f) não se deixar levar por indivíduos ou facções (IPe 5.1-3); g) reconhecer o momento certo de se afastar de sua função quando perceber tal necessidade (II Tm 4.7); h) não fazer qualquer manobra política interna (I Co 10.23,31); i) acatar as deliberações da mesma (I Pe 5.2,3); j) ser cuidadoso no relacionamento com pessoas do sexo oposto, revelando pureza em seus gestos (Ec 9.8); l) manter o respeito para com os membros da mesma (Tg 3.2,8). 5.1.3 - Em Relação à sua Função a) ser fiel a Deus em tudo e em todo o seu trabalho (Ap 2.11); b) nos eventos fora da Igreja, portar-se com discrição e absoluta dignidade cristã (I Tm 5.1-15); c) não comentar com familiares assuntos confidenciais cuja divulgação seja pejorativa para a obra do Senhor (ITm 3.1-5); d) zelar pelo decoro do púlpito e pelo seu próprio preparo (IITm 2.15); e) acatar orientações e projetos prioritários da Igreja (Tg 4.6). 5.2 - Ética nas Atividades Ministeriais 5.2.1 - Em Relação aos Colegas a) zelar pela reputação de seus colegas, não, permitindo comentários desabonadores a seu respeito (Jo 15.17); b) não suscitar dúvidas no coração de seus colegas (Ef 4.13); c) cultivar junto aos colegas o hábito da franqueza, bondade, lealdade e da cooperação (Rm 12.9,17); d) não prestar falso testemunho contra o colega (Pv 6.19); e) restituir, quando prejudicar o colega não somente os bens materiais, mas, também, os morais e espirituais;
  31. 31. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA f) perdoar ao colega ofensor, mesmo que lhe seja de direito exigir justificação daquele que o ofende (Mt 6.12). 6 - O OBREIRO E AS ATIVIDADES MINISTERIAIS 6.1 - O Culto 6.1.1 - A direção do culto (saudação inicial, leitura e oração);conforme culto previsto, 6.1.2 - A palavra sobre ofertório (grupos familiares e reuniões extras); 6.1.3 - A Mensagem (salvação e edificação); 6.1.4 - A confissão de fé (decisão); 6.1.5 - Encerramento (oração final e bênção apostólica). 6.2 - A Santa Ceia 6.3 - O Batismo nas águas 6.4 - Outras cerimônias 6.4.1 - Casamento 6.4.2 - Apresentação de criança 6.4.3 - Ato fúnebre 6.4.4 – Visita a enfermos 7 - O OBREIRO A DECLARAÇÃO DE FÉ DA CCLM O vocabulário humano empregado nessa Declaração de Fé não é inspirado, nem assunto para discussão. Não consideramos que ela contenha todas as verdades da Bíblia, mas que engloba as verdades que essa instituição considera fundamentais. A BÍBLIA: É a Palavra de Deus em linguagem humana, inspiração verbal Sagrada imutável, a única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão, (II Tm 3:14-17; II Pd 1:20-21; I Pd 1:25; Jo 17:17) DEUS PAI: É único Deus vivo e verdadeiro é espírito pessoal, eterno, infinito e imutável; é o onipotente, onisciente e onipresente; é perfeito em santidade, justiça, verdade e amor. Em sua triunidade, o eterno Deus se revela como Pai, Filho e Espírito Santo, sendo três pessoas distintas mas sem divisão em sua essência. (Gn 1:1; Gn 1:26; Dt 6:4; I Jo 5:7). JESUS CRISTO: Se fez homem, gerado pelo Espírito Santo nascido de forma virginal, morrendo na cruz pelos nossos pecados e ressuscitando ao terceiro dia, subindo aos céus de forma vitoriosa e está assentado a destra de Deus. É o nosso advogado, nosso Senhor e nosso Salvador. (Ap 1:8; Ap 22:12-13; Co 15:1-8; Is 7:14; Rm 8:34; At 1:9) ESPÍRITO SANTO: É o “paracletos” de Cristo, derramado sobre os cristãos, estando desde a criação, habita naqueles que o obedecem. Estava sobre Jesus em sua trajetória terrena e concede aos seus servos, ainda hoje, para edificação, exortação e consolo da Igreja, Dons Espirituais; é o nosso ajudador, consolador e intercessor junto a Cristo. A evidência de sua presença na vida do cristão são os frutos por este produzido. (Gn 1:2; Rm 8:26; Jl 2:28; Lc 11:13; Mc 16:17; At 2:4; At 5:32; Co 12:1-11,31; I Co 14:40; Mt 7:16-20). DIABO: Cremos que Satanás já desfrutou das honras celestiais, mas, caiu e arrastou 1/3 dos anjos; é o grande tentador do homem, o inimigo de Deus, o acusador dos
  32. 32. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA santos, porém está destinado à derrota final nas mãos do Filho de Deus e a justiça eterna no inferno, lugar preparado para ele e seus anjos. (Is 14:12-15; Ez 28:14-17; Ap 12:9; Jd 6; II Pe 2:4; Ef 2:2; Jo 14:30; I Ts 3:5; Mt 4:1-3; Mt 25:41). HOMEM: Foi criado à imagem e semelhança de Deus formado de corpo, alma e espírito, possuindo livre arbítrio e pela sua desobediência foi destituído da presença de Deus, passando a morrer física e espiritualmente. (I Ts 5:23; Rm 6:23; Rm 3:23). IGREJA: É uma congregação local de pessoas regeneradas e batizadas mediante a fé em Jesus Cristo. É também reunião universal dos remidos de todos os tempos, estabelecida por Jesus Cristo e sobre Ele edificada, constituindo-se no corpo espiritual do Senhor, do qual ele mesmo é a cabeça. Sua unidade é de natureza espiritual e se expressa pelo amor fraternal, pela harmonia e cooperação voluntária na realização dos propósitos comuns do reino de Deus. (Mt 18:17; At 5:11; 20:17,28; I Co 4:17; I Tm 3:5; III Jo 1:18; I Co 1:2,10; Mt 16:18; Cl 1:18; Hb 12:22-24; Ef 1:22,23; 3:8-11; 4:1-16; 5:22-32; Jo 10:16; Ap 21:2,3) LIDERANÇA: Cremos, biblicamente no sacerdócio universal dos crentes, do livre exame da Bíblia e, portanto, do livre acesso a Deus, por meio de Jesus Cristo. Cremos que o Senhor provê homens para liderar/pastorear Suas igrejas, capacitando- os a pregar e ensinar a Palavra, sem mescla de erro, sem distorções, com fidelidade, dedicação, simplicidade e clareza. (II Tm 4.2-4, Ef 4.11; I Co 11:3). SALVAÇÃO: É a libertação do jugo do pecado e da morte, e o re-estabelecer de uma relação profunda com Deus. É concedida pela graça e através da fé em Jesus Cristo, não é obtida nem por mérito pessoal nem por boas obras. Deus oferece a salvação, não só para a vida presente, mas Senhor e Salvador. (Mc 13:13;Jô 15:2; Rm 6:18, 22-23; Ef 2:8-9; I Pe 1:4; Rm 8:21-23). PECADO: Ao errar o alvo e desobedecer a Deus, o homem passou à sua geração o pecado original, necessitando da salvação, adquirida mediante a graça e pela fé no sacrifício de Jesus Cristo, o único caminho para religar o homem a Deus. (Rm 3:22- 24,28; Ef 2:8-10; Hb 7:25;5:9; Jo 14:6). BATISMO: Cremos no batismo nas águas por imersão, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, como necessidade absoluta da publicação do seu novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do reino dos céus.(Mt 28:19; Jo 3:3-8). CEIA DO SENHOR: Como um memorial da morte, ressurreição e segunda vinda de Cristo, a qualdeve ser ministrada a todos aqueles que fazem parte do Corpo de Cristo, através da aceitação de Jesus Cristo como Senhor e Salvador e da comunhão com a Igreja Local. Momento de reflexão, confissão e arrependimento particular de cada cristão. (I Co 11:23-30) DÍZIMO: É a prática Bíblica de dar a Deus uma décima parte dos ganhos. O dízimo e as ofertas são são ordenanças do antigo pacto, contudo, debaixo da nova aliança, são uma expressão voluntária de adoração e submissão. Entregar o dízimo é uma amostra da adoração, fé e amor por Deus, o qual, é a Fonte de salvação e Doador de todas as coisas boas e de todo o dom perfeito. (Lv 27:30; Mt 23:23; Hb 7:4-14; 1 Cor 9:1-14) VIDA CRISTÃ: Cremos na necessidade e na possibilidade que temos de viver uma vida Santa a partir da Obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder
  33. 33. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA regenerador e Santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de cristo, mediante a separação do mundo. Aos mais fracos na fé, atenção especial, através da intercessão, exortação, e sobretudo ministração da Palavra de Deus, único instrumento capaz de curar o corpo, alma e o espírito do homem, mediante a confissão de pecados, arrependimento e da liberação do perdão a outrem. (II Co. 5:17, Tg 5:16; Hb 9:14; Gl 3:13-14; Jr 31:29-30; Ez 18:2; Rm 14:1-2; II Co 9:22; I Pe 1:15:16). FAMÍLIA: A família, criada por Deus para o bem do homem, é a primeira instituição da sociedade. Sua base é a aliança monogâmica duradoura, podendo ser desfeito pela falta de comunhão de idéias, luxuria, os devaneios, a ostentação dos pares, a morte, pela infidelidade conjugal contínua, o imutável ou a verdade não e absoluta, a evolução da humanidade e continua através dos tempos. O propósito imediato da família é glorificar a Deus e prover a satisfação das necessidades humanas de comunhão, educação, companheirismo, segurança, preservação da espécie e bem assim o perfeito ajustamento da pessoa humana em todas as suas dimensões. (Gn 1.27; 2.18-25; Js 24.15; 1Rs 2.1-3; MI2.15; Me 10.7-9; 13.16; Ef 5.22- 33; 6.1-4; CI3.18-35; 1Tm 3.4-8; Hb 13.4; 1Pe 3.1-7) ETERNIDADE: Cremos na vida eterna para os salvos e o tormento eterno após o juízo final para os que não creram em Deus. (João 11:25-26; Ap. 20:11-15). USOS E COSTUMES: Cremos que o costume varia segundo o povo, a raça, língua, cultura e tempo, portanto, não deve ser confundido com doutrina bíblica imutável. Devendo cada doutrina seguir seu caminho sem interferência de outras denominações. Fazer da observância de um costume condição para ser salvo é tornar ineficiente a graça de Deus. Não guardamos os sábados, as festas e não fazemos abstinências de alimentos (exceto bebidas alcoólicas) (Cl 2:20-23; Rm 14:6 - 10, I Tm 9-10; Mc 2:27; Jo 5:18; Cl 2:16-18). DONS: Cremos em todos os dons descritos nas Escrituras Sagradas e derramados pelo Espírito Santo sobre os Cristãos, desde o período da Igreja Primitiva até os dias de hoje. Devem ser procurados, com zelo e utilizados para edificação, exortação e consolo da Igreja. Sendo sempre aquele mais velho com maior tempo de obra para consagrar o obreiro dentro deste mistérios.(1 Co 14:1 33). ORDENAÇÃO DE SACERDOTES E PASTORES I PEDRO 5.4 E, quando se manifestar o sumo Pastor, recebereis a imarcescível coroa da glória. A palavra fala de Deus-Jesus como nosso Sumo Pastor. Ele é o pastor presidente. Os pastores da igreja sao seus auxiliares. JEREMIAS 3.15 E vos darei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência. Quem vai dar esses pastores? Deus. E que vai ordená-los? Homens que tem autoridade para isso. Veja o que Paulo diz a Timóteo I TIMÓTEO 5.22
  34. 34. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA A ninguém IMPONHAS precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro. Deus está falando para que ninguém imponhas as mãos precipitadamente sobre outro irmão. Mas diligentemente a palavra nos orienta que deve-se impor quando há respaldo da igreja para tal. Cada ordenação obedecera o tempo que manifestar a vontade de cada obreiro com resultado de sua obra, e neste momento será retirado de seu aprisco para auto exame de consciência, com carta de ordem de sua liderança ou na falta deste pelo sacerdote mais antigo, sempre autorizado por sacerdote ordenado aprovado pelo conselho reunido pelo pastor presidente. HEBREUS 13.17 Obedecei a vossos pastores, sendo-lhes submissos; porque velam por vossas almas como quem há de prestar contas delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Esta declaração tem apoio em textos expressos na Bíblia Sagrada, e tudo o que foi omitido remetemos para os princípios e preceitos claramente expressos nas Escrituras, considerando sempre a evolução dos tempos, Velho testamento, Novo testamento, ênfase pela ultima carta de Paulo. Atos dos Apóstolos – Capítulo 49 ” Última Carta de Paulo” pág. 501 – Ellen G. White Nesta sua última carta a Timóteo, Paulo expôs perante o obreiro mais jovem um alto ideal, apontando os deveres que sobre ele pesavam como ministro de Cristo. “Procura”, escreve o apóstolo, “apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” “Foge também dos desejos da mocidade; e segue a justiça, a fé, a caridade, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor. E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas. E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade.” II Timóteo 2:15, 22-26. O apóstolo advertia Timóteo contra os falsos mestres que se introduziriam na igreja. “Sabe, porém, isto”, escreveu, “que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos… tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.” II Timóteo 3:1-5. “Mas”, continuou, “os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, e que desde a tua meninice sabes as Sagradas Letras, que podem fazer-te sábio para a salvação. Toda a Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” II Timóteo 3:13-17. Deus proveu meios abundantes para o êxito na luta contra o mal que há no mundo.
  35. 35. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA Esta declaração tem apoio em textos expressos na Bíblia Sagrada, e tudo o que foi omitido remetemos para os princípios e preceitos claramente expressos nas Escrituras. MINISTERIO PASTORAL Um breve perfil geral sugestivo para as igrejas que estejam edificando templos ou vão estar em processo de sucessão pastoral. Obviamente, alguns critérios podem ser aperfeiçoados e outros podem ser aduzidos à lista segundo as peculiaridades e necessidades de cada igreja. Dificilmente uma igreja encontrará um pastor que atenda inteiramente os critérios traçados. Por isso, o perfil não deve ser um documento que engesse e limite demais o trabalho da comissão ou da igreja, impedindo-a de ter um pastor que, eventualmente, não atenda algum dos quesitos. O perfil serve apenas de parâmetro básico para ajudar a igreja a acertar na escolha. Devido a grandes problemas enfrentados por igrejas e os diversos desvios a que muitas delas estão sendo levadas, com perda de membros e patrimônio, os cuidados abaixo resguardam a igreja. Ainda que o escolhido atenda aos requisitos mencionados, não há plenas garantias de que as coisas darão certo, mas a chance de uma escolha equivocada diminuirá. PERFIL 1. Que demonstre claras evidências de um cristão convertido, tenha razoável experiência, tempo de vida cristã e convicção de chamada divina para o pastoreio (1 Timóteo 3.6); 2. Que seja formado, pelo menos, em Teologia por uma instituição reconhecidamente da CCLM em curso pastoral ; 3. Que seja afiliado e esteja em dia com a Ordem dos Pastores da CCLM de seu campo; 4. Que seja preferencialmente livre e de bom costumes, casado, solteiro; determinado a seguir um só senhor ou líder; 5. Que seja, de preferência, ideologicamente seguidor de uma doutrina;e tenha sua casa como a verdadeira casa de cristo, 6. Que demonstre capacidade de trabalhar em equipe e se mostre um líder democrático, capacitador, exemplar, participativo e de fácil relacionamento. E, se não tiver o dom da administração, saiba, no entanto, humildemente, contar com a ajuda de pessoas balizadas para tanto (1 Pedro 5.3); 7. Que demonstre interesse em prosseguir seus estudos após sua formatura em Teologia, bem como evidencie seriedade e profundidade na preparação de seus sermões e estudos para a igreja (1 Timóteo 3.2);
  36. 36. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA 8. Que tenha seu nome limpo nos órgãos de proteção de credito, tribunais, tenha bons antecedentes e esteja adimplente nas instituições nas quais estudou ou das quais se beneficiou (1 Timóteo 3.7a); 9. Caso tenha exercido o cargo em outro ministério enquadre-se na doutrina do novo Ministério pautado nos princípios da Igreja Primitiva, tenha mantido sua igreja fiel em suas contribuições missionárias e no programa de cooperação denominacional e que a igreja tenha experimentado progresso; 10. Que comprove o exercício fiel do ministério em seu último pastoreio e integridade profissional na última instituição na qual atuou; 11. Que tenha, preferencialmente, sua família nuclear integrada na igreja e evidencie cuidado com ela (1 Timóteo 3.4); 12. Que assuma compromisso, por escrito, de se manter fiel às doutrinas e princípios CCLM e de, dignamente, se desligar da igreja, sem provocar divisão ou se apropriar do patrimônio, caso venha assumir uma posição diferente dos documentos norteadores do pensamento do Conselho da CCLM (Tito 1.9). Alguns quesitos são aparentemente subjetivos e de difícil constatação, no entanto, podem ser verificados ou levantados na entrevista com o candidato, pelo testemunho de pessoas idôneas que conviveram com ele e acompanham sua trajetória ministerial. Seja a promessa bíblica uma realidade na vida das igrejas que buscam um pastor que venha de Deus: “E vos darei pastores segundo o meu coração, que os apascentem com conhecimento e sabedoria” (Jeremias 3.15). DEUS 1-Qual a forma que tem Deus? R-A forma que você imaginar. 2-Qual igreja aceita por Deus? R-Todas que falem de Deus. 3-Deus faz milagre? R-Desde que o individuo acredite. 4-Deus esta em que lugar? R-Em todo lugar que acreditem nele. 5-Qual a semelhança de Deus? R-De todos os homens mulheres e crianças. 6-Como Deus se manifesta?
  37. 37. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA R-Na consciência de cada um. 7-Em que plano esta Deus? R-Em todos os planos sem distinção. 8-Qual a semelhança de Deus ? R-A sua semelhança 9-Do que Deus é capaz? R-De tudo que você for e mais. 10-Deus tem necessidades? R-As necessidades do homem. 11-Deus criou o mundo? R-Da mesma forma que os homens criam as coisas. 12-Deus destruiu o mundo através do dilúvio? R-Foi o homem que procurou a destruição. 13-Quem será salvo por Deus? R-Todos que acreditam na sua salvação. 14-Porque Deus é onipotente? R-Porque ele esta com todos que acreditam nele. 15-O que é Deus? R-A bondade, amor, caridade, fraternidade, tudo que é bom para todos. 16-O que é pecado? R-É tudo aquilo que vai contra os princípios de Deus. Acácio... Capítulo n.º II 1. FILOSOFIA DA RELIGIÃO 2. PSICOLOGIA DA RELIGIÃO 3. PSCOLOGIA PASTORAL 4. DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR 5. HISTÓRIA DAS RELIGIÕES MUNDIAIS 6. CULTURA E CIVILIZAÇÕES 7. CULTURA RELIGIOSA
  38. 38. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA FILOSOFIA DA RELIGIÃO 1.Como entenderemos se revelação fica acima da razão, ou a razão fica acima da revelação? R-As duas andam juntas, pois a bíblia tenta demonstrar as ocorrências religiosas da época,sem nenhuma base cientifica, enquanto a razão tem sua viga mestra na teoria, portanto são linhas eqüidistantes, que fundamentam a existência do mundo de Deus. 2. A metafísica choca-se com a teologia? Por que ? R-Sim, pois ambas procuram determinar a regra de comportamento, “Fundamento do pensamento”. 3. Acredita que Deus e mal são logicamente incomputáveis? R-Sim, porém existe espaço do bem e do mal, mais subsistem juntas, porque para o homem conhecer o bem e o mal, tem que distingui-los. 4. Barth acreditava que o homem caído era incapaz de conhecer à Deus transcendentemente santo e que todas as tentativas de se chegar a Deus mediante a razão são fúteis. O que acha destas colocações? R- Que há fundamento da parte lógica, porém o homem caído (pobre) também pode chegar a Deus, a maior prova é que a maioria da população da terra é composta de pobres. 5. Como entende e justifica algumas ordens terríveis de Deus, como a que se encontra em Êxodo 32:27; “Mate cada um a seu irmão, cada um a seu amigo, e cada um a seu vizinho”? R- Isso é para verificar a fidelidade de cada um, com Deus. 6. Como explica o fato de alguns nascerem perfeitos e outros aleijados, cegos ou portadores de outras mazelas? R- Cada um tem a carga que merece, portanto se um homem veio com um defeito ao mundo, foi para ensinar ao seu espírito a aceitar e torna-se sereno, conforme as normas do mundo. 7. Concorda com Agostinho que “a fé é o caminho do conhecimento”? Por que? R- Sim, porque só o homem preparado para ter fé está preparado para aceitar os reveses da terra. 8. Concorda com Barth que Deus “é totalmente outro” e que só pode ser conhecido através da revelação divina? Por que ? R- Não, Deus é tudo e todos, e a revelação divina está presente à todos os momentos. 9. Concorda com Kierkegaard que a “mente humana é totalmente incapaz de descobrir qualquer verdade divina”?
  39. 39. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA R- Não, o homem sábio nem sempre é o homem santo. 10. Concorda com Kierkegaard, que “não importa ao individuo a verdade objetiva racional, mas a verdade subjetiva da fé”? R- Não, no aspecto que não importa a verdade subjetiva da fé, e sim a verdade objetiva racional. 11. Concorda com Strauss que o “mito é essencial à essência da religião”? R- Sim, pois se não existir o mito a imaginação não transcende. 12. Defina a expressão “A Posteriori”. R- Que esta depois do ulterior. 13. Defina a expressão “A Priori”. R- O primeiro ou ainda ä prior”, o pároco de certas freguesias. 14. Defina a expressão “A Fortiori”. R- Eventual ou ainda á “forti”, forte pequeno. 15. Defina Antinomia R- Oposição recíproca. 16. Defina Apologética. R- Discurso de defesa a louvor (parte da teologia), destinada a defender a religião contra ataques de adversa. 17. Defina Atomismo. R- Diz ser os corpos formados de átomos. 18. Defina Axiologia. R- Estuda a noção do valor geral. 19. Defina determinismo. R- Teoria onde todos os fatos são considerados com conseqüência necessária de condições antecedentes. 20. Defina Dialética. R- Argumentação dialogada ou teoria hegeliana que no universo tudo é movimento de transformação e as idéias determinam a transformação da matéria. 21. Defina Dogmática.
  40. 40. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA R- Parte da ciência que tem objetivo os seus fundamentos. 22. Defina Dualismo. R- Teoria que tem por base que tudo existe tem dois princípios, “Deus e o Mundo”. 23. Defina Empirismo. R- Sistema filosófico que nega a existência de axiomas como principio de conhecimento. 24. Defina epistemologia. R- Teoria da ciência da origem, natureza e limites de conhecimento. 25. Defina Fenômenogia. R- Ramo da ciência a qual trata da descrição e classificação de seus fenômenos. 26. Defina Fideismo. R- Doutrina segundo o qual as verdades metafísicas, morais e religiosas são acessíveis apenas mediante a fé, e não mediante a razão. 27. Defina Filosofia. R- Estudo geral sobre todas as coisas e suas relações entre si, os valores, os sentidos, os fatos e os princípios gerais da existência. 28. Defina Filosofia da Religião. R- Estudo do sentimento do consciente de dependência e submissão que liga a criatura humana ao criador. 29. Defina Monoismo. R- Sistema que pretende reduzir o Universo a um único domínio, o da substância, cujo atribuímos inseparáveis são a matéria e a energia. 30. Defina Nihilismo. R- Redução a nada “Seita Russa” que preconizava a destruição da ordem social estabelecida sem se preocupar de substituir por outra. 31. Defina Ontologia. R- Emprego de processos ontológicos (metafísico) de raciocínio filosófico. 32. Defina Panenteismo. R- Sistema filosófico que identifica Deus com o mundo.
  41. 41. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA 33. Defina Pluralismo. R- Doutrina ou sistema que admite a coexistência de mais de um ou dois princípios ou substancias ultimas. 34. Defina Relativismo. R- Doutrina segundo o qual todo conhecimento é relativo. 35. Defina Tautologia. R- Vicio de linguagem, que consiste repetir o mesmo pensamento com palavras sinônimas. 36. Deus interfere na Historia, modifica-a, ou entregou aos homens as rédeas da Historia? R- Deus não interfere na historia, e modifica, entregou aos homens as rédeas pois tudo o que temos noticias são através de escrituras. 37. Em que sentido Deus “cria o mal”, em Isaias 45:7? R- Criando o bem e demonstrando que o que não é bom é mal... 38. Existe algum propósito bom para o mal ontológico? R- Sim, o descobrimento de novos meios da metafísica. 39. Existe certeza em Filosofia? Por que? R- Sim, pois é uma ciência e como tal tem uso da razão. 40. Explique a teoria do livre Arbítrio. R- Embora o homem possa estar errado, ele tem o direito de livre escolha mesmo com os resultados obtidos. 41. O que demonstram as inúmeras divisões do cristianismo? R- Que cada cristão deve se adequar a uma realidade cristã. 42. O que é ética deontologica? R- Que considera as obrigações morais reconhecidas por instituições e sem preferência a concepção do bem. 43. O que é ética teológica? R- Teorias de causas finais, conjuntos e especulações que tem em vista o conhecimento da finalidade. 44. O que sugere o batismo aos sentimentos, visto ser uma pratica da maioria das religiões?
  42. 42. PROFESSOR ACACIO ANTONIO SCHEKIERA R- O cristianismo, sacramento. 45. Os nomes dos deuses de todas as religiões sugerem, em seu significado semelhante, uma unidade de crença? R- Sim, demonstra a fé do cristão por esta ou aquela religião. 46. Por que Deus permite as catástrofes, como terremotos, enchentes e furacões? R- Porque ocorrem como lições para o homem sábio. 47. Por que no paganismo normalmente os deuses são feitos a imagem dos homens, não a imagem de Deus, como no cristianismo? R- Porque a situação é inversa proporcionalmente. 48. Quais os principais pressupostos filosóficos do projeto de Nimrode, em construir uma cidade e uma torre? R- O projeto Nimrode é uma sociedade com finalidades comuns. 49. A que atribui a distorção na literatura, na musica, na escultura e na pintura? R- A migração de povos. 50. Que influencia o estoicismo tem exercido sobre o cristianismo? R- A rigidez de princípios morais. 51. Que influencia o existencialismo tem exercido sobre o cristianismo? R- Aproximou-se do niilismo situando a essência do homem na liberdade. 52. Que influencia o humanismo tem exercido sobre o cristianismo? R- Sentido novo que tomou a cultura nas época da renascença. 53. Que influencia o racionalismo exerceu sobre o cristianismo? R- Autoridade soberana da razão e rejeita a intervenção do sentimento ou da traição da ordem teórica. 54. Spinoza acreditava que “o curso da natureza é fixo e imutável” e que um milagre não é uma “contravenção á natureza”, Comente estas posições? R- O curso da natureza é fixo e imutável, pois ele vê o presente e o passado do presente e o milagre não é uma contravenção, porque é uma ocorrência da natureza. PSICOLOGIA DA RELIGIÃO 01. Conceitue Psicologia da religião em todas as suas nuances.

×