Introdução à Adm: conceitos básicos

15.532 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.532
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
168
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução à Adm: conceitos básicos

  1. 1. Administração: Conceitos básicos Msc. Adriana Vinholi Rampazo
  2. 2. Organizações <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>É uma coletividade com uma fronteira relativamente identificável, uma ordem normativa , escalas de autoridade , sistemas de comunicações e sistemas de coordenação de afiliação: essa coletividade existe numa base relativamente contínua em um ambiente e se engaja em atividades que estão relacionadas, usualmente, com um conjunto de objetivos (HALL, 1984, p. 23). </li></ul><ul><li>As organizações são construídas e reconstruídas de forma planejada, intencionalmente estruturadas, de forma a atingir objetivos específicos (ETZIONI, 1976). </li></ul>
  3. 3. Organizações <ul><li>As organizações caracterizam-se (ETZIONI, 1976): </li></ul><ul><li>Pela divisão do trabalho, poder e responsabilidades de comunicação; </li></ul><ul><li>Pela presença de centros dinâmicos de poder que têm por função controlar e dirigir; </li></ul><ul><li>Pela substituição de pessoal que não satisfaz os padrões organizacionais, por outras pessoas que atendam a tais requisitos. </li></ul><ul><li>Sua razão de ser: servir seus objetivos  escrava (organização) e seus senhores (os objetivos). </li></ul>
  4. 4. Tipologia das organizações <ul><li>Não existem duas organizações iguais – enorme variabilidade. </li></ul><ul><li>Contudo, elas apresentam certas características que permitem classificá-las em certos grupos ou tipos. </li></ul><ul><li>Essas classificações denominaremos por tipologias das organizações. </li></ul><ul><li>Lucrativas e não-lucrativas. </li></ul><ul><li>Privada, Estatal e Mista. </li></ul><ul><li>Controle (Ezioni) – beneficiário (Blau e Scott). </li></ul>
  5. 5. A tipologia de Etzioni <ul><li>A sociedade moderna é uma sociedade de organizações. </li></ul><ul><li>A racionalidade das organizações é conseguida com um custo social e humano: a alienação e a frustração no trabalho. </li></ul><ul><li>Objetivos são diferentes: controle. </li></ul><ul><li>Classifica as organizações com base no uso e significado da obediência. </li></ul><ul><li>Organizações coercitivas : o poder é imposto pela força física ou por controles baseados em prêmios ou punições . Utilizam a força - latente ou manifesta - como o significado principal de controle sobre os participantes de nível inferior. O envolvimento dos participantes tende a ser &quot; alienativo &quot; em relação aos objetivos da organização.Ex: campos de concentração, prisões, instituições penais etc. </li></ul>
  6. 6. A tipologia de Etzioni <ul><li>Organizações utilitárias : poder baseia-se no controle dos incentivos econômicos . Utilizam a remuneração como base principal de controle. Os participantes de nível inferior contribuem para a organização com um envolvimento tipicamente &quot; calculativo &quot;, baseado quase exclusivamente nos benefícios que esperam obter. Ex: comércio e as corporações trabalhistas estão incluídos nesta classificação. </li></ul><ul><li>Organizações normativas (voluntárias) : o poder baseia-se em um consenso sobre objetivos e métodos de organização. Utilizam o controle moral como a força principal de influência sobre os participantes. Os participantes têm um alto envolvimento &quot;moral&quot; e motivacional . Aqui, os membros tendem a buscar seus próprios objetivos e a expressar seus próprios valores pessoais. Ex: Igrejas, universidades, hospitais e muitas organizações políticas e sociais </li></ul>
  7. 7. A tipologia de Etzioni <ul><li>A tipologia de Etzioni é muito utilizada em face da consideração que faz sobre os sistemas psicossociais das organizações. </li></ul><ul><li>Contudo, sua desvantagem é dar pouca consideração à estrutura, à tecnologia utilizada e ao ambiente externo. </li></ul><ul><li>Trata-se de uma tipologia simples e unidimensional, baseada exclusivamente nos tipos de controle. </li></ul>
  8. 8. A tipologia de Blau e Scott <ul><li>Apresentam uma tipologia das organizações baseada no beneficiário, ou seja, de quem se beneficia com a organização. </li></ul><ul><li>Há quatro categorias de participantes que podem se beneficiar com uma organização formal: </li></ul><ul><li>os próprios membros da organização; </li></ul><ul><li>os proprietários ou dirigentes da organização; </li></ul><ul><li>os clientes da organização: </li></ul><ul><li>o público em geral. </li></ul><ul><li>Em função dessas quatro categorias de beneficiários principal que a organização visa atender, existem quatro tipos básicos de organizações: </li></ul>
  9. 9. A tipologia de Blau e Scott <ul><li>Associação de benefícios mútuos : em que o beneficiário principal são os próprios membros da organização. Ex: as associações profissionais, as cooperativas, os sindicatos, os fundos mútuos, os consórcios etc.; </li></ul><ul><li>Organizações de interesses comerciais : em que os proprietários ou acionistas são os principais beneficiários da organização. Ex: a maior parte das empresas privadas, sejam sociedades anônimas ou sociedades de responsabilidade limitada; </li></ul><ul><li>Organizações de serviços : em que um grupo de clientes é o beneficiário principal. Ex: hospitais, universidades, escolas, organizações religiosas e agências sociais; </li></ul><ul><li>Organizações de Estado : em que o beneficiário é o público em geral . Ex: a organização militar, correios instituições jurídicas e penais, segurança pública, saneamento básico etc. </li></ul>
  10. 10. Empresas entendidas como um sistema <ul><li>O que é um sistema? </li></ul><ul><li>É um conjunto de elementos interconectados harmonicamente, de modo a formar um todo organizado. </li></ul><ul><li>As partes formam o todo. </li></ul><ul><li>Todo sistema possui um objetivo, embora às vezes seja difícil identificá-lo. </li></ul><ul><li>Escola Clássica  sistemas fechados = ajuste perfeito das partes garantiria o bom funcionamento da organização. </li></ul>
  11. 11. Empresas entendidas como um sistema
  12. 12. <ul><li>A organização é um sistema aberto que deve se adaptar ao meio ambiente (WOODWARD, 1968; LAWRENCE; LORSCH, 1969). </li></ul><ul><li>As organizações fazem parte de um sistema mais amplo, o sistema social. </li></ul><ul><li>A sociedade tem leis próprias de reprodução e transformação que se refletem em suas partes – organizações. </li></ul>Empresas entendidas como um sistema
  13. 13. Empresas entendidas como um sistema Retroalimentação - feedback Processamento de recursos pela organização Outputs – produtos e serviços colocados no meio ambiente Ciclo de Eventos Inputs – insumos, matérias-primas, informação, recursos humanos, materiais e energia.
  14. 14. Referências <ul><li>ETZIONI, Amitai. Organizações modernas. São Paulo: Pioneira, 1976. </li></ul><ul><li>HALL, Richard. Organizações: estruturas e processos. 3 ed. Rio de Janeiro: Prentice Hall, 1984. </li></ul><ul><li>MOTTA, Fernando C. Prestes; VASCONCELOS, Isabella F. Gouveia de. Teoria Geral da Administração. 3. ed. Revista. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006. </li></ul>

×