Mercadoria-Informação



 Cena do filme
“A Corporação”,
de Mark Achbar,
Jennifer Abbott
  e Joel Bakan
     (2004)


Por A...
Informação = Comunicação

• Não há informação fora de
  um sistema qualquer de
  sinais e fora de um veículo
  ou meio apt...
Telégrafo
• O tráfego de informações no telégrafo era quase
  que totalmente para fins comerciais
• Investimentos, cotaçõe...
Telefone e Rádio
• O telefone e o rádio, também financiados por
  capitalistas, tiveram uma penetração social
  muito mais...
Do uso amador ao comercial
• A telefonia consolidou-se como
                                         O conteúdo se transfo...
Duas visões para o rádio
 • Visão de Brecht                       • Visão da Westinghouse
    –                           ...
A Era da TV
•  David Sarnoff e o nascimento da
televisão
       – Este filme mostra o nascimento da
       televisão comer...
Tecnologias de informação
• O progresso da microeletrônica,
  a evolução dos computadores, o
  advento dos satélites, ofer...
Digitalização da informação
• O transistor, criado pela
  AT&T, fornece material
  para a digitalização da
  informação
• ...
Informação e capital
• O capitalismo traz como principal
                                         “Da velocidade
inovação ...
Capital Lab
• O capital financeiro é o grande financiador das
  pesquisas científicas e técnicas que
  impulsionaram o des...
Indústria da informação
• Cada vez mais, o conhecimento
  incorpora-se à produção
• Por isso, o capital investe em
  infor...
Lucy in the Sky with Diamonds

• Conheça o trabalho “não sei se é ético,
  mas é meu trabalho” de Lucy Hughes
    • A Corp...
Informação é a base
• O preço da mercadoria é uma unidade básica
  de informação sem a qual não se pode
  pensar uma relaç...
Informação agrega valor
• Informação, comunicação são
  uma “força extra-econômica”,
  que aparece ao lado e acima
  das r...
Mercadoria - Informação
• Acumulação do conhecimento
  gera dois tipos básicos de
  informação:
  – Informação operacional...
Sociedade da informação
• É justamente a fetichização da
  informação-mercadoria, ligada
  fundamentalmente ao processo
  ...
Apropriação de conhecimento
• A acumulação de conhecimento
  por parte do capital se dá através
  de processos de apropria...
Gestão do Conhecimento
• Nonaka & Takeuchi
  – Tipos de conhecimento
    • Conhecimento tácito
      – Individual, pessoal...
Conhecimento tácito

Dá para fazer
Acarajé através de
uma receita, mas a
baiana domina a
arte de produzi-lo




          ...
Conhecimento tácito
                     “Cerveja é igual bolo de
                     milho da avó: você pode
           ...
Conhecimento explícito
Tácito > Explícito
• Nonaka & Takeuchi
  – A transformação de
    conhecimento tácito,
    intuitivo, genial,
    criativo...
“Conversão” de conhecimentos
                                     Tácito                            Tácito
   Compartilhar...
Megassistemas de informação
• O desenvolvimento das tecnologias de
  comunicação para servir o capital
  permite também o ...
Cultura Popular
• A indústria se apropriou do
  conhecimento (tácito) do
  artesão para criar seus produtos
• Da mesma for...
Indústria Cultural
• A Indústria
  Cultural se
  sustenta em um
  triângulo que tem




                                  ...
Publicidade
• Essencialmente é a
  propaganda usada
  pelas organizações
  empresariais para
  vender produtos e
  serviço...
Propaganda
• Idéias e conceitos
  propagados pela esfera
  pública
• Perde em parte seu
  caráter publicitário         A p...
Produto cultural
• Produtos desenvolvidos
  pela indústria cultural com
  o objetivo de gerar
  “audiência”
• A “audiência...
Tudo é publicidade
• Com o avanço da forma
  “publicidade”
  paralelamente à expansão
  da lógica capitalista no
  conjunt...
A morte do jornalismo
• Veja como a Fox News, de Rupert
  Murdoch, resolve o conflito entre um
  “patrocinador” (uma organ...
O futuro                                        Filho, vou te
                                     revelar um segredo mara...
Mensagem do nosso patrocinador

                          Contra-propaganda
                             produzida pela
  ...
Bibliografia
•    Livros
      –   Aubenas, Florence e Benasayag, Miguel. A Fábrica da
          Informação, São Paulo, Lo...
Obrigado!

• Apresentação de Armando Levy
• Mestre em Teoria e Pesquisa em
Comunicação pela ECA-USP
• Diretor da e-Press C...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A informacao como mercadoria

5.247 visualizações

Publicada em

Estudo sobre a crescente transformação da informação em mercadoria que agrega valor ao produto e acelera a realização do capital

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.247
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
133
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A informacao como mercadoria

  1. 1. Mercadoria-Informação Cena do filme “A Corporação”, de Mark Achbar, Jennifer Abbott e Joel Bakan (2004) Por Armando Levy
  2. 2. Informação = Comunicação • Não há informação fora de um sistema qualquer de sinais e fora de um veículo ou meio apto a transmitir esses sinais • Só pode haver informação onde há dúvida e dúvida implica a existência de alternativas • Informação tem a ver com escolhas
  3. 3. Telégrafo • O tráfego de informações no telégrafo era quase que totalmente para fins comerciais • Investimentos, cotações, notícias de negócios • Mas para enviar ou receber uma mensagem, o usuário dependia integralmente do operador Samuel Morse apresentou um projeto de telégrafo a amigos em 02/12/1837. O projeto foi financiado por um capitalista chamado Alfred Vail, dono de ferrarias.
  4. 4. Telefone e Rádio • O telefone e o rádio, também financiados por capitalistas, tiveram uma penetração social muito mais ampla • Theodore Vail, primeiro presidente da American Telegraph and Telephone Company (AT&T), advoga a universalização do telefone, subsidiando o uso doméstico através de tarifação maior para o uso comercial Modelo A invenção do telefone cabe de Vail leva a forte ao italiano Meucci, mas Bell, expansão da telefonia. como bom americano, Em 1925, 40% dos lares patenteou-a em 1876 em seu norte-americanos nome. tinham um telefone. Em 1940, eram quase 100% de casas conectadas. Graham Bell
  5. 5. Do uso amador ao comercial • A telefonia consolidou-se como O conteúdo se transforma na negócio rapidamente, mas o rádio melhor ferramenta de venda tinha fins pessoais do aparelho, evidenciando o caráter de • As pessoas o usavam para se mercantilização da informação comunicar com outras, quase que parece ser inerente aos meios sempre desconhecidas de comunicação de massa. • Logo a Westinghouse vê uma oportunidade: vender rádios domésticos que pudessem captar programas culturais e noticiosos feitos por terceiros • A indústria de equipamentos torna- se, ela própria, produtora de conteúdo
  6. 6. Duas visões para o rádio • Visão de Brecht • Visão da Westinghouse – – Rádio enviando informações Rádio unindo as pessoas, que trocariam informações entre si sobre produtos às pessoas e que se assemelha, hoje, à Internet
  7. 7. A Era da TV • David Sarnoff e o nascimento da televisão – Este filme mostra o nascimento da televisão comercial, criada por David Sarnoff, da RCA – O modelo de negócio pensado por Sarnoff repete o modelo do Rádio – Sarnoff percebe que sem um bom conteúdo era difícil vender o Percebam a arrogância aparelho desta indústria, que determina todos os – A RCA é uma joint-venture padrões entre AT&T, Westinghouse e General Electric
  8. 8. Tecnologias de informação • O progresso da microeletrônica, a evolução dos computadores, o advento dos satélites, oferecem ao capital novos meios para processar e transmitir informações • Inovações resultam de investimentos diretos das corporações, orientados para a Conheça a primeira tentativa de dar um caráter de busca de soluções técnicas que entretenimento a uma tornem rápido, eficiente e ferramenta que nasceu direcionada ao uso comercial, barato o transporte da o computador. Veja o filme informação que interessa ao que narra a história do primeiro vídeo game. capital
  9. 9. Digitalização da informação • O transistor, criado pela AT&T, fornece material para a digitalização da informação • A digitalização da informação é a base técnica da produção social geral, cujo objeto é Informação social é a a informação social informação gerada pela sociedade através do uso das novas tecnologias, como comportamento de consumo, preferências, opiniões. Essa informação é apropriada pelo sistema e usada para vender mais e melhor.
  10. 10. Informação e capital • O capitalismo traz como principal “Da velocidade inovação o uso da informação como da circulação da elemento fundamental no processo mercadoria, depende de acumulação do capital a realização do valor agregado • A informação torna mais ágil a na produção circulação de serviços e mercadorias, pelo trabalhador” agiliza a venda, cria o desejo, cria o mercado • O valor da informação não se realiza na troca (como mercadoria), mas por meio da interação, da comunicação Karl Marx
  11. 11. Capital Lab • O capital financeiro é o grande financiador das pesquisas científicas e técnicas que impulsionaram o desenvolvimento da tecnologia da informação Patente concedida – Telégrafo à Bell Telephone – Eletricidade Company – Rádio – Televisão – Informática O sistema de patentes foi criado para premiar inventores, mas acabou sendo usado por organizações para aprimorar tecnologias, ampliar lucro e garantir exclusividade nos benefícios da informação
  12. 12. Indústria da informação • Cada vez mais, o conhecimento incorpora-se à produção • Por isso, o capital investe em informação • Na indústria da informação, produção é imediatamente consumo e consumo é imediatamente produção • Nesse sentido, o sistema busca organizar a sociedade para consumir bens cada vez mais carregados de valores simbólicos e distantes da satisfação de necessidades básicas (comer, vestir)
  13. 13. Lucy in the Sky with Diamonds • Conheça o trabalho “não sei se é ético, mas é meu trabalho” de Lucy Hughes • A Corporação: CD 1 (1:03:10)
  14. 14. Informação é a base • O preço da mercadoria é uma unidade básica de informação sem a qual não se pode pensar uma relação de troca • Mas a relação comprador-vendedor envolve outras informações indispensáveis quanto ao valor de uso da mercadoria • Qualidade • Tipo de matéria prima • Habilidade do produtor • Condições de produção
  15. 15. Informação agrega valor • Informação, comunicação são uma “força extra-econômica”, que aparece ao lado e acima das relações de troca – (assim como Marx via os Transportes) • Nesse sentido, esta força pode ser usada para monopolizar e unidirecionalizar a informação • É possível acumular informação – (conhecimento)
  16. 16. Mercadoria - Informação • Acumulação do conhecimento gera dois tipos básicos de informação: – Informação operacional, ligada ao processo de produção – Informação-mercadoria, que se agrega ao processo de produção e pode gerar novas mercadorias e acúmulo de capital
  17. 17. Sociedade da informação • É justamente a fetichização da informação-mercadoria, ligada fundamentalmente ao processo competitivo, que está por trás das teses tão em voga sobre a “sociedade da informação” – A informação gerando conhecimento – O conhecimento gerando inovação e mercados
  18. 18. Apropriação de conhecimento • A acumulação de conhecimento por parte do capital se dá através de processos de apropriação – No começo da era industrial, o capital apropriou-se do conhecimento dos artesãos – Hoje, esse processo de apropriação de conhecimento recebeu o pomposo nome de “Gestão do Conhecimento”
  19. 19. Gestão do Conhecimento • Nonaka & Takeuchi – Tipos de conhecimento • Conhecimento tácito – Individual, pessoal, criativo • Conhecimento explícito – Documentado, registrado, normatizado
  20. 20. Conhecimento tácito Dá para fazer Acarajé através de uma receita, mas a baiana domina a arte de produzi-lo Dá para explicar o que é uma bicicleta, mas poucos conseguem executar o lance
  21. 21. Conhecimento tácito “Cerveja é igual bolo de milho da avó: você pode comprar o milho fresco, ralar, moer, misturar com coco da feira e fazer o Reynaldo Fogagnoli, bolo. Ou então você pode mestre cervejeiro da Cervejaria Universitária comprar o pacotinho no mercado e ver se é igualquot;
  22. 22. Conhecimento explícito
  23. 23. Tácito > Explícito • Nonaka & Takeuchi – A transformação de conhecimento tácito, intuitivo, genial, criativo, em conhecimento explícito, registrado, que pode ser programado e repetido é o grande desafio de um gestor do conhecimento
  24. 24. “Conversão” de conhecimentos Tácito Tácito Compartilhar Conceituar o informações e conhecimento, conhecimento passando-o de Explícito entre pessoas e tácito para Tácito equipes explícito Socialização: Externalização: Papo no bebedouro, Redigir texto, descrever ouvir/dizer coisas em processo, desenhar conferências ou escola diagrama ou modelo Explícito Tácito Operacionalizar o Sistematizar o Combinação: Internalização: Ler e formar opinião sobre conhecimento Trocar relatórios, conhecimento e um relatório, livro ou conjugar dados, reunir (gerar resultados distribuí-lo para acontecimento informação pela aplicação do gerar educação aprendizado) organizacional Explícito Explícito Fonte: Nonaka & Takeuchi, Criação de conhecimento na empresa (1977)
  25. 25. Megassistemas de informação • O desenvolvimento das tecnologias de comunicação para servir o capital permite também o surgimento da Indústria Cultural • O aparecimento do rádio e dos sistemas de telecomunicações vieram a potencializar a capacidade de armazenamento e processamento das informações, abrindo uma nova rodada no processo de apropriação do conhecimento dos trabalhadores pelo capital
  26. 26. Cultura Popular • A indústria se apropriou do conhecimento (tácito) do artesão para criar seus produtos • Da mesma forma, a indústria cultural se apropria da cultura popular que transforma em matéria prima para seu conteúdo • Do folhetim à telenovela, em um movimento sem-fim, cultura A comunicação popular e cultura de massa se entre o capital e o influenciam de forma recíproca Estado e a massa é mediada pela indústria cultural
  27. 27. Indústria Cultural • A Indústria Cultural se sustenta em um triângulo que tem Pr de como lados op a cid ag indispensáveis a bli an publicidade, a Pu da propaganda e o produto cultural Produto Cultural
  28. 28. Publicidade • Essencialmente é a propaganda usada pelas organizações empresariais para vender produtos e serviços • Ainda que seja uma indústria é, ao mesmo tempo, uma atividade que auxilia a realização do lucro do capital Principal financiadora dos veículos de através da venda da comunicação de massa, a publicidade tem como único objetivo acelerar a mercadoria comercialização dos produtos ou serviços engendrados pelo capital ainda que não sejam interessantes para o consumidor ou usuário do serviço
  29. 29. Propaganda • Idéias e conceitos propagados pela esfera pública • Perde em parte seu caráter publicitário A propaganda omite o fato de que as (tornar público), passando exportações a servir à “propaganda crescem porque o econômica e política” poder de consumo interno é baixo – Propaganda de governo entre outros omite fatos aspectos econômicos e sociais relevantes.
  30. 30. Produto cultural • Produtos desenvolvidos pela indústria cultural com o objetivo de gerar “audiência” • A “audiência” é, de longe, o principal produto da indústria cultural porque é justamente a “audiência” que a indústria cultural “Valdete paquera André”, comercializa na forma de informa o site Globo.com referindo-se a personagens da espaço para publicidade telenovela Belíssima da TV (privada) e propaganda Globo (estatal)
  31. 31. Tudo é publicidade • Com o avanço da forma “publicidade” paralelamente à expansão da lógica capitalista no conjunto das relações sociais, essa dialética tende a se resolver em favor de uma mercantilização cada vez maior da produção cultural – Os telejornais, antes considerados “jornalismo”, revelam-se Vote no Lula! produtos culturais como VOTE 171! telenovelas ou shows Honestidade e – A propaganda política transparência se torna publicidade
  32. 32. A morte do jornalismo • Veja como a Fox News, de Rupert Murdoch, resolve o conflito entre um “patrocinador” (uma organização empresarial) e a equipe de jornalistas Não de seu telejornal “Investigators” se agrada a Deus e ao Diabo ao • A Corporação, CD 1 (1:29:16) mesmo tempo, meu caro. Coitado do Jornalismo, fez tantas plásticas que já não dava mais.
  33. 33. O futuro Filho, vou te revelar um segredo maravilhoso. Sua mãe… bem… sua mãe é a Monsanto. • Com a transformação da Você é um ser geneticamente informação em modificado, mas para melhor, muito mercadoria, toda melhor! Espero que você se forme e informação passível de seja um gênio e possa garantir o futuro do seu gerar lucro torna-se um velho aqui, bem capaz de ser ok? patenteado • Vivemos a Era do Informacionismo – Da digitalização da Eu quero a mamãe! informação o Homem segue para a digitalização de si mesmo • A Corporação CD 1 1:24:11
  34. 34. Mensagem do nosso patrocinador Contra-propaganda produzida pela instituição norte- americana Ad Buster, que se dedica a sabotar a publicidade das empresas.
  35. 35. Bibliografia • Livros – Aubenas, Florence e Benasayag, Miguel. A Fábrica da Informação, São Paulo, Loyola, 2003 – Bolaño, César. Indústria Cultural, Informação e Capitalismo, São Paulo, Polis, 2000 – Costa, Cristina. Ficção, Comunicação e Mídias, São Paulo, Editora Senac, 2002. – Dantas, Marcos. A lógica do Capital-Informação, Rio de Janeiro, Contraponto, 2002 – Mattelart, Armand. História da Sociedade da Informação, São Paulo, Loyola, 2002 – Nonaka, Ikujiro e Takeuchi, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa, São Paulo, Campus, 1977 – Novaes, Washington. A quem pertence a informação?, Rio de Janeiro, Vozes, 1989 – Pignatari, Décio. Informação, Linguagem, Comunicação, São Paulo, Ateliê Editorial, 2003 • Filmes (por ordem de exibição) – O surgimento da TV comercial – The History Channel – O primeiro vídeo game – The History Channel – O trabalho “ético” de Lucy Hugues – HBO – Exportação – Secom – A morte do jornalismo – HBO – Patenteando o genoma humano - HBO
  36. 36. Obrigado! • Apresentação de Armando Levy • Mestre em Teoria e Pesquisa em Comunicação pela ECA-USP • Diretor da e-Press Comunicação • armando@epress.com.br • (11) 4082 4600

×