Palestra de Fernando João Rodrigues de Barros

702 visualizações

Publicada em

Mestre em Engenharia de Edificações e Saneamento na Universidade Estadual de Londrina (UEL), Especialista em Planejamento e Gestão Ambiental pela Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro.

Publicada em: Imóveis
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
702
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra de Fernando João Rodrigues de Barros

  1. 1. CONSTRUÇÕESSUSTENTÁVEIS ADEMI - BAHIA Julho 2012
  2. 2. FERNANDO JOÃO RODRIGUES DE BARROS Engenheiro Civil - CREA - RJ 27.699/D Especialista em Planejamento e Gestão Ambiental Mestre em Engenharia de Edificações e Saneamento - UELPresidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente de Londrina
  3. 3. INDONÉSIA – UMA DAS ILHAS CANDIDATAS A DESAPARECER...
  4. 4. Macau - RN Lençóis Maranhenses - MACascata do Caracol - RSItajubá-MG Parintins - AM
  5. 5. PEIXE-BOI - AM GRALHA-AZUL- PRPIRAPUTANGA - MT TUCANO – PQ FOZ DE IGUAÇU-PR
  6. 6. O que agride a NATUREZA, agride ao homem!• O HOMEM É O ÚNICO ANIMAL QUE MODIFICA A NATUREZA,MUITAS VEZES DE FORMA IRREVERSÍVEL;• FAZ ISSO DESDE QUE APRENDEU A CONSTRUIR SUA CASA, CULTIVAR OS ALIMENTOS, DOMESTICAR OS ANIMAIS E EXPLORAR OS MINERAIS.• A SOCIEDADE INTENSIFICA DE FORMA TÃO ALARMANTE ESSE PROCESSO QUE COMPROMETE A VIDA NO PLANETA.
  7. 7. Aumento da população ao longo dos anos no mundo
  8. 8. São Paulo São Paulo Favela Morumbi - SPFonte:www.centrodametropole.org.b Acúmulo de pessoas nas cidades r
  9. 9. Contraste na urbanização: Favela de Paraisópolis ao lado do edifício no Morumbi
  10. 10. ROCINHA - RJCOMPLEXO DA MARÉ - RJ
  11. 11. http://www.estadao.com.br/fotos/transitorio292.jpgCongestionamentos
  12. 12. Centro urbano de comércio popularRua 25 de Março Ladeira Porto Geral - SP
  13. 13. Praia na Coréia
  14. 14. COMO ESTAMOS TRATANDONOSSOS RIOS...
  15. 15. Rio Tietê – Marginal Tietê Rio Tietê - Pirapora do Bom Jesus - SP Poluição dos rios e mares Lixão do PacíficoFonte: www.unicamp.br
  16. 16. PoluiçãoHídrica
  17. 17. TARTARUGA DEFORMADA POR UM ANEL PLÁSTICO AVE IMPREGUINADA COM PETRÓLEO“LIXO” ENCONTRADO NOESTÔMAGO DE UMA AVE
  18. 18. Resíduos
  19. 19. “LIXÃO”
  20. 20. GARIMPEIROS DO LIXO: Catadores vasculham lixo em Bantar Gebang (Ásia).Foto: Agência EFE
  21. 21. Desmatamentos AM AM MT MS
  22. 22. Fonte: IMAFLORA, André de Freitas Produção de madeira na Amazônia
  23. 23. Esgotamento dos Recursos Naturais Desmatamento das florestas e uso de madeiras ilegais; Seca e contaminação dos rios;
  24. 24. MUNDO EM CHAMAS
  25. 25. AQUECIMENTO GLOBAL
  26. 26. DÉCADA DE 90: MUDANÇA DE HÁBITOProtocolo de kyoto;Agenda 21; Declaração do Rio;Redução dos impactos ambientais das contruções;Convênio sobre a Diversidade Biológica; Convenção sobre Mudanças Climáticas.
  27. 27. Consciência Ecológica
  28. 28. A URBANIZAÇÃO DAS CIDADES EA CONSTRUÇÃO CIVIL
  29. 29. A construção é a atividade humana de maior impacto ambiental
  30. 30.  Consome 75% de todos os recursos naturais;Fontes: WBCSD (World Business Council Sustainable Development) e IPCC (Intergovernmetal Panel on Climate Change)  34% do consumo de água;  50% da energia elétrica é consumida em edifícios já em funcionamento;  30% das emissões de gases de efeito estufa no mundo são devidos a indústria da construção e o uso de seus produtos (CO2, CH4, NO2);  A construção de edifícios é responsável por mais de 40% da demanda energética mundial;  55% do consumo de madeira (não-certificada);  Crescimento do consumo previsto de 2002 a 2025:45%  67% da massa total de resíduos sólidos urbanos sendo 50% em volume total de resíduos.
  31. 31. Fonte: Consumo de Energia e Construção de Edifícios J.L. Mascaró – SECO Vl/1981 Padrão (10³cal / m²) Consumo de Energia em Um m² de Edifício9 7
  32. 32. Poluição Atmosférica gerada pela Construção Civil Para cada tonelada de cimento produzido são gerados 600kg de CO2 na natureza; Para cada tonelada de aço produzido são gerados 2500kg de CO2 na atmosfera; 5% das emissões diretas de CO2 do planeta é gerado pela CC e outros 25% indiretos;
  33. 33. Consumo de energia dos materiais de Construção Civil Para cada tonelada de areia ou brita produzido são consumidos 10 kWh; Para cada tonelada de gesso produzido são consumidos 1.000 kWh; Para cada tonelada de cimento produzido são consumidos 2.200 kWh; Para cada tonelada de aço produzido são consumidos 10.000 kWh; Para cada tonelada de alumínio produzido são consumidos 56.000 kWh;
  34. 34. É PRECISO MITIGAR DRASTICAMENTE OS IMPACTOS PELA CONSTRUÇÃO CIVIL
  35. 35. Os problemas que temos hojenão podem ser resolvidos se mantivermos a mesma maneira de pensar quetínhamos quando os criamos Albert Einstein
  36. 36. Fontes: WBCSD (World Business Council Sustainable Development) e IPCC (Intergovernmetal Panel on Climate Change)
  37. 37. Práticas para diminuir este impacto Menor consumo de energia  Medição individual;  Lâmpadas PL;  Automação (elevadores, iluminação etc.);  Motores de frequência variável (elevadores e bombas);  Aquecimento solar de água; Menor consumo de água  Medição individual;  Metais de baixo consumo;  Vaso sanitário dupla descarga;  Reaproveitamento das águas cinzas;  Reaproveitamento de águas de chuvas;  Automação na irrigação;
  38. 38. Melhor qualidade do ambiente para os usuários Renovação do ar; Proibição do fumo em todo o edifício; Proteção dos dutos de ar durante a construção; Projeto que maximize a iluminação natural e vista externa para a maior parte dos ocupantes; Não utilização de produtos com compostos orgânicos voláteis; Materiais de menor impacto em sua produção etransporte Uso de material reciclado; Uso de madeira certificada ou reflorestamento; Fornecedores regionais ( num raio de 800km );
  39. 39. Menor produção de esgoto e lixo Economia de água; Reaproveitamento das águas cinzas; Reciclagem do lixo; Menor impermeabilização do terreno Áreas de infiltração natural; Caixas de retardo; Grande áreas de jardins; Menor movimentação de terra Otimização da implantação; Respeitar a “vocação” do terreno; Aterros registrados;
  40. 40. Construção Sustentável Proporciona ambiente saudável e adequado para aspessoas desenvolverem as suas atividades, minimiza osimpactos ambientais e preserva recursos naturais, geraresultados financeiros sustentáveis para os negócios epromove o desenvolvimento da sociedade semcomprometer as gerações futuras. Agencia Granja Viana Delboni Auriemo Dumont Villares Banco Real
  41. 41. Green Building são edificações nas quais foramaplicadas medidas construtivas e procedimentais quebuscam o aumento de sua eficiência no uso derecursos, com foco na redução dos impactos sócio-ambientais. Isto é feito por meio de um processo queabrange ciclo de vida completo das edificações.Deste modo englobam: Localização Projeto Construção Operação e Manutenção Remoção de resíduos Remoção/renovação da edificação ao final de sua vida útil Chicago City Hall Sede GBC Brasil
  42. 42. Produtos Sustentáveis É todo o artigo de origem artesanal ou industrializado, de uso pessoal, alimentar, residencial, comercial, agrícola e industrial, que seja não-poluente, não-tóxico, não prejudicial ao meio ambiente e a saúde dos seres vivos, contribuindo para o desenvolvimento de um modelo econômico e social sustentável.Fonte: IDHEA – Instituto para o Desenvolvimento daConstrução Ecológica
  43. 43. Tecnologias Ambientais São diretrizes que devem ser observados no planejamento, execução e operação da obra, que visam diminuir os impactos das obras. Ex. Escolha do local com avaliação da infra estrutura existente, clima, índice pluviométrico, Plano de gerenciamento de resíduos, restauração de áreas verdes, reutilização de áreas contaminadas.
  44. 44. Tecnologias ecointeligentes São dispositivos que utilizados no ambiente construído, contribuem para a gestão e redução no consumo de energia elétrica, água e conforto termo-acústico. Ex. Sensores de presença, válvulas de duplo fluxo para vasos sanitários, etc.. Fonte: IDHEA – Instituto para o Desenvolvimento da Construção Ecológica
  45. 45.  São sistemas ou equipamentos de uso individual, unifamiliar ou comercial com o objetivo de aproveitar recursos naturais disponíveis, normalmente não utilizados ou sub-utilizados na habitação. Ex. Tratar os efluentes domésticos e proporcionar seu reuso, economizar energia ou gerar esta mesma energia por uso de fontes renováveis ( eólica, solar, biomassa, geotérmicas, etc.). Fonte: IDHEA – Instituto para o Desenvolvimento da Construção Ecológica
  46. 46. Sistemas de CertificaçãoNO MUNDO EXISTEM DIVERSAS INSTITUIÇÕES QUECERTIFICAM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS.PRINCIPAIS CERTIFICADORES:  LEED – AMERICANO (LEADERSHIP IN ENERGY AND ENVIRONMENTAL DESIGN)  HK BEAM – CHINÊS (HONG KONG BUILDING ENVIRONMENTAL ASSESSMENT METHOD)  BREEAM – INGLÊS (BUILDING RESEARCH ESTABLISHMENT ENVIRONMENTAL ASSESSMENT METHOD)
  47. 47. Sistemas LEED-NCLeadership in Energy and Environmental Design CATEGORIA PRÉ REQUISITOS PONTOS POSSÍVEIS SUSTENTABILIDADE DO ESPAÇO 1 14 RACIONALIZAÇÃO DO USO DA ÁGUA 0 5 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 3 17 QUALIDADE AMBIENTAL INTERNA 2 15 SUSTENTABILIDADE DOS MATERIAIS 1 13 INOVAÇÃO E PROCESSOS 0 5 TOTAL 7 69 26 32 38 51 69 PONTOS CERTIFICADO PRATA OURO PLATINAFonte: USGBC - United Estates Green Building Council
  48. 48. Benefícios da Construção SustentávelSituação Global- Economia de Recursos Naturais- Reduz o Efeito Estufa-Promove o Equilíbrio AmbientalCidades- Reduz a Poluição- Reduz o Consumo de energiaEdifícios-Maior produtividade das pessoas- 80% a 90% de nossa vidatranscorre em ambientesconstruídos-O ar dentro dos edifícios está de 2a 10 vezes mais poluído do que o arexterior
  49. 49. Projeto do berço ao berço
  50. 50. Benefícios da Construção Sustentável Valorização de até 3% no valor do m² doimóvel. Redução dos custos operacionais em até 25% Aumento da produtividade em até 16% Associação da marca ao conceito desustentabilidade J.M. Tjibaou Cultural Centre
  51. 51. Resultados Alcançados nos EUA DESCARTE EMISSÕES DE ÁGUA DE RESÍDUOS 30-50% CARBONO 50-90% 35% ENERGIA 30% Fonte: USGBC - United Estates Green Building Council
  52. 52. "Verbo: o ato de induzir o consumidor erroneamente sobre as práticas de umaempresa ou benefícios ambientais de um produto ou serviço "
  53. 53. Construções Sustentáveis BCO REALCOTIA GRANJA VIANA SOROCABA ALÉM LINHA CAMPINAS SANTO ANTONIO
  54. 54. CENPES - PETROBRÁSRIO DE JANEIRO - RJ
  55. 55. Construções SustentáveisCIPD - PETROBRASRIO DE JANEIRO - RJ 81
  56. 56. UNIDADE AVANÇADA PERDIZES – HOSPITAL ALBERT EINSTEINZANETTINI ARQUITETURA
  57. 57. Certificação de Prédios Verdes
  58. 58. PALHANO PREMIUM CONDOMÍNIO EMPRESARIAL
  59. 59. Certificação de Prédios Verdes
  60. 60. Passos da Certificação do Ecomercado Palhano1º Desejo do empreendedor de construir “verde”2º Escolha do terreno3º Contratação do arquiteto sob as premissas “verdes”4º Contratação da consultoria Master Ambiental5º Análise do tipo do empreendimento: comercial de locação6º Análise do atendimento dos parâmetros pelo projeto existente7º Formulação de diretrizes para o atendimento dos parâmetros pelos projetos a seremelaborados8º Correções dos projetos para o atendimento dos parâmetros9º Registro do projeto no GBCI (Green Building Council Institute)10º Preenchimento e envio de formulários para requisição da Pré-Certificação11º Acompanhamento da obra e levantamento de documentação comprobatória12º Envio da documentação e formulários para análise do GBCI
  61. 61. Empreendimento Core and Shell estacionamento, edifício-base fachadas, halls de distribuição tem controle total ou parcial iluminação, sobre: condicionamento de ar, tubulações de sistemas água fria, prediais aquecimento de água, elevadores, bombas,empreendedor esgoto, drenagem de águas pluviais tem nenhum ou lojas, escritórios, pouco controle ocupação restaurantes sobre:
  62. 62. LocalizaçãoR. BENTO DA ROCHA LAGO IGAPÓ 2 MERCADO PALHANO AV. HIGIENÓPOLIS AV. AYRTON SENNA
  63. 63. Descrição do Empreendimento Áreas: Terreno = 6.930,54 m² Construção = 10.402,28 m² Permeável = 2.915,38 m² Uso: 90 boxes comerciais 40 empresas previstas 3 restaurantes
  64. 64. TÉRREO:Hall de acesso;3 elevadores;40 lojas de tamanhos e produtos diversos, como pães e doces,carnes, hortifrutícolas, bebidas, lanches, artesanato, etc;2 jardins;Sanitários feminino e masculino.
  65. 65. TERRAÇO:Hall de acesso;3 elevadores;3 restaurantes;TerraçoJardineiras;Sanitários feminino e masculino.
  66. 66. SUBSOLO 01:87 vagas de estacionamento comuns;2 vagas exclusivas a portadores de necessidades especiais;5 vagas preferenciais a veículos de combustíveis alternativos;14 vagas para motocicleta;52 vagas para bicicletas;Hall de acesso;3 elevadores; 15 docas;Vestiários feminino e masculino; Pátio de descarga;Administração; Depósito de resíduos;Gerador e distribuição elétrica; Câmara fria.
  67. 67. SUBSOLO 02:101 vagas de estacionamento comuns;2 vagas exclusivas a portadores de necessidades especiais;5 vagas preferenciais a veículos de combustíveis alternativos;Hall de acesso;3 elevadores;Cisternas e distribuição hidráulica.
  68. 68. Perpectiva Externa
  69. 69. Acesso Principal
  70. 70. Jardim Interno
  71. 71. Circulação Lateral
  72. 72. Terraço
  73. 73. Evolução da ObraMaio de 2009 – Terreno
  74. 74. Evolução da ObraJunho de 2009 –Terraplanagem
  75. 75. Evolução da Obra
  76. 76. Evolução da ObraSetembro de 2009 – Fundação
  77. 77. Evolução da Obra
  78. 78. Evolução da ObraOutubro de 2009 – Fundações
  79. 79. Evolução da ObraNovembro de 2009 – Escavações
  80. 80. Evolução da ObraJaneiro de 2010 – Subsolo
  81. 81. Evolução da ObraMarço de 2010 – Estrutura
  82. 82. Evolução da ObraAbril de 2010 – Laje Nervurada
  83. 83. Evolução da ObraJunho de 2010 – Térreo
  84. 84. Evolução da ObraJulho de 2010 – Últimas Lajes
  85. 85. PLANILHA DE PONTUAÇÃO ptos pré-requisito (R) / crédito ( C) ação documento responsável P A Definir método de contenção do solo plano de controle de PREVENÇÃO DA POLUIÇÃO NA construtor R 1 - - (contra ação de chuva e vento), sedimentação e erosão do ATIVIDADE DA CONSTRUÇÃO terraplenagem limpeza de caminhão. solo registro fotográfico do uso C 1 SELEÇÃO DE TERRENO 1 0 Escolher terreno construído. x prévio DENSIDADE DO Escolher terreno próximo a 10 mapa com serviços C 2 DESENVOLVIMENTO & 1 1TERRENOS SUSTENTÁVEIS master serviços básicos. pontuados CONECTIVIDADE DA COMUNIDADE Escolher terreno contaminado e C 3 REABILITAÇÃO DE RUÍNAS 1 0 laudo de contaminação x descontaminar. 4 TRANSPORTE ALTERNATIVO: Escolher terreno a 400m de 2 ptos de mapa com ptos e linhas de C . ACESSO AO TRANSPORTE 1 1 master ônibus. ônibus 1 PÚBLICO 4 Dimensionar (calcular nº de memorial descritivo do TRANSPORTE ALTERNATIVO: C . 1 1 ocupantes) e situar bicicletário e cálculo de ocupantes + arquiteto BICICLETÁRIO & VESTIÁRIO 2 vestiário. planta da garagem 4 TRANSPORTE ALTERNATIVO: Dimensionar (calcular nº de memorial descritivo do C . VEÍCULOS DE BAIXA EMISSÃO & 1 1 ocupantes) e situar vagas cálculo de ocupantes + arquiteto 3 COMBUSTÍVEL ECONÔMICO preferenciais. planta da garagem 4 TRANSPORTE ALTERNATIVO: Não exceder nº de vagas exigidas do memorial descritivo do C . CAPACIDADE DO 1 0 zoneamento; e reservar vagas cálculo de ocupantes + x 4 ESTACIONAMENTO preferenciais para caroneiros. planta da garagem
  86. 86. ptos pré-requisito ( R) / crédito (P) ação documento responsável P A EMPREENDIMENTO DO TERRENO: Reservar 50% da área não-edificada projeto C 5.1 PROTEGER OU RESTABELECER O 1 1 para paisagismo nativo de baixa paisagista paisagístico HABITAT irrigação e especificar cobertura verde. EMPREENDIMENTO DO TERRENO: Exceder em 25% o índice do C 5.2 1 1 implantação arquiteto MAXIMIZAR O ESPAÇO ABERTO zoneamento para espaço aberto.TERRENOS SUSTENTÁVEIS Projetar cisterna e sistema de reuso de PROJETO PARA ÁGUA PLUVIAL: água pluvial, especificar materiais semi- plano de gerência hidráulico e C 6.1 1 1 CONTROLE DE QUANTIDADE permeáveis p/ diminuir 25% do de água pluvial arquiteto escoamento de água pluvial. Projetar cisterna e sistema de reuso de PROJETO PARA ÁGUA PLUVIAL: água pluvial, especificar materiais semi- plano de gerência hidráulico e C 6.2 1 1 CONTROLE DE QUALIDADE permeáveis p/ captar 90% da média de água pluvial arquiteto anual de chuva. EFEITO ILHA DE CALOR: NÃO- Especificar materiais de SRI > ou = 29, C 7.1 1 1 implantação arquiteto TELHADO concregrama e sombras. Especificar cobertura de SRI > ou = 78 e C 7.2 EFEITO ILHA DE CALOR: TELHADO 1 1 implantação arquiteto cobertura verde. REDUÇÃO DA POLUIÇÃO Diminuir iluminação à noite conforme projeto C 8 1 1 arquiteto LUMINOSA ambiente. luminotécnico Produzir material gráfico descrevendo a manual de DIRETRIZES DE CONCEPÇÃO & sustentabilidade do edifício e instruindo C 9 1 1 ocupação e master CONSTRUÇÃO À LOCAÇÃO os inquilinos a compactuarem com o operação conceito.
  87. 87. ptos pré-requisito ( R) / crédito ( C) ação documentação responsável P A Especificar plantas PAISAGISMO DE ÁGUA nativas/adaptadas; e utilizar no máx. hidráulico e C 1.1 EFICIENTE: REDUZA 1 1 50% de água potável para irrigação projetos hidráulico + paisagístico paisagista 50% considerando-se em meados do verão. PAISAGISMO DE ÁGUA Especificar plantas EFICIENTE: NENHUM nativas/adaptadas que não hidráulico e C 1.2 USO DE ÁGUA 1 1 projetos hidráulico + paisagístico necessitem de irrigação; e utilizar paisagista POTÁVEL OU água reciclada para irrigação inicial.ÁGUA EFICIENTE NENHUMA IRRIGAÇÃO Especificar louças com economia de água e sistema de reciclagem de TECNOLOGIAS DE água pra reduzir 50% do uso de hidráulico e C 2 ÁGUA RESIDUÁRIA 1 1 projetos hidráulico + paisagístico água potável em condução de arquiteto INOVADORAS esgoto ou tratar e usar / infiltrar 50% do esgoto. Reduzir 20% do consumo total de REDUÇÃO DO USO DE água previsto (considerando bacia, hidráulico e C 3.1 1 1 projetos hidráulico + paisagístico ÁGUA: REDUZIR 20% mictório, torneira de lavatório, arquiteto chuveiro e pia de cozinha). Reduzir 30% do consumo total de REDUÇÃO DO USO DE água previsto (considerando bacia, hidráulico e C 3.2 1 ? projetos hidráulico + paisagístico ÁGUA: REDUZIR 30% mictório, torneira de lavatório, arquiteto chuveiro e pia de cozinha).
  88. 88. ptos pré-requisito ( R) / crédito (C) ação documentação responsável P A Definir equipe de comissão conforme o GUIA COMISSIONAMENTO plano de comissão + do LEED e autoridade de comissão (pessoa R 1 FUNDAMENTAL DOS SISTEMAS - - exigências de projeto do master de fora) para verificar, recomendar e PREDIAIS DE ENERGIA proprietário + base do projeto documentar construção e funcionamento. Adotar medidas de economia de energia de formulários do DESEMPENHO ENERGÉTICO acordo com o ASHRAE/IESNA Standard R 2 - - ASHRAE/IESNA Standard elétrico MÍNIMO 90.1-2004 e fazer simulação 90.1-2004 computadorizada. GERENCIAMENTO FUNDAMENTAL Especificar equipamentos de ar- R 3 - - projeto de ar-condicionado especialista ac DE REFRIGERAÇÃO condicionado e refrigeração sem CFC. DESEMPENHO ENERGÉTICO Adotar medidas de economia de energia doENERGIA & ATMOSFERA simulações especialista ac e OTIMIZADO (2 PTOS Standard 90.1-2004, ou do Guia de Design C 1 2-8 2 computadorizadas ou elétrico ou OBRIGATÓRIOS DEPOIS DE Energético Avançado p/ Prédios de detalhamento arquitetônico arquiteto 26/06/07) Pequenos Escritórios (ambos do ASHRAE). Projetar estruturas para geração de 1% de C 2 ENERGIA RENOVÁVEL LOCAL 1 0 projeto elétrico x energia (solar, eólica, de biomassa, etc.) comprovantes de experiência Contratar CxA independente para revisões, C 3 COMISSIONAMENTO AMPLIADO 1 0 + exigências de projeto do x treinamentos, etc. por 10 meses. proprietário + base do projeto Não usar refrigerador; ou usar aqueles sem GERENCIAMENTO DE C 4 1 1 substâncias do aquecimento global ou projeto de ar-condicionado especialista ac REFRIGERAÇÃO AMPLIADA deletérias de ozônio Elaborar Plano de Medição e Verificação plano de medição e MEDIÇÃO & VERIFICAÇÃO: para informar o consumo energético por verificação + memorial C 5.1 1 1 elétrico EDIFÍCIO-BASE sistema ou componente predial à descritivo da infra-estrutura + contabilidade. projeto elétrico MEDIÇÃO & VERIFICAÇÃO: Instalar e divulgar submedidores aos plano de medição e C 5.2 1 1 elétrico SUBMEDIDORES DE LOCATÁRIOS inquilinos. verificação Comprar ou gerar 35% de energia C 6 ENERGIA VERDE 1 0 projeto elétrico x renovável.
  89. 89. ptos pré-requisito / crédito ação documentação responsável P A COLETA & ARMAZENAMENTO DE Projetar espaço para coleta e R 1 - - planta do edifício arquiteto RECICLÁVEIS armazenamento de recicláveis. REUSO DE CONSTRUÇÃO: Manter 25% (da área da MANTER 25% DE PAREDES, C 1.1 1 0 superfície) de estrutura e planta do edifício x ASSOALHOS & TELHADO vedação existentes. EXISTENTES REUSO DE CONSTRUÇÃO: Manter 50% (da área da MANTER 50% DE PAREDES, C 1.2 1 0 superfície) de estrutura e planta do edifício xMATERIAIS & RECURSOS ASSOALHOS & TELHADO vedação existentes. EXISTENTES REUSO DE CONSTRUÇÃO: Manter 75% (da área da MANTER 75% DE PAREDES, C 1.3 1 0 superfície) de estrutura e planta do edifício x ASSOALHOS & TELHADO vedação existentes. EXISTENTES GERENCIAMENTO DO Desencaminhe 50% do DESPERDÍCIO NA CONSTRUÇÃO: plano de gerenciamento de C 2.1 1 1 entulho de disposição em construtor e master DESENCAMINHAR 50% DA resíduos da construção aterro. ELIMINAÇÃO GERENCIAMENTO DO Desencaminhe 75% do DESPERDÍCIO NA CONSTRUÇÃO: plano de gerenciamento de C 2.2 1 1 entulho de disposição em construtor e master DESENCAMINHAR 75% DA resíduos da construção aterro. ELIMINAÇÃO
  90. 90. ptos pré-requisito / crédito ação documento responsável P A Especificar materiais não-virgens (resgatados, usados, recondionados) em 1% do custo. Obs.: quantitativo de eng. civil e C 3 REUSO DE MATERIAIS: 1% 1 1 não se inclui material mecânico, elétrico, materiais arquiteto hidráulico e especiais como elevadores. Especificar materiais com conteúdo reciclado q CONTEÚDO RECICLADO: 10% somem 10% do custo de material de construção quantitativo de eng. civil e C 4.1 (PÓS-CONSUMO + ½ PRÉ- 1 1 (considerando a ½ parcela do não-reciclado). materiais arquitetoMATERIAIS & RECURSOS CONSUMO) Obs.: não se inclui material mecânico, elétrico, hidráulico e especiais como elevadores. Especificar materiais com conteúdo reciclado q CONTEÚDO RECICLADO: 20% somem 10% do custo de material de construção quantitativo de eng. civil e C 4.2 (PÓS-CONSUMO + ½ PRÉ- 1 ? (considerando a ½ parcela do não-reciclado). materiais arquiteto CONSUMO) Obs.: não se inclui material mecânico, elétrico, hidráulico e especiais como elevadores. MATERIAIS REGIONAIS: 10% EXTRAÍDO, PROCESSADO & Especificar materiais (e FORNECEDORES) de lista de materiais e eng. civil e C 5.1 1 1 MANUFATURADO procedência local (800km) = 10% do custo. fornecedores arquiteto REGIONALMENTE MATERIAIS REGIONAIS: 20% EXTRAÍDO, PROCESSADO & Especificar materiais (e FORNECEDORES) de lista de materiais e eng. civil e C 5.2 1 1 MANUFATURADO procedência local (800km) = 10% do custo. fornecedores arquiteto REGIONALMENTE lista de materiais e eng. civil e C 6 MADEIRA CERTIFICADA 1 1 Usar, no mínimo, 50% de madeira certificada. fornecedores arquiteto
  91. 91. ptos pré-requisito / crédito ação documentação responsável P A memorial de cálculo Calcular ventilação natural e artificial especialista ac e R 1 DESEMPENHO MÍNIMO DE IAQ - - e projeto conforme o ASHRAE 62.1-2004. arquiteto arquitetônico Proibir fumar; ou projetar fumódromoQUALIDADE AMBIENTAL INTERNA CONTROLE DE FUMAÇA DE TABACO especialista ac e R 2 - - (fechado e com exaustor conforme projeto arquitetônico AMBIENTAL arquiteto padrões de pressão). MONITORAMENTO DA SAÍDA DE AR Instalar sistema de monitoração de CO2 projeto de ar- C 1 1 0 x EXTERNA ampliável e divulgar aos inquilinos. condicionado Projetar ventilação conforme normas projeto de ar- C 2 VENTILAÇÃO AMPLIADA 1 0 ASHRAE e realizar simulações com x condicionado softares específicos. Proteja o sistema de a/c e posicione plano de PLANO DE GERENCIAMENTO IAQ: C 3 1 0 filtros de ar durante a construção ou gerenciamento de x DURANTE A CONSTRUÇÃO reforma. IAQ MATERIAIS DE BAIXA-EMISSÃO: Especificar materiais com COV conforme C 4.1 ADESIVOS & VEDANTES tabela. lista de materiais e eng. civil e 1-3 1 MATERIAIS DE BAIXA-EMISSÃO: Especificar materiais com COV conforme fornecedores arquiteto C 4.2 PINTURAS & ACABAMENTOS lista.
  92. 92. ptos pré-requisito / crédito ação documento responsável P A MATERIAIS DE BAIXA- Especificar materiais com COV conforme o C 4.3 EMISSÃO: SISTEMAS DE "Green Label Plus". CARPETE MATERIAIS DE BAIXA- EMISSÃO: MADEIRA Especificar materiais sem resina uréia- C 4.4 COMPOSTA & PRODUTOS formaldeído adicionada.QUALIDADE AMBIENTAL INTERNA DE FIBRAS NATURAIS CONTROLE DE FONTE Projetar sistemas de filtro em áreas de projeto C 5 INTERNA DE PRODUTO 1 1 lavanderia, cópia e impressão, garagem, etc. x arquitetônico QUÍMICO & POLUENTE e sistemas limpa-pés nos acessos externos. CONTROLABILIDADE DOS Projetar o ar-condicionado para ser projeto de ar- C 6 SISTEMAS: CONFORTO 1 1 especialista ac controlado pelos usuários de cada espaço. condicionado TÉRMICO CONFORTO TÉRMICO: Prrojetar ar-condicionado e vedação conforme projeto de ar- C 7 1 0 especialista ac PROJETO ASHRAE 55-2004 condicionado LUZ NATURAL & VISTA: LUZ Projetar espaços (75% da área regularmente projeto C 8.1 NATURAL A 75% DOS 1 1 arquiteto ocupada) com luz natural direta. arquitetônico ESPAÇOS Projetar espaços (90% da área regularmente LUZ NATURAL & VISTA: ocupada) com contato visual com o exterior; e projeto C 8.2 VISTA A 90% DOS 1 0 arquiteto instruir os inquilinos a respeito da arquitetônico ESPAÇOS possibilidade.
  93. 93. ptos pré-requisito / crédito ação documentação responsável P A C 1.1 INOVAÇÃO NO PROJETO 1 0 C 1.2 INOVAÇÃO NO PROJETO 1 0 C 1.3 INOVAÇÃO NO PROJETO 1 0 Exceder excepcionalmente algum crédito LEED ou outro documentosINOVAÇÃO critério, apresentando comprobatórios do critério equipe de projeto parâmetros de apresentação, da equipe de projeto C 1.4 INOVAÇÃO NO PROJETO 1 0 exigências e estratégias. Ter um profissional PROFISSIONAL CREDITADO C 2 1 ? acreditado no LEED na processo de acreditação master LEED equipe de projeto. 32 NÍVEL ptos CERTIFICADO 23 a 27 PRATA 28 a 33 OURO 34 a 44 PLATINA 45 a 61
  94. 94. PALHANO PREMIUM CONDOMÍNIO EMPRESARIAL
  95. 95. Estudo de Desempenho Térmico VIDRO ESPECIAL VIDRO COMUM Calculado Dimensionado Calculado Dimensionado Tr Tr Tr TrSALA 1 1,87 2,00 2,86 3,00SALA 2 1,21 1,50 1,99 2,00SALA 3 2,43 2,50 3,80 4,00SALA 4 0,94 1,00 1,33 1,50SALA 5 0,93 1,00 1,33 1,50SALA 6 0,93 1,00 1,33 1,50SALA 7 0,94 1,00 1,33 1,50SALA 8 2,43 2,50 3,80 4,00SALA 9 1,21 1,50 1,99 2,00SALA 10 1,87 2,00 2,86 3,00
  96. 96. Viabilidade Econômica valor do kWh de área de vidro no custo mensal de energia com a/c potência do a/c pavimento-tipo pavimento-tipo valor do kW da energia do a/c custo do vidro custo total do carga térmica equipamento horas no mês alta tensão contratada fator solar mensal de demanda consumo tipo de vidro custo do vidro no [R$/m²] de a/c [kWh] [kW] [kW] [m²] R$REFLECTA 0,3 51,9 R$ R$ 30.784,0 176, R$ R$ R$CINZA 85 1 159,65 123,08 19.649,72 0 21,22 00 3734,72 45,00 0,18 1.627,15 R$TRANSPAR 0,8 79,6 R$ R$ 40.367,1 176, R$ R$ R$ENTE 5 4 159,65 87,30 13.937,45 0 30,82 00 5424,32 45,00 0,18 2.363,28 27,7 -R$ -R$ R$ R$ 3 35,78 5.712,28 9.583,10 10 0 1690 736,13 53% -29% -29% 31% 0 0 0 45%
  97. 97. Viabilidade Econômica Custo Custo em 5 FATO Custo total do Potência do anual* de Custo Custo em 5 Custo do anos de R vidro no equipamento energia anual* de anos de equipamen energia com SOLA pavimento- de ar- com a/c energia com energia com to de a/c a/c no pav. R tipo condicionado no pav. a/c na torre a/c na torre tipo tipoPRÉDIO COM R$ R$ R$ R$ R$ R$VIDROS 0,385 21,22 kW 1.220.362,5 19.649,72 30.784,00 9.762,90 48.814,50 244.072,50ESPECIAIS 0PRÉDIO COM R$ R$ R$ R$ R$ R$VIDROS 0,850 30,82 kW 1.772.375,0 13.937,45 40.367,10 14.179,00 70.895,00 354.475,00COMUNS 0 -R$ R$ R$ R$ R$ R$DIFERENÇA 9,60 5.712,27 9.583,10 4.416,10 22.080,50 110.402,50 552.012,50(%) -29% 45% 31% 45% 45% 45% 45%
  98. 98. DESTILARIA ÁGUA BONITA Primeira edificação em usina de açúcar e álcool no mundo a ser certificada internacionalmente - LEED
  99. 99. DESTILARIA ÁGUA BONITAPROJETO DE ARQUITETURAZanettini Arquitetura PlanejamentoConsultoria Ltda.
  100. 100. OBRIGADO!!

×