Natureza e Ser Humano                           em Ferreira de Castro                           Imagens de uma Relação    ...
« » (?)                         «»          (Dupla) Interdisciplinaridade2    Jornadas Europeias do Património. Museu Ferr...
Objectivo..          Mostrar aspectos ecológicos e da relação Ser Humano –          Ambiente na ficção Ferreira de Castro....
Época de intensificação de desafios ecológicos           Portugal: Património Natural estreitamente ligado à              ...
1.5    Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011    AnaCristinaCarvalho
Ecologia Geral                                         Ecologia Humana               Ciência Natural                      ...
Eco                                                                           Hum            Origem nos anos 20 do século ...
Literatura – expressão do pensamento humano independente       da ciência, contém nos diferentes géneros - romance e conto...
Ecocrítica    Ecocriticism        Green studies, Literary ecology , Enviromental literary criticism …        Análise e crí...
2.10     Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011    AnaCristinaCarvalho
Porquê FERREIRA DE CASTRO?                                                          Foi em convívio com a Natureza *      ...
Foi em convívio com a Natureza                                                                                       que o...
Ferreira de Castro                                                                                         (1898 - 1974)  ...
Brasil     Portugal                                               Terras do Barroso                                       ...
Pórticos                      3 histórias de homens procurando uma vida melhor fora do país                         • Cená...
Pórtico     História: População de montanha procurando vida melhor em Espanha     • Cenário: Norte de Portugal, parcialmen...
Pórtico                 Historial da Velha Mina     História: Mina de cobre; 2000 mineiros tentando melhores condições lab...
Pórtico                                História de uma Evolução:                                De um povo de pastores e t...
Pórtico                                              Os primeiros (…) noites infindas.                                    ...
Texto                          Relação Ser Humano - Natureza:     1. “Não-fascínio”, desencanto                     « p. 9...
Em suma..       Ficção de FC :       Interdependência vital que une                          NATUREZA às PESSOAS          ...
Alguma BIBLIOGRAFIA          ALVES, Ricardo A. .s/d. Ferreira de Castro. Catálogo do Museu. Sintra, ed. Câmara          Mu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mus fc sintra 23set2011

334 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
334
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mus fc sintra 23set2011

  1. 1. Natureza e Ser Humano em Ferreira de Castro Imagens de uma Relação Ana Cristina Carvalho FCSH – Univ. Nova LisboaJornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  2. 2. « » (?) «» (Dupla) Interdisciplinaridade2 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  3. 3. Objectivo.. Mostrar aspectos ecológicos e da relação Ser Humano – Ambiente na ficção Ferreira de Castro. Em que medida reflecte conceitos de Ecologia e da Ecologia Humana. Reler a obra de FC sob nova óptica – do seu conteúdo ambiental Em época muito anterior ao movimento ecológico, a obra de FC continha uma mensagem ecológica clara. Seis Pórticos* - romances com cenários em paisagens naturais e humanizadas de Portugal (3) e do Brasil (3) Um romance * Pórticos – textos introdutórios pessoais do autor…3 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  4. 4. Época de intensificação de desafios ecológicos Portugal: Património Natural estreitamente ligado à actividade humana Território 8 % classificado por lei como Área Protegida Riqueza da literatura nacional4 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  5. 5. 1.5 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  6. 6. Ecologia Geral Ecologia Humana Ciência Natural Campo científico interdisciplinar Oikos - lugar, casa Homo sapiens - espécie dominante logos - conhecimento Ser vivo bio-socio-cultural Relações dos seres vivos Relação entre si e com o meio Ser Humano - Ambiente SV Sociosfera EH Ecosfera Meio C. Sociais C. e Humanas Naturais6 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  7. 7. Eco Hum Origem nos anos 20 do século XX – Escola de Chicago. Resposta à complexidade de problemas da população americana nas megacidades. Como se comporta o Ser Humano no seu Ambiente? Para a SHE (Society for Human Ecology) Relação entre Arte (em especial Literatura) e Ecologia é uma das muitas subáreas de estudo7 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  8. 8. Literatura – expressão do pensamento humano independente da ciência, contém nos diferentes géneros - romance e conto, texto dramático, crónica, ensaio.. – potencial de divulgação dos valores ecológicos, alertando para esta problemática sectores da sociedade ainda resistentes. Linguagem literária tem papel importante na construção da percepção humana do mundo natural e do ambiente Conhecimento Científico Conhecimento Artístico / Literário Ecocrítica Nova Interdisciplinaridade8 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  9. 9. Ecocrítica Ecocriticism Green studies, Literary ecology , Enviromental literary criticism … Análise e crítica do texto literário do ponto de vista do conteúdo em aspectos da Natureza e da Ecologia. “Literary ecology” criado em 1972 por Joseph W. Meeker: “study of biological themes and relationships which appear in literary works”. “Ecocriticism” cunhado em 1978 pelo americano William Rueckert. Livro pioneiro em 1923: Nature in American Literature, Norman Foerster.9 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  10. 10. 2.10 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  11. 11. Porquê FERREIRA DE CASTRO? Foi em convívio com a Natureza * que os sentimentos de amor se sublimaram sempre em mim, foi em contacto com ela que elaborei a maioria das páginas que tenho escrito. As minhas demoradas estadas nesse pequeno mundo de beleza insigne que é Sintra (…) devem-se à irresistível fascinação que em mim exercem as grandes e verdes paisagens. Jornal O Século, 1964, O Último Quarto de Hora da Minha Vida11 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  12. 12. Foi em convívio com a Natureza que os sentimentos de amor se sublimaram sempre em mim, foi em contacto com ela que elaborei a maioria das páginas que tenho escrito. As minhas demoradas estadas nesse pequeno mundo de beleza insigne que é Sintra (…) devem-se à irresistível fascinação que em mim exercem as grandes e verdes paisagens. Jornal O Século, 1964, O Último Quarto de Hora da Minha Vida 2ª Dimensão: • Literatura não imune ao Património Natural • Sensibilidade à Natureza (poder balsâmico, inspirador) e à Paisagem 1ª Dimensão de FC: • Ética, ideais humanistas, sentido de justiça, consciência social… Condição humana aparece como uma personagem literária – a principal • Sentido estético da escrita12 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  13. 13. Ferreira de Castro (1898 - 1974) 1. Raízes são o Portugal rural e pobre, do início do século XX 2. Parte sozinho para o Brasil, aos 12 anos; passa adolescência no Seringal Paraíso Dez romances, a maioria retratando regiões de Portugal e do Brasil, para além da literatura de viagens, jornalismo ... 1928 1930 1933 1934 1940 1947 1968 197413 1950 1954 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  14. 14. Brasil Portugal Terras do Barroso Parque Nacional Peneda-Gerês Parque Natural da Serra da Estrela Historial da Velha Mina Parque Natural do Vale do Guadiana14 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  15. 15. Pórticos 3 histórias de homens procurando uma vida melhor fora do país • Cenário: Fazenda de café Piracicaba (Estado de S. Paulo)  Abordagem geográfica: • Escala: Homem - Terra natal - País - Continente Europa - Oceanos - Mundo… • Movimento: de um Continente para outro, do Hemisfério Norte para o Hemisfério Sul • Cenário: Amazónia brasileira – “Majestade verde”- Seringal - (Estado do Acre)  Homem confrontando Natureza - Exploração recurso florestal: • Países pobres do Sul: trabalhadores submetidos à floresta vs. • Países ricos do Norte: sociedades que usam esses recursos • Cenário: Amazónia e seu Rio Madeira • Defesa dos índios Parintintins – “heróis populares lutando sem armas ou sangue” – perseguidos pelos brancos  Instinto de conservação (da espécie) leva o ser humano a lutar sem matar15 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  16. 16. Pórtico História: População de montanha procurando vida melhor em Espanha • Cenário: Norte de Portugal, parcialmente no Parque Nacional Peneda-Gerês • Ambiente Natural: Inverno: neve, ventos; Primavera: campos cultivados e plantas floridas; Fauna: Lobo-ibérico Canis lupus • Ambiente Humano: População vivendo “entre a montanha e o céu” – paisagem onde civilização ainda não chegou, que produz camponeses “fechados” Conceitos Ecologia / Ecologia Humana : • Habitat (Rural) • Uso do solo: Agricultura • Factor limitante • Adaptação e Resiliência16 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  17. 17. Pórtico Historial da Velha Mina História: Mina de cobre; 2000 mineiros tentando melhores condições laborais • Cenário: Sul de Portugal, Parque Natural do Vale do Guadiana (cr. 1995) • Ambiente Natural : Recurso de subsolo; Clima quente e soalheiro • Ambiente Humano: Bairro de casas sem janelas nem luz Conceitos Ecologia / Ecologia Humana : • Sobre-exploração: Homem/ Terra • Poluição - Ar - Visual - Saúde • Comunidade • Resistência e Sobrevivência17 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  18. 18. Pórtico História de uma Evolução: De um povo de pastores e tecelões a operários fabris; da produção artesanal de lã à produção mecânica em massa • Cenário: Centro interior de Portugal – Parque Natural Serra da Estrela (1976) • Ambiente Natural: Ecossistema montanha; paisagem granítica; cumes e vales; riqueza recursos hídricos; vegetação rasteira; neve e Inverno rigoroso; lobos… • Ambiente Humano: Povoação aldeã com rebanhos; habitações extremamente pobres; interior das fábricas de tecelagem18 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  19. 19. Pórtico Os primeiros (…) noites infindas. Pouco a pouco (…) abadas da serra. Depois, Portugal (…) fábrica de tecidos. Um dia (…) tear mecânico. Os serranos (…) nas fábricas. Mais tarde (…) e netos. A lã do (…) Rebanhos distantes alimentavam, através dos mares, as fábricas quase escondidas nas ribeiras da Estrela. No século xx (…) mais de pão. Pórtico de A Lã e a Neve, 194719 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  20. 20. Texto Relação Ser Humano - Natureza: 1. “Não-fascínio”, desencanto « p. 93 » 2. Sobrevivência e Sonho - Procura de “Abrigo” « pp. 332, 333 » 3. Insatisfação – Habitat ‘urbano’ incipiente e miserável « p. 47 » 4. Competição pelo recurso Solo / Submissão: Floresta produção vs. conservação « pp. 77,78,79, 80, 85, 107 » 5. Sujeição / Adaptação a Clima: Desconforto e Lazer « pp. 247, 381 »20 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  21. 21. Em suma.. Ficção de FC : Interdependência vital que une NATUREZA às PESSOAS TERRA ao HOMEM • Trabalho humano • Bem-estar humano • Dor humana A obra canónica de FC contém mensagem ecológica, focada na interdependência Ambiente/Natureza – Ser Humano. Essa mensagem poderá ser útil na consolidação de uma consciência ambiental portuguesa neste século XXI21 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho
  22. 22. Alguma BIBLIOGRAFIA ALVES, Ricardo A. .s/d. Ferreira de Castro. Catálogo do Museu. Sintra, ed. Câmara Municipal de Sintra, 95 p. BUELL, Lawrence. 2005. The Future of Environmental Criticism: Environmental Crisis and Literary Imagination. Malden, USA, Oxford, UK, Victoria, Australia, Blackwell publishing, 188 pp. COUPE, Laurence. 2000. The Green studies Reader: From Romanticism to Ecocriticism. New York, Routledge, 315 p. FRANCO, António C.. 1988. “O Significado da Selva na obra de Ferreira de Castro”, in Colóquio-Letras, Nº 104-195, Julho – Outubro, pp. 62-69. GARRARD, Greg. 2004. Ecocriticism. The New critical idiom. London and New York: Routledge, Australia, Monash University, 197 p. GLOTFELTY, Cheryl e FROMM, Harold (eds).. 1996. The Ecocriticism Reader: Landmarks in Literary Ecology. The University of Georgia Press, Athens and London, 409 p.  Agradeço o convite ao Museu Ferreira de Castro e ao Dr. Ricardo A. Alves  Obrigada pela vossa atenção22 Jornadas Europeias do Património. Museu Ferreira de Castro. Sintra. 23 Set 2011 AnaCristinaCarvalho

×