Biodiversidade

112 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
112
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biodiversidade

  1. 1. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 1 | P á g i n a Biodiversidade da praia do Paraísoem Leça da Palmeira Introdução: Com este trabalho pretendemos mostrar-vos os “segredos” que uma simples praia em Leça da Palmeira esconde… Vamos abordar os seguintes tópicos: Conceito de biodiversidade; Dunas; Impacto da ocupação antrópica; Sublitoral; Importância das marés; Zona intertidal; Biodiversidade A biodiversidade é a grande variedade de seres vivos que vive num determinado ambiente. Os ambientes aquáticos ocupam a maior parte da Terra e dividem-se em ambientes marinhos (como oceanos, mares e regiões costeiras) e em ambientes de água doce (como lagos, lagoas, ribeiros, rios e pântanos). Dunas As dunas são barreiras naturais de protecção às investidas do mar para o interior e também são formações geológicas muito sensíveis à erosão marítima, eólica e humana. A maior parte do sistema dunar está bastante danificada devido à intervenção humana. (Vila Nova de Gaia) Um conjunto de fatores abióticos e bióticos regulam a distribuição dos organismos bentónicos no litoral, tornando-a gradual e estratificada, de acordo com os diferentes tipos de adaptações que as espécies foram desenvolvendo ao longo da sua evolução. A este tipo de povoamento ordenado e estratificado criando um sistema de andares, dá-se o nome de zonação.
  2. 2. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 2 | P á g i n a Sublitoral O sublitoral estende-se até ao limite da plataforma continental, atingindo uma profundidade entre os 200 e 300 m. A extensão da plataforma continental é variável, havendo locais nas costas europeias com dezenas de quilómetros de declive suave, terminando abruptamente nas encostas abissais ou vertentes continentais. A franja sublitoral fica a descoberto durante as marés baixas das águas vivas, e é caracterizada pelas macroalgas castanhas, por uma cintura de algas vermelhas e pela ocorrência de organismos de zonas mais profundas. Poças de maré As poças de maré são cavidades rochosas cheias de água, que ficam separadas do mar durante a mare baixa, por períodos variáveis, onde vivem e se refugiam muitos organismos. Características: Relacionam-se com a duração do isolamento e com o volume. Quanto maior a profundidade e o volume de agua, mais estável é o ambiente e mais lentas são as alterações de temperatura e salinidade durante o isolamento imposto. Marés As marés são variações regulares do nível do mar causadas pela atração gravitacional da Lua e do Sol. Como o mar é um meio contínuo, muito mais homogéneo que o meio terrestre, a natureza e intensidade dos fatores ambientais variam com a profundidade, com a distância à costa, etc…Combinando-se para criar uma série de zonas com características próprias, povoadas por formas de vida igualmente bem adaptadas às condições de cada uma (zona).Considerando a relação dos organismos com o fundo, distinguem-se duas zonas: • Domínio bentónico, que corresponde à zona de fundo e, que por consequência, pertencem a ele quer as espécies fixas, quer as móveis que têm uma estreita relação com o fundo marinho . • Domínio pelágico, que corresponde ao resto da massa de água e cujas espécies vivem sem nenhuma relação direta com o fundo marinho.
  3. 3. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 3 | P á g i n a Eulitoral O eulitoral é a verdadeira zona das marés, o intertidal, que, em relação ao supralitoral, apresenta um número muito maior de espécies marinhas, situa-se entre o nível máximo da maré alta equinocial e o nível médio da maré baixa das águas vivas, sujeita a duas emersões e duas emersões alternadas por dia. O Eulitoral, que é constituído por três partes: - Oeulitoral inferior é dominado pelos recifes de barroeira Sabellaria alveolata, as algas vermelhas Chondrus crispus e Mastocarpus stellatus podem formar uma pequena “cintura” - No eulitoral médio as rochas são cobertas com povoamentos de mexilhões Mytilus galloprovincialis, e nas poças domina a alga calcária Lithopyllum inincrustans. - No eulitoral superior existe uma “cintura” de cracas (género Chthamalus) e lapas (género Patella), algumas rochas são colonizadas com algas verdes do género Enteromorpha, e a areia entre as rochas é povoada por crustáceos anfípodes, poliquetas e alguns bivalves. Supralitoral O supralitoral é caracterizado pela presença de organismos que nunca ou raramente estão submersos, mas que requerem um grau de humidade relativamente alto. Situa-se entre o domínio terrestre e o nível máximo da maré-alta equinocial, estando sujeito apenas a receber as gotas de água das ondas ficando só muito raramente coberto de água. A sua extensão vertical depende da exposição e do perfil da costa e do alcance das ondas. É também nesta zona que podemos observar as poças de maré, formadas devido a depressões ou fendas existentes nas plataformas rochosas, que retêm a água do mar durante a baixa-mar. Quanto mais alta se situar a poça, mais extremas serão as condições da mesma, devido ao longo período que esta permanece sem efetuar uma renovação de água. O limite superior do infralitoral situa-se no nível mais baixo da maré equinocial, onde os organismos que formam os povoamentos estão sempre em imersão ou raramente em eros.O seu limite inferior, por volta dos 30 metros de profundidade, é coincidente com apresentadas f nerogâmicas e das algas fitófilas. Este limite varia com as regiões geográficas, dependendo da penetração dos raios solares, ou seja, varia de acordo com a transparência das aguas. O circalitoral estende-se desde o limite inferior do infralitoral ate às profundidades máximas compatíveis com a presença das algas ciáfilas sem que a presença deste tipo de algas seja obrigatório. Estas, apenas necessitam de uma baixa luminosidade para sobreviverem. É uma zona, ao contrário da anterior, dominada essencialmente por animais.
  4. 4. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 4 | P á g i n a Na nossa visita de estudo à Praia do Paraíso (que se situa em Leça da Palmeira) observamos uma diversidade de seres vivos entre os quais:
  5. 5. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 5 | P á g i n a
  6. 6. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 6 | P á g i n a
  7. 7. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 7 | P á g i n a
  8. 8. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 8 | P á g i n a
  9. 9. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 9 | P á g i n a
  10. 10. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 10 | P á g i n a
  11. 11. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 11 | P á g i n a
  12. 12. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 12 | P á g i n a
  13. 13. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 13 | P á g i n a Trabalho elaborado por: Gonçalo Leonardo João Veludo Mariya Shevchuk

×