Uma oportunidade de conhecer a si mesmo Por Roberto Shinyashiki  O amor nos dá coragem para olhar nossos medos e termos a ...
Viver com alguém que se ama não é somente uma oportunidade de conhecer o outro,  mas é também a grande chance de entrar em...
Um dia, perguntaram a um grande mestre quem o havia ajudado a atingir a iluminação, e ele respondeu:  “ Um cachorro”.  Os ...
Então, ele fugiu de medo e ficou observando, durante longo tempo, a água.  Quando a sede aumentou, ele voltou, repetiu tod...
Desde então, percebi que, sempre que eu me aproximava de alguém, via minha imagem refletida, fazia cara de bravo e fugia a...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

UMA OPORTUNIDADE

263 visualizações

Publicada em

UMA OPORTUNIDADE

Publicada em: Estilo de vida, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
263
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

UMA OPORTUNIDADE

  1. 1. Uma oportunidade de conhecer a si mesmo Por Roberto Shinyashiki O amor nos dá coragem para olhar nossos medos e termos a ousadia de enfrentá-los!
  2. 2. Viver com alguém que se ama não é somente uma oportunidade de conhecer o outro, mas é também a grande chance de entrar em contato consigo mesmo. Apenas quando nos vemos é que percebemos o medo de nós mesmos e nos aceitamos como realmente somos. Começamos, então, a nos capacitar para o amor. O amor nos dá coragem para olhar nossos medos e termos a ousadia de enfrentá-los!
  3. 3. Um dia, perguntaram a um grande mestre quem o havia ajudado a atingir a iluminação, e ele respondeu: “ Um cachorro”. Os discípulos, surpresos, quiseram saber o que havia acontecido e o mestre contou: Certa vez, eu estava olhando um cachorro, que parecia sedento e se dirigia a uma poça d’água. Quando ele foi beber, viu sua imagem refletida. O cachorro, então, fez uma cara de assustado, e a imagem o imitou. Ele fez cara de bravo, e a imagem o arremedou.
  4. 4. Então, ele fugiu de medo e ficou observando, durante longo tempo, a água. Quando a sede aumentou, ele voltou, repetiu todo o ritual e fugiu novamente. Em um dado momento, a sede era tanta que o cachorro não resistiu e correu em direção à água, atirou-se nela e saciou sua sede.
  5. 5. Desde então, percebi que, sempre que eu me aproximava de alguém, via minha imagem refletida, fazia cara de bravo e fugia assustado. E ficava, de longe, sonhando com esse relacionamento que eu queria para mim. Esse cachorro me ensinou que eu precisava entrar em contato com a minha sede e mergulhar no amor, sem me assuntar com as imagens que eu ficava projetando nos outros. Roberto Shinyashiki Musica: Werner Muller - Rosemarie Montage: [email_address] www.pranos.com.br

×