PIADAS EM SLIDE

34.476 visualizações

Publicada em

PIADAS EM SLIDE

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
34.476
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
365
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
431
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PIADAS EM SLIDE

  1. 1. Só piadas
  2. 2. O marido liga para casa no meio da tarde: - Oi, minha rainha! Como está o teu dia? - Tudo ótimo. - Que bom! E as crianças estão bem? - Brincando sem parar, não se preocupe. - Ótimo, perfeito! - Elas já almoçaram? Se alimentaram bem? - Sim! Comeram muito bem! Já fizeram a lição de casa e agora estão brincando. - Que bom! E me conta, minha linda, o que vai ter no jantar hoje? - O seu prato preferido e já coloquei a cerveja na geladeira... Que maldade . . .
  3. 3. <ul><li>- Uau! Bife à milanesa e cerveja! Por isso que eu te adoro tanto! Bom... está tudo tranqüilo em casa, então? </li></ul><ul><li>- Fique tranqüilo que está tudo bem. </li></ul><ul><li>- Ah, mais uma coisinha: você promete que, hoje à noite, colocará aquele babydoll preto prá mim? </li></ul><ul><li>- Faço tudo para te agradar... E não vou esquecer o perfume que você mais gosta... </li></ul><ul><li>- Mesmo? Obrigado meu tesão! É por isso te amo tanto... </li></ul><ul><li>- Sei, sei... </li></ul><ul><li>- Daqui a pouco te vejo, tá meu amor? </li></ul><ul><li>Vou ficar esperando ansiosa... </li></ul><ul><li>- Agora me chama a patroa aí, tá? </li></ul>
  4. 5. Namorados na Moita Ramon e Nilzecléia passeavam de mãos dadas pelo parque da cidade. Enquanto caminhavam, o rapaz sentia que a coisa ficava cada vez mais quente ... O desejo de Ramon aumentava enquanto caminhavam entre as grandes e sombrias árvores. Ramon já não agüenta mais de tesão e começa a agarrar a namorada. No meio do amasso, Nilzecléia o interrompe, dizendo: — Ai, amor! Pára, que eu quero fazer xixi ! Mesmo contrariado com o pedido, Ramon concorda: — Tudo bem, Nilzecléia. Então vai ali, atrás daqueles arbustos
  5. 6. Mas o safadão já não conseguia se controlar... Ele, nervoso e possuído pelo desejo, escuta o som erótico da calcinha deslizando pelas coxas grossas de Nilzecléia. Incapaz de se conter, Ramon segue seus instintos animais e estende o braço até tocar a perna de Nilzecléia. Suavemente, sobe as mãos mais e mais, até segurar algo grosso e quente, no meio das pernas dela! Assustado, ele pergunta: — Nilzecléia! Por Deus!... Você mudou de sexo? Ela responde, gemendo: — Não!!!! Mudei de idéia... Estou cagando!
  6. 8. Sexo Normal   Um homem foi levado perante o juiz, acusado de necrofilia, por ter feito sexo com um cadáver feminino. Na ocasião, o juiz se dirige a ele e diz: — Em 20 anos de magistratura, nunca vi uma coisa tão anormal. Dê-me uma única razão para eu não lhe colocar na cadeia! O homem respondeu: — Vou lhe dar não uma, mas três boas razões, senhor juiz: Primeiro , não é da sua conta. Segundo , ela era minha esposa. Terceiro , eu não sabia que ela estava morta. Ela sempre agia assim! Resultado: o cara foi absolvido
  7. 10. Joãozinho chega da escola e vai direto à geladeira pegar o sorvete... Sua mãe entra na cozinha e dá aquela bronca: - Nada disso, Joãozinho.  Isso não é hora de tomar sorvete. Está quase na hora do almoço... Vá lá fora brincar!!!&quot; - Mas, mamãe, não tem ninguém para brincar comigo! A mãe entra no jogo dele e diz: - Tá bom, então eu vou brincar com você. Do que é que nós vamos brincar? - Quero brincar de Papai-e-mamãe. Tentando não mostrar surpresa, ela responde: - Tá certo. O que é que eu devo fazer? - Vá para seu quarto, vista o baby-doll e deite-se. Joãozinho e o sorvete
  8. 11. Pensando que vai ser bem fácil Controlar a situação, a mãe sobe as escadas . Joãozinho vai até o quartinho E pega um velho chapéu do pai. Ele encontra um toco de cigarro Num cinzeiro e o coloca no canto da boca. Sobe as escadas e vai até o quarto da mãe. A mãe levanta a cabeça e pergunta: - E o que eu faço agora? Com um jeito autoritário, Joãozinho diz: - Desça logo e dê sorvete ao garoto!
  9. 13. O julgamento da velhinha   Juiz: Qual sua idade ? Velhinha: Tenho 86 anos. Juiz: Diga-nos, por palavras suas, o que lhe aconteceu no dia 1º de abril do ano passado. Velhinha: Estava sentada no alpendre da minha varanda, num fim-de-tarde suave de verão, quando um jovem, se sentou a meu lado. Juiz: A senhora o conhecia? Velhinha: Não, mas ele foi muito simpático. Juiz : O que aconteceu depois? Velhinha: Depois de uma amena cavaqueira, ele começou a acariciar-me a coxa.
  10. 14. Juiz: A senhora tentou impedi-lo? Velhinha: Não. Juiz: Porque não? Velhinha: Era muito agradável. Desde que o meu Alfredo faleceu, há 30 anos, nunca mais ninguém me tinha feito isso. Juiz: O que aconteceu depois? Velhinha: Acho que, pelo simples fato de não o ter impedido, ele começou acariciar os meus seios... Juiz: E nessa altura, a senhora o deteve? Velhinha: É claro que não ! Juiz: Por que não? Velhinha: Porque, Meritíssimo, ele me fez sentir viva e excitada. Não me sentia assim arretada, há 30 anos !
  11. 15. Juiz: O que aconteceu depois? Velhinha: Ora, Sr. Dr. Juiz, o que faria uma mulher verdadeira, ardendo em chamas, já de noitinha, diante de um jovem ávido de amor? Estávamos sós... e abrindo as pernas suavemente, disse-lhe: Podes possuir- me, rapaz! Juiz: E ele a possuiu? Velhinha : Não!!!  Ele gritou: &quot;1º DE ABBRRRRIIIILLLL!!!&quot;. Foi então que dei um tiro no filho da mãe!!!  
  12. 17. A lógica dos amantes Um casal estava dormindo profundamente como inocentes bebês. De repente, lá pelas três horas da manhã, escutam ruídos fora do quarto. A mulher se sobressalta e apavorada sussurra para o homem que dorme a seu lado: - Aaaaaiiiiiii, deve ser o meu marido!!! O homem se levanta rapidamente e ensandecido pula pelado pela janela e cai em cima de uma planta com espinhos. Em poucos segundos, todo machucado, ele volta irritado e diz à mulher: - Sua louca... teu marido sou eu!!! - É ?!?!? E pulou a janela porquê? (Consciência pesada é um problema sério!)
  13. 19. <ul><li>EXAME DE PRÓSTATA </li></ul><ul><li>O cego vai no médico fazer exame de próstata e lá chegando pergunta pro médico: </li></ul><ul><li>- Dr., este exame dói? </li></ul><ul><li>O médico responde: </li></ul><ul><li>- Só um pouquinho… </li></ul><ul><li>O cego pergunta: </li></ul><ul><li>- Dr., posso pedir uma coisa? </li></ul><ul><li>- Sim! Responde o médico. </li></ul><ul><li>- Eu posso pegar no seu pinto enquanto o sr. faz o exame? </li></ul><ul><li>O médico meio desconfiado, responde: </li></ul><ul><li>- Sim. </li></ul><ul><li>Mas o médico fica intrigado e pergunta: </li></ul><ul><li>- Mas porque você quer segurar o meu pinto? </li></ul><ul><li>O cego responde: </li></ul><ul><li>- É para ter certeza que o Sr. vai colocar o dedo… </li></ul>
  14. 21. Palavras Cruzadas Um bêbado entra no ônibus e se senta ao lado de uma freira que estava se distraindo com um livro de palavras cruzadas. Ela vê o bêbado, não tira o olho do livro e diz, pra provocar: – É feio e, ainda por cima, tem um fedor insuportável! O bêbado olha pra freira, olha pro livro e diz: – Se for com oito letras, é PERERECA!
  15. 23. Se Meu Pai Fosse... Estava um bêbado no ônibus, falando sozinho, em voz alta: - Se meu pai fosse um pato e minha mãe um pata, eu seria um patinho... Se meu pai fosse um cachorro e minha mãe uma cadela, eu seria um cachorrinho... Se meu pai fosse um gato e minha mãe uma gata, eu seriaum gatinho... Se meu pai fosse um... - Escuta aqui, ô meu chapa - interrompeu o motorista, em altos brados, levantando-se e caminhando em sua direção. - E se teu pai fosse um veado e tua mãe uma puta? - Aí eu seria motorista!
  16. 25. Tirando pra Dançar   C omeçou   a música e um bêbado levantou-se, cambaleando e trocando as pernas, dirigiu-se a uma senhora de preto e pediu: — Hic... Madame, me dá o prazer dessa dança? E ouviu a seguinte resposta: — Não, por três motivos: Primeiro , o senhor está bêbado em pleno velório! — Segundo , porque não se dança o Hino Nacional!
  17. 26. — E terceiro , porque &quot;madame&quot; é o raio que o parta , eu sou padre!

×