O FRUTO
vida eterna...            Se a gente for pensar num momento de Jesus, quando Ele afirmou ser a árvore da vida e que quem e...
É preciso fazer essa reflexão:  Ele é a verdadeira videira.
Também disse em outro momento que temos que produzir bons frutos.  Então alguns pontos começam a se destacar nessa reflexã...
O que caracteriza um fruto como sendo dessa ou daquela espécie?
Reconhecemos uma uva porque ela tem características próprias e distintas de qualquer outro fruto.   ...essas, por exemplo,...
A uva tem formato de uva, tem cheiro de uva, tem textura de uva, tem sabor de uva e outras propriedades físicas e químicas...
... qualquer pessoa   saberá que é uva.   ...essas são uvas, com certeza!!
...essas são uvas, com certeza!! Pelo fruto saberemos se é boa a árvore ou fruteira que o produziu. Pela árvore não se sab...
O apóstolo Paulo conseguiu assimilar bem essa palavra e colocou-a de forma bastante clara em Gálatas 5:22
Ele afirmou que o fruto do Espírito é  amor : alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e temperança...
Nada mais claro do que essas oito qualidades bem caracterizadas em palavras para definir de que fruto Jesus andou falando.
Ele falou de amor, de entrega ao próximo.  Sendo assim, o fruto que Ele espera que produzamos é o amor, que como fruto tem...
Por essas qualidades poderá ser conhecido o fruto do Espírito.  Esse fruto não será encontrado em outra árvore senão na vi...
Não dá para se enganar, ou temos o formato, o cheiro, a textura e, principalmente, o sabor do fruto do Espírito ou não som...
E assim nos resta pensar: e agora José, João, Maria, etc?
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O FRUTO

1.290 visualizações

Publicada em

O FRUTO

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.290
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O FRUTO

  1. 1. O FRUTO
  2. 2. vida eterna...           Se a gente for pensar num momento de Jesus, quando Ele afirmou ser a árvore da vida e que quem estivesse n’Ele teria
  3. 3. É preciso fazer essa reflexão: Ele é a verdadeira videira.
  4. 4. Também disse em outro momento que temos que produzir bons frutos. Então alguns pontos começam a se destacar nessa reflexão.
  5. 5. O que caracteriza um fruto como sendo dessa ou daquela espécie?
  6. 6. Reconhecemos uma uva porque ela tem características próprias e distintas de qualquer outro fruto. ...essas, por exemplo, não são uvas!
  7. 7. A uva tem formato de uva, tem cheiro de uva, tem textura de uva, tem sabor de uva e outras propriedades físicas e químicas típicas de sua espécie e variedade... essas também não são uvas...
  8. 8. ... qualquer pessoa saberá que é uva. ...essas são uvas, com certeza!!
  9. 9. ...essas são uvas, com certeza!! Pelo fruto saberemos se é boa a árvore ou fruteira que o produziu. Pela árvore não se saberá se o fruto será bom antes que ele amadureça e se torne apetitoso.
  10. 10. O apóstolo Paulo conseguiu assimilar bem essa palavra e colocou-a de forma bastante clara em Gálatas 5:22
  11. 11. Ele afirmou que o fruto do Espírito é amor : alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e temperança.
  12. 12. Nada mais claro do que essas oito qualidades bem caracterizadas em palavras para definir de que fruto Jesus andou falando.
  13. 13. Ele falou de amor, de entrega ao próximo. Sendo assim, o fruto que Ele espera que produzamos é o amor, que como fruto tem características próprias que o identifica, tais como alegria, paz, longanimidade, etc.
  14. 14. Por essas qualidades poderá ser conhecido o fruto do Espírito. Esse fruto não será encontrado em outra árvore senão na videira verdadeira e em seus ramos.
  15. 15. Não dá para se enganar, ou temos o formato, o cheiro, a textura e, principalmente, o sabor do fruto do Espírito ou não somos da mesma linhagem e identidade de Jesus.
  16. 16. E assim nos resta pensar: e agora José, João, Maria, etc?

×