"MEU INESQUECIVEL AMOR"
           Sei que a distância, entre o ontem e o hoje, ofuscou o brilho, que um dia existiu em nossos sentimentos. Empano...
Sei que estacionamos as perspectivas, nas laterais do desespero e que paramos o caminhar, nos alinhavos das decepções. Dos...
           Sei que sofremos, ao embalarmos desventuras.  Ao enforcarmos capacidades, pois foi com amor, que aferimos e mus...
Sei que não fomos fortes o suficiente, para mantermos de pé as nossas vontades. Que não fomos audazes. Perspicazes e que f...
           Entretanto!            Fomos amor. Fomos duas almas, em total comunhão e harmoniosamente, buscamos o aprimorame...
Fomos um casal coroados pela alegria. Condecorados pela felicidade. Reverenciados pelas realizações.              Mesmo as...
           Um dia!            Fomos amor, só que amarelamos. Sucumbimos e permitimos o apodrecimento das raízes, que fizer...
                    Como folhas secas!            Permitimos que a responsabilidade flutuasse ao léu, pois não caprichamos...
          Sei que fomos amor!            Só que deixamos o descaso vencer as vontades. O desespero ludibriar as nossas ilu...
            Hoje!           Solidário com os meus sofrimentos. Com o desconsolo do meu coração. Choro com saudade e manten...
A VOCÊ MEU INESQUECIVEL AMOR!
[email_address] Texto <> Célio Gilberto Silva &quot;Escritor / Poeta <> Tulipa Negra&quot; <> São José <> Santa Catarina <...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

MEU INESQUECIVEL AMOR

3.144 visualizações

Publicada em

MEU INESQUECIVEL AMOR

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.144
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MEU INESQUECIVEL AMOR

  1. 1. &quot;MEU INESQUECIVEL AMOR&quot;
  2. 2.           Sei que a distância, entre o ontem e o hoje, ofuscou o brilho, que um dia existiu em nossos sentimentos. Empanou a luminosidade, das enriquecidas esperanças, que nos guiavam pelas estradas da paixão.  
  3. 3. Sei que estacionamos as perspectivas, nas laterais do desespero e que paramos o caminhar, nos alinhavos das decepções. Dos contratempos, que mesclavam as frustrações, com os indigestos desenganos.            
  4. 4.           Sei que sofremos, ao embalarmos desventuras. Ao enforcarmos capacidades, pois foi com amor, que aferimos e musicamos o nosso relacionamento.  
  5. 5. Sei que não fomos fortes o suficiente, para mantermos de pé as nossas vontades. Que não fomos audazes. Perspicazes e que fraquejamos diante o dilúvio incoerente das desilusões. Com o devaneio das fantasias.            
  6. 6.           Entretanto!           Fomos amor. Fomos duas almas, em total comunhão e harmoniosamente, buscamos o aprimoramento das necessidades.             Fomos dois seres em erupções. Em labaredas de desejos e em idílio de cumplicidade.            
  7. 7. Fomos um casal coroados pela alegria. Condecorados pela felicidade. Reverenciados pelas realizações.             Mesmo assim!           Nos perdemos nos caminhos da tristeza. Nos atolamos na lama da intolerância. Mergulhamos nos esgotos sarcásticos da incompreensão, pois esbofeteamos as nossas verdades e assassinamos a ilusão.  
  8. 8.           Um dia!           Fomos amor, só que amarelamos. Sucumbimos e permitimos o apodrecimento das raízes, que fizeram desabar os baluartes do viver a dois.          
  9. 9.                     Como folhas secas!           Permitimos que a responsabilidade flutuasse ao léu, pois não caprichamos na montagem do quebra cabeça e das representações. Não imbuímos as virtudes, nos becos da credibilidade.
  10. 10.           Sei que fomos amor!           Só que deixamos o descaso vencer as vontades. O desespero ludibriar as nossas ilusões. O egoísmo superar a nossa tolerância.             Ironicamente!           Não marcamos o nosso tempo. Não fecundamos os nossos espaços. Não semeamos vida. Não podamos a honestidade. Não superamos a falsidade.  
  11. 11.            Hoje!           Solidário com os meus sofrimentos. Com o desconsolo do meu coração. Choro com saudade e mantenho diálogo com a solidão, pois nossas intenções foram supérfluas. Catastróficas mediante ao fomentado, já que não superamos as crises. O ciúme. A traição. O apresentado.            
  12. 12. A VOCÊ MEU INESQUECIVEL AMOR!
  13. 13. [email_address] Texto <> Célio Gilberto Silva &quot;Escritor / Poeta <> Tulipa Negra&quot; <> São José <> Santa Catarina <> E-mail <> [email_address]     FORMATAÇÃO DE - RO/SC

×