Poema de José Alberto Lopes CONFISSÕES DE  MAR  A  PRAIA Som: la mer com Ray Connif
Como um louco oceano Ele invadiu o meu delta, Em algazarras selvagens Como se, um bando Celta.
Depois rompeu os meus diques E desgrenhou o meu leito, Quedou-se entre os meus seios A ouvir célere peito
Como  um  louco oceano, Banhou-se em vagalhões Também sentiu o meu sal, Esquecidos em meus porões...
E adentrou a minha casa, E bem disse a arquitetura, Fez-me de lixo  e de luxo E completou a sua usura!
Já exausto foi deitando Bem em minhas amuradas Beijou-me e adormecemos, Como velas arriadas.
Depois como um oceano, Lá nos baixios das rocas, Deixou-me  furtivamente Já no amanhecer das docas.
CRÉDITOS Poema de José Alberto Lopes Formatação Naja Slides E-mail:  [email_address] Recanto das Letras@uol.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

CONFISSOES DE MAR E PRAIA

624 visualizações

Publicada em

CONFISSOES DE MAR E PRAIA

Publicada em: Tecnologia, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
624
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CONFISSOES DE MAR E PRAIA

  1. 1. Poema de José Alberto Lopes CONFISSÕES DE MAR A PRAIA Som: la mer com Ray Connif
  2. 2. Como um louco oceano Ele invadiu o meu delta, Em algazarras selvagens Como se, um bando Celta.
  3. 3. Depois rompeu os meus diques E desgrenhou o meu leito, Quedou-se entre os meus seios A ouvir célere peito
  4. 4. Como um louco oceano, Banhou-se em vagalhões Também sentiu o meu sal, Esquecidos em meus porões...
  5. 5. E adentrou a minha casa, E bem disse a arquitetura, Fez-me de lixo e de luxo E completou a sua usura!
  6. 6. Já exausto foi deitando Bem em minhas amuradas Beijou-me e adormecemos, Como velas arriadas.
  7. 7. Depois como um oceano, Lá nos baixios das rocas, Deixou-me furtivamente Já no amanhecer das docas.
  8. 8. CRÉDITOS Poema de José Alberto Lopes Formatação Naja Slides E-mail: [email_address] Recanto das Letras@uol.com.br

×