Alma Cigana Lady Foppa – Poeta Goiana Sou da mata a sombra verde que caminha, sou linha. Sou ave de asas abertas voando  a...
Sou desvairada cobiça do ouro  que inflama, sou trama.  Sou a nota da música que forma o canto, sou pranto. Sou do Sendero...
Sou o traço decisivo que sulca a palma, sou alma.  Sou lume distante que busca o horizonte, sou fonte. Sou  fervor de mãos...
Sou o gosto mais doce que fica no beijo, sou desejo. Sou fiel guardiã das emoções que sinto, sou instinto.  Sou dano e gan...
Sou harmonia da palavra  rimando com flor, sou amor. Sou cigana,  magia ancestral  assumida, Sou vida... [email_address] M...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ALMA CIGANA

1.180 visualizações

Publicada em

ALMA CIGANA

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.180
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ALMA CIGANA

  1. 2. Alma Cigana Lady Foppa – Poeta Goiana Sou da mata a sombra verde que caminha, sou linha. Sou ave de asas abertas voando ao léu, sou dona do céu. Sou tempo fulgente que o passado não sente, sou presente. Sou o caso do acaso enlaçando os enredos, sou segredo.
  2. 3. Sou desvairada cobiça do ouro que inflama, sou trama. Sou a nota da música que forma o canto, sou pranto. Sou do Sendero a flecha certeira que brilha, sou trilha. Sou saudade que a nostalgia alcança, sou lembrança. Sou parte central do fulgor da paixão, sou coração.
  3. 4. Sou o traço decisivo que sulca a palma, sou alma. Sou lume distante que busca o horizonte, sou fonte. Sou fervor de mãos postas em contrição, sou oração. Sou visão que permeia o delírio lento, sou pensamento.
  4. 5. Sou o gosto mais doce que fica no beijo, sou desejo. Sou fiel guardiã das emoções que sinto, sou instinto. Sou dano e ganho entre tudo e nada, sou bruxa e fada. Sou na tarde silente o tanger triste do sino, sou destino. Sou reticências dos versos que componho, sou sonho.
  5. 6. Sou harmonia da palavra rimando com flor, sou amor. Sou cigana, magia ancestral assumida, Sou vida... [email_address] Música: Csardas (Violin Solo) - Hungarian Gypsy Orchestra Montagem: [email_address] www.pranos.com.br

×